1. Spirit Fanfics >
  2. My Time (Imagine Jeon Jungkook) >
  3. Parte 37

História My Time (Imagine Jeon Jungkook) - Capítulo 37


Escrita por:


Notas do Autor


Escrevi ouvindo Sun & Moon do NCT 127 (segue o link) RECOMENDO

https://www.youtube.com/watch?v=fMeBQmBHMGc

Capítulo 37 - Parte 37


 

O AMAs havia sido um sucesso. Tanto para o army quanto para os meninos. Aquilo tinha animado eles, pois viram com os próprios olhos e sentiram na pele o quão longe tinham chegado. Eles também ficam em êxtase por terem visto suas celebridades favoritas. Hobi ficou uma semana falando sobre Post Malone e fazendo inveja para mim, já que eu não tinha ido até o local do evento.

Quando voltamos para a Coréia do Sul, dormi por quinze horas seguidas. Não estou brincando. Foi isso mesmo.

Eu inspirei e expirei o ar de Seoul umas vinte vezes quando cheguei - por mais que fosse poluído -, sem acreditar que finalmente eu estava em casa. E o que falar do estúdio? Ele estava silencioso e escuro, e parecia realmente o meu cantinho. O cheiro dele, o ar, tudo, era tão meu que eu não sabia como explicar essa sensação.

Finalmente eu estava em casa.




 

xxxXxxx






 

A festa de encerramento da tour estava agradável até agora. Todos os funcionários da Big Hit estavam lá, a maioria se divertindo - eu era a minoria - no enorme salão da Four Seasons. Alguns funcionários levaram membros da sua família, Como Deuk, Kwan e Hitman, que estavam acompanhados de suas esposas. Eu me sentia um pouco sozinha nesses eventos no começo, pois nunca tinha um acompanhante. Se eu procurasse eu até acharia, mas acho que seria mais maçante ainda, pois teria que ficar dando atenção. Com o passar do tempo eu me acostumei a ir sozinha, e ninguém parecia se importar. Na verdade acho que estranhariam se eu aparecesse acompanhada.

Os pais do Jin e a irmã do Hobi também estavam lá. O outros meninos não trouxe ninguém, porque no dia seguinte iriam para casa visitar a família, até voltar para os ensaios do MAMA.

Enquanto Hitman discursava no microfone, agradecendo o esforço de todos, principalmente dos meninos, eu só conseguia olhar para Jungkook. Ele estava extremamente lindo, usando uma camisa preta com as mangas dobradas, que combinavam perfeitamente com o seu tom de pele e seus olhos. Eu tentava em vão me concentrar no discurso, mas era impossível. Ele, pelo contrário, parecia nem me notar. 

Eu queria confrontá-lo e pedir para parar de falar sobre Mark por aí, pois isso podia acabar virando um problema enorme. Mas até agora não tinha surgido uma oportunidade.

Senti os olhos de PDogg em mim, me olhando de um jeito curioso e confuso. Ele com certeza tinha visto o jeito que eu estava olhando para Jungkook. Senti meu rosto queimar enquanto desviava o olhar, tentando disfarçar.

Os meninos estavam sentados juntos em uma das grandes mesas redondas, com os pais do Jin e a irmã do Hobi - que no momento tinha sumido-. Eu, PDogg, Sejin, Deuk, Kwan,  Hitman, e suas respectivas esposas, dividíamos outra mesa do outro lado do salão. 

A irmã de Hobi, Dawon, voltou à mesa e se sentou entre ele e Jungkook. Tentei parar de olhar e disfarçar minha cara de desgosto enquanto ela sorria para Kookie, mas definitivamente não estava funcionando. Eu sabia que ela tinha uma quedinha por ele e isso me irritava, mesmo ela sendo muito legal. Esse era o problema. Ela era bonita e legal. 

Eu queria que Jungkook fosse feliz, mas feliz com outra pessoa já era demais para mim. Ao vê-los um do lado do outro, era inegável  que eles combinavam, e a sensação que eu sentia era diferente de quando soube que ele tinha ficado com a staff na tour. Eu sabia que para ele não tinha significado nada, mas Dawon era alguém que ele podia facilmente se apaixonar de verdade. Ela era estilosa, divertida, e gentil com todos. 

-Algum problema com o maknae? - PD cochichou, dando risada - Ele vai cair da cadeira de tanto que você olha. 

