1. Spirit Fanfics >
  2. My Sugar Daddy >
  3. 3:30

História My Sugar Daddy - Capítulo 4


Escrita por:


Capítulo 4 - 3:30


Fanfic / Fanfiction My Sugar Daddy - Capítulo 4 - 3:30

Jeon JungKook ON

Th-JungKook, o que tu me botou pra assistir?! -puxa meu braço, se escondendo atras do meu ombro. Isso está muito engraçado!

-calma, Tae! -rio -é só uma freira!

Th-uma freira que tá possuida pelo capiroto!! Olha a cara dessa demonia!! -bate no meu braço. Doeu.

-ai!! Por que fez isso??

Th-você me fez assistir um filme de terror e... -começou a trovoar bem alto -tá chovendo, trovoando e relampiando!! -choraminga.

-não seja um bebêzão! É apenas um filme!

Th-agora eu estou traumatizado com freiras e a culpa é sua!!-começo a rir -do que está rindo?

-do seu drama! Meu Deus! -varios relampagos fizeram com que TaeHyung se encolhesse perto de mim -ah, vai dizer que tá com medo?

Th-nossa, pensei que não tivesse notado! -ironia.

-calma! -abraço ele -talvez ela te poupe e não venha puxar seu pé essa noite, talvez!

Th-JungKook!! -rio enquanto ele se encolhe mais por conta dos relampagos.

Alguns minutos depois.

Visto uma boxer preta e uma calça moletom. Desligo a luz e me deito. Ainda está chovendo e relampiando, trovejando muito, e TaeHyung está no quarto dele.

3:30 da madrugada.

Acordo ouvindo barulhos, os barulhos que eu escuto toda noite. Más, dessa vez, eu vou descer!

Kim TaeHyung ON

Oh meu Deus, ela veio puxar meu pé. Estou ouvindo barulhos estranhos, muito estranhos.

Tiro o anel de amizade e jogo em direção do interrupitor, fazendo a luz ligar. Confirmo que não tem nada dentro do quarto, e nem em baixo da cama. Me levanto e coloco a aliança novamente. Os barulhos continuam, barulhos de batidas. Vou até o meu closet e pego um bastão de ginastica.

Com cautela, saio do quarto e ando lentamente pelo corredor escuro, desço as escadas para o segundo andar. Estou com tanto medo de virar e ver aquela demonia. Desço as escadas até chegar no primeiro andar. O barulho parou.

-ah, que alivio! -suspiro, más logo ouso uma música tocar, uma música meio que de criança.

Sigo o barulho dessa música, dá direto em um quarto. Olho pelo buraquinho da chave, más não tem ninguém. Tento abrir a porta, más a mesma está trancada. Olhando novamente no buraquinho da chave, percebo que tem uma caixinha de música aberta, uma ballerina de brinquedo girando nela.

Está tudo tão tranquilo. Sinto uma mão em meu ombro, então não perco tempo e dou com o bastão na coisa que me tocou. Em um jesto rápido e forte, acerto a coisa.

Jk-aiii!! Por que fez isso??

-ai meu Deus! Desculpa, JungKook! -me aproximo dele. A música parou.

Jk-nossa, você sabe manusear esse négocio muito bem! -rio sem graça, ele está alisando a cabeça.

-foi mal, eu não quis te acertar! -aproximo minha mão e começo a fazer um leve carinho -tá, eu queria acertar quem me tocou, então eu queria sim acertar você, más se eu soubesse que era você, eu não teria acertado!

Jk-tudo bem! O que faz aqui a essa hora?

-eu escutei barulhos, tipo de batidas! Então peguei esse bastão e desci para ver o que era, más aí os barulhos pararam e começou a tocar uma música, de caixinha de música de criança, e eu segui essa música até chegar nessa porta! -Jeon ascendeu a luminaria e olhou para a porta.

Jk-nunca percebi essa porta!

-sério? -ele ascentiu -JungKook, eu tô com medo! -meu olhos começaram a marejar e eu apertei o bastão.

Jk-por que?

-só tem nós dois aqui dentro, não é? -ele confirma -você tem a chave dessa porta?

Jk-não, só tenho das outras 26 portas, dessa aí, eu nem sabia da existencia!

-JungKook, se só tem a gente aqui dentro, como pode ter saido um barulho daí de dentro, principalmente se essa porta está trancada?

Jk-eu não sei!

-quando eu olhei pela fechadura, eu vi uma caixinha de música aberta, estava tocando uma música bem fofa e tinha uma bonequinha de uma ballerina girando em cima dela! -JungKook olhou pela fechadura.

