História My Teacher ; Yoonkook. - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Min Yoongi (Suga)
Tags Yaoi, Yoonkook
Visualizações 127
Palavras 3.576
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção Adolescente, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Bom gente, como em TODAS as fanfics que eu escrevi eu não fiz hot, eu decidi fazer nessa logo no primeiro capítulo. Amo vocês.
Espero que gostem e me desculpem qualquer erro.

Capítulo 1 - Sex.


Se dar mau nas provas finais era uma escolha minha certo ? Isso mesmo, eu queria aquele professor então o teria, e até agora o plano está saindo tudo conforme eu o planejei, só espero que esse professor não dê pra' trás agora

            • Um mês antes •

- " TaeTae essa é a minha última investida nele, se não de certo, eu prometo que desisto de verdade. " – Sim eu realmente desistiria dele, afinal já to fazendo essas coisas a quase um ano, e com toda a certeza essa será a minha última investida nele.

— " Tem certeza disso Jeon ? Não quero ver você enchendo a cara em barzinhos vagabundo outra vez ". – um bufo foi ouvido.

– " não bufe pra mim, ainda sou seu Hyung! "

        Voltando ao presente.

              P.O.V Min Yoongi

Chego na frente da casa qual Jungkook - meu pior aluno - morava. Os país dele me contrataram para dar um jeito nas notas dele. E como um bom professor tenho que ensiná-lo o que sei e o que não sei.

Toco a campainha, Jungkook atende e eu sorrio, falso, mas sorrio.

- Olá Jeon

- Olá - Deu um pequeno sorriso forçado e me convidou para entrar na sua casa, me dando um espaço para passar na porta.

- Não precisa fingir que gosta de mim, ouço seus xingamentos quando eu apago o quadro na parte qual você estava copiando. - Adentro o recinto.

- Onde vamos estudar? - O garoto forma um biquinho fofo em seus lábios, até parece que é meigo.

- Iremos estudar no meu quarto, mas se preferir podemos ficar aqui na sala mesmo.

- Prefiro seu quarto, aqui na sala você pode se distrair. - Sorri fofo. Ou pelo menos tentei.

- Vamos?

- Tudo bem, então vamos. - acompanho o garoto até o seu quarto, qual era enorme.

- Então professor, o que vamos estudar hoje? - Perguntou, se sentando na cama, pegando seus livros e cadernos.

- História. - Disse simplista, olhando para frente, onde já havia uma lousa instalada na parede de seu quarto, cheia de rabiscos, acredito que feitos por ele.

- VOCÊ QUER ME TORTURAR? - Arregalou os olhos.

- Eu quero te ajudar. - Peguei o apagador, apagando todos os rabiscos feitos por Jeon ali.

Escuto seus resmungos ao pegar seu caderno e seu livro de história. Passei pequenos e fáceis exercícios na lousa e quando o olhei, como eu já esperava, o mesmo estava mexendo no celular.

- Jeon guarda o celular você tem que estudar agora.- Falo e ele ignora, eu realmente não sei como aguento esse garoto. Mas eu tô ganhando por isso então vou ter que ter a paciência que eu não tenho.

- Jeon Jungkook por favor, estude.

- Ah, e porque? Quem vai me obrigar? - Se levantou e veio andando devagar até mesa, a qual eu estava usando e fico a encarando antes de olhar a ele. Paciência Min Yoongi, paciência.

- As suas notas ruins na escola, quer que elas continuem assim? - Olhei no fundo dos seus olhos, vendo as mãos do garoto pararem na mesa.

- Sinceramente?

- Claro.

- Eu não me importo com elas. - Me olhou com tédio, em seguida fechando os olhos e logo os abrindo.- Meus pais se importam, eu não. Eles apenas querem que eu seja aquele típico garoto perfeitinho só pelo fato de eu ser rico, aquele garoto que usa roupas casuais e tudo isso, porém, eu não sou isso, e não vai ser minhas notas boas na escola ou pedaços de pano que vão me fazer ser. - Ele era meu pior aluno, mas, tinha vezes que eu adorava o jeito dele por ele realmente falar o que pensa sem medo da consequência, seja ela boa ou ruim. Era o típico garoto rebelde, que todos achavam incrível e ao mesmo tempo o odiavam.

- Desde quando criou maturidade? - Pergunto ainda com meus olhos no seus, e ele sussurra algo tão baixo que tenho certeza que quase nem ele mesmo se ouviu, mas preferi deixar quieto.- Vamos, copie.

