História My Sweet First Love - Capítulo 33


Escrita por:

Postado
Categorias Michael Jackson, Simplesmente Acontece (Love, Rosie), Um Amor para Recordar
Personagens Michael Jackson, Personagens Originais
Tags Ficção, Hot, Michael Jackson, Romance, Simplesmente Acontece, Um Amor Para Recordar
Visualizações 25
Palavras 1.512
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Crossover, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Romance e Novela

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 33 - Four years later


Narração Diana 

Atravesso a rua correndo entre o carros que buzinavam pra mim, me equilíbrio nos saltos e piso na calçada, ajeito meu cachecol e me desvio das pessoas parando em frente ao jornal local. Já faz 1 mês que estou estagiando aqui, e tem sido muito bom pra minha profissão, me aprofundo a cada dia mais e melhoro como profissional. Isso era realmente bom, por que ano que vem quando eu voltar, será mais fácil arranjar um emprego. Pego meu crachá com a recepcionista, dou um sorriso maroto pra ela e subo pelo elevador até o 5° andar , encontro com Lucy que era uma redatora, âncora e repórter, uma mulher como poucas, segura de si, inteligente, persuasiva, mais um doce de pessoa, calma, gentil e sabia ensinar o ofício como ninguém, tenho aprendido tanto com ela a admiro muito .

- Diana , que bom que chegou, vem – Me puxa pelo braço – Tenho uma surpresa pra você.

- Surpresa? – Me espanto

- É sim. Você vai gostar

Andamos até a sua sala e lá tinha um homem, alto bem vestido que se levantou ao me ver.

- Olá Diana, meu nome é Steven

- Prazer Steven – Pegamos um na mão do outro

- Senta Diana. O Steven tem uma proposta pra voce .

Olho pra eles e me sento, me sinto estranha naquela situação por não saber o que vinha pela frente durante aquela conversa.

- Bom Diana, não sei se você me conhece mais só presidente do Los Angeles Times, estava de férias, mas como um jornalista como eu , você sabe que nunca tiramos férias, o trabalho não sai da gente. Entao me encontrei com Lucy minha amiga de anos, e ela me disse que tinha uma ótima indicação pra me fazer ... Olha que que eu não sou de ouvir sobre funcionários, deixo isso a encargo dos meus secretários, mas quando Lucy me mostrou suas matérias, sua aptidão pra escrever uma boa coluna sobre qualquer tema e suas entrevistas, garota você é um diamante já pronto, nem precisa de lapidação. Entao eu vim pessoalmente te convidar a integrar o time do Los Angeles Times .

- Há meu Deus e sério? – Dou um riso nervosa e me sinto eufórica

- Claro Diana, vou ficar feliz se aceitar, quero muito que trabalhe conosco.

- Meu Deus sim, eu aceito, era tudo que eu mais queria, obrigado Sr.Steven . Mas eu ainda não me formei...

- Eu sei, e seu último ano , se forme, e vooe direito pra Los Angeles no dia seguinte, quando você chegar já começamos, tá bom pra você?

- Tá mais que bom, tá perfeito. Sério eu nem acredito. Obrigado mesmo, e Lucy você é fantástica obrigado por isso, por sempre me ajudar – Seguro sua mão e meus olhos enchem de agua

- Diana eu não fiz nada demais, você tem talento, e isso é uma grande oportunidade, você vai longe garota, aproveite- Aperta minha mão e abre um largo sorriso

Estava grata por tudo, por ela ter me ajudado, pelo tempo junto com ela, pelos ensinamentos, broncas necessárias, criticas que me fizeram sempre procurar ser melhor não só como jornalista, mas também como pessoa.

Levantamos e selo meu compromisso com um apertos de mãos com o Sr.Steven , abraço Lucy e não consigo segurar a lágrima que escorreu pelo canto dos meus olhos, abraço ela forte e agradeço mais uma vez, saio eufórica da sala, dando pulinhos pelo corredor como uma doida, ponho a mão na boca tapando um grito fino que saiu da minha garganta e corro pra ligar pra Susan, ela precisa saber disso.

- Alo, se for algum idiota passando trote a essa hora da manhã, eu juro que  pego e esgano.

- Cala boca e me escuta Susan

- Há e você Diana, achei que fosse um chato de um cara que vive me ligando, perturbado e fico ouvindo só sua respiração, e cada doente.

- Escuta caralho, você fala demais. Tenho um novidade pra contar .

- Terminou com o Ryan ?

- Há não é isso, deixa eu falar – Bufei nervosa – Eu vou trabalhar no Los Angeles Time

- PUTA QUE PARIU , DIAAAAANAAAA – Grita loucamente- Amiga você é foda, sabia FODA , cara tô muito feliz.

