1. Spirit Fanfics >
  2. My Sunshine Boy (Yoonseok) >
  3. 19

História My Sunshine Boy (Yoonseok) - Capítulo 19


Escrita por:


Notas do Autor


Desculpem a demora.

Espero que gostem do capítulo.

Boa leitura! ;)

Capítulo 19 - 19


Capítulo 19

Autora P.O.V On

O coração de Yoongi parecia querer sair pela boca. Estava parado apenas observando a fachada da casa que um dia o mesmo chamou de lar, local onde a sua mãe mora atualmente sozinha, onde viveu seus péssimos momentos com próprio pai, mas ao mesmo tempo os melhores com a amada mãe.

As lembranças da boa infância que tivera graças a sua progenitora o inundavam com toda força e o de fios pretos não pode deixar de sentir uma lágrima teimosa e impertinente escorrer por minha bochecha. Essa danadinha.

Antes de vir até a casa, o Min mandou uma mensagem para Hoseok apenas para o assegurar que ele estava bem e pra se certificar de que dedicaria total atenção a pessoa que mais merecia isso hoje: sua mae.

O garoto olhou para a grama verdinha que adornava o quintal e que tinha por companhia as flores e lembrou das inúmeras vezes em que a senhora Min correu atrás do mesmo após ele quebrar suas flores jogando bola. 

Lembrou de correr como se sua vida dependesse daquilo. Yoongi passou a sorrir com a lembrança e novamente olhou pra fachada da casa pintada em um tom de creme que a fazia aparecer aconchegante demais. Olhou para a casa ao lado e seu sorriso se alargou, era onde Hoseok morou na infância.

Começou a caminhar em direção a sua antiga casa e subiu o pequeno lance de escadas tocando a campainha logo em seguida. Esperou alguns minutos e ninguém apareceu. Tocou novamente e dessa vez pôde ouvir o som de passos se aproximando da porta. Ouviu o som da chave sendo girada para destrancar a porta e se deparou com um rosto espantado assim que a mesma foi aberta.

Por um momento o Min mais novo teve medo da surpresa que havia preparado para sua amada omma, na verdade fizesse mal a mãe, ela estava calada demais, os olhos arregalados se tornando avermelhados e dando sinal de que lágrimas cairiam dos mesmos. Será que ela pensava que era um espírito ou algo do tipo? O garoto pensou e o pensamento o fez rir e a expressão da senhora, de surpresa, aumentou.

- Yo-Yoongi? - a Min mais velha já deixava algumas lágrimas escorrerem pelo seu rosto, a mão ainda à boca em sinal de total surpresa, a pergunta saiu carregada de incerteza e incredulidade.

- Sou eu mãe. - O mais novo sorriu pequeno pra ela ao que falava devagar, com medo de assusta-la.

- Não pode ser. Você morreu!! Eu te enterrei, chorei no teu velório! Você estava morto!

A mulher soluçava. Não podia acreditar que seu filho estava vivo, havia chorado tanto, passou todos esses anos se culpando por não ter sido uma mãe melhor, não ter o defendido mais vezes de seu pai carrasco. Não ter dado um pé no velho Min e ido embora ser feliz com o filho. Se culpou pelo acidente, por ter o cobrado tanto para limpar o estúdio.

- Posso lhe explicar tudo. Toque no meu braço, veja. Eu não sou um espírito, mãe. Eu estou bem e posso lhe explicar porque tudo aconteceu.

As mãos trêmulas da Senhora Min se aproximaram cautelosamente do braço pálido do filho. A mais velha estava pasma com toda a situação, uma hora seu filho estava morto e em outra toca a sua campainha afirmando com todas as forças que estava vivo. Como acreditar? Assim que viu o filho, pensou que era a alma do mesmo o visitando do além, um arrepio lhe percorreu a espinha e ela criou coragem para pronúnciar o nome do filho, mesma coragem essa que está a levando a tocar do garoto a sua frente.

A cara de surpresa da Min mais velha foi quase impagável e Yoongi sorriria em outra ocasião, talvez em uma menos emocionante. Yoongi sentia os dedos finos e trêmulos de sua mãe tocar sua pele e como sentiu falta do jeitinho da mais velha.