- Eu realmente tenho que fazer isso? - Suspirou pesado, desviando o olhar por um momento, olhando para a mesa.

- Se você quiser e bem nas provas, tem sim.- Passei minhas mãos por meus fios azulados.

- Como eu disse, eu não me importo. - Deu um sorriso irônico e se sentou na ponta de sua cama, deixando suas pernas abertas mas colocando suas mãos entre elas.

- Por quê você é assim, Jeongguk? Porquê é tão rebelde? Por quê age de forma tão cruel com as pessoas? - Em todo esse tempo de escola, eu nunca tive um aluno como ele. Ele não faz NADA, sem contar o bullying que ele faz com alguns alunos na sala, mesmo que eles digam que levam na brincadeira, as vezes machuca. Eu era exatamente como o descrevi, mas eu tinha meus horríveis motivos. Agora ele?! Tsc, esse garoto nasceu em um berço de ouro, teve uma criação ótima, nunca teve problemas de saúde e ainda reclamava de sua vida.

- Me conheça melhor e você verá que não sou nada disso.- Riu soprado, se jogando na cama.

- Como? Sendo que de cada 10 palavras que saí da tua boca 11 são me xingando? - Disse em um tom de sarcasmo, ele só podia estar zoando com a minha cara.

- Você não me conhece mesmo.- Deu uma risada, e eu senti seu sarcasmo.

- Ah é? Então me diga, como vou te conhecer melhor sendo que você me odeia?

- Eu não te odeio.

- Mas também não gosta.

- Por que tem tanta certeza?

- Você demonstra isso.

- Talvez eu demonstre algo e você intérprete errado.- Jogou seu celular na cama e começou encarar o teto e a fazer desenhos imaginários no ar com os dedos.

- Por quê está fazendo isso invés de estudar?

- Por que eu quero.- Disse em um tom rouco, qual me causou arrepios. O que esse garoto quer de mim? Tirar a paciência que eu não tenho? Se sim, parabéns pra ele porquê ele tá conseguindo.

- O que você quer ser quando se tornar um adulto responsável? - Me ajeitei na cadeira em qual eu estava sentado, tentando me manter calmo.

- Eu não sei ainda. - Disse passando sua língua por seus lábios avermelhados e carnudos.

- E o que você quer agora? - Peguei uma das canetas que haviam na mesa, brincando com a mesma, a passando por meus dedos.

- Você me acharia louco ou estranho se te dissesse. - Fechou seus olhos, abaixando a cabeça, me dando a total visão de seu rosto.

- Por quê diz isso? - Parei a caneta na mesa novamente, fazendo um barulho um pouco alto, vendo o mais novo abrir os olhos.

- Por que eu sei. - Me encarou de cima a baixo. Tô com medo de ir me pesar agora, emagreci 5kg com a secada que ele me deu.

- Como pode saber?

- Eu te conheço.

- O quão bem você me conhece? - O encarei de volta. Ele apenas fingiu que não me ouviu e voltou a fazer desenhos imaginários.

- Okay, agora chega dessa birra né? Pegue seu material e copie o que eu passar. - Me levantei, pegando um canetão para começar com os próximos exercícios, apagando os que já haviam ali.

- Não. - Falou em um tom sério, voltando a me olhar nos olhos.

- O que você quer de mim, hein?! Garoto, não me testa!- Eu realmente perdi a paciência, eu não tô aqui pra ficar de enfeite.

- Calma... Tá estressadinho, bebê? - Riu alto e irônico, arqueando a sobrancelha.

- Jeon, eu simplesmente não tenho mais paciência pra te ajudar, não dá pra te ajudar se você mesmo não se ajuda.- Suspirei, olhando pra baixo, antes que eu descesse o socão naquele garoto.

- Eu já disse que não me importo não disse?

- Beleza, então eu vou embora. Quando você realmente quiser melhorar tuas merdas de notas, você me chama.- Peguei minhas coisas e ia saindo quando ouço ele me chamar.

- Professor! - Andou até a porta, segurando minha mão.

- Diga. - Olhei pra trás, suspirando pesado.

- Por que usa óculos? Você ficaria mais bonito com lentes. - Sorriu meigo. Nem parece que testa a minha paciência.

- Por que eu quero, tchau. - Eu realmente não estava com paciência pra ele depois dele tanto me responder. Saí de seu quarto. A casa dele é tão grande que eu consegui me perder dentro dela, são tantos corredores.

Fiquei andando por eles e que droga! Eu não achava a merda da saída. Me encostei na parede e fui descendo até me sentar no chão, fiquei ali reclamando por uns minutos. "Ah porque você não pede ajuda pra alguém?" Eu sou orgulhoso demais pra isso, sem contar que não aparece ninguém nesses corredores, que saco!

