História My sweet and unbearable Neko - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Tags Narusasu, Naruto, Naruto Neko, Neko, Sasuke, Sasunaru, Yaoi
Visualizações 77
Palavras 1.372
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Famí­lia, Fantasia, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Voltei meus amores, devido ao ótimo feedback do 1 capítulo resolvi trazer o segundo mais cedo espero que gostem

Capítulo 2 - Eu não preciso dele


Fanfic / Fanfiction My sweet and unbearable Neko - Capítulo 2 - Eu não preciso dele

P.O.V Sasuke 

Que ótimo, já não basta meus problemas diários eu ainda tenho que aguentar esse gato ridículo, eu só posso ser parecido com o dono dele não é possível e para melhorar não tem endereço na coleira que idiota não coloca endereço numa coisa dessas, enquanto eu andava de um lado para o outro estressado ele me olhava com aqueles olhos penetrantes, gato estranho:

- Para de me olhar assim sua coisa

- Nyah – ele parecia estar debochando de mim 

- Tá achando engraçado é – falei – tenta conviver todos os dias com uma dor horrível no peito e ainda por cima ter que aguentar um gato abusado no único lugar que você tinha paz

- Nyah – respondeu, a que ponto eu desci estou falando com um gato idiota 

- Bicho chato – joguei uma almofada nele que simplesmente desviou

Bem não adianta eu pensar muito nisso agora afinal amanhã é um novo dia, eu só preciso descansar a mente e nada mais, suspirei, comecei a caminhar em direção ao meu quarto e me senti seguido, olhei para trás e nada quando virei de volta lá estava ele na minha frente, dei um pulo de reflexo na hora do susto:

- Caramba gato quer me matar de susto – pus a mão sobre meu peito – qual o seu problema?

- Nyah – respondeu se esfregando em minhas pernas, o afastei o máximo possível com meu pé

- Sai que eu não te dei intimidade pra isso – falei – vai dormir 

- Nyah – miou mais alto, talvez fome 

- Que é coisa? – falei – está com fome? – ele rodopiou próximo a mim – vou encarar isso como  um sim, respirei fundo indo em direção a cozinha, vasculhei meus armários e geladeira até acha um pouco de salmão 

Não me levem a mal, eu não sou fã de gatos, mas também não sou um monstro, além disso gatos são os animais favoritos do meu irmão, achei um pequeno pote e coloquei os pequenos pedaços de salmão e depois pus na frente da coisa:

- Anda come – ordenei, a coisa cheirou um pouco, até começar a se deliciar

E era bom mesmo o quilo daquele salmão foi bem caro e eu aqui desperdiçando com um gato, o mundo só pode estar de graça comigo, respirei fundo, assim que ele acabou, peguei a tigela e a lavei, guardei e sem olhar para trás segui para o meu quarto, abri, me virei para fechar a porta, para evitar que a coisa entrasse, depois de trancado fui deitar e me deparei com a coisa em cima da minha cama:

- A não – me irritei – tudo tem limites coisa – peguei ele – sai – o tirei do quarto 

Mas antes que eu fechasse a porta ele correu de volta pra dentro do quarto, comecei a correr atrás dele, sempre que estava prestes a agarrar ele desviava e ainda por cima miava vitorioso, coisa, aquele jogo continuou até eu cansar e me jogar na cama:

- Um a zero pra você coisa – respirei ofegante, tirei a camisa para evitar suar, deixando apenas meu dorso desnudo – Você é muito irritante sabia

- Meow – miou alto, olhando em meus olhos

- Mal posso esperar pra me livra de você sabia – falei me rendendo ao cansaço, antes de pegar no sono, senti a coisa se aninhar a mim, dessa vez vou deixar para lá.

P.O.V ....

Eu olhei alguns documentos procurando dados que batessem com o que tinha acabado de me ser entregue, a existência deles é um nojo, uma desgraça, vou caçar um por um, por tudo o que eles fizeram na minha vida, um de meus informantes chegou com a confirmação que eu precisava, sai dali rapidamente subi alguns andares pelo elevador ate chegar a porta do chefe, depois de alguns segundos escutei um entre:

- Mestre – saudei

- O que descobriu? 

