História My Special Ômega: 2Jae - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Black Pink, EXO, Got7, Monsta X
Personagens Baekhyun, BamBam, Chanyeol, Hyung Won, Jackson, JB, Jeon Jeongguk (Jungkook), Jinyoung, Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Lisa, Mark, Park Jimin (Jimin), Won Ho, Youngjae, Yugyeom
Visualizações 596
Palavras 4.831
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Lemon, Romance e Novela, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Gravidez Masculina (MPreg), Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Brotei nenês meus :3
Como vcs estão? Espero que bem.
Bom, eu não tenho mto a dizer, então bom cap meus amores skks :3💕❤

Capítulo 7 - Seven


Fanfic / Fanfiction My Special Ômega: 2Jae - Capítulo 7 - Seven

Dr.- então acho que não tem problema... - ele olha para sua prancheta e depois para mim, como se estivesse querendo ter certeza do que Jaebum dizia. Eu corei e mesmo com muita vergonha assenti. - tudo bem, venha comigo assinar uns papéis, o soro dele vai terminar só mais tarde então você terá que espera-lo, ou se não vir busca-lo depois.

Jb- ok, eu ja volto. - ele me olhou rápido, colocou as mãos nos bolsos da calça do uniforme, e saiu da sala junto com o médico.

Assim que os dois sairam do quarto, eu voltei a me deitar na cama, olhei para as minhas proprias mãos e suspirei frustrado. Fechei meus olhos e senti meu corpo perder as forças novamente, eu estava exausto e queria muito dormir de novo, mas também queria esperar Jaebum voltar para poder agradecer oque ele fez por mim. Abri de novo meus olhos e me forcei a espera-lo voltar. 

POV Jaebum 

Fui a sala do médico, e peguei os papeis e a receita médica que Youngjae precisava e depois fui até a recepção assinar os papeis da alta dele. Quando voltei ao quarto, peguei a cena mais engraçada e fofa que já vi, Youngjae lutava contra o proprio sono, e seus olhos se fechavam mas ele rapidamente os abria de novo, para depois eles se fecharem novamente. Eu ri baixinho com a cena, e me aproximei da cama, me sentando na poltrona ao lado de sua cama.

JB- pode dormir se quiser Youngjae. 

Jae- ah, você voltou.... Eu só queria agradecer hyung - ele diz fechando os olhos e soltando um bocejo, para depois abrir os olhos devagar de novo e abrir um sorriso pequeno. - obrigada por ter me ajudado... 

Jb- não precisa me agradecer... Acho que qualquer um faria isto.

Jae- é eu sei... Mas mesmo assim, muito obrigada. - ele sorri

Jb- tudo bem, me agradeça depois, agora descanse. - digo colocando minha mão em cima de sua cama, acariciando de leve seu braço, ele assente e quando eu fui retirar minha mão de cima do seu braço ele a segura se virando de lado na cama, colocando minha mão perto de seu rosto e fechando os pequenos olhinhos se deixando ser levado pelo sono.

Eu queria ter tirado minha mão dali, mas ele parecia tão confortável daquela forma que fui incapaz de fazer isso. Me ajeitei na poltrona e me virei um pouco de lado nela olhando para o ômega a minha frente que ja dormia calmamente.

Youngjae parecia muito uma criança, tanto em aparência quanto no modo de agir, e não que eu achasse aquilo ruim para ser sincero, por algum motivo as vezes eu até gostava. Quando estava acordado era todo espoleta, risonho e não parava quieto, era curioso e adorava te encher com perguntas, mas dormindo ele parecia calmo, sereno e quem o visse até achava que ele era aquela serenidade toda. 

E pensar que alguém foi capaz de machucar aquele garoto adorável que mais se parecia com um garotinho de 8 anos, me fazia sentir uma enorme raiva. Ele não merecia aquilo, e pensar nisso fez eu me sentir agitado, eu queria me levantar dali e ir atrás do sangue frio que tinha feito isso com ele, mas essa raiva toda passou assim que senti Youngjae dar um leve aperto em minha mão e depois acaricia-la de leve, eu o olhei de novo, e suspirei sentindo meu interior estranhamente se acalmar de repente.

