História My Two Sides - Capítulo 33


Escrita por:

Postado
Categorias Camila Cabello, Fifth Harmony, Justin Bieber
Personagens Camila Cabello, Justin Bieber, Lauren Jauregui
Tags Bebidas, Bissexualidade, Camila, Camren, Criminal, Drama, Festas, Jauren, Justin, Laucy, Lauren, Romance, Suspense
Visualizações 69
Palavras 5.641
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, LGBT, Luta, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 33 - Capitulo trinta e três


Lauren Jauregui Point Of view

Fazia trinta minutos que a gritaria na sala ao lado havia parado e eu estava andando de um lado para o outro na minha sala, encarando as paredes e quase afundando o chão com meus saltos, pensando no que poderia ter acontecido pra de repente tudo ficar em silencio.

Os tec tec dos meus saltos batendo contra o piso estava me deixando ainda mais nervosa, mas eu não conseguia ficar parada só imaginando o que estava acontecendo entre Camila e Justin.

Havia duas possibilidades, a primeira, eles poderiam estar transando e a segunda, Justin poderia ter matado Camila e dado um sumiço no corpo. Não que desse pra Bieber se livrar de um corpo assim tão fácil num prédio de vinte andares, mas ele é o Justin né?

Mordi meus lábios sentando de volta na minha cadeira, encarei a tela do meu computador e respirei fundo tentando imaginar que tinha dado tudo certo e Camila estava bem.

Mesmo que imaginar os dois transando me deixasse tão nervosa era melhor do que imaginar que ele a matou ou fez algo ruim.

Peguei o telefone encima da mesa e disquei para a secretaria Baldwin, a qual eu não suportava a voz, mas se Justin tivesse saído da sala acompanhado ou não era ela quem me diria.

A loira afirmou que desde que Camila entrou na sala os dois estavam lá e ninguém havia saído. Isso me deu um alivio, pequeno, mas me deu. Pedi então que a senhorita Baldwin me trouxesse um calmante antes que eu roesse minhas unhas de nervoso.

Uma hora depois, o meu expediente havia acabado e mesmo que eu não conseguisse focar nos números, consegui terminar minhas obrigações.

Eu estava quase correndo em direção a sala de Justin, mesmo que minhas pernas estivessem tremendo que nem vara verde, mas eu não podia deixar tão evidente meu desespero.

Assim que girei a maçaneta da porta da Sala de Justin minha respiração travou tentando eliminar qualquer pensamento ruim. Meus olhos encararam meus saltos antes de entrar na sala e se deparar com a cena mais inusitada que já vi em toda minha vida.

Camila estava com os braços envolta do pescoço de Justin enquanto eles se beijavam. (vestidos é claro)

- oh, desculpa – dei um passo pra trás fechando a porta novamente e segurando um sorriso enquanto meu nariz ficava a centímetros de distância da porta.

Eles tinham se resolvido. Puta que pariu. Meu coração iria sair pela garganta.

- Lauren – camila abriu a porta com um sorriso largo no rosto e me puxou pela mão.

Justin estava ajeitando a gravata enquanto Camila fechava a porta me arrastando para dentro da sala.

- então, ham, você não a matou – sorri ao falar e Justin riu

- quase – respondeu ao terminar de apertar a gravata e enfiou as mãos no bolso da calça.

- ele não me mataria, lauren – camila se colocou a minha frente e encarou meus lábios – eu disse que o pior que poderia acontecer seria uma briga verbal!

- seu pescoço – apontei pra ela assim que vi as marcas vermelhas de dedos sobre sua pele e arregalei os olhos assustada – ele te machucou?

- a isso não é nada – ela riu passando a mão pelo pescoço – ele nunca fez com você?

- o que?

- oh céus, Lauren – Camila jogou a cabeça pra trás e riu

- Camila, pare com isso – Justin veio até nós duas e puxou a morena pelo braço

- então quer dizer que você nunca enforcou ela enquanto a fodia? – Camila virou o rosto na direção de Justin com um sorriso malicioso e meu queixo quase caiu no chão da sala.

