1. Spirit Fanfics >
  2. My Sweet Stripper - DahMo >
  3. 22

História My Sweet Stripper - DahMo - Capítulo 22


Escrita por:


Notas do Autor


Eu gente. Estou postando agora pq aconteceram umas coisas aqui e.. difícil explicar..

Esperem pelo outro cap. e desculpem qualquer erro

Bouna lettura

Capítulo 22 - 22



December, 24th 2019

De banho tomado, dentes escovados, Momo estava pronta para dormir. Antes, um beijo e um desejo de boa noite para Mina. Estando prestes a se deitar, vê seu celular acender em uma ligação. Era Dahyun. Um grande sorriso surge em seu rosto ao ver a foto dela quando Momo tirou sem ela ver. Esticou-se da cama até a cômoda onde se encontrava o celular e pegou o mesmo. Respirou fundo antes de atender, esperou o quinto toque para seu coração se acalmar um pouco mais. Assim, atendeu.

_Achei que não ligaria. - disse Momo. _Porque demorou?

_Saí tarde hoje. E eu tive que levar meu amigo até sua casa por que o viado esqueceu de abastecer o tanque da moto dele. - Dahyun disse revirando os olhos do outro lado da linha. Ouve uma risada de Momo.

_Como foi seu dia, Mi Amor? - Momo questionou

_Normal. Só me atrasei por causa de um indivíduo que se esqueceu de abastecer o tanque da moto. - enquanto reclamava do Jungkook, aumentava pouco a pouco sua voz.

Amigo desleixado, cálculos, números e novos funcionários. Dahyun só falava disso. Mesmo Momo mal a entendendo, continuava a ouvindo. A ouvindo com um grande sorriso bobo. Momo só se preocupou com os funcionários que Dahyun mencionou. E se fossem seus pais? O que falaria para sua amada?

Eles estavam acabando com Momo. E com Mina.

_Já é tarde. Vou dormir. - falou Dahyun quando terminou de falar sobre um assunto de café. _Até, meu Upendi.

_Está assistindo muito O Rei Leão. - antes de desejar boa noite e desligar, Momo solta uma risada. _Até. - encerrou a ligação.

No dia seguinte, Momo estava a tona. Mina até questionou.

_Porque está tão feliz? - perguntou a mais nova

_Sendo sincera, eu não sei. Acordei de bom humor. - Mina arregalou os olhos e franziu o cenho. Com um pouco de medo

_Raridade. - comentou. _Por que ainda não comprou as luzes pisca pisca? - pergunta depois de passar pela porta da varanda e ver que sua casa era a única que não tinha as luzes penduradas na porta ou algo do tipo. _Vamos, depois, na casa do Seu Yoon?

Momo franziu as sobrancelhas ao ouvir a irmã chamar seu vizinho desse jeito. _Por que você chama o Yoongi desse jeito, Mina? - perguntou chegando perto da irmã.

_Porque ele parece um idoso. Veja só: ele dorme o dia todo, as fotos dele são de uma qualidade que dá dó, ele escuta as coisas no último volume, e etcetera. - essa "prova" que Mina demonstrou que seu vizinho, Yoongi, se parece um idoso fez sua irmã não conseguir parar de rir, querendo ela parar ou não. Agora, toda vez que Momo chegar perto dele, ela sempre soltará uma risadinha.

_Tudo bem. Vamos passar lá depois de voltarmos do estúdio. - Olha para a irmã e a vê um sorriso sigiloso. _Tudo bem para você? - perguntou

_Claro. Se para você está bom. - se vira e volta para cozinha. Enquanto voltava, Momo a vê cerrando o punho em comemoração. Sabia que a irmã ia gostar, Mina não vai para lá desde o início do ano, ela já sentia muita falta de dançar com a heroína da vida dela, Momo sentia isso.