Eu não conseguia entender como ele fazia isso, me acalmar com gestos tão pequenos, como no dia anterior, em que eu estava quase matando o garoto espancado por ele ter tentado abusar de Youngjae, mas então ele me abraçou repentinamente e eu senti como se toda aquela raiva sumisse do nada, e agora isso. Eu me sentia confuso, confuso por ter conhecido ele apenas à três dias, mas ter reparado tanto nele sem ao menos perceber e agora, eu o conheço um pouco mais do que deveria, confuso por que sempre que estou perto dele eu me sinto calmo, me sinto bem, mas ao mesmo tempo me sinto irritado de um modo bom - se é que isso existe - porque ele consegue me irritar e me tirar a paciência com aquele monte de perguntas, mas eu não me sinto irritado a ponto de querer bater nele ou algo do tipo, era um irritado que por mais esquisito que pareça eu gostava.

JB- como eu posso sentir tudo isso? Eu mal conheço você... - digo baixo ainda o olhando.Suspirei cansado, eu odiava hospitais, odiava lugares que me faziam ficar cansado e hospitais eram claramente um desses lugares.

Mesmo desconfortável naquela posição eu tentei dormir, fechei meus olhos e esperei que o sono viesse.

_._._._._._._._._._._._._._._._._._._._._._._._._._._._.

Já eram 17:00 da tarde quando acordei, olhei para o lado com os olhos ainda meio fechados e vi que Youngjae já estava acordado, ele olhava para nossas mãos que ainda estavam juntas com um bico nos lábios, e com seu polegar ele brincava com meus dedos.

Jb- esta melhor? - digo um pouco baixo, por ter acabado de acordar e ele me olha um pouco assustado, mas logo abre um pequeno sorriso sem mostrar os dentes, e assente soltando minha mão. - o soro acabou?

Jae- sim, faz alguns minutos. 

Jb- e porque não me chamou? - me levanto devagar, ficando em pé na frente dele e olhando a bolsa de soro já vazia.

Jae- você parecia cansado...eu te dei muito trabalho, então achei melhor não acordar você. - ele sorri e eu senti meu peito se aquecer de um jeito estranho - e aliás, você fica fofo quando dorme hyung - ele diz soltando uma risada baixa, e eu faço uma careta.

Jb- vou chamar a enfermeira, espere aqui.

Ele assente e eu saio da sala, chamei uma enfermeira qualquer que passava pelos corredores e ela disse que chamaria a responsável por Youngjae, eu voltei ao quarto e fiquei parado ao lado de sua cama e em poucos minutos a enfermeira apareceu. Ela retirou a agulha do braço de Youngjae que resmungou apertando meu braço, ela colocou um curativo e eu o ajudei a ficar sentado na cama.

Jb- você tem que se vestir, eu vou te levar para casa. 

Jae- Ok.

Eu peguei suas roupas e saí do quarto para espera-lo no corredor. 

Assim que ele já estava pronto, nós saímos do hospital, ele mancava um pouco, e teve que se apoiar em mim para conseguir andar sem cair, impaciente de vê-lo daquele jeito, eu o peguei e coloquei em minhas costas,o carregando de cavalinho. Ele não reclamou, apenas deitou a cabeça em meu ombro e fomos para sua casa devagar.

Jb- esta com fome? - o olho por cima do ombro, e ele balança a cabeça com os olhos fechados. - quer ir a um café comer algo?

Ele apenas balançou a cabeça de novo. Continuei andando até encontrar algum café aberto ali perto, o hospital era um pouco afastado do centro e encontrar um café ali por perto era um pouco difícil, mas por sorte acabei encontrando um. Era meio isolado, e parado, mas parecia confortável.