Ouvi passos se aproximando de mim e alguém se sentar do meu lado, prefiro não olhar pra quem estava ali.

- Tá perdido? - ouço a voz do Jeon e o olho, o mesmo estava sério.

- Não.- Desviei o olhar do garoto a minha frente, olhando para o lado.

- E o que tá fazendo aqui ainda? - Sentou-se ao meu lado, e eu sentia o olhar dele queimar em mim.

- Nada, só quis ficar aqui. Algum problema?- Revirei os olhos, ainda olhando pro lado. Eu não queria olhar pra cara dele hoje de novo, eu não tenho paciência e é capaz de eu descer um tapão na cara dele.

- Nenhum, só achei estranho... - Suspirou - Não quer ir embora?

- Por que se importa? - Encolhi meus joelhos, finalmente direcionando meu olhar a ele.

- Deve ser porque você tá na minha casa.- Deu um sorriso meigo mas logo o fechou.

- Ah sim.

- Não vai mais me dar aula?

- Você não colabora.

- Você que é impaciente.

- É pra rir?- Sorri fraco e ficamos nos encarando em silêncio, mas sabe aquele silêncio constrangedor? Pois é, era esse tipo de silêncio que estávamos naquele momento. Desviei o olhar, mas ele segurou meu rosto fazendo com que eu o olhasse novamente.

Eu nunca tinha sentido atração por um garoto antes, ainda mais que esse garoto fosse meu aluno. Sempre pensei que eu fosse assexual por eu não ter o mínimo de interesse em nenhum dos sexos, mas agora... Eu estava sentindo assim.

Ele ficou segurando meu rosto por um tempo e eu fiz a grande burrada de descer meus olhos em direção a sua boca, o que ele vai achar de mim?

- Lembra quando você me perguntou o que eu queria? - Agora foi ele quem desceu seus olhos aos meus lábios, e ficou os olhando fixamente, sem desviar por nem um segundo.

- Sim.- Disse em um tom baixo já que estávamos próximos - até demais - eu não precisaria falar em um tom de voz mais alto para que ele me escutasse.

- Ainda quer saber? - Seus olhos continuaram vidrados em meus lábios, era como se ele estivesse hipinotizado.

- Sim. - Falei quase em um sussurro, sentindo as mais do garoto puxarem meu rosto mais pra perto.

- É isso. - Quando ele falou eu não entendi, mas depois eu saquei. Ele chegou mais perto de mim, por eu já estar inclinado o suficiente.

- Você tá esperando o quê? - Ajeitei minha postura, mas ainda mantendo meu rosto próximo ao dele.

- Pra o que? - Deu um sorrisinho de canto, um pouco confuso.

- Pra me beijar.

- Eu não sabia que queria.- Deu um sorriso e finalmente selou meus lábios. Era estranho beijar depois de tanto tempo, ainda mais por ser com um garoto que me odiava e eu... Eu tinha um sentimento neutro por ele.

Seus lábios eram doces, tinham um leve gosto de morango, o que fazia com que eu sentisse vontade de nunca acabar com aquele beijo. Suas mãos pararam em minha cintura, me puxando para o seu colo, o que me causou arrepios. Coloquei minhas mãos em seus ombros, os apertando levemente, ouvindo um suspiro do garoto.

A cada segundo que passava, o beijo ficava mais quente. Suas mãos já estavam em minha bunda, a apertando vez ou outra, e as minhas em sua nuca, a arranhando com força.

O garoto se levantou, ainda comigo em seu colo e direcionou-se para o quarto. Assim que adentramos o cômodo, ele fechou e trancou a porta, me jogando na cama e subindo em cima de mim.

Desceu beijos por meu pescoço, deixando meu corpo cada vez mais quente. Levei minhas mãos até a barra de sua camiseta, a retirando e jogando por um lugar qualquer do quarto.

Aproximei meu rosto de seu pescoço, distribuindo chupões fortes em sua pele clara, vendo marcas vermelhas que logo ficariam roxas. Retirou minha camisa, me fazendo parar com os chupões por um momento, logo voltando assim que minha camisa estava totalmente retirada.

Afastou seu pescoço da minha boca, o que me fez soltar um resmungo em reprovação, e foi descendo beijos molhados por meu peitoral e abdômen, logo passando os beijos para chupões.

Senti sua mão em meu membro já ereto, o massageando por cima da calça. Abriu meu cinto, o retirando e fazendo o mesmo com a minha calça, a tirando juntamente com a minha boxer.

