História My Sweet Dreams Of Love (ABO) - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias Boku no Hero Academia (My Hero Academia)
Personagens Midoriya Izuku (Deku), Personagens Originais, Shouto Todoroki
Tags All Might, Bnha, Enji Filho Da Puta, Tododeku
Visualizações 40
Palavras 2.617
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Hentai, Literatura Feminina, Romance e Novela, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


GENTEEEEEEEEEEEEE


DESCULPA NÃO TER POSTADO ANTESSSS

É que eu estava decidindo um futuro bem belo para a fic hehe

Ah,gente desculpa pelo capítulo pequeno,_,

Ele não foi nem revisado ,,,,__,,,,

Bom,boa leitura e POR FAVOR EU NECESSITO QUE VOCÊS LEIAM AS NOTAS FINAIS ( lógico se vcs quiserem,afinal vcs não são obrigados a nada.).

BOM CHEGA DE ENROLAÇÃO E...



...BOA LEITURA!!!

Capítulo 8 - My Sweet Dreams Of Love


Percebo que os meninos pararam de falar sobre as noites quentes que tiveram e começaram a falar sobres os professores.O que raios os professores têm de tão interessante assim?Essa é uma das coisas mais inúteis para se pensar pelo amor... Será que eles não tem nada de mais interessante para pensar não?Aff,mas isso é o que menos importa.Afinal,o que eu ainda estou fazendo agarrada a Izuku? Não sei.Mas eu sei que eu não vou sair daqui tão cedo.O cheiro dele é maravilhoso... é tão nostálgico...Esse cheiro de carvalho molhado,me trás uma calmaria,uma sensação de liberdade e leveza...me deixa mais feliz.

-Bom,daqui a pouco os professores vem aqui chamar a gente então eu acho melhor a gente ir agora.Vamos Shouto? - Izuku diz separando o abraço,e rindo logo em seguida. -Não dormiu a noite foi?

-Não,eu fiquei preocupada com você seu tapado,e dormi mal. - digo olhando para ele com tédio.E em certa parte é verdade.Eu não tive uma noite tranquila,pensar que Izuku poderia estar se deitando com alguma vadia durante seu cio me deixa de certa forma atormentada.Onde já se viu?Ele não pode sair se deitando com qualquer uma,muito menos deixando a vadia o controlar com seus feromônios,que eu particularmente acho isso um caso de polícia.Afinal,isso pode ser considerado como estupro.

-Desculpe,minha pequena. - Izuku diz e me abraça de lado,e começamos a caminhar em direção a Kirishima e Bakugou que estavam na porta de entrada segurando para a gente.

Assim que entramos na escola,eu tive a sensação de estar em um puteiro.Betas e alfas soltando feromônios de prazer que nem doidos,e ao parecer dos três garotos ao meu lado,nem estava acontecendo nada.Mas eu entendo.Ômegas são mais sensíveis a tudo.Principalmente feromônios e presença.Isso é um fato comprovado,pelo governo.Logo além de sentir os malditos feromônios que pareciam que todos estavam soltando ao mesmo tempo,eu sinto também a forte presença de um filho da puta qualquer.Algo que me fez sentir uma pontada de dor,me fazendo no automático apertar o braço de Izuku,na tentativa de fazer essa maldita dor parar,e a presença ir embora.

Ao sentir o apertão,Izuku começa a soltar feromônios de calma,me tranquilizando um pouco.Logo após uma caminhada de uns cinco minutos chegamos a uma sala que tinha uma porta com um tamanho totalmente exagerado.Como se tivesse algum aluno ou professor com mais ou menos cinco metros de altura.Logo adentramos,e fomos direto para o fundo.A sala por sorte estava vazia, então decidimos nos sentar,todos um perto do outro.Então ficou assim : Eu na última carteira da parede,Izuku na carteira da frente,Bakugou do meu lado e Kirishima ao lado de Izuku.Ficamos conversando calmamente, até o alarme da escola bater e todos entrarem na sala.Tudo parecia leve.Mas então pareceu ficar mais tenso,quando um certo loiro,passou pela porta,e escreveu seu nome na lousa.