Entrei com Youngjae ainda em minhas costas e fui até uma das mesas perto das janelas onde tinha um sofá pequeno. O coloquei sentado no sofá, e me sentei no outro a sua frente enquanto esperávamos alguém vir nos atender.

Jb Jae você esta bem?

Jae- sim hyung, é só sono... - ele diz apoiando os braços na mesa e deitando o rosto sobre eles.

Jb- mas você dormiu o dia todo Youngjae - o olho arqueando a sombrancelha.

Jae- eu sei hyung, mas eu ainda sinto sono.

Jb- deve ser efeito dos remédios que te deram lá. 

-Posso ajudar? - uma senhora simpática diz parada a frente de minha mesa com um bloco de notas em mãos.

Jb- pra mim só um café.

- simples?

Jb- com um pouquinho de leite.

- e você? - ela se vira para Youngjae, e ele abre os olhos, e a olha com um pequeno sorriso.

Jae- bolo de chocolate, e suco de maracujá.

- okay. algo mais?

Jb- não. 

- okay, o pedido de vocês ja vai chegar.

Jb- obrigada. 

Ela saí, e eu volto a encarar Youngjae que continuava deitado sobre os braços, e de olhos fechados de novo. Apoio meu cotovelo na mesa e meu rosto na mão, virando meu rosto para olhar a rua pouco movimentada do lugar.  

Peguei meu celular em meu bolso, vendo uma de varias mensagens de Namjoon perguntando onde eu estava, fora as mensagens dos outros garotos me perguntando se eu estava bem. Nada do que aconteceu hoje estava em meus planos, mas quando o vi desmaiando no meio do corredor eu não pude deixa-lo lá, no hospital eu pensei varias vezes em ligar para algum parente e ir embora mas eu simplesmente não conseguia o deixar lá sozinho, então eu fiquei lá até quero ele acordasse e o plano era ir embora de uma vez, mas parte de mim queria saber oque havia acontecido e eu novamente acabei ficando. E depois de um dia como esses eu só quero chegar em casa e dormir pela eternidade, mas eu sei que não vou dormir em paz sabendo que ele está dormindo sobre o mesmo teto do cara que o espancou sem dó alguma.  

Fui tirado de meus desvaneios quando escutei o barulho de algum celular tocando, Youngjae levantou o rosto e pegou seu celular em seu bolso e assim que olhou para a tela, seus olhos que estavam quase fechados pelo sono se arregalaram e ele não demorou à atender a chamada.

Jae- Oi omma...

...

Não eu estou bem, eu estava no hospital, eu fiquei com dor de estômago e um amigo me levou lá.

...

Não Omma, eu estou bem é sério. 

...

Agora eu estou num café com o hyung, vamos comer algo e depois eu vou pra casa.

...

Hum... Oh sério omma?...parabéns!

...

Ah sim...Eu entendo... Então ta, até daqui a pouco se você ainda estiver em casa.

...

Eu também te amo omma.

Ele desligou a chamada e ele parecia um pouco cabisbaixo, deixou o celular em cima da mesa e ficou olhando para seus dedos embaixo dela.

Jb- oque foi?

Jae- nada hyung.

Jb- vai começar a mentir de novo? - o olho sério e ele suspira, balançando a cabeça em negação.

Jae- minha mãe conseguiu um emprego, em uma lojinha de conveniências no centro - ele abre um pequeno sorriso.

Jb- isso é bom, não é?

Jae- sim, ela esta a três meses procurando um emprego... Mas é que vai ser no turno da noite, e ela começa hoje. Eu vou ficar sozinho em casa... Bom, não totalmente sozinho... 

Jb- com o seu pai? - ele balança a cabeça afirmando. Nossos pedidos finalmente chegam, e Youngjae que antes estava tão faminto agora parecia ter perdido a fome. Ele cutucava o bolo com o garfo, enquanto olhava para ele.