Duas horas e meia antes de Sana chegar, — mesmo Momo não indo trabalhar até o fim do ano novo — Momo estava no meio do caminho para o estúdio. Mina estava tão animada que se esqueceu do seu celular — que a mesma nem percebeu que esqueceu.

_Se importa se eu der uma parada rápida? - Momo perguntou. Mina balançou a cabeça negativamente. E foi quando Momo saiu que Mina procurou seu celular e percebeu que se esqueceu dele. "Espero que a bateria não esteja baixa." Pensou.

Quando Momo voltou, tinha em mãos uma pequena, fofa e com um toque de romântica caixinha de flores. Mina logo questionou.

_Hmm. O que é isso? É para alguém. - fez um semblante implicante e a cutucou no braço onde segurava a caixinha.

_Para! - disse tentando fazer com que Mina parasse de a cutucar. _E é claro que é para alguém. - revirou os olhos antes de dizer e por a caixa no colo de Mina.

A menor pegou e admirou a caixinha. Lá dentro tinham algumas cerejeiras, cíclames e um grande Lírio no meio que destacava a caixa.

_Hmm. Já sei para quem é. - ficou olhando para a irmã levantando o tempo todo a sombrancelha e sorrindo ligeiro. A mais velha revirava o tempo todo os olhos com a implicância da irmã, chegou um ponto dela ficar pouco tonta. _Mas como você vai entregar? Não vai esperar ela sair do trabalho, vai? - perguntou Mina com um semblante confuso

_Não. - Momo disse. _Eu vou dar um jeito. - disse antes de conseguir fazer o retorno na avenida.

Chegando lá, Momo encontra Hoseok com o pequeno Jimin quase virando a quadra. Antes que isso pudesse acontecer, Momo pegou a caixa do colo de Mina e sai correndo do carro deixando a menor toda confusa — e com a responsabilidade do carro — e foi correndo em direção aos meninos. Assustou o Hoseok quando chegou perto e o encurralou na parede.

_Momo?! - se encolhe na parede. _O que te trás.. a min? - perguntou confuso enquanto a via suspirar forte.

_Bom, eu.. Oi, Jimin! - Disse tentando respirar. Jimin devolveu com um aceno de mão e um sorriso

Enquanto Momo recuperava o fôlego, Mina saía e trancava o carro.

_Você trabalha com Dahyun, certo? - Antes de conseguir falar, Momo suspira fundo. Vê o maior concordar. _Está indo agora? - o vê concordar outra vez, confuso. _Pode, por favor, entregar isso a ela? - levanta a caixa mostrando-a ao Hoseok e o mesmo tem uma reação fofa.

_Ah, que bonitinho! - Hoseok morde os lábios. _Esse Lírio... Dahyun vai amar! - comentou Hoseok. Momo sorriu ao saber que Dahyun iria gostar. _Hmm, trouxe a sua irmã? - perguntou quando notou sua presença lá. _Mina! - falou e deu um grande abraço na mesma.

_Hoseok. Jimin. Quanto tempo. - diz abraçando os dois.

_Bom, eu acho que já vou. Estou um pouco atrasado, e o Jimin tem que ir para a casa do padrasto. Momo.. - põe a caixa, com cuidado, na mochila. _Pode deixar que essa caixa chegará em segurança em Dahyun. Mina, eu vou me vingar! - disse em japonês apontando para Mina. Ligeiramente, Mina maliciou o semblante e gargalhou.

Momo a olhou confusa, porém, sorrindo. _O que você fez?

_Eu detonei ele em uma partida de videogame, cinco vezes. Foi a partida mais fácil que eu joguei na minha vida. - solta uma gargalhada

_Ah. - gargalha junto. _Vamos entrar?


Um tempo depois, Jung Hoseok, esse jovem — que esconde um grande talento — estava pronto para atender alguns clientes do prédio. E para mais alguma coisa, mas que não estava lembrado.