- oh meu deus – cobri meu rosto com a mão quando entendi o que as marcas significavam – eu não ouvi nada, eu achei que tivessem se matado – olhei para os dois que mantinham um sorriso perverso nos lábios.

- pode se dizer que quase nos matamos – Camila se afastou de Justin e se aproximou de mim novamente – eu disse que não a nada que Camila Cabello não consiga – ela aproximou seus lábios do meu e me deu um selinho – ele é todo nosso.

- hey – justin protestou fazendo uma cara amarrada.

[...]

Estávamos na mansão, na sala de jantar, sentados à mesa enquanto Camila e Justin tentavam tornar o clima menos tenso possível. Havíamos chegado da empresa a mais ou menos meia hora, tomamos banho antes de nos reunirmos a mesa do jantar. Justin parecia ter cometido o pior crime, estava tenso e as vezes tentava rir das piadas sem graça de Camila. Mesmo após transarem, ainda havia uma sombra estranha nos olhos dele. Ele estava feliz, isso era obvio, mas tinha um sentimento de culpa em suas expressões. Diferente de camila que dava risadas das suas próprias piadas sem graça.

- quer mais vinho? – Justin perguntou apontando a garrafa na direção da minha taça. Eu apenas concordei deixando ele despejar o liquido avermelhado na minha taça. – o que houve? Está tudo bem?

- sim – encarei meu prato vazio após terminar de come-lo e sorri ao voltar olhar para o loiro a minha frente.

- você não está arrependida né? – perguntou novamente ao colocar a garrafa sobre a mesa.

- claro que não – protestei e levei a taça de vinho até boca – eu só não sei o que fazer agora – dei um gole no vinho enquanto Camila soltava uma risada abafada me deixando ainda mais nervosa.

- ela quer dizer que nunca fez sexo a três – a morena encarou Justin e o mesmo ficou surpreso.

- Você juntou nós três, pra chegar agora e dizer que nunca fez sexo a três? – eles se entreolharam antes de me olhar e eu quase engasguei com o vinho – eu estou ficando ainda mais perdido.

- isso tudo nunca foi sobre sexo, nem fetiche, nem ménage. Não é sobre isso. É sobre querer vocês dois ao mesmo tempo sem ter que ficar me dividindo ou escolhendo com quem vou ficar.

- então fez isso tudo pra não ter que escolher? – o loiro franziu a testa e me olhou firme.

- claro que não – rolei os olhos antes de continuar – porque eu sabia que vocês queriam ficar juntos e como não podiam, tentavam me disputar. Eu não queria e não quero ficar no meio de vocês dois. Eu quero ficar ao lado de vocês... E eu sei que vocês nunca pensaram que eu iria chegar a essa conclusão, mas devo admitir que muita coisa mudou desde que cheguei nessa casa. E eu estou feliz por isso.

Um silencio se formou entre a gente e foi como se estivéssemos com medo, mas ao mesmo tempo ansiosos para o que viria depois.

– MERCEDES – Justin gritou e como um flash a empregada apareceu na sala de jantar – retire a mesa, dispense James e pode ir para a casa. Se eu precisar ligarei pra você – a senhora acenou com a cabeça e o loiro levantou da cadeira pegando a taça e a garrafa de vinho – senhoritas me acompanhem.

Nós deixamos a sala de jantar e fomos para um quarto vazio, que não era de nenhum de nós três e tinha uma cama kingsize igual ao quarto de Justin. Eu podia sentir o jantar chacoalhar em meu estomago de tanto nervoso e os dois nem se quer notavam, estavam dispersos demais e talvez um pouco alcoolizados pelo vinho.

Era obvio que eles não ficariam nervosos com isso, não era a primeira vez deles num ménage.

Camila fechou a porta assim que entramos no quarto enquanto Justin e eu parávamos no meio do cômodo de frente um pro outro.