Jae- eu sei que alguma hora eu vou ter que voltar pra casa, eu só queria que não fosse hoje.... Eu estou com medo... E se ele fizer de novo?

Jb- você sabe onde moram algum de seus amigos? - digo bebendo um gole do meu café.

Jae- sei... - ele me olha confuso.

Jb- ok, termine de comer. - digo simples, e me levanto indo até o balcão para pagar nossos pedidos.

Voltei a me sentar e esperei que ele acabasse de comer, e quando ele terminou, nós saimos do café. Ele se apoiava em mim, e andava mancando um pouco mas mesmo nesse ritimo um tanto lento, nós chegamos em sua casa.

Andamos até a porta de entrada, e Youngjae abriu, tentando entrar sozinho mas eu segurei a porta e passei por ela.

Jae- me espere ali fora hyung, por favor...  - sussurrou

Jb- não vou deixar você entrar sozinho com aquele louco aqui. - sussurrei de volta o olhando sério.

Jae- ele vai ficar irritado se ver você aqui.

Jb- eu não vou deixar ela te machucar de novo ok? agora vamos arrumar suas coisas.

Sr.Choi- Youngjae? Você chegou, e está com esse cheiro nojento de novo garoto? Oque foi que eu te disse? - a voz estava um pouco longe, mas ela aumentava cada vez que ele se aproximava. - será que você não aprendeu a lição, e eu vou ter que....

Sua fala morreu assim que ela chegou a porta e me viu ali, Youngjae com medo, se escondeu atrás de mim e seu pai me lançou um olhar fuminante e trincou seu maxilar.

Sr.Choi- quem é você?

Jb- não é da sua conta. Eu só vim aqui para ele buscar as coisas dele.

Sr.Choi- buscar as coisas para que? Ele não vai sair daqui. - ele olha para o ômega medroso atrás de mim. - não é mesmo Youngjae-ah?

Jb- eu disse que ele vai, então ele vai. Não vou deixar que você o machuque de novo.

Sr.Choi- machucar, do que esta falando?

Jb- não se faça de idiota, acha mesmo que eu não sei oque fez? Sabia que eu posso te denunciar por isso? - eu o olho com um sorriso pequeno me divertindo ao ver sua expressão de furia direcionada a mim. - Vem Youngjae.

E mesmo sem saber ao certo para onde deveria ir, eu segurei o pulso de Youngjae e passei pelo homem bufando de raiva diante de nós, subi as escadas e olhei para o ômega ainda assustado atrás de mim, ele balançou a cabeça para os lados e caminhou a minha frente ate o fim do curto corredor e abriu uma porta branca, seu quarto não era tão grande mas era até espaçoso e a decoração era bem a cara de Youngjae mesmo. Ele começou a andar de um lado para o outro parecendo ainda estar assustado, quando achou a mochila que procurava começou a colocar roupas dentro, entrou no banheiro do quarto pegando oque precisava e depois voltou ao quarto colocando mais um sapato na mochila, pegou o carregador do celular e os fones e colocou na mochila de novo. 

Jae- Hyung você...pode esperar eu trocar de roupas?

Jb- sim. - digo ainda parado no lugar, o olhando e ele cora.

Jae- ali fora hyung. - ele ri sem graça

Jb- aah sim. Desculpe. - sai do quarto e ele fechou a porta. 

Eu fiquei encostado na parede, esperando ele terminar de se trocar e quando terminou, ele abriu a porta e saiu com a mochila nas costas e vestindo uma calça jeans branca com tons azulados, um suéter fofinho cor de rosa, e um chapéu preto que o deixou com a aparência ainda mais infantil do que ele já tinha.

Jae- pronto...vamos?

Jb- sim.

Esperei ele passar a minha frente, e quando descemos as escadas o pai de Youngjae ainda estava na porta, o ômega abaixou a cabeça e quando ia passar pela porta, seu pai o barrou colocando um braço na parede a frente de seu rosto.