- Imagina eu Susan, ainda nem consigo acreditar, tô anestesiada ,se tocar em mim e capaz de eu nem sentir nada, meu coração deve tá uns 200 batimentos por minutos

- Puta que pariu não morre caramba, velho, já tô torcendo pra esse ano voar e você vim logo, vamos morar juntas ne ?

- Pra você me enlouquecer?

- Para, sou seria agora, uma médica de respeito

- Hahahaha a que bebe no expediente, no plantão das quartas .

- A culpa é do faxineiro Brian que é um gato, e me seduziu hahaha Vem morar comigo, se não eu te esfolo

- É claro que eu vou morar com você, idiota haha

- Mas e o pé no saco do seu “ namoradinho” ?

- Já não estamos bem, acho que vou pedir um tempo e melhor pra nos.

- Mete pé na bunda dele Diana, que cara mala. Não te deixa fazer nada, e olha que tem nem dois meses que tão juntos.

- Você não gosta dele de graça também ne , implicante.

- Não é implicância, ele não me desce, preferia o homem que você ama, Michael.

- Já chega Susan, eu já esqueci o Michael .

- Porra nenhuma, quero ver quando ver ele de novo, se o fogo não acende , te conheço você ainda ama ele mais que tudo.

- Já superei

- Hahahahaha que piada, eu aposto que se você ver ele de novo fica doidinha haha. No dia que vocês ficarem juntos eu vou soltar fogos por um mês, casalzinho complicado.

- Chega de asneiras, tenho que trabalhar e você durma antes do plantão mocinha

- Aff tá bom mamãe haha Te amo

- Também, bjos.

Já estamos em Novembro, e além de ter que me preocupar com o estágio que tem tomado o meu tempo , ainda tem o meu tcc que é pra apresentar daqui uns dias, e o meu nem está na metade, além de escrito ele tinha que ser bem apresentado, com slides e tudo mais e uma droga. Volto pra sala de Lucy e junto com ela continuamos uma crítica de cinema na coluna do meio dia.

Narração Michael

♬  Because I’m bad, I’m bad, come on

(Bad bad, really, really bad)

You know I’m bad, I’m bad, you know it

(Bad bad, really, really bad)

You know I’m bad, I’m bad, come on, you know

(Bad bad, really, really bad)

And the whole world has to answer right now

Just to tell you once again

Who’s bad 

Corta....

Paro ofegante, suado e cansado depois de me esforçar ao máximo dançando e cantando pro clipe. Respiro com dificuldade, e olho pro diretor sentando na sua cadeira preta, ao lado de alguns produtores me dar um sinal com o polegar indicando que por fim depois de tanto repetir essas cenas estava pronto. Já são mais de semanas gravando até altas horas esse clipe, realmente eu queria que tivesse impecável, bebo um pouco de água que um dos produtores me entregam numa garrafinha. Seco o suor que escorria por mim com uma toalha branca, puxo a cadeira e me sento em frente ao monitor vendo as cenas que faltam apenas ser editadas e estão incríveis , do jeitinho que eu queria. Depois de horas de trabalho, me despeço de todos e vou pra casa, que agora é um rancho, muita coisa mudou em dois anos, aquele meu desejo se tornou realidade, e depois de muito tempo em obras pra ficar do jeito que eu gosto e sonhei, pude ir morar lá, e tem sido muito bom, me sinto livre, feliz, realizado realmente. Não que isso tenha diminuído as fofocas em relação ao meu nome, agora alegam que a minha reclusão instiga mais a curiosidade e isso aumenta os boatos, agora vê se pode realmente é uma coisa dessas, e brincadeira. A vida profissional está realmente incrível diferente da pessoal que está uma bagunça, sempre estou com alguém diferente, não que eu seja um cafajeste, mas eu gosto de estar acompanhado e nem sempre precisa ser a mesma garota, além de eu ter um caso com a Angel, e um caso, não nos cobramos, não temos compromisso, nos encontramos quando temos vontade e pronto, e é bom não me prender. O carro para em frente o gramado que cobria quase toda entrada da casa, desço me despedindo de Javon e entro, mais uma vez eu tô sozinho, mais não por muito tempo, hoje o Mac vai vim aqui, nos chamamos de cabeça de maçã, tínhamos o nosso próprio clube dos cabeças de maçãs, e nos divertíamos muito por toda Neverland, que tinha tudo que um parque realmente precisa, além dos animais que são a minha paixão. As crianças vem aqui e sentem felizes, me fazem feliz, aqui se tornou realmente meu pedacinho mágico no mundo.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...