História My song - Capítulo 70


Postado
Categorias Alice In Chains, Nirvana, Pearl Jam
Personagens Dave Grohl, Jerry Cantrell, Krist Novoselic, Kurt Cobain, Mike Starr, Personagens Originais, Stone Gossard
Tags Alice In Chains, Dave Grohl, Krist Novoselic, Kurt Cobain, Nirvana
Visualizações 24
Palavras 1.091
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Mais um❤️
Espero que gostem 😊

Capítulo 70 - Izzy


Fanfic / Fanfiction My song - Capítulo 70 - Izzy

  Izzy.

 

 

  Olhei para o céu nublado. Joguei o cigarro intocado no meio fio, colocando um chiclete na boca. Atravessei a rua calmamente, parando em frente a discreta portaria. Logo, me identifiquei e  adentrei a clínica psiquiátrica, onde Mike e Courtney, encontravam-se. 

  Caminhei em passo firmes, me sentando numa mesa de canto, observando o grande jardim, pelo vidro da janela. Muitas pessoas andavam pela grama verde, outras repousavam nos bancos espalhados. Diferentemente dos filmes, não havia ninguém com aqueles “vestidos” de pacientes, que deixam a bunda de fora. Todos usavam roupas normais, calças de moletom e camisetas confortáveis. Os únicos que se destacavam obviamente, eram os funcionários. Permaneci distraindo-me com a paisagem, esquecendo por alguns instantes o real motivo de estar ali. 

  - Thabata?! – A voz de Starr chegou aos meus ouvidos, fazendo-me virar para encara-lo. 

  - Olá, Mike. – Sorri levemente, apontando a cadeira a minha frente. O vi sentar-se, parecendo perdido e surpreso. 

  - O que faz aqui? – O moreno me fitava realmente interessado. Reparei nas olheiras profundas, abaixo de seus olhos. O cabelo, um tanto desgrenhado, mantinha-se preso em um rabo frouxo e baixo.

  - Queria ver como estava e contar as novidades. – Dei de ombros, como se aquela conversa fosse algo trivial. 

  - Corta essa, Izzy! Veio aqui para ver a minha desgraça, não é? Pois bem, pode se dar por satisfeita. – O vi gesticular, apontoando todo o nosso redor. 

  - Não é tão ruim assim... – Comecei. – Poderia estar na cadeia, aprodecendo sozinho, pagando por todo o sofrimento que fez Nina passar. 

  - Sei que fiz tudo errado, mas me arrependo completamente. Aqui, neste lugar, pude ver o quão filha da puta eu fui. – Mike tinha os olhos marejados, só que aquilo não me comoveu nem um pouco. 

  - Se arrepender não muda nada. Não muda o fato de você ser um pau no cú, que bate em mulher. Nada do que falar ou fizer, vai me fazer mudar de opinião. – Praticamente cuspi as palavras, meu sangue já fervendo nas veias. – Não pensou no seu filho, em momento algum, só em seus próprios desejos estupidos. Sequestrou uma mulher grávida, que por temer sua própria vida e do bebê, teve que mentir e seguir suas porras de regras estúpidas! – Quase gritei, batendo a mão com força no tampo de madeira. Fechei os olhos, respirando fundo. Quando os abri, o moreno se debulhava em lágrimas. 

  - Ela nunca vai me perdoar, não é? – Indagou, entre uma fungada e outra. – Não terei nunca mais minha família de volta. 

  - Que família? – Ri, não acreditando que ele ainda acreditava nisso. Realmente, Starr sofria de algum problema psicológico. – Sabe, você disse com gosto, não muito tempo atrás, que eu não teria ninguém, que era uma estragada... No entanto, quem vai terminar seus dias na mais completa solidão, não será a mulher “incompleta” aqui. – Abri mais um sorriso, dessa vez maldoso, querendo afetá-lo propositalmente. – Quero que saiba, o quanto minha amiga está feliz, com Krist e Ícaro, aproveitando finalmente a gravidez. Eles se amam, e não tem nada que possa fazer para estragar isso. Não mais. 