Uma franzida no cenho, olhada pra lá, olhada pra cá, e.. as flores! Hoseok tinha que entregar a caixinha de flores para a Senhorita Dahyun. Será que ele tinha esquecido? Foi "futucar" a mochila que escondeu de baixo do balcão, e, por sorte, a caixa estava lá, sã e sem algum amassado. Pôs a mão no peito aliviado.

Mas tinha outro problema: a própria Senhorita Dahyun.

A mesma não costuma descer para o primeiro andar, ainda mais que, seu andar de trabalho é quase o último. Hoseok tinha apenas duas opções: esperar o horário da Senhorita Dahyun acabar, que é junto com o seu, ou, o mais raro de acontecer, esperar ela descer. Só um milagre para fazer ela descer.

Aliás, milagre tem nome? Pois, depois de um minúsculo tempo, ela acaba de sair do elevador com o Senhor Jinyoung.

Pelo menos, agora, Hoseok tem uma oportunidade.

Esperou Jinyoung se afastar um pouco e a chamou com o clássico e velho "Psiu".

_Jung Hoseok. - disse Dahyun

_Senhorita Kim Dahyun. - a imitou.

_Ora, pode me chamar apenas pelo meu nome. - soltou uma pequena risada. _Me chamou, por quê?

_Tenho uma coisa para lhe entregar, mas não é meu. - Hoseok diz com um grande sorriso

_Então de quem seria? E o que? - perguntou ansiosa. Ficou maravilhada ao ver a caixinha de flores que, ligeiramente, Hoseok levantou do canto do balcão. 

Quando pegou, sentiu um pequeno papel grudado no fundo da caixa. O pegou e viu que tinha uma mensagem: "Imaginei que, ao ver essas flores, você sorriria absurdamente lindo. Como as flores sorriem para.. o sol. Da sua stripper favorita.

Abriu um sorriso maior que do anterior ao ler. Hoseok se esqueceu que estava no trabalho e viajou no lindo e maravilhoso sorriso de sua superior.

Acho que "Abobado" é a palavra.

_Já imagino a reação dela quando eu contar a reação que a senhorita teve. - Hoseok disse e gargalhou baixo.

_Hoseok Oppa, faria um favorzinho para sua superior favorita? - abriu um grande sorriso e Hoseok teve que retribuir com outro — principalmente pelo fato dela ter o chamado de "Oppa".


Mais algum tempo depois, as meninas estavam na porta de trás do vizinho, Yoongi. As duas gritaram o nome dele ao mesmo tempo, mas, Mina disse "Seu" antes do nome dele, e Momo teve que segurar o riso quando ele apareceu com um semblante de quem acabou de acordar, e com o cabelo para cima.

_Yoongi, meu vizinho favorito! Como vai? - disse Momo e Mina arregalou os olhos ao ouvir o tom da voz da irmã. "Que? Por que?" Se perguntou

_Luz pisca pisca? - as duas concordaram com a cabeça. _Ali no canto. Sabia que iam pedir. - apontou para o canto da varanda.

_Por isso você é meu vizinho favorito! - falou Momo

_Me engana que eu gosto. - sussurrou para si.

As meninas pegaram as luzes e, ao mesmo tempo, Sana chegou com a moto de Momo.

_Vocês ainda não tem essas luzes? - perguntou Sana de longe.

_Já viu quando é que está um desses? - Momo perguntou

_Ah, muito caro, uns vinte wons na 'net. - ironizou Sana. Momo revira os olhos

_Só nós ajuda a pendurar. Vamos tomar banho, depois voltamos. - disse Momo puxando Mina para dentro e deixando todos os fios de luzes pisca pisca com Sana. Yoongi observava de longe e ria ao ver Momo deixando todo o trabalho para a prima.


Quando Sana já estava terminando de pendurar as luzes e as meninas saíram de casa.

_Voltamos. Onde podemos ajudar? - perguntou Momo.

_Ajudar? Eu já estou quase terminando! - falou em voz alta por estar no alto da casa. _Mas se puder, prende esses últimos fios nos ganchos, para não dizer que fez alguma coisa sem fazer.

