História My Teachers (Imagine Jungkook e Taehyung) - Capítulo 10


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Jeon Jungkook, Kim Taehyung, Você
Visualizações 671
Palavras 1.150
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Esporte, Famí­lia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Literatura Feminina, Romance e Novela, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


⚠️UM AVISO: NÃO SOU A FAVOR DE ASSÉDIO, ESTUPRO E ETC... NADA DESCRITO AQUI É REAL.⚠️

Capítulo 10 - Proposta


Fanfic / Fanfiction My Teachers (Imagine Jungkook e Taehyung) - Capítulo 10 - Proposta

Fui chamada para a sala do diretor no meio da aula de biologia. Foi um alívio sair daquela sala mas ao mesmo tempo estou confusa me perguntando do porque fui chamada na sala do diretor. Não fiz nada e o que era pra fazer eu fiz. 

Ultrapassei o corredor da minha sala , entrando no corredor dos armários. Meus pensamentos e frustrações estavam na noite passada. Não consigo parar de lembrar das palavras de Jungkook; "Você não conseguiu emprego coisa nenhuma". Minha mãe vai me matar se souber. Mesmo não querendo, tenho que achar outro emprego ou outra forma menos cansativa de ganhar dinheiro. Impossível. 

Meu Deus, como posso ser tão estúpida?

Parei em frente a porta da diretoria e vi a secretária do diretor Jon, ela estava no telefone atendendo uma ligação. Ela estava anotando algo no caderno em sua frente, um turbilhão de medo passou pela minha mente, só por imaginar que aqueles relatos poderiam ser meus. Não, estou sendo paranóica.

Ela levantou os olhos e me viu começando a fazer um movimento com a mão para que eu entrasse. Abri a porta, não vendo ninguém. Olhei para a secretária e franzi o cenho confusa. Se não tem ninguém, por que ela me deixou entrar? Dei de ombros, logo me sentando na cadeira a frente da mesa do diretor do colégio. Eu estava impaciente, meus dedos não paravam de batucar minha coxa exposta e meus pés não paravam de se contorcer.

Estou com medo. Ser chamada na diretoria não é algo bom. Nunca é.

A sala estava quieta e as janelas fechadas, o ar-condicionado estava na temperatura boa mas mesmo assim eu não conseguia parar de suar frio. Cheguem logo. Implorei mentalmente não aguentando mais aquela demora. A porta rígida fez um rangido agudo e meus ombros se encolheram. O diretor apareceu na porta , porém, ele não estava sozinho. Taehyung estava logo atrás dele. Os dois entraram sem dizer uma palavra. O diretor passou por onde eu estava sentada e andou até sua cadeira. 

— Como vai , Srta. Sullivan? — Perguntou o homem mais velho. Taehyung estava ao meu lado em pé. Agora tudo fazia sentido. Taehyung fofocou para o diretor sobre nossa discussão na quadra. Só podia ser isso.

— Bem, obrigada por perguntar. — Balbuciei confusa. — Desculpa, mas por que estou aqui? 

— Sua mãe nos informou sobre o trabalho de meio período no mercado. — Disse ele, cruzando as mãos em cima da mesa. Meus olhos estavam enormes, com a surpresa. — Ficamos sabendo que você não foi na entrevista de emprego.

Agora meus olhos pularam para fora. Deus me ajude. Como eles ficaram sabendo? Minha mãe não pode saber, não pode saber, não pode. 

— Eu posso explicar, eu tive os meus motivos para não comparecer. — Desesperada eu disparei.

— Ficaremos felizes em saber. — Murmurou. Taehyung ainda se mantém quinto e em silêncio. Não entendo o porquê dele está aqui, não precisamos dele nessa conversa.

