História My Stuffed Bunny – (Imagine Jungkook) - Capítulo 40


Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jin, Jungkook, V
Tags Amy_cementinowa, Babygirl, Bts, Bunny, Hetero, Imagine, J-hope, Jungkook, Longfic, Madhatter_baby, Psicopata, Romance, Sexo, Sobrenatural, Suspense, Taehyung, Você
Visualizações 342
Palavras 1.272
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Ficção Adolescente, Fluffy, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura :v

Capítulo 40 - Peguei você.


Fanfic / Fanfiction My Stuffed Bunny – (Imagine Jungkook) - Capítulo 40 - Peguei você.

Ele apenas sorri fofo e se ajeita na poltrona, assim ficando sentado.

— Eu estava com saudades de você, (S/n)! — diz manhoso.

— Hum... Não digo o mesmo. — digo seca.

— Por que? Não fui tão compatível com você? — pergunta "surpreso".

— Você nunca foi compatível comigo e eu não te devo satisfações.

Jungkook, em sua face agora, estava uma expressão sorrateira e debochada. Ele solta uma risada.

— Ai, ai... Como você é mal educada, (S/n). — ele se levanta indo aos poucos até mim. — eu já disse que estou com saudades de você. — diz entre passos, até chegar a minha frente, parando.

— Me poupe das suas mentiras, garoto!

— Acha que estou mentindo? — ele pega em meu queixo com uma de suas mãos, subindo, fazendo com que nós dois "olhasemos" um aos olhos do outro.

— Eu preciso responder está pergunta?!

— Talvez você tenha razão, meu amor... — sorri. — na verdade, estou com saudade dos nossos movimentos em sincronia, do seu corpo, da sua boquinha... — diz rouco, pondo um tufo do meu cabelo, atrás de minha orelha, aproximando seu rosto do meu.

— Você vem até aqui, apenas por sexo?! Como você é sujo, cara! — eu o empurro quando estava perto de me beijar e ele solta uma gargalhada alta.

— Você vai se arrepender de ter feito isto comigo! — diz sério, me encarando. — vem cá! — ele tenta me agarrar, mas eu desvio.

— Se ferrou! — mostro a minha língua para ele, dando risada em seguida.

— E então é assim que vai ser mesmo? — levanta uma de suas sobrancelhas.

— Acho que sim! — digo entre risos fracos.

— Grr! — se aproxima, tentando me agarrar denovo, mas eu desvio novamente, fazendo ele cair de cara no chão.

Olho para ele, preocupada.

— Jungkook, você está bem? — pergunto preocupada, me aproximando dele. — Jungkook?

Sem eu menos "pensar", o garoto segura em minha perna com força. A mesma perna, cujo no passado o mesmo fez atrocidades com ela, pra mais pra cima.

— AH! — grito, levando um susto.

Pisei em sua mão que segurava minha perna e ele grita também.

— Filha da puta! — cerra seus dentes, se levantando. — agora você vai ver, caralho!

Aproveitando a oportunidade de ele ainda está se levantando, rapidamente corri para vários cantos da casa, com a intensão de me esconder em um lugar, já que eu não podia fazer tanto esforço por causa do bebê.

------

Resolvi me esconder dentro do armário do padre, e bem, estava dando certo até eu escutar aquela voz.

— (S/nzinha), cadê você~? — ele cantarolava.

Escutava uns barulhos vindo do quarto em que estavamos, barulhos de coisas caindo no chão. Jungkook estava quebrando as coisas do padre, eu queria poder enfrentar o Jungkook, mas o medo não me permitia.

— Ah, já sei aonde você está, criancinha... — ele abre o armário, me revelando. — Ops! — diz debochado.

Tento me esconder em meios as roupas, mas era em vão. Ele abre as minhas pernas que estavam em posição de "perna de chinês" e as abre, se pondo entre elas sorrateiramente.

— Crianças mal-criadas como você, merecem um castigo bem doloroso, sabia?

— Eu não sou uma criança! — digo alto e quando iria bater em seu peito, ele segura meus pulsos. — me solta!

— Hum... Não! — sorri.

Jungkook entrelaça nossas mãos, aproxima seu rosto da "cavatura" de meu pescoço e trilha beijos do topo do meu ombro até meu pescoço.