- tome, talvez você precise de mais vinho – o loiro falou e eu estiquei minha taça vazia na sua direção – não, assim não – ele agarrou meu pulso me puxando para perto de si, depois colocou a garrafa próximo a minha boca e me fez tomar o vinho na boca da garrafa.

Meus olhos ficaram fixos nos dele enquanto o liquido descia pela minha garganta. Eu podia sentir meu sangue esquentar só de ter seus olhos sobre mim. O loiro sorriu abaixando a garrafa e assim que eu terminei de engolir o vinho ele me puxou para um beijo.

O gosto de vinho estava tão forte na língua dele quanto na minha e sua mão estava tão quente sobre a pele do meu pescoço que me fez arrepiar. Quando nossas bocas se separaram e eu abri meus olhos para ver seu rosto, enxerguei a mão de Camila sobre o ombro de Justin e ela ao nosso lado assistindo ao nosso beijo.

- Nunca pensei que ficaria feliz com essa cena – Camila falou colocando sua mão em minha cintura e aproximando mais nossos corpos.

Justin pegou a taça da minha mão e se afastou colocando a garrafa e a taça sobre o criado mudo. Depois ele se virou de frente para nós duas e sorriu enquanto caminhava em nossa direção. Meu coração estava tão acelerado e minha respiração tão falha que fazia meu corpo todo tremer.

Ficamos nós três de frente um pro outro, como num triangulo, as mãos de Justin agarram a minha cintura e a cintura de Camila, fazendo nossos ombros se juntarem. Ele olhou para minha boca e em seguida para a boca dela, depois umedeceu os lábios com a própria língua e beijou Camila.

Ela suspirou com o contato físico de suas bocas, soltando um grunhido baixo enquanto o estalo do beijo ecoava pelo quarto. Eu não sabia o que fazer, não sabia onde colocava as minhas mãos ou qual iniciativa tomava. Eu só sentia os dedos de Justin apertar minha cintura enquanto as línguas deles se entrelaçavam a centímetros de distância do meu nariz.

No segundo depois o barulho das bocas deles se separando arrepiou meu corpo me deixando estática, sem conseguir respirar direito, e antes que eu piscasse os dois viraram seus rostos para mim, como se fossem me devorar só com o olhar, e minhas bochechas esquentaram imediatamente.

A mão de Justin foi parar no meu pescoço, ele puxou meu rosto para perto do seu e fez o mesmo com Camila. Eu pude sentir as duas respirações quentes batendo contra meu rosto e o calor de seus corpos se misturarem com os meus.

Eu não estava tão nervosa quanto ao beijo triplo, porque já havia feito isso antes, mas a sensação de ter os dois ali me deixava de pernas bambas.

Eu fechei os olhos ao notar que eles me beijariam e quando dei por mim estava sentindo duas bocas se juntarem a minha. Meu corpo quase recuou se sentindo surpreso, mas a sensação de querer os dois foi crescendo dentro de mim junto com a felicidade de finalmente ter eles juntos. As duas línguas entraram na minha boca, lentas e calmas com gosto de vinho. E mesmo que pareça louco eu conseguia saber qual era a língua de Justin e qual era a língua de Camila, mas naquela altura isso pouco importava.

O beijo triplo foi calmo, sem muito exagero, mas foi bem quente. Meu corpo entrou em chamas só de sentir ambas as línguas roçarem na minha. Sem contar com as mãos que deslizavam sobre meu corpo me deixando ainda mais excitada. Quando nos separamos nossas respirações estavam falhas e nossas bocas entreabertas, sentindo nossos corpos ofegantes e quentes. Mas não queríamos dar pausa ou pensar em acalmar os ânimos, muito pelo contrário, queríamos começar logo a “festa”.

