História My Teacher ; Yoonkook. - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Min Yoongi (Suga)
Tags Yaoi, Yoonkook
Visualizações 65
Palavras 1.714
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção Adolescente, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Nada a declarar.
Perdoem a demora os postar os capítulos.

Capítulo 2 - I do not know


Já eram 00:47 quando cheguei em casa, meu pensamento não saia do que havia acontecido por nem um segundo. Eu estava exausto, deixei minhas coisas na sala e fui para o quarto, tirando minhas roupas, ficando apenas de cueca. Suspirei pesado e me joguei na cama, colocando meu celular pra carregar e então, acabei dormindo.

P.O.V Jeon Jungkook.

Acordei no meio da madrugada, olhando de baixo das cobertas, vendo que eu estava nu. Lembrei do que tinha acontecido, o que me fez sorrir abobado mesmo que eu estivesse sentindo dor na bunda e minhas pernas estivessem moles.

Abracei o travesseiro, o apertando contra mim com força, eu estava mais feliz do que nunca por ter conseguido ficar com o homem que eu tanto desejei por tanto tempo. Sorri bobo, pegando meu celular que estava no criado-mudo, desbloqueando e ligando pro Taehyung, pouco me importando se ele já estava dormindo.

"Alô?" Ouvi sua voz sonolenta e rouca, e confesso que me arrepiei, que vozeirão.

- Oi, é o Jeongguk. Você não sabe o que aconteceu. - Falei animado.

"Espero que seja algo bom, porquê você atrapalhou meu sono pra isso."

- É ótimo!

"Desembucha"

- Transamos. - Falei simples, ouvindo o Taehyung se engasgar do outro lado da linha, o que me fez rir.

"QUE?! ISSO É SÉRIO?!"

- Sim. Ele veio aqui em casa e rolou... Eu beijei ele e as coisas ficaram mais quentes.

"Quem foi passivo?"

- Ahn... - Eu estava com vergonha de falar que tinha sido eu, pois eu sempre disse ao meu saeng que que era ativo. - Tá, eu fui o passivo.

"Sabia, suas palavras de ser ativo não me enganam." Riu irônico do outro lado.

- Cala a boca. - Bufei.

"O pau dele é grande?" Eu não segurei e comecei a rir.

- Que tipo de pergunta é essa, Tae?!

"É ou não?"

- É grande até demais.

"Doeu?"

- Muito, mas depois eu me acostumei um pouco, foi bem gostoso.

"Safado."

- Eu não podia perder a oportunidade, você sabe... Ele já é gostoso com roupa, sem é melhor ainda.

"Vou dar pra ele também."

- Threesome?

"Vamos? Vocês dois de ativos e eu de passivinho. Visto até saia."

- KKKKKKKKKKKKKKK vai dormir vai. Eu vou indo, minhas pernas e minha bunda estão doendo, e amanhã temos aula cedo.

"Boa noite, moi"

- Boa noite, saeng.

Ri um pouco ao terminar a ligação. Taehyung era um dos meus melhores amigos, nos conhecemos desde pequenos e vivemos muitas coisas juntos. Eu sou filho único, mas considero ele um irmão pra mim.

Taehyung, diferente de mim, veio de uma família muito pobre e ele sofria muito bullying na escola justamente por isso. Os pais dele ralavam muito para manter ele na escola particular e boa, e ele nunca levava lanche pra escola porquê não tinha dinheiro para comprar, então eu sempre me sentava com ele e dividia minha comida com ele, ou eu levava dinheiro a mais pra comprar pra nós dois.

Meus pais sempre foram preconceituosos com o Taehyung por ser pobre, mas eu nunca me importei e trazia ele pra casa escondido pra ficarmos brincando. Meus pais descobriram e viram que eu realmente gostava da presença dele, então passaram a deixar ele ficar aqui e ajudaram bastante a família dele com dívidas na casa, na escola, com comidas e até deram roupas pra eles. Meu pai deu um emprego para o pai de Taehyung em uma empresa que ele fornecia, e minha mãe fazia costura com a mãe dele e ajudava a vender, disso eu não tenho o que reclamar dos meus pais, mas ultimamente eles mudaram tanto...

Eu e o Taehyung somos bissexuais, e a gente fica quando da vontade mas nunca passou de beijos pra outra coisa, não que eu não queira, rs.

Eu amo relembrar as coisas que eu já vivi com o Taehyung antes de dormir, me dá uma sensação tão... Boa. Eu gosto muito dele, ele me deixa bem quando eu acho que tô no fundo do poço.

Agarrei um travesseiro ao meu lado e fiquei abraçado nele como se realmente fosse uma pessoa, fechando os olhos e acabei por pegar no sono logo em seguida, eu estava exausto.

05:40

Acordei para ir pra escola, infelizmente e felizmente também. Eu estava me sentindo tão cansado, minhas pernas ainda doíam um pouco e minha bunda principalmente.

Me levantei, resmungando um pouco de dor mas conseguindo andar normalmente, pegando uma toalha e seguindo para o banheiro.

Tomei um banho rápido e quente, me vestindo lá mesmo para não arriscar tremer de frio por estar de manhã.

Saí do banheiro, sentindo o ar gelado bater em meu rosto e braços, partes onde estavam descobertas. Coloquei meu vans preto, e uma toca, ajeitei meus materiais e então, estava pronto pra escola.

Olhei a hora e já tinha dado a hora de eu sair, corri pelos corredores, descendo as escadas rapidamente e então abrindo a porta da sala, começando a andar até a casa do Taehyung que não era tão longe da minha.

