História My Two Lovers - Capítulo 60


Escrita por:

Postado
Categorias Neo Culture Technology (NCT)
Personagens Personagens Originais
Tags Chensung, Doil, Jaeyong, Johnten, Luwoo, Markhyuck, Nct, Nomin, Noren, Norenmin, Renmin, Winkun, Yusol
Visualizações 257
Palavras 1.188
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Famí­lia, Ficção Adolescente, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 60 - Capítulo XXX (Season 2)


O sinal tocou, anunciando o fim das aulas daquele dia, fazendo vários alunos suspirarem pelo fim de semana ter chegado.

Jeno, Donghyuck e Eunbin saíram da sala de aula e seguiram para o portão de saída.

- Você vai ver o Junnie hoje? - Donghyuck pergunta à Jeno, que assente.

- Sim. Quero saber o porquê de ele e o Yangyang terem faltado e ele não estar atendendo as minhas ligações. - Jeno respondeu.

- Será que um deles está doente? - Sugeriu Eunbin.

- Mas por que não atenderiam minhas ligações? - Jeno perguntou.

- Oi, gente! - Saudou Sanha enquanto saia do banheiro, pegava sua mochila com Eunbin e a abraçava. Ele havia saido para ir ao banheiro alguns minutos antes do sinal tocar.

- Você lavou suas mãos? - Eunbin perguntou com uma careta e Sanha pôs uma das mãos na cara da namorada. E Eunbin acabou por morde-lá.

- Filha da puta! - Xingou Sanha.

- Filha de quem? - Eunbin saiu correndo atrás de Sanha para bater nele, deixando Jeno e Donghyuck para trás.

Jeno e Donghyuck chegaram no portão de saída da escola e encontraram Mark, Yerim, Xiaojun e Hendery conversando.

- Mark.. - Donghyuck chamou baixinho quando chegou perto do Lee.

Mas Mark apenas o ignorou e foi para perto do carro de Hendery.

Donghyuck suspirou tristemente.

- Ele ainda está irritado. - Yerim disse o óbvio.

Mais cedo naquele dia, Donghyuck deu outro atraque de ciúmes, mas dessa vez chegou a puxar os cabelos da colega de classe de Mark. Nenhum professor soube da briga, mas Mark mesmo assim brigou com Donghyuck e ficou de mal consigo.

- Ele não pode me ignorar para sempre! - Donghyuck disse enquanto sentia lágrimas brotarem em seus olhos, e ele logo foi puxado por Jeno para um abraço, e o Lee mais novo correspondeu sem pensar duas vezes.

- A gente fala com ele. - Hendery disse, fazendo carinho no braço de Donghyuck.

- O-ok. - Disse Donghyuck e se afastou do abraço. - Obrigado.

Eles ouviram uma buzina, era Jungkook que vinha para buscar Yerim e Donghyuck.

- Vamos, Hyuck. - Chamou Yerim e pegou na mão do Lee, o levando até o carro.

Yerim abriu a porta do carna enquanto Donghyuck abria a porta traseira. E, antes de entrar, olhou para o outro lado da sua, vendo dois rapazes em cima de uma moto, a moto foi ligada e foi embora. Donghyuck entrou no carro e este também foi embora.

[...]

- Você conseguiu ligar para o Junnie? - Perguntou Donghyuck à Jeno. Eles estavam conversando por telefone.

- Sim. Assim que cheguei em casa Junnie me ligou. - Respondeu Jeno. - Ele disse que ficou doente e o Yangyang ficou para cuidar dele, e como ele estava com dor de cabeça ambos deixaram os celulares no mudo, por isso não viram minhas ligações.

- Ótima desculpa para quem tá traindo. - Comentou Donghyuck e riu quando Jeno o xingou.

- Não tem nada a ver! O Junnie não ta me traindo, vai tomar no cu! - Jeno disse.

- Ok, desculpa. -Pediu Donghyuck. - Você falou com Mark?

- Falei. - Jeno respondeu. - Ele disse que quer só um tempo, ok? Ele tá chateado contigo.

- Um tempo? - Donghyuck se desesperou. - N-não! Ele não pode terminar comigo! Estamos juntos à quatro anos, Jeno! Ele não pode terminar comigo por um motivo tão bobo!

