História My Strange and Atractive Boss - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Got7, Red Velvet
Personagens Irene, Jackson, Kim Taehyung (V), Mark, Wendy
Tags Got7, Irene, Jackson, Joohyun, Red Velvet
Visualizações 12
Palavras 1.502
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 2 - 2. Estranho


— Eu pago pra você. - Ouvi a tão recém reconhecida voz. Levantei a cabeça e meu rosto ficou bem mais vermelho, meu deus, meu novo chefe quer pagar minhas roupas.


— Não! Não precisa, senhor Wang. - Sorri envergonhada e neguei com a cabeça ao mesmo tempo. 


— Não me chame de senhor fora do trabalho, Bae. - Disse e estendeu seu cartão para a atendente, não demorando a pagar. Saímos da loja e eu o encarei, parando em sua frente. 


— Por que você fez isso? - Cruzei os braços e ele riu anasalado, olhando para o lado.


— Você precisava de roupas novas, e não fique muito feliz. Eu vou cobrar de outra maneira.


— Deixe eu te recompensar. Quer tomar um café?


— Eu… eu acho que não. Não é ético, você é minha secretária. - Negou e eu suspirei. 


— Eu não trabalho para você ainda. Não aconteceria nada. Vamos, por favor! Eu sinto que devo. - Juntei minhas mãos rentes ao rosto e ele olhou para os lados, acompanhei seu olhar e ele olhava para um homem parado perto de nós, parecia um segurança. Ele deu ombros e Wang assentiu, me encarando novamente. 


— Vamos tomar café, mas na minha casa. - Engasguei com minha saliva e comecei a tossir, senti alguém me segurar e eu tentei controlar minha respiração. Tomar café na casa dele? Não é possível!


— Você está bem? - Ele perguntou enquanto me olhava. - Não posso perder minha secretária logo hoje. - Acabei dando uma risada e assenti.


— Estou bem. Mas eu queria pagar seu café, sabe… Você pagou minhas roupas. 

 

— Vamos. 


O moreno ignorou minhas palavras e começou a andar pelo shopping, presumo que até seu carro. Assim que entramos no estacionamento, o segurança indicou o automóvel de Wang e eu abri minha boca, que chique! Ele indicou para que eu entrasse e assim o fiz, me ajeitando e colocando o cinto de segurança. O carro deu partida e eu observava a paisagem lá fora, estávamos indo para os bairros chiques de Seul, e eu não esperava menos, só nunca tinha vindo até aqui. 


— Bae, eu só preciso lhe alertar algo. - Wang chamou minha atenção e eu o encarei. - O que eu fiz hoje foi estritamente profissional, não espere nada de mim novamente. O que aconteceu foi inesperado, eu estava passeando e te vi ali, acabei ouvindo a conversa e vi sua reação.


Por que ele estava me dizendo isso? Assenti e voltei minha atenção para minhas pequenas mãos, minhas unhas estavam por fazer, eu deveria ir numa manicure agora que trabalho em uma empresa grande. Preciso passar boas impressões! 

O automóvel parou em frente a um prédio imenso, observei tudo atentamente, minhas orbes escuras revezavam entre o hotel e Jackson, que acabou me olhando sério. Saímos do carro e o moreno começou a andar até a porta, que foi aberta por um senhor; entramos no elevador e o moreno apertou o último andar. 


A casa de Jackson era chique, mas simples e aconchegante. Andamos até a sala de estar e assim que pude perceber, a mesa estava repleta de comidas e bebidas, ele tinha pedido um café especialmente para nós? Por minha causa? Me sentei a mesa e encostei as costas na cadeira, estava me sentindo envergonhada. 


— Coma, Joohyun. - Ele chamou minha atenção e eu senti minhas bochechas esquentarem. - Agora que veio na minha casa não vai comer? 


Fiquei quieta porque concordava com ele, procurei por alguns alimentos e comecei a comer. Observei Jackson que fazia o mesmo, mantendo o olhar sob mim. 


— Me conte sobre você, Bae. Sua família, amigos. 


— Ah, meus pais moram no interior de Seul. Não moro com eles desde que comecei a cursar jornalismo, os vejo apenas nos finais de semana. Meus amigos são muito restritos a faculdade, já que eu não consigo me abrir com ninguém. Os únicos amigos que tenho mesmo é Taehyung e Seungwan. - Proferi dando algumas pausa, revezando entre comer e falar. 


— Entendi. E seus amigos, a quanto tempo são? - Parou de comer e voltou sua atenção a mim. 


— Sete anos, mais ou menos. Eles sempre me ajudam nos meus piores e melhores momentos, os únicos que posso confiar mesmo. Mas senhor, Jackson, me fala sobre você.