- Foi confirmado, mais um chegou – disse contendo a raiva

- Ótimo – falou – vamos acabar com todos um por um 

P.O.V Sakura 

Me despedi do pessoal, guardei minhas coisas na bolsa, o Sasuke não veio a faculdade, espero que ele esteja bem, mas por via das dúvidas vou ligar, antes que ligasse Lee um de meus conhecidos da faculdade veio falar comigo:

- Sakura-chan

- Oi Lee-kun, posso te ajudar em algo

- Eu só queria saber se você vai na minha festa nesse de semana – falou meio trêmulo como se minha resposta fosse mudar o mundo 

- Vou sim – sorri simpática – mata ne Lee

- Mata ne – disse meio corado

Rock Lee um estudante de educação física, meio estranho, mas legal, peguei meu celular e de repente um número estranho apareceu na tela:

- Moshi Moshi

- Sakura – aquela voz, não pode ser 

- Gaara é você mesmo? – Gaara era um dos meus melhores amigos, foi para Nova York em um intercâmbio de sua faculdade

- Hai Sakura-chan, estou ligando para avisar que em breve estarei voltando – sorri

- Que ótimo estava com saudades amigo

- Eu também – falou do outro lado – quando estiver chegando eu te aviso para nos vermos 

- Hai, Mata ne Gaara-kun

- Mata ne Sakura-chan – falou, desligando em seguida,  fiquei feliz em saber que poderia rever meu amigo, quando ia guardar meu celular na bolsa alguém passou e o puxou da minha mão

- Perdeu testuda – eu ia deixar pra lá, mas essa foi demais, comecei a correr atrás dele 

- Você vai morrer – ri meio maníaca, eu odeio quem fala da minha testa, vi o desespero do ruivo levemente encapuzado, o alcancei, agarrei seu pulso – Shannaro – o soquei fazendo ele voar por alguns metros até bater contra um carro ameaçando-o, cheguei bem perto e o agarrei pela gola, olhando em seus olhos – da próxima vez vai ser pior então é melhor eu não cruzar com você de novo – falei e sai, tinha coisas mais importantes a fazer por agora

P.O.V Sasuke

Estava mais uma vez naquele jardim, mas dessa vez as flores eram diferentes, cores mais vibrantes, alguém corria em minha direção eu não conseguia ver direito quem era, seja quem for agarrou minha mão, fazendo uma corrente estranha percorrer meu corpo, esse ser sorriu, seja que for tinha três riquinhos de cada lado da bochecha, não sei por que ou como, mas eu sorri, um dos mais sinceros sorrisos que dei em muito e do nada o sonho acabou, ia abrir meus olhos, mas senti um peso sobre eles, coloquei as mãos para sentir o que era e para variar era o meu problema personificado em um felino, o empurrei, acordando-o não que eu me importasse com isso, olhei e arregalei os olhos eram onze horas, eu perdi minha aula e estou quase perdendo o emprego, uma das coisas que mais odeio são atrasos, isso me lembra dele, me lembra que o sangue dele corre em minhas veias e isso me enoja, levanto em um pulo:

- Isso é culpa sua coisa – gritei antes de correr para o banheiro

Tomei um banho rápido, comi uma besteira qualquer, me vesti e comecei a correr trancando a porta e saindo, quando vi a coisa me seguia, parei na hora:

- Vai embora coisa, você já não me infernizou o bastante? vai procurar seu dono e some da minha vida ou será que você é tão idiota que não percebeu que eu te quero o mais longe possível da minha vida – gritei – vai embora coisa insuportável 

Ele olhou para mim de um jeito profundo quase como se estivesse “magoado”, depois saiu correndo, fiquei parado alguns segundos, quer saber dane-se, voltei a correr, depois de quase uma maratona eu cheguei na loja, as meninas já estavam acabando de se arrumar:

- Ohayo – saudei

- Ohayo Sasuke – disseram em uníssono

- Pensamos que você não viesse mais – Hinata falou

- É eu fiquei preocupada com você sabia? – Sakura falou bufando

- Longa história – disse rápido – depois explico tudo, mas agora vamos abrir

- Hai – as meninas disseram juntas

E assim meu dia de trabalho começou, mas por que os olhos da coisa não saiam da minha cabeça que inferno, só faltava essa por que essa sensação de peso e culpa, por que eu quero ir lar e pegar aquela praga, balancei a cabeça tentando me acalmar, é isso mesmo eu não preciso dele.

Continua...


Notas Finais


E então o que acharam? Mais alguém quer xingar o Sasuke haha
Beijos doces e até logo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...