Ela então apertou de leve o braço do mesmo e seu coração logo desparou. Ela não conseguia acreditar. Continuou a apertar o braço do Min e logo passou uma de suas mãos no rosto do mesmo enquanto a ficha caia. Enquanto ela percebia que seu filho realmente estava ali, bem a sua frente.

- Filho? Mas como? - a mais velha chorava, lágrimas grossas lhe molhando o rosto e logo a camisa de seu filho quando o puxou para um abraço.

Abraçado a mãe Yoongi deixava suas lágrimas saírem, esperou tanto por esse momento que nem parecia ser real.

- Me desculpa por sumir, mãe. Eu precisava, por causa do... - Yoongi não sabia bem como dizer.

- Por causa do seu pai.

Yoongi se afastou da mãe e a olhou confuso. Como ela poderia saber?

- Como a senhora sabe? - o de fios pretos externou a pergunta.

- Aquele menino investigador me falou de alguns crimes que seu pai cometeu, e agora que você está vivo, acredito que sumiu por causa dele, certo? Ele lhe fez algum mal? Lhe feriu?

A senhora Min olhava o corpo do filho como que se procurasse ferimentos no mesmo.

- Estou bem, já passou, só machuquei um pouco a perna, mas já estou bem, mãe. De verdade.

A Min mais velha assentiu ainda preocupada e se tocou de que os dois ainda estavam na porta de casa.

- Vamos entrar, filho. Lá dentro poderemos conversar melhor.

Os dois se acomodaram no sofá e Yoongi tratou de contar toda a verdade para sua mãe, não omitindo nenhuma parte sequer, nem mesmo seu namoro com Hoseok. Não sabia o que a mais velha falaria já que a vida toda a mesma o viu namorar garotas e agora estava aparecendo depois de ser dado como morto, namorando um garoto. Mesmo assim falou, sabia que a mãe tinha um bom coração e que iria o apoiar.

- E o Hoseok está bem, filho? Não acredito que aquele mostro foi capaz de o machucar.

Yoongi suspirou aliviado ao perceber que a mãe se preocupava com Hoseok e que para si a revelação não havia sido nada demais. Que todas as pessoas fossem como sua mãe.

- Sim, mãe, ele está bem. Felizmente ele não sofreu nada grave.

- Que bom fico mais tranquila em saber que meu genro está bem. - A senhora Min sorriu fofinha para Yoongi que retribuiu com seu sorriso gengival, que fora herdado da mesma. - O traga logo aqui, faz tempo que ao o vejo, vocês ainda eram novinhos demais quando ele foi embora.

- O trago sim, mamãe.

- Lembro do quanto você chorou quando ele foi embora, já estava apaixonadinho, filho? - a mãe de Yoongi perguntou risonha.

- Mãe! - Yoongi se sentiu envergonhado, não era possível que mal tinha chegado e a mãe já tentava o deixar com vergonha.

- Não estou mentindo. Você dizia que queria sua esperança de volta e eu ficava sem entender o que significava.

Os dois riram.

- Mamãe, minha esperança foi embora. - a mais velha o imitava. - na época eu pensava que você tinha adotado um insetinho que o pessoal chama de esperança e por isso eu dizia "logo outra aparece, filho" o que só te fazia chorar mais dizendo que não queria outra esperança.

Yoongi já estava gargalhando e sentido a barriga doer de tanto rir com a lembrança. Realmente deu trabalho pra mãe.

- É verdade, mas em minha defesa eu era criança.

- Uma criança chorona, ainda por cima.

O Min fez careta e a mãe apertou suas bochechas, nunca deixaria de o mimar, e trata-lo como o bebê que o mesmo era pra si.

Passaram o resto do dia matando a saudade e Yoongi dormiu por lá mesmo, juntinho de sua mãe, como faziam quando o mesmo era criança e tinha algum pesadelo. Agora que tudo estava bem, ambos tinham a certeza de que poderiam finalmente dormir tranquilos. 

- Eu te amo, Min Mandona. - Yoongi disse aconchegado a mãe.

- Eu te amo, meu branquelo do cabelo de tigela.


Notas Finais


Espero que tenham gostado desse reencontro.

Eles tem uma relação muito boa.

Até o próximo capítulo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...