Camila, como sempre a mais ativa da situação, deslizou as mãos pela barriga de Justin alcançando a barra da camisa, logo se livrando da peça de roupa e a jogando no chão. Com o peitoral completamente despido, com todas as tatuagens e musculo, Justin buscou a minha boca. Depois as mãos dele deslizaram pela minha cintura, buscando a barra da blusa e a puxando para cima, assim como Camila havia feito com a peça de roupa dele. A peça passou pela minha cabeça, assim que paramos o beijo, antes de ser jogada no chão e meus seios ficaram cobertos apenas pelo sutiã. Logo em seguida foi a vez de Camila receber atenção, nós dois tiramos a blusa dela revelando seus seios cobertos pelo sutiã de renda.

Justin aproximou o rosto na curvatura do pescoço de Camila e começou a beijar o local no mesmo instante que minha mão apertava a bunda dela, louca pra tirar a peça de jeans. A morena gemeu em aprovação antes de alcançar o botão da bermuda de Justin e abrir o feche. Ele deslizou a mão pela bunda dela ainda mantendo sua boca sobre o pescoço dela.

Eu automaticamente mordia meus lábios sentindo as mais estranhas sensações só em assistir a cena. Era como se eu pudesse sentir o que os dois estavam sentindo e se eu tivesse um pênis ele provavelmente estava duro que nem pedra.

Camila afastou Justin de seu pescoço, virando de costas para ele e roçando a bunda na sua região intima. O rosto dela ficou na minha direção e sua boca estava tão próxima da minha. Antes d’eu conseguir raciocinar qualquer coisa as mãos de Camila agarraram minha cintura juntando nossos corpos antes de iniciar um beijo.

Com os olhos fechados eu não podia ver o que Justin estava fazendo, mas conseguia imaginar ele rebolando atrás dela, somente pelos gemidos que ela soltava entre o nosso beijo. Quando paramos para buscar folego ela ainda se mantinha de olhos fechados e com os lábios entre abertos, meus olhos correram para baixo notando uma mão de Justin em seu seio e a outra na parte de trás da sua coxa.

Ela estava tão entregue na mão dele, tão submissa aos seus toques que parecia outra Camila, completamente diferente daquela que sempre quer dominar a cena na hora do sexo. Mas eu conseguia entender, Justin tinha esse efeito sobre mim também, era como se seus toques deixasse qualquer uma desesperada por mais.

Justin beijou o ombro de Camila enquanto me olhava por baixo dos cílios, ele sorriu malicioso a notar que minha mão estava deslizando para dentro da minha calça jeans automaticamente. Eu desabotoei a peça antes de me livrar dela por completo e jogar em algum canto do quarto.

Camila sorriu assim que abriu os olhos e me viu somente de calcinha e sutiã, ela se afastou do loiro e veio até mim, me puxando pela cintura e colocando a boca contra meu pescoço.

Ela chupou minha pele, me dando uma dorzinha que me fez gemer, passou a língua me fazendo prender a respiração e logo mordeu. Minhas mãos foram parar em seus cabelos dando puxões com forme ela repetia a sequência de lambidas e mordidas. Meus olhos se fecharam automaticamente pelos inúmeros arrepios que sua boca me causava.

As mãos dela deslizaram pelo meu corpo, apertando meu seio hora ou outra no mesmo instante que ela roçava os dentes contra meu pescoço. Já sabia que aquilo ali seria uma marca roxa e avermelhada sobre minha pele durante alguns dias.

Quando eu abri os olhos Justin estava se masturbando com as mãos dentro da bermuda. Ele mordia os próprios lábios e as vezes também lambia. Seus olhos estavam tão fixos em nos duas que ele mal piscava. Assim que Camila terminou de marcar meu pescoço eu fui até ele e tomei seus lábios para mim.

Sua mão que antes estava em seu pênis agora estava em minha bunda e não demorou muito para subir até meu sutiã e deixar meus seios descobertos.