Quando me toquei, ambos já estávamos totalmente despidos. Jeon estava com meu membro em sua boca, engasgando vez ou outra, talvez fosse o primeiro boquete dele, mas sua boca trabalhava tão bem que eu tinha minhas dúvidas.

Ele subia e descia, sua língua rodeava minha glande e minhas mãos estavam em seus fios escuros, o puxando com força em forma de descontar o prazer qual aquele garoto estava me causando.

Ouvia os barulhos de sucção ecoar pelo quarto, o que me fazia querer mais e mais, gemendo baixo. Até que me desfiz na boca do garoto, que engoliu todo o líquido sem reclamar.

Assim que ele saiu de lá, sentou-se em meu colo. Me encarou e logo aproximou seus lábios dos meus, me beijando de forma intensa, e eu retribui do mesmo jeito enquanto descia minhas mãos até sua bunda, desferindo um tapa forte em sua nádega esquerda, ouvindo um gemido baixo do garoto.

Afastei nossos lábios e levei dois de meus dedos até sua boca, vendo que o garoto estava um pouco confuso.

- Chupa. - Falei em um tom autoritário e rouco, vendo o mais novo começar a chupar meus dedos, até que ficassem o suficientemente lubrificados. Retirei meus dedos de sua boca e os levei até o meio de suas nádegas, pressionando um contra sua entrada até que - com muito esforço - entrasse, ouvindo um gemido sôfrego do garoto. - Você é virgem?

- Sim... - Falou em um tom baixo e um pouco trêmulo, enquanto eu dobrava meu dedo lentamente. Sorri de canto, aproximando meus lábios de sua orelha, mordendo seu lóbulo.

Depois que vi que ele já havia se acostumado com um dedo, pressionei o outro contra sua entrada apertada, ele não fazia nada a não ser gemer baixo. É tudo novo pra ele, então tentei ser o mais cuidadoso possível.

Senti ele começar a rebolar contra meus dedos, o que me fez aumentar a velocidade dos movimentos, começando a mexer meus dedos com força dentro do garoto. E então, Jeon aproximou-se do meu ouvido, gemendo baixinho ali, o que me causou arrepios.

- Yoongi... Eu quero mais... - Sussurrou e me arrepiou de cima a baixo, enquanto descia chupões por minha clavícula e peitoral.

Tirei meus dedos dali, o ajeitando em cima de mim. Pincelei sua entrada rosada como a cabecinha do meu pau, segurando a cintura dele pra cima, e logo encaixando a minha glande na sua entrada, começando a abaixar o garoto com calma, até que meu membro estivesse penetrado por inteiro.

Me sentei ainda com ele em meu colo, colocando seus braços envolta do meu pescoço e entrelaçando as pernas em minha cintura. Inverti as posições, ficando por cima, acariciando seu rosto.

- Confia em mim? - Olhei no fundo de seus olhos, o vendo assentir. Mesmo sabendo que ele era mais novo e que era meu aluno, eu ainda queria que fosse especial por ser a primeira vez dele, porquê bem... A minha não foi uma das melhores.

Apoiei meus braços ao lado de seu rosto, o vendo abraçar meu corpo, começando a me movimentar lentamente. Eu mal me mexia, só desenterrava dali e enterrava meu membro de novo, com força.

- Yoongi. - Me chamou, e eu olhei pra ele no mesmo instante. - Mais rápido.

Sorri com o que o mesmo havia dito, segurando suas pernas, começando a ir rápido e forte, ouvindo seus gemidos altos e manhosos. Aumentava a intensidade dos movimentos conforme ele pedia por mais, desferindo tapas fortes nas suas nádegas branquinhas, deixando tudo mais excitante e gostoso.

Destribui beijos por seu pescoço, sentindo suas unhas cravarem em minhas costas, dando arranhões fortes ali, me fazendo gemer pela ardência. Segurei seu rosto, vendo seus lábios já inchados pelo tanto que ele estava mordendo para tentar conter seus gemidos, e suas bochechas ganharam um tom avermelhado assim que o olhei.

Selei seus lábios, em um beijo desajeitado mas não deixando de ser gostoso, seu corpo estava quente e o meu também, o calor dele era tão... Gostoso de se sentir. Eu nunca tinha sentido tanto prazer e vontade de ficar com alguém como eu estava agora.

O barulho da cama batendo contra a parede se tornava quase inaudível por conta dos gemidos de ambos. O gemido dele era tão alto e manhoso, me levava a loucura, quanto mais ele gemia meu nome, mais eu queria foder aquele menino até ele ficar sem andar durante um mês.