Sr.Choi- eu disse que ele não vai sair.

Jb- e eu disse que vai. - me aproximo tirando seu braço da frente de Youngjae e colocando a mão em suas costas o empurrando para frente com cuidado, vendo o homem me encarar cada vez com mais raiva. - você tem sorte. Muita sorte.

Sr.Choi- oh, é mesmo? - ele sorri irônico.

Jb- é mesmo, porque eu poderia ligar agora mesmo para a polícia e dizer oque você fez, eu poderia contar a mãe dele também e eu tenho certeza que você não teria mais um teto acima da cabeça. Mas eu só não faço isso porque disse a Youngjae que não contaria nada. 

Abri a porta segurando o pulso de Youngjae e o puxei para fora, batendo a porta atrás de mim em seguida. Sem nem perceber eu continuei segurando seu pulso, mas com um pouco mais de força do que deveria, até chegarmos na calçada a frente de sua casa soltei o pulso do ômega que resmungou baixinho massageando o lugar que eu apertava e suspirei frustrado passando as mãos por meus fios.

Jae- desculpe por isso... Eu estou te dando trabalho o dia todo, me desculpe mesmo... - ele diz olhando para o chão e eu suspiro, eu estava sim frustrado, estava sim cansado e nervoso pelo dia de hoje, mas sei que nada disso é culpa dele.

Jb- não precisa se desculpar, a culpa não é sua. - digo afagando seus ombros. - onde seu amigo mora? Aquele loiro.

Jae- Mark hyung? - ele pergunta e mesmo sem saber se era ele mesmo eu apenas concordo. - por ali.

Ele aponta para uma rua a direita, eu coloquei as mãos nos bolsos da jaqueta e caminhei na frente esperando ele me seguir, e logo ele o fez, ele ainda mancava um pouco mas se esforçava para tentar andar rápido e sem precisar de apoio. E era um pouco engraçado de se ver, ele estava meio desengonçado e as vezes tropeçava nos próprios pés, e por mais que eu estivesse cansado eu não poderia deixar ele correr o risco de acabar caindo e quebrando o nariz no chão. Eu o peguei em minhas costas de novo, e ele meio surpreso com o ato tentou descer.

Jae- hyung vai te dar dor nas costas, a mochila esta pesada e eu também sou pesado, eu vou andando não tem problema.... - ele diz ainda tentando descer.

Jb- apenas fique quieto por favor. - digo um pouco impaciente.

Jae- mas.... Vai machucar você Jaebum...

Jb- Youngjae eu só quero que abra a boca pra me dizer o caminho ok? - ele assente, apoiando o rosto em meu ombro, enquanto seus braços abraçavam meu pescoço.

Jae- vira ali hyung...

Jb- ta.

Depois de um caminho um pouco longo, e por sorte mais uma vez silencioso, chegamos a uma casinha amarela, ela era um pouco parecida com a de Youngjae, porém ela parecia um pouco maior. Cheguei na entrada e toquei a campainha, sem soltar Youngjae que estava tão quietinho que eu poderia jurar que estava dormindo.

Um garoto loiro abriu a porta, e sem nos olhar ele gritava com alguém da casa.

Mark- yah! Eu ja disse pra você não deixar as coisas jogadas! - ele reclama, logo voltando seu olhar para mim e arregalando os olhos. - oque faz aqui?

Jb- trouxe um presente pra você. 

Mark- oque? presente pra mim? - ele me olha sem entender, e eu desço Youngjae de minhas costas, ele abre um pequeno sorriso ao loiro e acena.

Jae- oi hyung... Tem problema se eu ficar aqui? - ele diz apertando os lábios, mexendo na barra do moletom.

Mark- Oii Jae... Não, pode ficar mas... Oque aconteceu? Oque esta fazendo com ele? - diz me olhando sério e desconfiado, reviro os olhos bufando.