-Tomara que caia - Dei de ombros 

-Qual é o problema de vocês? - Ele perguntou

- Nada muito sério. Ele foi mal educado com o meu ex namorado, só isso - Respondi séria. Não queria falar sobre o assunto, principalmente com PDogg. Eu não sabia como ele ia encarar a situação se soubesse sobre mim e Jungkook. Às vezes eu achava que ele já sabia e apenas fazia vista grossa.

- E isso não é bom? Tratar mal o ex? - Falou de um jeito óbvio - Se ex namorado fosse coisa boa, não era ex.

- Não - Forcei um sorriso - PD, eu não sou uma pessoa que gosta de provocar o ex ou chamar a atenção dele. Ele é uma boa pessoa, só quero que viva em paz

Ele não respondeu, apenas fez sinal com a cabeça para prestarmos atenção em Hitman.

O chefe acabou o seu discurso e o aplaudimos. Ele chamou os meninos no palco e os abraçou, emocionado. 

Hitman voltou para nossa mesa e sorrimos para ele, orgulhosos. Querendo ou não, ele era um ótimo CEO. Na minha visão, ele sempre fez o melhor com o que tinha, e que no começo era muito pouco.

Hobi disse algumas palavras e agradeceu tantas pessoas que eu nem sabia como ele tinha conseguido decorar tantos nomes. Assim que ele passou o microfone para Jungkook, senti um tremendo desconforto. Não ia aguentar ficar ali olhando para ele daquele jeito.

-Preciso ir ao banheiro - Disse, fazendo sinal à Hitman, que assentiu com a cabeça.

Peguei minha taça e fui até o terraço tomar um ar. 

Aquela tour tinha sido tão difícil, estressante e triste, que eu não conseguiria escutar Jungkook falando sobre ela, ainda mais se fosse me provocar. Não estava no clima. 

Eu estava sensível e havia alguns motivos para isso - além de Jungkook -, como o fim da turnê. Ver todo mundo reunido, com pessoas que amam ao redor, me emocionava e aquecia meu coração, por mais que eu mesma estivesse sozinha. Eu não precisava de companhia se todos em minha volta estivessem satisfeitos e felizes. Isso já bastava para mim. 

Acho que eu já estava acostumada a ser sozinha. Eu tinha crescido sem meu pai, e minha mãe se mudou para Singapura depois que me formei. Eu gostava de manter essa distância. Nossa relação nunca foi algo profundo, e estava tudo bem para mim. A vida era assim. 

Ouvi a porta do terraço abrindo e me virei para ver quem era. 

Era ele.

Foi impossível não sorrir ao vê-lo se aproximando lentamente com as mãos no bolso da calça, e seus cabelos esvoaçantes. Jungkook estava perfeito. Ele era perfeito. Nós não estávamos mais juntos, mas eu me sentia sortuda naquele momento apenas por poder olhar para ele.

Ele parou ao meu lado e apoiou um de seus braços no parapeito, encarando Seoul por alguns segundos. 

-Você perdeu o meu discurso - Ele me encarou com um olhar sereno. Fazia tempo que não via Jungkook  não sendo grosso comigo, ou me olhando com desprezo. Mas ainda havia um tom tendencioso em sua voz. 

- Suas provocações fora do microfone já são suficientes para mim - Falei com sinceridade, mas saiu de um jeito sarcástico. Deve ser meu mecanismo de auto-defesa.

-Eu não te provoco - Ele ergueu a sobrancelha e fez cara de cínico - Nem tudo é sobre você. 

Eu não tinha certeza sobre isso, mas Jungkook era imprevisível. Por fora eu fazia ele me superar, mas no fundo eu tinha medo que isso realmente acontecesse. Ficava consternada e irritada só de pensar na possibilidade.

- Aposto que a Dawon adorou ouvir o seu discurso - Falei em tom irônico

-Ah, não me diga que está com ciúmes - Ele sorriu de um jeito divertido 

- Não estou com ciúmes, ao contrário de você - Falei séria, me lembrando de Mark, e ele me olhou confuso - Você foi um imbecil com o Mark e ainda contou para o V sobre nós

- Aish, não fale dele - Ele virou os olhos e voltou a encarar a cidade, irritado - Você ainda gosta dele, por acaso? - Perguntou de um jeito ríspido, como se as palavras doessem ao sair de sua boca

-Não, eu não gosto dele - Afirmei sem hesitar - Acontece que por causa disso, Tae ficou sabendo. Você sabia que pode ferrar não só o Mark mas eu também, se essa história parar nas mãos da Dispatch? Eu posso até sair da Big Hit.

