História My sweet vilan - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Garota conhece o Mundo (Girl Meets World), Stranger Things
Personagens Maya Hart, Mike Wheeler
Visualizações 11
Palavras 1.176
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Festa, Ficção Adolescente, Luta, Mistério, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 6 - Encomenda


Fanfic / Fanfiction My sweet vilan - Capítulo 6 - Encomenda


Então me diga o que eu preciso fazer para ficar longe de você, para me empedir de desmoronar todo caminha abaixo com você, eu ainda quero você mas não pelo seu lado ruim, não pela sua vida assombrada.

Foxes- Devil side


Maya

O resto do caminho ficamos em silêncio, até que enfim chegamos ao aeroporto, logo que entramos encontramos Bob  e ele parecia estar apavorado:

-Meninas se apressem vamos perder o vôo.

-O que? Que horas são?

Perguntei andando mais rápido para alcançar a velocidade de Bob.

-Quase duas.

-Nossa. Eu acho que foi o trânsito.

Riley disse correndo para nós acompanhar. Logo chegamos na fila para autenticar nossas passagens e passaportes que foram aceitos. 

-Primeira parte concluída.

Disse olhando para trás para olhar para meu par de amigos. Entramos no avião e o meu lugar era na janela mas logo que vi o lugar de Bob e Riley meu corpo gelou. RiIley estava na janela atras de mim e o passageiro ao seu lado era o cara loiro com com uma águia no pescoço que tinha pegado o dinheiro e Bob estava no assento ao lado do meu e o homem ao seu lado era o outro bandido que estava ao lado de Anthony quase todas as vezes que nós vimos, com exceção da última é claro. Parte de mim torcia para que ele chegasse e se sentasse ao meu lado e a outra parte gritava "para de ser louca, ele é um bandido". Eu me virei para trás e disse:

-Hey, o senhor poderia trocar de lugar comigo para que eu posso ficar ao lado da minha amiga?

-Por ordens do meu chefe, não!

-Quem é seu chefe?-Riley perguntou.

-Anthony.

Eu me virei para o meu lugar me sentando de volta, olhei para Bob e ele não estava com medo na verdade estava flertando com o bandido, aquilo era loucura demais para minha cabeça. Coloquei fones de ouvido e comecei a ouvir minhas músicas favoritas enquanto escrevia minhas próprias músicas, eu tinha um amor por escrever mas nada era profissional eu só precisava daquilo, eu sentia que minha cabeça ia explodir se eu não escrevesse. Mas quando o avião começou a decolar um cara com a mesma tatuagem que estava acompanhado Anthony em quase todas as vezes também se sentou ao meu lado.

-Ola Maya.

-Quem é você?

-Alex.

-Ok. Quem é você?

Eu perguntei mais firme, ele abriu um sorriso no canto da boca e meu Deus que sorriso, e disse:

-Trabalho com Anthony.

-A então ele mandou babás cuidarem da gente?

-Na verdade ele quer ter certeza que tudo vai correr como o planejado.

-E que planejado é esse? Ele não me falou o que vamos pegar.

-Bom, se ele não disse eu também não posso.

-Faz tudo que ele faz?

-Nao, mas eu prezo pela minha vida e ter Anthony como inimigo é como ignorar isso.

-Temo medo dele?

-Voce não?

Eu o encarei por tempo e desviei meu olhar, seus olhos eram verdes mas de longe se comparavam aos olhos de Anthony, ele me olhava como se pudesse ver a minha alma, e algumas vezes eu acredita nisso.

-Ta escrevendo o que?-Ele perguntou.

-Nada de importante. Por que todos menos Anthony tem uma tatuagem no pescoço?

-Ele tem uma também mas na barriga, a dele é de lider, ele não precisa provar que está dentro fazendo isso-ele disse apontando para seu pescoço- Ele só precisava nascer e pronto já é príncipe do tráfico de New York.

-A família dele também está envolvida?

-Nao posso falar sobre isso.

-Tudo bem.