Jae- ele só estava me ajudando hyung...

Mark- ajudando com oque?

Jb- você vai ter que contar Youngjae.

Mark- contar oque? Sera que vocês podem me explicar que merda esta acontecendo? - ele diz parecendo já estar irritado com a nossa demora.

Jb- Youngjae vai te contar, e se ele não disser amanhã eu conto. - eu digo o olhando, e ele me olha fazendo bico.

Jae- aish...

Jb- eu vou indo, boa noite pra vocês. - digo me virando de costas, e Youngjae segura meu braço.

Jae- Hyung, obrigada.. Por tudo, eu não sei como agradecer... - ele sorri sem graça.

Jb- bom, você já disse obrigado três vezes hoje, já sabe como agradecer. - dou de ombros e ele ri baixinho - pode me agradecer também contando ao seu amigo oque aconteceu.

Ele morde o labio parecendo nervoso, mas concorda, me viro de costas e vou andando ate a calçada, dou uma ultima olhada a tempo de ver ele e Mark entrando para dentro da casa, pego meu celular ligando para o motorista de minha casa e peço para que ele me busque em uma praça próxima dali, desci até a pracinha e me sentei no banco para esperar até que o motorista chegasse.

.

.

Nam- Isso são horas de chegar Im Jaebum? Já são 20:30! Porque não me ligou e avisou onde estava? Afinal onde você estava? - ele diz assim que eu entro em casa, sai andando até a sala e ele continuou atrás de mim com suas reclamações

Jack- você nos assustou cara.

Jimin- ta doido sumir assim é?

Jb- aish, deixem de ser chatos, eu não to afim de ouvir reclamações agora. - digo me jogando no sofá da sala, ao lado de Jackson.

Yug- ah você some e agora nos acha chatos porque queremos explicações? Você é um idiota Jaebum. - o maknae reclama colocando uma almofada no rosto e eu pego uma que estava ao meu lado atirando em seu rosto.

Jb- cale a boca, olha como fala comigo criança birrenta. 

Yug- não sou eu que estou agindo como uma criança birrenta agora!

Nam- calem a boca os dois! Os dois estão parecendo duas crianças, que saco! Jaebum você querendo ou não vai me dizer oque aconteceu. - ele se senta no sofá a minha frente.

Jb- olha eu tive um dia cheio, e eu só quero dormir ok? Por favor não encham a porra do saco.

Jack- não encher o saco? Ah fala sério... - ele resmunga.

Jimin- tudo bem cara, você não quer contar então ok. Mas da próxima você avisa pro seu irmão que vai sumir a porra de um dia inteiro, pra não ficarmos procurando você de um lado pro outro iguais a umas baratas tontas. - ele diz irritado, se levantando do sofá - nós só estavamos preocupados com você seu idiota.

Jimin saiu, e Yugyeom o acompanhou, Jackson mesmo estando com raiva continuou ali, eu suspirei frustrado, eu sabia que estava errado e que eu devia ao menos dar explicações a eles ja que eles ficaram preocupados.

Jb- desculpem por isso... O dia foi realmente estressante. 

Nam- foi estressante para todos nós Jaebum, mas nem por isso estamos descontando em você. 

Jb- o Jimin descontou - rio baixinho

Jack- você mereceu idiota - ele diz jogando uma almofada em mim - na verdade você merecia até mais, talvez uns socos na cara.

Ele diz dando soquinhos no meu ombro e eu ri.

Jb- se lembram do garoto que eu derrubei esses dias? 

Nam- o garoto que fez você levar o castigo por bater no menino?

Jack- calma, o garota fofinho de cabelo preto e que parece um bebêzão?

Jb- é esse ai.

Jack- oque tem?