“Professor Toshinori Yagi,de espanhol ”


Neste momento meu chão despencou.O pior foi que,logo após escrever isso,ele pediu ainda de costas para a sala,que todos os alunos novos fossem até lá na frente para se apresentarem.Neste momento,eu jurava que iria morrer.Olhei para Izuku um tanto hesitante,e ele apenas sussurrou um “ fica calma,vai dar tudo certo.”.Me levantei então e fui para a frente da sala,onde logo após uma garota loira com uma mecha preta em forma de raio apareceu. “Se esse raio fosse uma cicatriz na testa,eu poderia jurar que é o Harry Potter versão feminina que pintou o cabelo de loiro.”,logo após a loira apareceu um garoto alto de cabelos azulados puxado para o roxo.

-Quero que se apre... - ele para de falar quando me vê.E logo fecha a cara. - Quero que se apresentem.Em espanhol.Nome,idade,lugar onde moram,e onde estudavam.Começa você garoto.

-Hola,mi nombre es Kyouko Jirou,jo tengo 16 años,muero en la parte superior de ciudad,e era de la escuela Mario Cruz. ( N/A : gente eu tô pegando nome das escolas que eu conheço pq não tenho a mínima imaginação para criar.)

-Cierto. - Disse o loiro.

-Hola...Mi nombre es Kaminari Denki...Jo tengo 15 años...muero en la parte superior de la ciudad...E estudiaba en la escuela Mario Cruz... - Disse a loira,com certa hesitação.

-Então estudavam na mesma escola,hum? Interessante.Podem se sentar.Menos você. - ele diz olhando para mim.Observo os outros se sentarem,e então olho para Izuku quase desesperada. - Se apresente.

-Hola,mi nombre es... - digo mas sou interrompida pelo loiro.

-Não precisa ser em espanhol garota. - ele diz bravo.

-Oi,meu nome é Todoroki Shouto...Eu tenho 15 anos,moro na parte norte da cidade,e estudava na escola Azevedo Soares... (N/A : gente essa escola existe,e ela é daqui da cidade onde eu moro :v ) - o loiro então olha para mim,com um olhar assim que realmente me deu vontade de me jogar pela janela ou então sair correndo da sala...Mas não fiz isso,por que eu sei que ele não fará nada para mim...pelo menos eu espero.

-Quem é seu pai? - ele pergunta direto.

-Todoroki Enji,professor... - eu respondo quase cabisbaixa.

-Quem é sua mãe? - ele pergunta olhando em meus olhos.

-Todoroki Rei... - isso tá parecendo um interrogatório...Todos pelo que eu percebi estão sentindo o clima tenso entre o professor e eu....

-Tem irmãos ou irmãs? - ele pergunta olhando em meus olhos como fosse eu fosse uma presa,para o jantar.

-Tenho sim,uma irmã e um irmão... - digo cabisbaixa.

Agora eu entendi,o por que das perguntas...Ele quer fazer com que eu me lembre do que meu pai já fez,e o que eu sou aqui...Afinal,segundo meu primo,Dabi,quando eu nasci meu pai declarou ‘guerra’ contra Yagi,e disse que eu um dia seria a pessoa que comandaria o mundo,a pessoa que tomaria o lugar de Yagi.Algo impossível diga-se por passagem.Eu sei muito bem o por quê da minha mãe estar internada...E eu entendo,mas ainda sim isso não é motivos.Minha mãe errou?Sim.Ela errou.Mas todos erram.Todos tem direito a uma segunda chance...Mas,ao parecer de Yagi,eu não tenho esse direito.Eu sou como uma ameaça a ele.Uma pessoa que deve ser excluída do mundo.E que se depender de All Might,todos sabem que ele não medirá esforços para retirá-la do caminho.Ao que parece ele não mediu esforços para ser contra minha pessoa.Entendo eu,que meu pai já fez muitas coisas ruins a ele e ele tem muitos motivos para odiar a minha família.Mas o que eu fiz para merecer...isso? Pode-se dizer que estou sendo humilhada em frente a toda a sala que mal me conhece.Que mal sabe quem eu sou.Eu me sinto destruída.Quebrada.Machucada. Frágil.E ainda por cima, decepcionada.Tudo que eu pensava que Toshinori Yagi era, não foi verdade.Pelo menos não comigo.Ele em momento algum parou para perguntar o que eu queria estando ali.Conhecendo a família dele.O mundo dele.Eu me sinto completamente traída.Uma coisa que eu não esperava sentir de alguém como All Might.Mas pelo visto,eu só me engano.Ainda sentindo lágrimas grossas começarem a escorrer em meu rosto,eu levanto a cabeça,e olhando nos olhos do professor,eu falo : “ Eu sei muito bem o que eles fizeram.Mas se você preferir julgar alguém pelo nome que tem, não é culpa minha.Eu não escolhi nascer nessa merda de família que eu tenho, tá legal? ”.Então,mesmo sentindo as malditas lágrimas em meu rosto,e me viro e saio da sala.Não me importando com nada e nem ninguém.