Ao chegar lá, vi o garoto de fios loiros sentado na escadinha que havia em frente sua casa, mexendo em seu celular. Peguei em sua mão, já o puxando com a maior pressa do mundo, vendo ele se assustar e então me parar.

- Que pressa é essa? - me olhou confuso. 

- Vamos chegar atrasados. - Falei um pouco ofegante, parando a sua frente.

- Desde quando se importa? - Cruzou os braços, me olhando incrédulo.

- Não sei, vamos. - Puxei ele pelo braço, praticamente o arrastando mas logo ele parou novamente, me fazendo suspirar.

- Não vai nem me dar um beijo? - Formou um biquinho triste em seus lábios, o que me fez morrer de fofura e então, puxar ele até a parede de uma casa próxima ali. O encostei na parede e segurei seu rosto com minha destra, juntando nossos lábios em um beijo calmo e doce, sentindo suas mãos em meus fios, os acariciando.

Chupei seus lábios em forma de finalização ao beijo, dando mais alguns selinhos em seus lábios rosados, arrancando um sorriso do garoto.

- Agora sim. - Pegou em minha mão, e agora era ele quem tava me arrastando até a escola. Taehyung sempre me pedia um beijo de manhã, e eu também.

Não estranhem, somos apenas amigos. Ele perdeu o bv comigo e vice-versa, foi sem dúvidas o pior beijo da vida, mas a gente foi aperfeiçoando isso com o tempo, sabe. Eu, sinceramente, gosto de beijar ele mas antes que perguntem, eu não vejo e nunca vi ele como outra coisa, a gente só explora nossas vontades um no outro, não sei se vão me entender.

Ao chegar na escola, entramos na nossa sala, que por sorte, o professor não tinha entrado ainda. Nos sentamos no mesmo lugar de sempre, e ficamos ali, conversando até que o professor chegasse. 

                      10:37

As aulas estavam chatas, parecia que nunca iriam acabar, até chegar a última aula que era com o Yoongi. Eu me sinto feliz ou triste por isso?

Eu não conseguia o olhar sem corar, minhas bochechas sempre ficavam totalmente... Vermelhas. Olhar pra ele me fazia lembrar das coisas que tinham acontecido na noite passada.

Ele não parecia estar prestando muita atenção em mim, será que eu devo fazer o quê eu sempre faço pra chamar a atenção dele? Acho melhor não, ou talvez sim. 

Parei de copiar os exercícios quais ele estava passando, batendo com o lápis na mesa, o vendo me olhar, apenas ignorando e continuando com aquilo.

- Jeongguk. - Ouvi sua voz grossa e rouca chamar meu nome, fazendo com que até lugares que eu nem sabia que tinha pelos se arrepiarem.

- Uh? - O encarei, sentindo que todos da classe estavam me olhando, e apenas tentei ignorar isso.

- Para com esse barulho e comece a copiar. - Suspirou, virando novamente para a lousa, terminando de passar seus exercícios.

- Não. - Falei simplista, continuando a bater com o lápis na mesa. 

- Fora da sala. - Falou em um tom baixo mas ainda autoritário, me fazendo o olhar incrédulo.

- Mas professor. 

- Agora.

Bufei, saindo da sala com a cara fechada, me sentando no banco que tinha na frente da sala. Logo vi o professor sair da sala, se sentando ao meu lado, me fazendo cruzar os braços.

- Jeon.

- O que você quer agora, inferno? - Falei bravo. Eu estava chateado, não pensei que ele fosse me tirar da sala!

- Primeiro, abaixe o tom pra falar comigo. Não é porque estamos fora da sala que deixei de ser seu professor. - Falou calmo, suspirando de forma pesada. - Segundo, eu quero falar com você sobre ontem. 

- Diga. - eu estava com um certo medo do que ia acontecer depois disso.

- Você contou pra alguém sobre? 

- Não. - Obviamente eu iria mentir, agora que as coisas estavam dando certo, eu não poderia estragar tudo. 

- Ótimo, não comente pra ninguém. Não irá se repetir, vamos voltar a ser professor e aluno, nada a mais. - Disse se levantando e indo até a porta da sala, quando vi que ele iria abri-lá, resolvi falar.

- Está com medo? - Não conti um sorriso irônico em meus lábios, o vendo se virar pra mim com is braços cruzados, parecia surpreso com o que eu havia dito.

- De que? - Ele sabia bem do que eu estava falando, eu conheço esse professor muito bem.

- Da escola inteira descobrir que você tirou a virgindade do seu aluno do terceiro ano e a escola te demitir por isso. - Disse me levantando, ficando a sua frente.

- Não fale isso em voz alta pela escola, garoto! - Disse um pouco bravo, me fazendo rir.

- E o que eu ganho com isso?

- Meu corpo que tu tanto deseja. - Eu não sabia se ele tinha falado apenas pra ter uma resposta a altura ou pra me provocar, só sei que teve um impacto muito grande em mim.

- Uau. - Eu simplesmente não tinha mais o que falar. Vi ele se retirar do corredor, entrando na sala e em seguida eu fiz o mesmo.

Poucos minutos depois, ouvi o sinal tocar. Finalmente era a hora de ir embora.

Eu não sabia como me sentir depois daquilo, eu estava... Neutro. Não sabia se ele tinha falado sério. Não sabia se ele tinha feito pra me provocar. Não sabia como seria mais tarde quando ele fosse me dar aula particular. Eu simplesmente não sabia o que iria acontecer, e aquilo me agoniava ao extremo.


Notas Finais


Perdoem o capítulo merda KJKKKKKKKKM.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...