1. Spirit Fanfics >
  2. 'My Sugar Pocessive' - (Chaggie) >
  3. 'Slime'

História 'My Sugar Pocessive' - (Chaggie) - Capítulo 1


Escrita por:


Capítulo 1 - 'Slime'


– ???: Por que você não se declara logo para ela? Já faz meses que você tá nessa!

Vaggie acordou de seu "sono", ela encarava Charlie com aquele típico olhar de cachorro encarando a carne do vizinho e isto já estava incomodando Angel.

Não que ele gostasse da Vaggie longe disso, So odiava o fato de ver alguém que tinha atitude pra tudo menos pra declarar a p**** de uma paixão que está na testa de ambas!. 

A demonia de laço revirou os olhos.

– Você tem razão. — Assumiu deixando Dust... Surpreso?

– Não vai me bater? Xingar, espancar ou colocar fogo no meu quarto de novo?

Ela negou com a cabeça. – Angel: Hm... Okay? Quem é você é o que você fez com a Vaggie?

A mal humorada bufou não de raiva ou por ironia.

– Eu vou embora Angel.

Os olhos do ator pornô estavam tão grande quanto os do Mickey mouse quando viu a Minnie pela primeira vez.

– Angel: Mas... Por que?

Geralmente o afeminado era escroto, era seu jeitinho de demostrar afeto porém Vaggie estava o deixando cada vez mais surpreso.

– Vaggie: Angel... Olha pra eles.

Apontou pra Charlie e Alastor que conversavam alegrimente no bar.

– Eu sei o que está rolando e olha ao redor está todo mundo feliz menos... Eu.

Dust pois as mãos na cintura. Com uma cara de "Chegue logo ao ponto".

Vaggie levantou indo para a sacada do hotel, fazendo o branquelo a seguir. Ele não se importava com muitas coisas, mas com tanto tempo de convivência porque não se preocupar?.

– Vaggie: Eu não tenho mais espaço aqui.

Angel riu. – Eu sei que o hotel tá enchendo ma-

Vaggie o cortou. – Você entendeu.

– Angel: Sério mesmo? Você vai embora por causa deles?

– Vaggie: Desde quando você se importa c*****? Angel eu só não me sinto bem aqui, fala com quem quiser tá bom.

A de laço pulou da sacada, era baixa por tanto não se machucou e fora andando até sumir entre as neblinas do inferno.

Pela primeira vez em anos Angel Dust, sentiu tristeza mas não iria admitir nem f****.



– ???: O que ela foi embora!?

Disse a loira com os já marejados.

– Angel: Ah agora você se importa?.

– Charlie: Eu sempre me importei!

Alastor que estava por perto, saiu do local odiava dramas. Ao contrário de outros dois certos demônios que assistiam o barraco de camarote.

– Angel: Claro, claro se importa tanto que nunca percebeu o fato dela babar por você Charlie!

Dessa vez até a princesa se calou, a verdade é que no fundo ela sabia.

A loira abaixou o olhar. – Eu estou fazendo um favor pra ela.

Dust debochou. – Ata...

– Charlie: Angel, eu não posso corresponder algo que não sinto.

– Angel: A-T-A conta outra Charlotte, você LOGO VOCÊ que não disfarçar nem quando está mentindo e você e filha do pai da mentira! — Angel levantou a voz e deu as costas. – Só te digo uma coisa, a fila anda e quando você parar de pegar o macho dos outros e olhar pra sua garota vai ser tarde demais.


Todos os que estavam no hotel encararam Charlie, ambos não perceberam mesmo que hotel tivesse cheio a meses.

Por sorte Alastor ofereceu bebida a todos e logo todo mundo esqueceu o escândalo.




Do lado de fora em um jardim em ruínas estava Vaggie, olhando para o nada.

Atrás dela uma certa princesa que mordia os lábios, Charlie queria contar e como queria contar tudo. Porém seu medo de perder a única que deu forças para ela era muito mais forte que qualquer sentimento amoroso.

– Vai embora.

– Vaggie...

– Charlie seu negócio deu certo, você provou para Lúcifer que não era um fracasso e ainda ganhou um barão de brinde. — Vaggie cruzou os braços.

Charlie sentou ao lado da mesma com um típico sorriso de ponta. – Vaggie, se eu te contasse talvez... Você não entenderia.

Vaggie levantou.

– Eii onde você vai?

Perguntou a loira.

– Pra longe de você.

Charlie já estava quase tendo um ataque cardíaco, ela amava aquela mulher mais do que tudo. Mas do que adiantaria esse amor se ela visse quem a filha das trevas realmente era?.

Charlie correu e segurou o braço da menor, em uma tentativa falha de romance recebeu um tapa da acinzentada.

Naquele momento até a próxima se assustou consigo mesma, seus olhos se encheram de lágrimas. Ela tentou fazer alguma coisa com as mãos, para tentar pedir desculpas.

Mas se surpreendeu.

Charlie estava sorrindo, um sorriso sombrio que era impossível de descrever. E como se ela tivesse adorado o fato de sentir dor ou como se ela tivesse odiado.

Nem Satã acertaria.

Porém o que veio em seguida seria o início de um sentimento muito pior.

A princesa das trevas, ainda sorria quando pegou a mão direita de Vaggie e a levou direto para o local da agressão.

Em seguida puxando a menor com tudo, a colando com seu corpo.

Você não pode ir, você e minha Vaggie e de mais ninguém.


Continua...












Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...