Jb- hoje no corredor da escola, quando eu estava indo para sala eu o vi, ele estava passando mal e ai ele desmaiou. Eu levei ele no hospital, ele fez alguns exames e ficou umas duas horas desacordado e então quando acordou e o médico veio no quarto dizer oque tinha acontecido, ele disse que Youngjae tinha sido espancado, que ele estava fraco e exausto por conta da surra, e que tinha problemas pra dormir.

Jack- meu Deus.. Jae porque não nos avisou?

Jb- eu não conseguia pensar direito naquela hora Jackson.

Nam- ta mais... Quem foi?Quem bateu nele?

Jb- o pai dele. - digo com certo desgosto na voz. - e eu não sei, mas eu senti uma raiva tão grande hyung, eu ia contar para a mãe dele e denunciar, mas por algum motivo ele não quer prejudicar aquele cara.. Ele pediu pra eu não contar...

Jack- e você o deixou na casa dele com aquele cara?

Jb- claro que não. A mãe dele trabalha no turno da noite, e ele não queria voltar pra lá. Então eu fui com ele e o ajudei a pegar as coisas dele, e o levei para a casa do amigo dele. Eu juro que não sei como me segurei pra não dar um murro naquele cara.

Nam- Por agora, apenas suba e tome um banho o Jackson vai dormir aqui, a gente janta e depois você vai dormir. Amanhã você conversa com ele e tenta convence-lo a denunciar o pai.

Jack- eu vou é? - diz encarando meu irmão com uma sombrancelha arqueada e braços cruzados.

Nam- vai.

Jack- ta eu vou. - diz levantando as mãos em rendição e eu ri.

Subi ao meu quarto e peguei uma roupa, peguei a toalha e entrei no banheiro para tomar um banho.

.

.

POV Youngjae 

Mark- Ok, já avisamos para a sua mãe que você irá dormir aqui, agora me conte do que você e Jaebum estavam falando, e porque você estava com ele. -  ele me olha sério e eu abaixei a cabeça.

Estavamos dentro de seu quarto, eu tinha ligado para minha mãe para avisar que dormiria na casa de Mark, e quando cheguei seus pais me receberam muito bem, até mais do que eu esperava pois já era um pouco tarde. Quando entramos em seu quarto, Mark hyung me ajudou a arrumar minhas coisas, arrumou a cama para eu dormir e esperou que eu tomasse banho e escovasse os dentes para dormir. E quando eu tentei fugir daquele assunto fingindo estar dormindo, Mark apareceu no quarto e exigiu que eu dissesse oque estava acontecendo.

Jae- promete não ficar irritado?

Mark- Youngjae eu já estou irritado, ande logo com isso.

Jae- aish, ok....Mark hyung....ontem eu cheguei um pouco tarde em casa, e aconteceu algumas coisas na rua e Jaebum me ajudou e me levou para casa,mas depois eu te explico isso. Mas, meus pais brigaram de novo hyung... E quando Jaebum me deixou em casa meu pai estava lá, ele estava bêbado e ele sentiu o cheiro de alfa em mim, ele ficou irritado de repente e começou a dizer umas coisas que eu não entendia, ele me xingou, gritou comigo e... E ele me bateu hyung... 

mordo meu lábio tentando segurar as lagrimas que queriam sair, lembrar daquilo era doloroso, falar daquilo era doloroso, mas mostrar oque aquele monstro fez comigo e ver aquelas marcas era ainda mais doloroso. Me levantei devagar vendo Mark me olhar com os olhos arregalados, e então eu tirei minha camiseta mostrando a ele as marcas.

Na hora Mark colocou as mãos na boca e lagrimas que nem estavam ali apareceram em seus olhos, e caiam sem parar. Eu não consegui mais conter minhas lagrimas ao vê-lo daquela forma e coloquei minha camiseta de novo, me sentando novamente na cama com as mãos no rosto.

Mark- Youngjae porque não me contou isso antes? Droga oque aquele monstro fez com você...