_Okay, Sana, okay! - Momo disse revirando os olhos.

Enquanto Momo prendia os fios, Mina ficou sem ter o que fazer. Andou para lá, para cá, viu um esquilo, mas ainda sim, nada para fazer.

Até que foi para a frente da casa. Um carro cinza, Mercedes, grande e lindo, chega. Mina não reconhece de cara as pessoas de dentro do carro —pois o vidro era fumê e o carro de classe alta—, até ambos saírem do carro. Mina saiu correndo alertar a irmã.

Ficou a cutucando até a maior parar com o que estava fazendo.

_O que foi, Mina? 

_Vem rápido! - Momo ficou confusa com tamanha ansiedade da irmã. Não a entendia até ir para a frente da casa.

_TIO! - gritou e saiu correndo para abraçar seus primos.

_Ah, também senti saudades. - disse o homem.

_Ora. Já disse para nos chamar de primos! É o que somos. - exclamou a mulher

_Por-por que vieram? E como descobriram onde moramos? - Mina perguntou gaguejando

_Se acalma. - disse a mulher entre risada. _"Sana" é a resposta de tudo.

_Viemos, na verdade, porque não queríamos que passassem o Natal sozinhas, e Sana sempre deixa a localização do celular ligada, então... - o homem diz mostrando o celular com a localização do celular de Sana.

_Pai? Mãe? - Sana disse ao vê-los de cima da casa. _Vocês aqui?

_Também sentimos sua falta. - gritou a mulher. A mesma põe a mão na cabeça ao ver a filha pular do telhado ao chão. _Já disse para não fazer esses tipos de coisas. - Estapeou o braço da filha.

_Ai. Ai. 'Tá bom. Desculpa, mãe. - Momo e Mina riram. _Ha, ha. Sem graça. Queria ver se fosse vocês! - gritou

_Vamos entrar? - perguntou o homem. _Trouxe algumas sobremesas. Vou lá pegar. - o homen foi correndo até o carro, enquanto isso, as meninas foram entrando.

11:35 p.m

_Esse foi o melhor gelado que eu já provei, Tio! - exclamou Mina de barriga cheia e o homem se gabou. _E também a melhor ceia. Tia 'Tozaki, obrigada por terem vindo.

_Não foi nada. Mas vocês não acharam que eu trouxe apenas comida, hum? - as meninas ficaram confusas quando o mais velho perguntou.

_Como assim? - Momo perguntou

_Trouxe presentes! - Mina grita de felicidade e Momo a acompanha.

O Tio foi para fora para pegar os presentes das meninas. Se arrepiou inteiro quando sentiu o vento frio. Se apressou para não pegar um resfriado, por isso, voltou bem rápido.

_Estou muito ansiosa! - disse Mina.

_Para Mina, um PlayStation Quatro Pro, de um terabytes! - disse o primo. Mina arregalou seus olhos e pôs as mãos na cabeça

_O QUE? AH! - de felicidade, Mina dá um grito e sai do lugar para abraçar o primo.

_Para Momo. - o mais velho tira uma caixa pequena e retangular da sacola, e quando ela viu uma capa na caixa, já suspeitava. E teve certeza quando ele posicionou a caixa na sua frente.

_Um celular novo!? - disse desacreditada. 

O seu estava travando, e dando raiva.

_Na verdade, eu comprei em um site de aparelhos usados. - Momo fechou o semblante e o olhou. Mina e Sana gargalharam. A mulher não pôde evitar e também gargalhou. _Brincadeira! Saiu direto da loja. - disse entre risadas. Momo revirou os olhos e dá um soco de leve no ombro do primo. _Tem mais.

_Mais? Mina e Momo disseram ao mesmo tempo.

_Sim. Filha, não tem o carro com que viemos? - a vê concordar. _Então... - tirou a chave do bolso da calça e entrega para Sana. A mesma pôs a mão na boca e ficou emocionada com o presente do pai.