Jk-acho que está viajando! Não tem nenhuma caixinha aqui dentro!

-eu tô com medo!! -choraminguei. Como pode isso???

Jk-calma! -JungKook me abraçou -talvez a caixinha de música era da família que morava aqui e, por já estar velha, deu algum problema no funcionamento e abriu, só isso!

-e se não for isso? E se for um fantasma?

Jk-fantasmas não axistem, Tae! Fica tranquilo! -ele pegou meu bastão e deixou perto da porta -vamos para o meu quarto, você está muito assustado!

JungKook me levou até o quarto dele. Nós nos deitamos e eu me encolhi, estou tremendo e meu coração tá a mil. Consigo ouvir meus dentes batendo um no outro.

Jk-vem aqui! -ele me puxou para perto e me abraçou -isso é estranho, más aposto que tem uma explicação lógica para isso!

-você precisa chamar um padre para benzer essa casa! Haja sal grosso viu! -ele gargalhou.

Jk-dorme, Tae! Amanhã eu chamo um chaveiro e a gente tenta abrir aquela porta!

-tá legal!... Más eu ainda estou com medo! -ele me apertou em seus braços, me fazendo um leve cafuné. Me acalmei, me sinto protegido, me sinto seguro. Essa sessassão é boa, muito boa.

Jeon JungKook.

7:00.

Meu despertador toca, e eu desligo de imediato. Olho para TaeHyung, este que dorme serenamente enquanto me abraça. Ah, ele é tão bonito, tão fofo e tão fragio. Faço um leve carinho na bochecha dele. Ele é adoravel. Bem, más eu tenho trabalho e ele tem faculdade.

-Tae! -chamo por ele -Tae, acorda! -tento separar o abraço, más ele apenas me puxou mais para perto. Não vou mentir, isso foi muito bom. Eu poderia passar o dia inteiro aqui deitado com ele, más nossas obrigações nos empredem -TaeHyung!

Th-estou com sono!

-eu sei, más você tem que ir para a faculdade! Você já faltou ontem, que foi o primeiro dia!

Th-ah, Kookie! -alô, Coreia! Ele me chamou de "Kookie" foi isso mesmo. Calma, JungKook! Não surta.

-t-tem que levantar!

Th-por que gaguejou? -ele me olhou. Esses olhinhos claros e inocentes, ah ele é a pessoa mais linda que já vi. É um anjo.

-eu só... Ah, levante, Tae!

Th-você é um chato! -se sentou, me permitindo levantar -você... Dorme só de calça moletom?

-é, por que? Não notou ontem?

Th-acho que estava tão assustado, que nem notei! -respondi um "hm" -não sente frio de madrugada?

-não! Bem, fique a vontade! Vou me arrumar para o trabalho!

Vou para o banheiro. Logo ouso a porta do meu quarto fechar. Tomo um banho demorado, faço minha higiene e saio do banheiro. Seco meu cabelo e visto o meu terno. Não gosto muito de terno, más tenho que usar, fazer o que?!

Assim que termino de me arrumar, pego minha bolsa e desço. Vou até a cozinha e encontro TaeHyung vestindo uma calça Jeans preta e uma blusa cinza, manga longa e curta, deixando uma parte da barriga a amostra. Eu nunca usaria, más ficou perfeito nele.

Th-fiz croissants! -diz sorrindo largo -com recheio de chocolate!

-bem tentador, más não posso comer isso de manhã, eu passo mal!

Th-não tem problema! -coloca um prato com panquecas e um jarrinho com calda na mesa -fiz panquecas! Vou colocar alguns croissants em uma tapawere, aí você leva e esquenta no microondas na empresa! Costuma lanchar a tarde?

-não, não tenho tempo de preparar algo pratico para levar!

Th-enquanto eu estiver aqui, vou preparar seu lanche da tarde! Você tem que se alimentar direito!

-nossa, não precisa se preocupar com isso!

Th-claro que precisa!... Vai ficar aí em pé ou vai sentar e comer? Vai se atrasar!

-tá, vou sentar! -eu não precisava ter falado isso. Caraca, tô nervoso, e nem sei por que.

TaeHyung e eu tomamos café e conversamos bastante. Ele é tão interessante, ou é eu que acho tudo nele interessante. Aish, eu sou um bobo que se apaixona fácil. Más não tem como não se apaixonar por ele, ele é bonito, divertido, carinhoso, atencioso, super doce, conversa sobre tudo e cazinha muito bem. Ele é o sonho de todo homem e de toda mulher.

-vamos indo, eu vou te levar e te buscar na faculdade!