  - Eu os perdi, para sempre. – Mike choramingava, perdido nos próprios pensamentos. 

  - Sua única esperança, mesmo que não mereça, é o Ícaro. Ele apesar de tudo, ainda te ama. Crianças, tão puras e amorosas. – Dei de ombros mais uma vez, consultando o relógio na parede. – Muito bem, acho que já prolonguei demais nossa conversa. Ainda tenho outra pessoa para bater um papo.  

  - Somente diga para eles que eu me arrependo, e que nunca vou deixar de amá-los. – O moreno pediu, já em pé. O observei afastar-se um pouco, esperando a hora certa de dizer o que realmente queria. 

  - Hey, Starr! Esqueci de te contar uma coisa. – Lhe encarei por alguns segundos. – Estou grávida. – Não posso dizer o quão gratificante foi a expressão que Mike fez. Deu para perceber todas as emoções possíveis, passando por sua face, enquanto era levado pelos enfermeiros. 

  Acariciei minha barriga ainda lisa, preparando-me para o que viria a seguir. Não demorou muito para que a presença da próxima visita, se fizesse perceber. Love como sempre, falava alto pelos corredores, rindo e provocando todo mundo. Quando botou seus olhos em mim, um sorriso de loucura cortou-lhe os lábios, causando-me um arrepio. Tentei manter a calma, não desviando o olhar. Esperei que sentasse onde Mike esteve até pouco antes, fitando o rosto pálido e o cabelo bagunçado. 

  - A que devo a honra? – A loira quebrou o silêncio.

  - Só queria vir te fazer uma visita. – Respondi, como se aquilo fossa a mais pura verdade. – Sei que não deve ter amigos ou alguém que queira te ver. 

  - Muito perspicaz da sua parte.  – Ela revirou os olhos, entediada. – Podemos ficar com esse joguinho o dia inteiro, não tenho nada para fazer mesmo. – Deu de ombros, relaxando no encosto da cadeira. 

  - Como quiser. – Levantei uma sobrancelha. – Queria contar as novidades. Principalmente sobre o Kurt e eu. – Comecei. – Estava louca para te falar o quanto estamos felizes, e que o sexo nunca foi tão bom! – Passei a língua entre os lábios, em um gesto de luxúria. – Nós duas sabemos o quanto aquele magrelo tem pegada! 

  - Aproveita bastante, antes que ele enjoe de você. – Courtney soltou, arrogante. – Ainda mais, por não ser aquela que poderá dar a ele, o filho que sempre quis. – Riu, sabendo que o tema era a minha fraqueza. 

  - Pode deixar que estou aproveitando até demais! Aliás, de tanto aproveitar, algo inesperado aconteceu. – Encarei os olhos claros de Love, sorrindo satisfeita. – Estou grávida. – Dei tapinhas carinhosos em meu ventre, mostrando que ali, havia uma vida se formando. – Estamos tão felizes! – Não iria deixar que ela soubesse que Kurt, não fazia ideia que seria pai. 

  - Isso é mentira! Vagabunda... – A loira se levantou, pronta para avançar sobre mim, contudo, os enfermeiros foram mais rápidos, imobilizando-a. – Me soltem! Me soltem! Seus desgraçados do caralho!!! – Ela gritava e se sacudia. Um verdadeiro espetáculo ao vivo. 

  - Courtney. Não precisa fazer um barraco. – Comentei calma, me levantando também. – Se você acha que é mentira, tudo bem. Não me importo nem um pouco. – Agora, o meu sorriso era o maldoso. – Até nunca mais... – Acenei em despedida, sumindo pelos corredores do lugar, ainda escutando os xingamentos da mulher. Soltei o ar que não sabia estar segurando, quando passei o portão e pisei na calçada. A vontade de fumar veio forte, porém, peguei mais uma goma de mascar e coloquei na boca. Rumei para meu carro, querendo chegar em casa logo, mas antes, iria comer alguma coisa. 


Notas Finais


Agora a vingança da Izzy está completa hahahahahahhah


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...