_PAI! - a japonesa gritou. Nem pegou a chave e o abraçou com todas as forças. _Obrigado, pai!

_Você merece, filha. 

_Mas como vão voltar? 

_Nos viramos. - disse e a filha o abraçou mais forte.

As meninas aplaudiram. Queriam ter peia assim, mas não tem. Infelizmente.

_Eu também tenho presentes para vocês! - Sana disse. Foi até a sua bolsa e pegou uma outra bolsa. _Mina! - a entregou dois jogos e, por coincidência, eram compatíveis com o console que seu pai presenteou Mina.

Será que ela já sabia que seus pais viriam?

_E Momo, para você... Vira. - Momo vira e Sana envolve um colar em seu pescoço. Momo abriu o globinho e tinha uma foto das duas pequenas, abraçadas.

_Óun, Sana! - Momo falou

_Longe ou perto, sempre seremos primas. - abraça a mais nova. _Eu vou sentir saudades!

_Não me faz chorar - disse

Mina tosse em falso. _Você também, Mina. - abraça a outra.

_Espera, como assim "vai sentir saudades"? - perguntou o pai

_Pai. Mãe. Eu consegui passar pelo teste para conseguir um emprego em uma grife. - disse ainda abraçada com as meninas.

_Parabéns, filha. - disse a mãe toda orgulhosa.

_Achei que queria ser uma agente, como o papai, aqui! - comentou.

_Pai! Já faz alguns anos que parei com isso. - disse

_Okay. Agora que cresceu fica se gabando com outras coisas na cara do pai. A filhinha do papai cresceu. - resmungou. Sana revira os olhos.

_Vamos esperar a virada? Já são quase meia noite. - perguntou a mulher e os cinco foram para fora.

Quando os fogos começaram a estourar, todos se abraçaram e gritaram "Feliz Natal".

Yoongi olhou os fogos da janela, Momo o notou e  desejou feliz natal, ele devolveu com um gesto positivo com o polegar. Momo entendeu como um "Para você também!" e sorriu, mas para o Yoon foi um "Que bom."

Mas Momo não ia deixar esse Natal passar sem desejar para uma determinada pessoa. Pegou o celular e tentou ligar, mas viu que estava descarregado. Pediu o de Mina emprestado, e, assim que o pegou discou o número de Dahyun.

_Alô?

_Um feliz natal para todos, um feliz natal para todos, um feliz natal para todos e pro meu amor também! - Momo cantou

_Hirai. - Dahyun disse surpresa. _Feliz Natal, meu amor. - disse. _Obrigada pelas flores. Eu amei.

Momo abriu um grande sorriso e enquanto Mina a observava, já sabia o que era.

Sorriu para ela e Momo revirou os olhos balançando a cabeça.

_Quero que tenha o melhor Natal de todos. - Momo disse

_Obrigada. Desejo o mesmo. - disse _"Senhorita Dahyun! Vamos, vamos!" - a voz de um homem soou na linha. _Eu tenho que ir. Un bacio - disse em italiano e Momo deu uma risadinha e encerrou a ligação

_Hmm. Feliz Natal - Mina disse se aproximando.

_O que foi? - perguntou com ignorância quando percebeu o Ton de voz da irmã.

Esses últimos tempos que Momo tem vivido foram difíceis, por seus pais estarem na Coréia, bem próximos onde ela e Mina estão, e está com medo de que algo pior possa acontecer, mas esse Natal fez ela esquecer tudo e passar o Natal feliz e em paz.

Seus amados primos, sua irmã e Dahyun. Essa garota trazia uma felicidade absurda dentro de si que faz a esquecer de tudo de ruim que existe.

Se, agora, acontecer algo de ruim, como não poder vê-la mais, entraria em um estado de êxtase, e não queria isso.


Notas Finais


Espero que tenham gostado

Até breve

"And when you stay at home
you save lifes and stay safe"


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...