Th-a galera não vai achar estranho você ir me deixar e me buscar? Principalmente meus amigos?

-você vai encontrar uma desculpa convincente, eu tenho certeza!

Th-nossa, você começa a historia e eu tenho que ficar inventando mentiras?

-sim! -ele fez biquinho e eu rio -vamos logo, bebêzão!

Peguei minha bolsa de couro e chaves do carro e fomos até ele. Entramos e logo dei partida.

Th-Kook, -meu coração não pode disparar assim sempre que ele me chamar por um apelido, ou então eu vou infartar! -é difícil ser um advogado?

-depende! Algumas pessoas acham difícil, outros fácil! Más depende do seu nivel de empenho e o quanto você quer trabalhar naquilo!

Th-entendi!... Sabe, eu queria muito ser igual a você!

-igual a mim? -ok, por essa eu não esperava, estou surpreso.

Th-você abriu uma empresa de adivocacia, e hoje é dono da maior argencia de adivocacia do mundo! Eu queria abrir meu proprio negócio!

-seria legal uma Kim's Advocacy! -sorrimos -melhor que ser um funcionario na minha empresa, seria ser o dono da sua empresa!

Th-o que quer dizer com isso?

-sabe, sei que sou o maior adivogado, o bambam...

Th-o rei da porra toda!

-é, sei que sou o tal! Más eu realmente queria ter um tempo sabe?

Th-como assim?

-eu queria ter um tempo para mim, longe de tudo o que me incomoda! Ir para minha casa de praia e apenas viver, sem se preocupar com nada!

Th-imagino! Deve ser difícil, tem que adiministrar tuda a empresa e ainda trabalhar em casos difíceis!

-é um pouco cansativo! Gosto do que eu faço, más as vezes me esgota!

Th-precisa de férias!

-estou pensando aqui:quando você se formar, quando acabar esse negócio de Sugar Daddy, eu vou tirar férias e, como uma especie de treinamento, te deixarei no meu lugar na empresa!

Th-o que? Não acha isso um pouco arriscado?

-acha que não consegue?

Th-bem... -brinca com os dedos -na verdade, não!

-não seja tão inseguro! Você é um garoto persistente e não desiste fácil das coisas, você só é inseguro! Eu nunca fico inseguro, por isso cheguei tão longe! Sempre sonhei alto, e sempre fiz de tudo para conseguir o que queria, mesmo que muita gente tenha dito que eu não daria em nada!

Th-como conseguiu chegar tão longe? Pode me contar a sua história?

-bem... Até os meus nove anos de idade, eu queria ser policial, e meu pai me apoiava completamente, minha mãe morreu no meu parto! Más aí meu pai foi acusado de ter matado uma garotinha a facadas! Isso foi um choque! Ele dizia que era inocente, e eu acreditava! Más levaram ele, prenderam ele e eu tive que ficar com minha tia! Uma semana depois do dia em que ele foi preso, ele foi executado! Eu cresci, com 16 anos eu arrumei um emprego e saí da casa da minha tia! Paguei minha faculdade de direitos, mesmo que sempre quis ser um policial! Quando me formei, prometi para mim mesmo que iria provar a inocencia do meu pai, mesmo que ele já esteja morto!

Th-e conseguiu?

-não! A investigação está parada a três anos! Não encontrei nada que pudesse provar a inocencia dele... Más também não encontrei nada que pudesse o apontar como culpado! Dizem que tinham uma gravação que prova que ele é culpado, e me mostraram essa gravação, más eu não acreditei! Algo nessa historia não se encaixa!

Th-e você vai parar de procurar?

-sim!... Eu já parei! Quebrei a promessa que fiz para mim mesmo! -estaciono em frente a escola -mesmo que eu tenha conseguido tanto, estou decepcionado comigo mesmo!

Th-não diga isso! Se eu fosse seu pai, filho ou até mesmo marido... -não me iluda! -eu ficaria orgulhoso do meu filho, pai ou marido! Eu sou seu Sugar Baby, e tenho muito orgulho do meu Sugar Daddy! -ele beija a minha bochecha me fazendo corar mais ainda -até a noite! 


-até!


Notas Finais


Eu decidi por um "proposito" a mais! Eu achei que simplismente fazer a convivencia deles dentro de uma casa seria muito chato, tanto de ler, quanto de escrever, então eu resolvi por uma história a mais na fanfic, fazendo ela ter um proposito e TaeHyung conhecer muito mais sobre JungKook e ajuda-lo com os problemas do passado. Más não se preocupe que não perderá o rumo do tema Sugar Daddy!

Obrigado, denada!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...