“Afinal,quem se importa comigo?”

“Ninguém!”

“Afinal,quem se importa com um pedaço de lixo ambulante?”

“Ninguém vai sentir minha falta,eu nem faço falta para minha mãe,que me ama.Minha progenitora!Nem ela mesma me quer.E fez questão de mostrar isso quando queimou meu rosto.Mas ainda sim,eu a amo.”

“Eu deveria morrer,mesmo.Ninguém sentirá minha falta...Isso é o melhor a se fazer.Assim pelo menos,eu serei um peso morto a menos no mundo.”

Em meio aos meu devaneios, ouço alguém correr na direção em que eu estou e como ato de ' salvação ' eu vou para o canto,deixando a passagem livre para a pessoa.Mas o que me surpreende é que mesmo Izuku estando por perto,eu não consigo me acalmar.Sinto alguém me abraçar por trás e me apertar um pouco.Eu iria gritar mas a pessoa no mesmo instante começou a chorar fraco.Me deixando confusa.Sinto os braços que me envolvem afroxarem um pouco então me viro,e vejo Izuku chorando.

-Fiquei preocupado... - ele sussurrou quase que inaudívelmente.

-Não se preocupa...Eu já estou acostumada. - eu sussurro limpando as lágrimas dele.

-O que ele fez...Foi muito errado...Me perdoa... - Izuku diz me abraçando novamente.

-Você não tem o por que de querer meu perdão...Mas eu te perdoo sim. - digo retribuindo o abraço.

-Vamos sair daqui.Se ele sair da sala,ele vai ver a gente e aí sim estaremos ferrados. - ele quebra o abraço e pega minha mão,me levando para algum lugar. - Vamos para um lugar mais afastado daqui.

-Está bem...

Assim que chegamos, eu observo o lugar.Um espaço com árvores,flores,e até mesmo um pequenos lago.Isso parece até um parque da cidade.Adentramos um pouco na mata,e depois de alguns minutos de caminhada (uns cinco mais ou menos) vemos um pequeno chalé.Olho para Izuku,como se perguntasse de quem é o chalé,e ele me olha divertido.

-Esse chalé é meu hehe.Quando eu entrei nessa escola eu encontrei esse chalé abandonado.Ele estava em perfeito estado.Mas abandonado.Ninguém sabe que ele existe, além de nós dois agora é claro.Quando eu me sinto mal,e indisposto eu venho para cá.Aqui se tornou meu... - Izuku parou para achar a palavra certa para descrever,e então olhou em meus olhos. - _*nosso*_ refúgio. - ele sorri,me fazendo o acompanhar.

Logo Izuku me abraça de lado, e começamos a caminhar em direção ao chalé.Quando entramos,percebo que é um chalé bem arrumado,com um cheiro de lavanda impecável,e tudo bem limpinho.O segundo andar,possuía a suíte e um quarto de hóspedes, já que os outros cômodos eram todos no térreo.Depois de Izuku fechar a porta,o mesmo diz que já iria me levar para conhecer a casa,eu apenas concordei,e olhei em volta.Logo Izuku aparece do meu lado,e me olha.