Encontrei minha cabeça no banco e me virei para janela não durou muito tempo, eu acabei pegando no sono e sendo acordada apenas quando o avião começou a pousar. Olhei para Bob que conversava animadamente com o bandido ao seu lado, me virei para trás e vi Riley conversando com o loiro também. Então oficialmente, meus amigos estavam ficando loucos. Como ele podem flertar desse jeito com dois traficantes, assassinos, usuários e por aí vai. Alex estava lendo uma revista ao meu lado e quando O avião pousou eu olhei para Bob e Riley os repreendendo e os chamando, eles entenderam e logo vieram comigo, nos saímos do avião e quando finalmente estávamos no aeroporto e eu não via os bandidos eu disse:

-Voces querem assinar suas sentenças de Morte agora ou depois?

-Que?-eles perguntaram sem entender.

-voces ficaram se jogando para aqueles bandidos.

-O nome dele é Jake.-Riley disse.

-E o outro é Max. Mas do que você está falando você também estava conversando com o...

-Alex-Respondi.

-Me chamaram? Aqui estou- Ele disse sorrindo e abrindo os braços.

-Bom vamos direto ao assunto, vocês vão pegar a encomenda e nos vamos esperar vocês alguns quilômetros da divisa.-jake falou.

-E você espera que nos encontremos vocês como? Acha que eu vou roubar um carro?-Perguntei para eles e depois encarei Alex.

-Voce não precisar fazer isso, princesinha.-Ele disse me entregando a chave de um carro.-Agora vão logo.

Nós começamos andar até o estacionamento do aeroporto, eu apertei o botão da chave para abrir o carro e para minha surpresa um Lamborghini azul piscou. Eu olhei para meus amigos que estavam com a boca aberta e Bob logo em seguida abriu um sorriso maior que o mundo e correu para o encontro do carro.

-Meu Deus eu amo essa vida.

-Vamos logo. - disse sorrindo entrando no carro. procurei o documento e estava no nome de uma empresa dos Estados unidos, então era alugado, ia facilitar as coisas na divisa. Coloquei o endereço no GPS e comecei a dirigir aquele carro maravilhoso, Bob estava no banco de trás com os braços para fora gritando algo que eu não conseguia entender, Riley estavam tirando um milhão de fotos. Logo chegamos ao lugar, era uma loja de artesanato, estacionei nos fundo e desci do carro indo até um homem que descarregava uma das caixas, disse quem era e o que queria e logo foi homens me acompanharam até o carro e colocaram três caixas de papelão no porta malas, entrei de volta no carro e disse olhando para meus amigos:

-Segunda etapa concluída.

Eles sorriram e Riley colocou uma música no rádio e voltei a dirigir em direção a divisa, chegando lá todo meu corpo parecia ter gelado, eu não sabia o que estava levando, tudo podia acontecer, quando foi minha vez de levar o carro até o guarda eu não conseguia pensar em mais nada.

-Boa noite senhoritas.-Ele disse- documento do carro e passaportes.

Eu entreguei nas minhas mãos tremiam.

-Viajem rápida, não?!

-Sim, viemos só fazer umas comprinhas.

Tentei dizer.

-Tudo bem, ecostem na pista três.

-é a pista expressa? 

Perguntei.

-Nao, vamos fazer uma revista rápida no carro das senhoritas. 

Pronto depois que ele disse isso eu pude sentir minha alma abandonar meu corpo, não conseguia respirar, eles irão revisar o carro e achar, drogas, armas, corpos dentro do porta malas.

-Nos vamos morrer.-Bob disse.

-No Canadá faz muito frio, eu não tenho tanta roupa para frio.-Riley disse.

-Na cadeia dão uniformes de inverno-Eu disse encostando o carro.

-Saiam por favor.-Um policial falou e nos saímos, ficamos um do lado do outro enquanto um policial trazia um cachorro e o outros abriam o porta malas, eu podia desmaiar ali mesmo, meu corpo estava sem forças nenhuma. O polícial começou a revistar fechou o porta malas, veio em minha direção com a mão na arma e disse:






Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...