Ouvi um gemido extremamente alto sair do garoto ao atingir sua próstata, se contraindo contra meu membro, o que tornou tudo mais gostoso. Fui o mais forte que podia, o vendo arquear as costas e então, chegar ao seu limite, e em seguida cheguei ao meu.

Me retirei de dentro de Jeon, me deitando ao seu lado extremamente ofegante. O puxei para o meu peito, acariciando seus fios com calma, deixando um beijinho em sua testa.

- Gostou? - Perguntei ainda ofegante, vendo o mesmo olhar pra mim sorrindo.

- Eu amei. - Disse soltando um suspiro para tentar controlar a sua respiração, que estava tão rápida quanto a minha.

- Você é muito apertado, se seu cu tivesse uma lâmina cortava meu pau. - Ri alto, sentindo o garoto me dar um tapa.

- Idiota, foi a minha primeira vez. - Resmungou, cruzando os braços.

- Eu sei, desculpa. - Segurei seu rosto, selando seus lábios em um selinho demorado.

- Você vai dormir aqui? - Levou sua mão até meu rosto, acariciando minha bochecha.

- Não sei, seus pais vão estranhar. - Acariciei seus fios.

- Uh... Verdade... - Formou um biquinho triste em seus lábios. - Ainda acha que eu te odeio?

- Não, agora eu não faço a mínima ideia do que você sente por mim. - Ri fraquinho, me levantando da cama. - Bae, eu preciso tomar um banho pra ir embora. Onde tem uma toalha? - Perguntei vendo o menor me olhar com uma carinha extremamente fofa e triste ao mesmo tempo. - Não faz essa carinha, eu tenho que ir embora. Amanhã eu tenho que trabalhar cedo e você também tem escola.

- Aish... Tá, tem uma toalha lá no banheiro, é minha, pode usar. - Disse virando para o lado com os braços cruzados.

- Espero que todos tenham ouvido seus gemidos, agora eles sabem meu nome. - Vi suas bochechas mudarem de cor, ficando avermelhadas e então ele jogou um travesseiro em minha direção, o que me fez rir.

Me direcionei para o banheiro que havia em seu quarto, entrando no box e ligando o registro, sentindo a água quente relaxar meus músculos tensos. Meus pensamentos não paravam por um segundo, eu tinha transado com um garoto menor de idade, e que além disso, era meu aluno, eu não sabia como as coisas ficariam depois disso, e eu tinha medo, muito medo.

Após terminar tudo que eu tinha pra fazer, saí do chuveiro pegando uma toalha e me secando, colocando envolta da minha cintura. Sai do banheiro e encontrei o Jungkook dormindo feito um anjo, o que me fez sorrir brevemente.

Peguei minhas roupas quais estavam jogadas no chão, quais estavam - felizmente - limpas. As vesti e então, comecei a procurar um secador para o meu cabelo, lembrando que tinha um no banheiro. 

Voltei lá, pegando o secador e o ligando, começando a secar meu cabelo, torcendo para que o Jungkook não acordasse com o barulho do secador. Assim que meu cabelo já estava seco, desliguei o secador e o guardei aonde estava antes.

Saí do banheiro, indo até a mesa onde tinha deixado minhas coisas, pegando todas elas. Andei até o Jungkook, dando um selar leve em seus lábios para que não acordasse e então, sai do cômodo.

Assim que estava no corredor, suspirei e rezei para que eu acertasse o caminho dessa vez. Apenas segui minha intuição e consegui chegar até a sala de estar, vendo alguns criados ali e eles me olharam de forma estranha, com certeza ouviram eu e o Jungkook transar. Ignorei e sai porta a fora, entrando no carro e dando partida para minha casa.

"Eu nunca pensei que fosse sentir atração por alguém, mas com o Jungkook foi diferente. Na verdade, eu nunca senti atração por ele, mas hoje as coisas aconteceram de uma forma diferente, ele se permitiu e eu também. Não acredito que tirei a virgindade do meu aluno, eu vejo ele todo dia, de semana a semana, eu sinceramente não sei o que fazer depois disso... Só me resta esperar, eu não sei se ele vai querer esquecer, ou continuar."

Meu pensamento estava a milhão, desse jeito eu vou enlouquecer.


Notas Finais


E então, foi isso. O que achararam????
Gente, eu não sei escrever hot KJJKKKKKKKKKK perdão.
Comentem o que acharam e não esqueçam de favoritar!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...