- É, talvez você deva - Ele disse sem me encarar. Fiquei em silêncio, esperando ele se arrepender da barbaridade que tinha dito. Será que Jungkook queria realmente isso? Pensando bem, sua vida seria muito mais fácil se eu me afastasse totalmente. Era compreensível.

Ele me encarou com os olhos arrependidos e deu um passo, se aproximando - Me desculpa.

-Não, tudo bem, eu entendo. Eu não sou uma pessoa fácil de suportar - Forcei um sorriso e desviei o olhar. Não queria que ele me visse fraquejando.

- Eu não suportaria não ter você por perto - Ele se aproximou mais, com os olhos brilhantes, parecendo que queria implorar por algo e ao mesmo tempo sofrendo por causa disso - Não me imagino andar nos corredores da Big Hit e não sentir seu cheiro doce de pêssego.

Eu não aguentava mais aquilo. Tudo em meu corpo implorava por Jungkook, pelo seu  pelo seu beijo, pelo seu toque, pelo seus braços, pelo seu cheiro. Aquela saudade doía em mim, mais do que nunca. Era horrível tê-lo tão perto de mim e não tocá-lo. 

Me aproximei, encarando seus olhos, enquanto eles suplicavam por alguma resposta, por algum alívio, por algo que fizesse aquela sensação de pesar passar.

Estávamos a poucos centímetros um do outro. Encostei meu rosto no de Jungkook, fechando meus olhos. Eu não podia fazer aquilo. Eu só queria que ele entendesse que era tão difícil para mim quanto para ele. 

Senti uma de suas mãos nos meus cabelos, me trazendo para mais perto dele. Inalei seu cheiro o máximo que pude e lutava contra aquela falta que só crescia em mim. Senti uma lágrima descer pelo meu rosto, tão silenciosa quanto nós dois. Será que ele sabia que eu também não suportaria ficar longe dele?

Ele afastou um pouco seu rosto do meu e antes que eu tivesse alguma reação, selou nossos lábios de forma urgente. Kookie apertava sua boca contra a minha de forma intensa, como se sua vida dependesse daquilo.

Eu não conseguia pensar em mais nada. Tudo ao meu redor parou e o tempo não fazia mais sentido, nada fazia. A única coisa que tinha algum sentido era aquele momento. Era eu e Jungkook. Eu só queria aproveitar cada segundo. Tê-lo era a melhor sensação do mundo, eu tinha sentido tanta falta do seu beijo que não conseguia descrever. Ele me causava sensações que eu nunca tinha sentido antes.

Sua língua invadiu minha boca gentilmente em busca da minha, e logo se encontraram, dançando juntas lentamente. Senti meu coração acelerar e enterrei minhas mãos nos seus cabelos, trazendo Kookie para mais perto. Eu não queria soltá-lo. Eu não queria que ele fosse embora.

Meu celular começou a tocar e ignorei nos primeiros toques. Não queria largar Jungkook, pois não sabia se o beijaria de novo algum dia.

Mas a pessoa insistiu, então ele nos afastou, tirando completamente suas mãos de mim e dando um passo para trás.

-Que saco - Falei comigo mesma, enquanto erguia a barra do vestido. Ele me olhou confuso por um momento, provavelmente achando que eu ia arrancar a roupa, até que puxei o celular do pequeno shorts que usava por baixo do vestido. 

Era Namjoon.

Atendi e esperei que ele falasse primeiro.

-Onde você está? - Perguntou com um barulho no fundo

-No terraço - Respondi sem vontade. Eu ainda estava me recuperando do beijo e não conseguia raciocinar muito bem.

Vi Jungkook caminhando até a porta do terraço e fiquei confusa. Ele ia me largar lá?

-Venha para o salão, vamos fazer uma homenagem. Rápido

- Ok, estou indo.

Desliguei o celular mas Jungkook já tinha ido. Tudo bem, alguém podia nos ver.

Droga. E se alguém tivesse nos visto?

Respirei fundo, com as mãos na cintura, tentando recuperar o fôlego. Aish, eu não devia ter beijado Jungkook.

 


Notas Finais


Sei nem como continuar isso...


Mentira, sei sim shuahsuas


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...