Meneei minha cabeça, tirando essa ideia de questionar o diretor por ora. Não quero mais delongas. Suspirei pesado , me recompondo e disse:

— Minha mãe não me entende. Ela acha que o certo pra mim é ter um emprego, mas sinceramente eu discordo dela. Se eu trabalhar agora, sinto que vou desviar meu foco dos estudos. Não quero isso… 

— Olha, você é muito nova,tem apenas dezoito anos, não precisa se preocupar com coisas de adulto. Você está certa, sua mãe tem que entender que não está na hora. Você já está no último ano, não pode desviar seu caminho da faculdade...

— Onde o senhor está querendo chegar? — Murmurei baixinho. — E por que o professor de educação física está aqui? — Virei meu corpo, deixando meu braço apoiado na cadeira. Olhei para Taehyung e ele tinha um sorriso bonito em seu rosto angelical.

— Estou aqui para resolver o seu problema. — Pronunciou pela primeira vez desde que colocou os pés nessa sala.

— Como? — Questionei , virando-me para o homem mais velho dali.

— Professor Taehyung se ofereceu para ajudá-la. Sabemos que sua mãe pensa que a senhorita está trabalhando, o que não é verdade. — Levantou as sobrancelhas, me dando um olhar debochado. — Então, decidimos continuar com essa farsa, senhorita. Sei que não é certo mentir para a sua mãe, mas estamos querendo ajudar.

— Já entendi que estão querendo me ajudar, e eu agradeço. Mas como?

Quando o diretor ia tomar a palavra novamente, Taehyung o Interrompeu , começando:

— Posso conversar com a S/N a sós, diretor?!

O mais velho olhou com um olhar estranho para Taehyung mas logo assentiu, indo em direção a porta e saiu, me deixando sozinha com Taehyung. Levantei-me e virei-me de frente para o professor de educação física, em seus olhos eu pude ver a luxúria carregada. Em seus lábios, tinha-se um sorrisinho sapeca e maldoso. Ele estava me dando medo.

— Doce, S/N… — Começou, andando na sala. — Irei dar-lhe um salário por semana enquanto a farsa durar.

— O que tenho que dar em troca? 

— Nada. 

Isso soava como mentira. Algo assim não poderia ser de graça, e com quais intenções ambos estavam tendo propondo isso? Era tão surreal. Não confio neles. Primeiro Jungkook, agora Taehyung e o diretor? Credo, o diretor tem quarenta e dois anos, isso seria tão nojento.

— Está brincando comigo?! 

— Não. — Disse sério. 

— Por quê?

— Aish, não pode apenas aceitar sem questionar nada? — Arqueou a sobrancelha, ameaçando aproximar-se.

— Por que? — Questionei novamente. Taehyung revirou os olhos e apoiou suas mãos na mesa, deixando meu corpo preso contra o seu.

— Sabe, eu que propus isso tudo para o diretor. Não gosto de ver você em apuros. — Confessou. Parecia verdade, mas não acreditei. — Eu podia propor tudo isso a você em segredo, mas senti que você entenderia tudo errado.

Sua respiração estava tão próxima que podia senti-la batendo em meu rosto. Meu coração estava acelerado e não sabia o que fazer. Céus, preciso ficar longe desse homem. Levei meus olhos para cima , evitando o olhar quente de Taehyung. 

— Eu só preciso estudar? — Pensei sobre. — Sem te dar nada em troca?

— Isso, baby. — O toque da sua mão no meu rosto, fez meu corpo se estremecer todo. — Deixo você nervosa, S/N?

— N-não. Eu só estou pensando…

— Então olha pra mim. — Exigiu. Não consigo. — Olha pra mim, S/N. — Seu dedão Acariciou meu rosto, passando pelos meus lábios. Céus...

Desci meus olhos pelo seu rosto belo. Taehyung era um pecado de homem. Ele é tão quente e ao mesmo tempo tão idiota. Será o destino, me envolver só com caras idiotas? O primeiro que conheci foi Jungkook. Aquele ninguém supera. 

— Eu aceito, professor…

— Ótimo. — Sorriu, me soltando do seu toque. — Hoje na minha casa. Depois da escola, você começará...


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...