- Eu acho que me expressei mal. - Jeno disse. - Ele não está terminando contigo, só quer hoje, e talvez amanhã, para deixar a raiva que ele tá sentindo de ti, passar. Entendeu, agora?

Donghyuck pode soltar o ar de seus pulmões e limpou as lágrimas de desespero e medo que ele tinha deixado cair.

- Ah, se for assim.. Ok. - Donghyuck disse. - Obrigado por ter falado com ele, agradeça ao Hendery também.

- Vou fazer isso. - Jeno disse. - Mas como assim, um motivo bobo? Você bateu em uma menina!

- Nem bati. Só arranquei uns megahair da perua. - Donghyuck respondeu e Jeno riu. - Talvez assim ela aprenda à não se meter com homem comprometido. Mas então, já se decidiu o que vai fazer no aniversário do Junnie? É daqui à três semanas, lembra?

- Eu lembro. - Respondeu Jeno.

- E, além de ser aniversário de dezoito dele, e aniversário de um ano de namoro! - Cantarolou Donghyuck e Jeno riu.

- Eu ainda não pensei em nada, pra falar a verdade. - Jeno respondeu.

- Puta que pariu, hein? Será que, além de ter juntado vocês dois, eu vou ter que preparar o presente que você vai dar ao Junnie? Por que EU não namoro ele? - Donghyuck reclamou e pode ouvir a campanhia tocar. - Vou ficar quietinho aqui, não quero atender, não.

Jeno riu.

- Você sempre prepara nossas festas, percebeu, Hyuck? - Jeno perguntou. - Deveria trabalhar com isso.

- Eu estou considerando está hipótese, viu? - A campanhia tocou novamente. - Porque eu sou realmente bom no que eu faço. Imagina eu, começando apenas organizando festinhas michurucas, até estar preparando festas para famosos?! Ia ser incrível!

- Você sonha alto demais. - Jeno disse e a campanhia tocou mais 4 vezes repetidas. - Vai atender, deve ser algo importante.

- Nada é importante além de eu estar deitado na minha cama quentinha. - Donghyuck respondeu e a campanhia tocou mais vezes ainda. - Essa pessoa não desiste, hein? Pessoa chata! Mas por que eu não posso sonhar alto? Eu tenho um grande talento, ok?

- Eu nunca disse que não podia. - Jeno se defendeu.

A campanhia, então, começou a tocar incesantemente. E isso irritou Donghyuck que se levantou e foi até a sala.

- Não tem pão velho e eu não quero ouvir a palavra de Jeová! - Donghyuck gritou e Jeno riu do outro lado da linha.

Mas a campanhia voltou a tocar sem parar.

- Eu tô chegando na casa do Junnie, Hyuck. - Avisou Jeno. - Falo contigo depois, ok?

- Ok. Eu vou me livrar desse encosto que não para de tocar a campanhia. - Donghyuck disse enquanto caminhava até a porta. - E vai pensando em algo que comprar ao Junnie, porque não é possível que só minha cabeça pense!

- Ok. - Respondeu Jeno, e, antes de desligar, disse: - Cuidado pra que não seja um assassino atrás da porta.

E desligou. Donghyuck parou no meio do movimento de tocar na maçaneta.

Ele pensou em dar meia volta, e ligar para a polícia, mas a pessoa era insistente, e não parava de tocar a campanhia. Se fosse mesmo um assassino, derrubaria a porta no soco antes mesmo de Donghyuck discar o número da polícia.

Donghyuck pegou um guarda-chuva que tinha ali perto e foi até a porta.

- Por favor, que seja um mengindo pedindo pão. - Pediu Donghyuck para Deus.

Ele ergueu o guarda-chuva acima da cabeça, e abriu a porta.

O guarda-chuva caiu de suas mãos no segundo seguinte.

Ali, parado à sua frente, Jaemin sorria grandemente.

- Que foi, Hyuck? - Jaemin perguntou rindo. - Parece que viu um fantasma.


Notas Finais


esse é o último capítulo da 2° temporada!
JAEMIN VOLTOOOOOOU
que a merda comece. :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...