História My Sweet Cat - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Visualizações 192
Palavras 1.718
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oii, meus amores \o/
Tia Fabi tá de volta \o/

Eu espero muitíssimo que gostem desse capítulo *---*

Capítulo 15 - Tem que cuidar do seu gatinho


Vou dar uma dica. Se prepara, porque ela é bem útil.

Se por você por acaso engravidar um híbrido, não invente de querer tomar banho junto com ele. Ok? Ou melhor, não inventa de ficar sem roupa perto dele. Essa dica vale ouro, acredite em mim. Se você a seguir, tenho certeza de que se dará muito melhor do que eu, que nesse momento estou tendo que aguentar Jin me agarrando e eu não posso fazer nada.

Eu pedi carinhosamente para ele parar, que eu iria fazer o que ele queria, porém não ali. Mas ele queria ali.

- Amor! – Chamei, segurando-o pelos ombros. – Será que dá para se acalmar? Eu não vou arriscar te machucar e fazer de qualquer jeito, tudo bem?

Mesmo contrariado ele assentiu, desligando a água e se enrolando em uma toalha. Jin enxugou seu corpo rapidamente, assim como eu. Eu nem tive tempo de me vestir, porque ele estava me puxando para o quarto com uma pressa sem igual. Foi só meus pais avisarem que estavam saindo para jantar fora que ele já ficou todo animadinho.

Jin já está com quase quatro meses de gravidez, e quanto mais eu tento satisfazê-lo, mais sedento por mim ele aparenta estar. Alguém me socorre! Na próxima semana já poderemos descobrir o sexo dos nossos bebês, Jin começa a chorar de emoção cada vez que conversamos sobre isso, o que é lindo de se ver.

- Nam, anda logo. – Pediu, se jogando na cama e me puxando para cima de si. – Vamos brincar!

Brincar. Era sempre assim que ele se referia a sexo. Uma brincadeira que era gostosa, como ele gostava de dizer. Palavras fofinhas que não fazem jus as suas atitudes, mas tudo bem.

- Tem que cuidar do seu gatinho. – Ah, as palavrinhas que sempre resolviam.

Meu coração derretia e eu ficava totalmente entregue a qualquer coisa. Se ele me pedisse para roubar um banco dizendo que eu tinha que cuidar do meu gatinho, bom, eu provavelmente faria sem nem pensar.

Sem pensar mais eu passei a beijar seus lábios desejosamente. Sempre vou amar sentir esse gosto de morango e baunilha que há em seus lábios que me atraem tanto. Cada pedacinho de Jin é perfeito, e eu quero beijar e tocar cada parte de seu corpo a todo instante que conseguir.

Arranquei a toalha dele e também a minha, conseguindo fazer ele soltar um gemido manhoso. Jin ficou mais sensível com a gravidez, e eu não consigo evitar de dizer que amo ver ele dessa forma. Mas já aprendi que não posso provocá-lo muito, porque ele usa suas garrinhas para se vingar e as minhas costas já não aguentam mais a dor dos arranhões que ele me causa.

Jin me empurrou para trás e abriu as pernas como se aquilo fosse um convite para eu me aproximar mais. Um convite que eu claramente não demorei para aceitar. Me inclinei para beijá-lo enquanto descia minhas mãos por seu corpo, tocando cada parte sensível dele, juntando nossas bocas e já sentindo os arranhões em minhas costas.

- Amor, cuida essas garrinhas. – Pedi, mas não por mal, e sim porque minhas costas já estavam quase rasgadas de tão arranhadas.

- Ah, desculpa, Nam. – Disse com um biquinho, o qual mordi carinhosamente. – Não queria machucar.

- Não tem problema, gatinho. – O beijei novamente.

Poderia beijar Jin vinte e quatro horas por dia que não iria me cansar nunca.

Seu cheiro parecia mais forte que o normal, eu me extasiava por completo cada vez que sentia o seu perfume desse jeito.

Levei uma mão até sua entrada, Jin tentou me impedir como sempre, afinal parecia ter uma pressa sem igual para querer acelerar tudo, mas mesmo assim continuei calmamente o que fazia. Não importa que vai demorar mais para fazer o que ele quer, eu não vou arriscar machucar Jin, principalmente ele estando esperando dois filhotes. Os nossos filhotes.

- Me beija, Nam. – Pediu assim que encaixei meu membro em sua entrada, conseguindo arrancar um gemido ainda mais manhoso por parte dele.

Me inclinei o máximo que consegui, me apoiando com um braço de cada lado do seu corpo. Nossos lábios se encontraram de forma desajeitada, mas nem de longe era ruim. Aliás, nunca beijar Jin seria algo ruim. Beijar ele é quase como um vício para mim.

Ou, melhor dizendo, esse híbrido por completo é um vício para mim.

Jin não estava me arranhando como normalmente, descontava o que sentia puxando meus cabelos – sem tanta força. Focava mais em gemer baixinho e manhoso no meu ouvido e pedir por mais, mesmo sabendo que eu não seria bruto nem iria na velocidade que ele pedia – por indicações médicas.

- N-Nam... – Chamou-me, o olhei prontamente, me deparando com o olhar mais lindo que eu poderia encontrar. – Eu te amo.

- Eu também te amo. – Sorri para ele, encaixando nossas bocas logo em seguida em um beijo mais afoito que os anteriores.

Ao sentir Jin chegar ao ápice selei nossos lábios outra vez, logo também chegando ao meu limite. Meu gatinho se deitou praticamente em cima de mim, me abraçando com força.