— Acho que você já sabe um pouco sobre mim, superficialmente. Eu sou dono da minha empresa desde que meu pai resolveu se aposentar, há sete anos atrás. - Não disse muito e eu acabei chegando a conclusão de que ele não gostava de falar sobre ele. 


— E seus pais…? - Perguntei receosa, vendo sua postura mudar e ele me encarar sério.


— Joohyun, coma. - Indicou e eu continuei comendo, o tanto que consegui. Jackson fez o mesmo e eu ajeitei meus óculos, olhando em volta. - Eu acho melhor você ir embora. 


Ele disse e eu assenti, me levantando. Como ele conseguia mudar de humor tão rápido assim? Comecei a andar até a porta e senti uma mão segurar meu pulso, me virei e vi Jackson com um olhar aflito. 


— O que foi? Estou indo embora como me pediu, vou respeitar seu espaço, Jackson. - Franzi o cenho e olhei em volta, vendo uma senhora nos olhando com pena. 


— Desculpe, Bae. As vezes eu acabo deixando meus sentimentos agirem mais do que minha razão. Eu vou pedir para que Jaebeom te leve para casa. Se cuide, e não esqueça que começa amanhã. 


Ele abriu a porta num sutil jeito de me expulsar e assim fiz, saí de sua casa sendo acompanhada por seu segurança. Saímos do prédio e o tal Jaebeom me levou para casa. 


— Jaebeom? - Disse seu nome e ele me olhou pelo retrovisor. - Por que Jackson é tão sério? 


— Eu não sei se sou permitido para falar isso, senhorita. 


— Não! Digo, por favor? Ele nem vai saber. - Juntei as mãos rentes ao meu rosto e fiz um biquinho, arrancando uma risada de Jaebeom.


— Jackson quando mais jovem era sorridente, saía sempre e se divertia, mas assim que assumiu a empresa seu pai disse que se ele não amadurecesse a família iria perder tudo o que tinham por causa da imaturidade de Jackson, entende o que o pai dele fez? Jogou toda a responsabilidade num garoto de dezoito anos, que tinha muito pela frente. Eu sou amigo dele desde que éramos crianças, e eu posso dizer que ele mudou demais, senhorita. Mas você ainda nem viu o pior dele, e eu como amigo posso lhe dizer, é terrível. 


Fiquei quieta enquanto absorvia tudo o que ele tinha acabado de me falar sobre Jackson. Não conseguia acreditar no que seu pai havia feito, e finalmente consegui entender porque ele ficava tão estranho quando perguntava de seus pais. Jaebeom me deixou em frente a minha casa e eu o agradeci enquanto pegava as sacolas de compras que haviam ficado no carro e fui até a porta de casa, entrando; tirei meus sapatos e me arrastei até meu quarto, deitei na cama e encarei o teto, finalmente tendo um tempo para pensar em tudo. 

Eu notei o quão atraente Jackson fica com terno hoje, seu cabelo penteado para trás o deixa com um tom sério, mas lindo. Ele insiste em manter essa postura séria até fora da empresa, e isso me deixa totalmente curiosa sobre seu verdadeiro ser. Não posso negar que algumas vezes acabei deixando meus pensamentos irem além de apenas um toque dele, eu sei o quão errado isso parece, mas meu corpo e minha mente não colaboram para que seja diferente. Que maldição!

Peguei meu notebook e comecei a procurar por Jackson Wang no Google, as buscas foram longe e eu consegui achar até uma foto sua quando jovem, e ele não mudou nada, apenas sua postura e amadureceu. Quando me dei conta já eram quase dez horas da noite e eu nem havia tomado banho! Assim o fiz, e assim que me deitei, acabei caindo no sono. 


— Joohyun… acorda - Ouvi a voz de Jackson e abri meus olhos, o vendo deitado ao meu lado com o cabelo bagunçado e sem camisa, não resisti e levei a mão até seu peitoral. Ele colocou a mão sob a minha e puxou meu queixo com a outra, nossos lábios se tocaram e eu finalmente pude sentir o gosto de seus lábios, menta


Jackson me puxou para si e fez com que eu sentasse em seu colo, sua mão foi até minha cintura e eu juntei minhas duas mãos sob o peitoral dele mais uma vez. Suas mãos grandes fizeram com que minha cintura se mexesse no colo dele, e enquanto eu me mexia conseguia sentir seu caralho ficando duro. 


— Bae! Acorda! Você tá doida? Tá sonhando com o Jackson? - Acordei num pulo e percebi que era tudo um sonho. Olhei séria para Seungwan que tinha um sorriso sarcástico no rosto. Maldita! Tinha que me acordar logo agora?




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...