Quando menos percebi, minha intimidade já estava molhada.

— Desgraçado... — murmuro.

Ele morde o lóbulo da minha orelha. Me dando um beijo envolvente logo depois.

O engraçado era que, depois daquilo tudo, eu estava sedendo as tentações de Jungkook. Ele separa o beijo, mordendo seu lábio inferior e me encarando sério.

"Santo Deus, que homem!" pensei.

— Você não achou que eu iria ser um doce com você depois daquilo tudo, hum? — Ponho meus braços ao redor de seu pescoço, conduzindo meu rosto para perto do dele.

— Mas... Agora eu o quero dentro de mim, Kook... — digo manhosa.

Nem estava me importando tanto com o bebê... Eu me sentia infeitiçada por ele, imprecionante!

— Droga... — murmura e eu dou um sorriso sacana.

— O que foi? Consegui deixa-lo duro?

— Não brinque comigo, querida... — me beija feroz.

Ele pega em minha bunda, me levantando brutalmente e me leva até a cama do padre, separando o beijo e tirando sua camisa, voltando a me beijar. Mordo meus lábios quando a gente se separa por falta de ar.

Jungkook me põe sentada a sua frente, tirando as minhas roupas ainda de forma bruta, me deita e prende as minhas mãos com minha camisa de tecido fino no apoio da cama.

— O que fará comigo, Kook?

Ainda sem me responder, estende as minhas pernas para cada lado. As alisando lentamente para baixo, chegando perto de minha cintura, abaixando sua cabeça a minha intimidade, dando uma mordida extremamente fraca pelo meio.

— farei você gemer meu nome até ficar rouca, menina!

— Mas e o bebê, Jungkook?

— hum... — finge pensar, com um sorrisinho doce entre os lábios. — foderei as duas!

— ma- — Ele corta a minha fala, pondo seu dedo indicador em meus lábios.

— Quero que fique caladinha... — marca meu pescoço com um chupão. — por enquanto, criancinha...

Sem ter dó do meu corpo, ele começa a marca-lo por inteiro de cupões e mordidas exageradas. Me deixando mais excitada. Por minha intimidade, começou a chupar meus lábios vaginais maiores, fazenda com que a mesma comessase a piscar bem mais rápido que já estava.

— Awhn, Kook... Deixa eu sentir a sua boquinha dentro de mim, vai... — dizia revirando a cabeça.

— você foi muito mal-criada, não acho que você mereça isso... — diz sorridente, olhando para mim.

Ele passa seus dedos por minha intimidade melada, brincando com a mesma. Me fazendo arfar.

— Hum que tal...

Ele posiciona minhas nádegas para cima de suas pernas. Lambe um por um de seus dedos e os penetra de uma vez, introduzindo e tirando dentro de mim, enquanto fazia seu polegar vibrar intensamente por dentro de mim, chegando ao meu ponto de prazer de primeira.

Eu gritava feito louca e gemia também, a cada estocada, era como se eu estivesse sendo rasgada. Quando estava chegando ao meu ápice, Jungkook para e começa a me estimular com a sua língua quentinha.

Naquilo, Jungkook começa a ficar de quatro na cama. Até aí, tudo bem, começou a ficar mais dolorido quando ele resolve me penetrar seus dedos em meu ânus, lentamente me introduzindo.

— Jungkook, tá doendo! Awnh, awanh! — dizia entre gemidos e ele parecia ignorar a minha dor, se concentrando em minhas entradas.

------

Depois de um tempo tinha chegado ao meu ápice, Jungkook não satisfeito, insistiu a continuar a me introduzir na região do ânus, mas desta vez, com o seu membro. Não podia negar que depois de um tempo não muito longo de Jungkook introduzindo seus dedos repetitivas vezes naquele lugar, agora, tudo que sentia ali, era prazer. Ele segurava em minha cintura e me conduzia a estocadas fundas, colou o seu corpo ao meu, dando um selinho acima de minha barriga e depois indo aos meus lábios, me beijando, abafando nossos gemidos altos.

A porta do quarto de repente se abre e uma voz se torna presente.

— Jungkook?! (S/n)?!

Ambos olhamos para a pessoa, surpresos e meio frustados por sermos pegos na hora h.

                           (...)


Notas Finais


Bye-bye guys! 🌚


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...