-Bem,ali temos a cozinha e a sala de jantar. - ele aponta para um ambiente com uma cozinha americana e uma sala com uma mesa para 6 pessoas,além de vasos caros,e alguns quadros. - Logo ali,temos a sala de estar. - ele aponta para o lado oposto,que possuía uma lindo sofá em ' L ' uma televisão de tela plana,uma mesinha de centro e algumas poltronas, além de um lindo piso de madeira que não tinha reparado até agora,que é resvetido em todo o chalé.Sinto então Izuku segurar minha mão e me puxar levemente a um corredor feito pela escada. - Aqui é a despensa. - ele aponta para uma porta em baixo da escada,que por mera coincidência me lembrou do filme de Harry Potter novamente. - Ali,fica um quarto de hóspedes. - ele apontou para uma porta do outro lado,do corredor.  - E a última porta, é a do lavabo.E acabou o tur deste andar.Vamos para o próximo! - ele diz sorrindo e me guia para a escada onde subimos lado a lado já que a mesma é larga.Assim que subismos demos de cara com outra espécie de...sala? - Aqui é outra sala de estar,mas...eu uso essa sala como um lugar para relaxar. - nessa ' sala ' tinha,um sofá que parecia ser um sofá-cama, uma mesinha de café,uma televisão de tela plana na parede, uma pequena estante com alguns livros e revistas,e um aparelho de vídeo game. - Agora! - Izuku diz sorrindo. - Acabou nosso tur!

-Mas...Ainda tem aquela porta... - eu digo olhando para uma porta que tinha atrás de mim.

-Ali é meu quarto. - Izuku diz com tédio.

-Quero ver. - digo indo até o quarto,enquanto Izuku fica parado no mesmo lugar me olhando. - Ué,que foi?Eu quero ver. - digo com uma cara de ‘ isso é normal ’,e vejo Izuku me olhar brincalhão.Mas eu tenho a impressão de ter visto uma certa malícia ali?Não...Deve ter sido apenas impressão.

-Quer ver meu quarto para quê? -Ele diz brincalhão.

-Para ver ué.Sou curiosa e você sabe disso. - digo puxando a maçaneta da porta e abrindo a porta do quarto,vendo ele bem simples e fofo. - Eu gostei do seu quarto.Ele é fofo. - digo e olho para Izuku que agora surpreendentemente está do meu lado me encarando. - Você está bem?kkkkk.

-Eu estou ótimo.Mas,assim... Não quer conhecer o quarto melhor? - ele diz olhando em meus olhos.

OKEY GENTE.O que esse garoto tem?Um minuto ele não quer mostrar o quarto no minuto seguinte ele já quer?Meu,que porra é essa?Mas não posso negar que eu gostei do tom que ele está usando.Além de ser um puta tom sexy,ainda tem os maravilhosos feromônios controlados que ele começou a expelir.Esse garoto é doido ou o quê?Eu não sei.Mas só sei que a boca dele me parece muito mais convidativa agora do que antes.

-Quero sim... - digo olhando nos olhos dele.

-Então vamos...Irei lhe mostrar cada canto. - ele diz todo sedutor.

-Espero que me mostre cada detalhe deste quarto por que eu estou bem curiosa... - digo no mesmo tom,que Izuku,enquanto entro no quarto.

-Pode ter certeza que vou... - ele diz sorrindo,que me derreteu por completo,mas como eu sou uma ótima atriz eu disfarcei bem.

Logo após entrar no quarto, ouço Izuku entrar e vir ao meu encontro,parando ao meu lado.Ele me parece nervoso...mas por que será?Ele parecia tão bem a alguns segundos.

-O que houve,Izu? - pergunto para o mesmo indo até a cama e me sentando vendo um ursinho fofo de pelúcia,branco com algumas mechas castanhas.

-I-I-Izu...? - ele pergunta corado.

“Ele está bem bipolar hoje...”

-Sim...Izu...Um novo apelido para você. - Digo me virando para encarar o mesmo, porém percebo que ele se encontrava todo corado,e nervoso.Então me levanto e vou até ele,colocando uma de minhas mãos em sua bochecha e acariciando. - O que foi? Está nervoso...E corado kkkk.