Jae- eu não quero preocupar ninguém com os meus problemas hyung... Não era pra ninguém saber disso, mas ai eu passei mal na escola na frente do Jaebum e ele me levou ao hospital... Ele passou o dia lá comigo, e depois me levou para comer e para minha casa, ai ele me trouxe aqui... 

Mark- Youngjae você tem que contar para a sua mãe, tem que denunciar ele!

Jae- não, não hyung, por favor... Eu não quero que ele me machuque de novo ou machuque ela...Deixa isso pra lá por favor.

Mark- eu não posso deixar isso assim.

Jae- pode sim, e você vai! Por favor hyung....

Mark- Ok....- ele suspira - Oque o médico disse?

Jae- que a surra me deixou com fraqueza e exaustão por isso eu passei mal e desmaiei, e que eu tenho problemas para dormir.

Mark- ele te passou alguma receita? - ele diz passando as mãos pelo rosto, tentando secar as lagrimas que caíam.

Jae- não sei, foi o Jaebum que foi falar com ele... - faço bico.

Mark- Ok, amanhã falamos com ele. Sente dor pequeno?

Jae- não muita...

Mark- eu vou buscar um remédio, me espere aqui ok? - ele diz se levantando, me fazendo deitar na cama e me cobriu. Mark sentou ao meu lado e me encarou por alguns segundos antes de deixar um soluço escapar, e mais lágrimas. Coloquei minha mão em sua bochecha e ele colocou sua mão por cima da minha.

Jae- não chora hyung.... Eu estou bem... - sorrio tentando esconder a voz manhosa pelo choro que queria sair de novo.

Mark- aish... Como alguém pode machucar você anjinho...

Jae- hyung eu estou bem...

Mark- eu não quero mais saber de você la, pode intercalar entre minha casa e a do Jungkook, mas você não vai ficar com aquele monstro lá sem sua mãe estar com você. Eu não quero isso - ele diz limpando o rosto de novo.

Jae- Ok, ok - digo com uma risada baixinha.

Ele sai do quarto e me deixa ali esperando ele voltar com o remedio.

.

.

~dia seguinte~ (Na escola)

Eu e Mark ja tínhamos chegado na escola e estavamos esperando os meninos no pátio, Mark hyung não desgrudou de mim desde hoje de manhã e quando nós estavamos vindo para a escola, ele ficava olhando para os lados como se procurasse algo, ou alguém. Mark hyung estava parecendo um guarda costas ao meu lado, e por mais que eu achasse engraçado eu ate que gostava de receber aquela atenção dele.

Fomos ao jardim, e nos sentamos na grama ficamos conversando sobre coisas aleatórias e então eu senti alguém cutucar meu ombro, olhei para cima e vi Jaebum com uma pequena sacola em mãos. Ele se abaixou, e me estendeu a sacola e eu o encarei confuso olhando para a sacola branca agora em minhas mãos.

Jae- oque é isso?

Jb- os remédios da sua receita, eu coloquei a receita ai dentro pra você saber como tomar, e pelo que entendi tem que tomar todos os dias.

Jae- hyung... Não precisava fazer isso...

Jb- mas eu fiz, bom eu vou ir pra minha aula, tchau pra vocês.

Ele diz se levantando e indo junto com seu grupo de amigos para dentro da escola, eu olhei para Mark que estava com a expressão tão confusa quanto a minha, e então ele deu de ombros e eu voltei a olhar na direção em que ele tinha ido.

Jae- obrigado de novo hyung.... - digo baixinho e sorrio.

.

.



Notas Finais


O cap esta longo mesmo, e talvez não esteja tão bom assim e me desculpem mesmo por isso, eu ando com a mente tão cheia que não consigo pensar direito... Mas olha, meu esforço pra escrever pra vocês e um cap enorme desses merece uns bjinhos né? Kssjskskskksksks
Desculpem os erros, o atraso (dnv), e o cap meio ruim...
Até a próxima meus amores, beijinhos meus bolinhos de maracujá eu amo vcs💕💚


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...