Por sorte os enjoos já diminuíram, em compensação as dores no corpo dele aumentaram. Jin estava com dificuldade para dormir, porque ele se revira muito e sentia dor caso apertasse a barriga, por isso passei a dormir agarrado por completo nele, impedindo que ele acabe se mexendo muito e sentindo dor. Claro que isso me deixou desconfortável por conta da posição que dormimos, mas, novamente digo que não sou o tipo de namorado que participou só da parte boa.

Não!

Eu vou fazer todos os sacrifícios que precisar. Se for preciso carregá-lo em meus braços para todos os cantos, assim farei. Vou fazer qualquer coisa que ele precisar!

~#~

1 mês depois...

- Você está tão lindo com essa barriguinha aparecendo. – Sussurrei no ouvido de Jin, abraçando-o pelas costas enquanto ele se olhava no espelho. – Jimin, Jungkook, Yoongi e Taehyung estão vindo aqui em casa. Nossos pais convidaram eles, só não me pergunte o motivo, porque nem eu sei.

- É porque vamos convidar eles para serem padrinhos. – Jin lembrou-me, me fazendo soltar um “ah, é”. – E sobre minha barriga, aprendi a gostar. Eu achava que estava ficando gordo, mas agora eu vejo que são nossos bebês crescendo e isso me deixa feliz.

- São os nossos pequenos sim. – Sorri largamente, sentando na cama e puxando Jin para ele ficar perto de mim. – Vocês acham que o pai de vocês iria gostar de ter um sobrenome? – Jin até se assustou com a leve movimentação em sua barriga, coisa que até eu senti.

E quase chorei, porque não era a primeira vez, mas eu adorava sentir aquela sensação.

- Vocês aprovam isso, então? – Mais uma movimentação. – É por isso que eu amo vocês. – Levantei da cama apenas para me ajoelhar em frente ao Jin. – Vocês três.

- N-Nam...

- Sabe, amor... eu planejava fazer um grande pedido, mas você não anda querendo sair muito de casa e isso acabou com os meus planos. Aí eu percebi que o que importa não é o lugar, mas os sentimentos que partilhamos um com o outro, e isso temos até demais. – Peguei suas duas mãos com as minhas, sorrindo em seguida para ele. – Eu não imaginava que tudo isso fosse acontecer. Não imaginei que fosse encontrar um gatinho lindo na rua e fosse trazê-lo para casa, muito menos imaginei que esse gatinho se tornaria um híbrido ainda mais lindo. Não imaginei que fosse querer te proteger do mundo, cuidar de você, ou imaginei que iria me apaixonar perdidamente por você. Mas tudo isso aconteceu. E não me importa se eu não esperava te amar, ou colocar dois filhotes em você, ou estar aqui ajoelhado agora me declarando. Não importa os ‘e se’ que tanto martelaram na minha cabeça. A única coisa que importa é que eu amo você. Amo vocês três!

- Também amamos você, amor. – Jin deixou que as lágrimas caíssem por seu rosto enquanto ele ria sem parar.

- Jin... – Peguei a caixinha que minha mãe quase chorou quando viu e coloquei na frente do meu gatinho. – Será que o gatinho aceita se casar com o Nam?

- O gatinho aceita muito se casar com o Nam. – Ele se jogou em cima de mim, me abraçando e chorando.

Selei nossos lábios, sorrindo durante o beijo feito um idiota.

Era cedo? Era! Eu tinha feito dezoito anos duas semanas atrás? Sim! Mas e quem liga para isso? Eu amo Jin, isso é a única coisa que importa.

Jin, Nayeon e Heechul são as três pessoas mais importantes da minha vida. Ah, pois é, esqueci de comentar. Nossos gêmeos são um menino e uma menina. Jin chorou horrores quando descobrimos, e nosso amor é tão poderoso – juro que isso não foi ironia – que nós pensamos ao mesmo tempo os nomes. Talvez isso seja em homenagem ao meu grupo preferido e ao preferido dele, mas isso é apenas um talvez.

MENTIRA! Estávamos vendo vários vídeos na televisão, começou a tocar Black Suit, música do Super Junior (N/A: eu recomendo demais essa música, esse grupo, tudo, Heechul meu amorzão), e eu olhei para o Jin, ao mesmo tempo dissemos “HEECHUL!” e assim foi escolhido o nome do nosso menino.

Com a menina aconteceu a mesma coisa, porém estávamos assistindo um vídeo do Twice. Ficamos entre Nayeon e Jihyo, mas acabou que Nayeon ganhou mais o nosso coração e escolhemos este nome.

Jimin, Jungkook, Yoongi e Taehyung ficaram contentes em saber que seriam nossos padrinhos tanto de casamento quanto dos nossos bebês.

E eu? Eu só conseguia sorrir para tudo, até para os estranhos que me olhassem na rua eu iria sorrir. Não tinha como não sorrir. Não tinha como não ficar que nem um idiota babando em cada ato de Jin.

Eu estou tão ansioso para ver os nossos bebês... eu quero tanto poder ver a carinha deles, poder abraçá-los e dizer que eu os amo.

- Nam, posso te fazer uma pergunta? – Jin fez com que eu despertasse dos meus pensamentos.

Quando ele quer perguntar algo, é sempre bom eu fugir e fingir que preciso fazer algo importante, porque ele pergunta cada coisa.

- Pode. – Falei receoso.

- Por onde saem os bebês?

Faz tempo que eu não peço isso, mas...

ALGUÉM ME AJUDA!


Notas Finais


Vocês gostaram? Eu espero muitíssimo que sim *--*
Próximo capítulo é narrado pelo Jin \o/
Beijão ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...