-E-E-Eu....Hã...Não sei como lhe dizer isso... - ele diz ficando mais corado,e mais nervoso do que antes.

-Calma,Izu...Calma. - Digo o abraçando,que logo é retribuído,e fazendo um leve carinho na cabeça do mesmo.

-Sabe...Erh...Desculpa,por ontem lá em casa... - Ele diz me abraçando um pouco mais forte.

-Não fiz nada daquilo,na intenção...juro! - Ele fala meio desesperado agora. - Eu acabei me descontrolando quando vi você perto de mim aquela hora na floresta,eu saí de mim,me desculpa... - ele diz meio tristonho e receoso.

-Não se preocupa...Mas,assim... Você sabe que você tem até o seu quarto cio para atuar seu primeiro nó,caso contrário fica estéril... - digo separando do abraço e encarando o mesmo,que parecia meio chocado. - não é?

-Não!Eu não sabia disso! - ele diz meio desesperado...mas por quê? Será que ele já passou pelo quarto cio? Ai meu santo...são tantas perguntas,que chega a me dar tédio. - Que maravilha!QUE MARAVILHA!! - Ele diz em puro tom de sarcasmo,para o ...nada ;-; .

-Eles deviam de dizer isso na escola...Na escola onde eu estudava eles ensinaram isso ano passado.Disseram que isso era de extrema importância para os ômegas e betas. - digo dando de ombros.

-COMO ASSIM DE EXTREMA IMPORTÂNCIA PARA ÔMEGAS E BETAS?! NÃO SERÃO ELES QUE FICARAM ESTÉREIS!!! - Ele grita comigo. -NÃO SÃO NEM BETAS NEM ÔMEGAS QUE PODEM FICAR ESTÉREIS!!!

-É...Mas todo ômega e beta gostariam de um parceiro que pudesse dar filhotes para eles. - digo encolhendo um pouco os ombros e abaixando a cabeça um pouco.

-AH COMO SE ISSO FOSSE TÃO GRAVE QUANTO FICAR ESTÉRIL!!!! - Izuku grita,colocando sua presença,mostrando o quão bravo ele está.

-Izuku...Se acalma por favor... - eu digo me aproximando. - Você já está colocando sua presença...Se acalma um pouco...

-COMO EU VOU FICAR CALMO SENDO QUE SE MEU PRÓXIMO CIO EU NÃO PASSAR COM ALGUÉM EU POSSO FICAR ESTÉRIL?!?!?! - ele grita novamente aumentando sua presença.

Quem diria que isso é tão complicado...

-Bom, já que quer ficar bravo e colocando sua presença,eu vou voltar para a escola.Afinal é bem melhor ter um professor que te odeia,do que ter uma pessoa tão especial,tão importante para você gritando e lhe botando pressão!! ENTÃO ATÉ MAIS IZUKU. - Digo saindo do quarto,e descendo as escadas logo indo para o térreo.

Quando chego na porta de saída,sinto Izuku segurar meu pulso e me puxar contra si.

-Fica por favor...


Notas Finais


O Izuku tá bem bipolar...


BOM GENTE EU VIM DEIXAR UM AVISINHO,ASSIM COMO EU DISSE LÁ EM CIMA NAS NOTAS DO AUTOR ;-;


(por quê eu tô gritando produção? )


É assim galera,a aulas começaram e deixaram minha agente apertada.Além da escola eu também tenho curso de espanhol :'v e taekwondo ( uma luta que muita gente não conhece,mas vale a pena conhecer é bem legal :3 ),deixando minha agenda lotada.Agora eu só tenho os dias de domingo e segunda-feira livres,onde tem como eu escrever um ou dois capítulos direto,mas normalmente nesses dias eu também fico ocupada ajudando minha avó.Ou seja :


NÃO ME RESTA ESSE MALDITO TEMPO >-<


PORÉM!!!!


Eu vou dar um jeito de ficar escrevendo os capítulos na escola e no curso de espanhol,e tentar ao máximo ter tempo em casa para fazer tal façanha.Então, agora necessito me despedir.


Até o próximo capítulo hehehe!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...