O loiro desceu os beijos para minha mandíbula, depois meu pescoço e foi até meus seios. Antes que eu gemesse com a sensação senti o corpo quente de Camila em minhas costas. As mãos dela se juntaram com a do Justin, logo seus dedos fizeram um caminho para abaixo dos meus seios, deslizaram pela minha barriga antes de entrarem na minha calcinha. Foi impossível segurar o gemido.

Justin segurou meu rosto com uma das mãos e virou minha cabeça para o lado, deixando o outro lado do meu pescoço, onde Camila não havia marcado, exposto. O loiro sorriu antes de roçar os dentes contra minha orelha e descer a boca para meu pescoço, onde ele iniciou o mesmo processo que Camila havia feito de lambidas e mordidas.

Com os dedos dela me masturbando e com os lábios dele em meu pescoço, eu mal conseguia me manter de pé.

- vamos, lauren – Camila falou com a voz arrastada enquanto seu queixo se apoiava no meu ombro – eu sei que você está se segurando.

- merda – xinguei quando os dedos dela pressionou meu clitóris.

- não precisa se segurar – ela beijou meu ombro antes de voltar a fazer movimentos giratórios sobre meu clitóris.

- vamos, baby – justin sussurrou contra meu ouvido.

- oka-okay – gaguejei quando um arrepio correu minha espinha.

Camila juntou mais seu corpo ao meu e seus dedos continuaram com os movimentos. Minhas pernas quase não aguentavam o peso do meu corpo. Justin chupava meu pescoço enquanto acariciava meus seios e Camila me masturbava. A sensação era tão boa que eu estava quase explodindo.

Minha cabeça tombou pra trás antes de um gemido arrastado arranhar minha garganta sentindo o expasmo invadir meu corpo. Eu quase caí no chão se não fosse por meus braços envolta de Justin.

Camila deu um tapa estralado em minha bunda me fazendo voltar a sanidade. Recuperei a postura, me mantendo de pé e com a cabeça erguida novamente. Abri meus olhos sentindo o ar faltar em meu peito e vi Justin sorrindo vitorioso fazendo minhas bochechas arderem.

- você está tão duro – Camila comentou olhando fixamente para as partes intimas de Justin, ela pegou minha mão e guiou até o membro dele. O loiro gemeu com o contato físico e fechou os olhos.

Ele estava tão lindo que foi irresistível não o beijar. Justin retribuiu o beijo enquanto minha mão acariciava seu membro por cima da cueca. Ele mordeu meu lábio assim que meus dedos apertaram a glande do seu pênis.

Ao me afastar do beijo tratei de me livrar daquela bermuda deixando ele apenas de cueca. A visão realmente me deixava a flor da pele. Era como se só em olhar seu corpo minha região intima entrasse em chamas.

Camila saiu de trás de mim e se livrou de sua calça jogando ela longe. Logo em seguida meus dedos voltaram a masturbar justin, deixando o loiro cheio de tesão e com os olhos fechados aproveitando a sensação.

Dei um selinho nele antes de descer os beijos para seu peitoral e fazer uma trilha até o cos da sua cueca. Me coloquei de joelhos e tirei seu pênis pra fora da cueca colocando ele na altura da minha boca. O loiro abriu a boca para gemer, mas foi impedido pelos lábios de Camila que logo trataram de iniciar um beijo.

Coloquei a cabeça do seu pênis dentro da minha boca, passando a língua sobre a glande, e vi por debaixo dos cílios a barriga de justin se contrair. No mesmo momento ele afastou a boca de camila e apertou a bunda dela com tanta força que ela gemeu de dor.

- merda lauren – ele arrastou a voz agarrando meus cabelos e me incentivando a continuar os movimentos.

Segurei seu pênis pela base antes de suga-lo com força, sentindo seu gosto na minha língua e sua glande ficando ainda mais sensível as minhas lambidas. O loiro puxava meus cabelos toda vez que minha língua passava envolta da cabeça de seu pênis. Eu fazia isso de proposito, já que foi ele mesmo que me ensinou a fazer um boquete digno.

Eu até tentava enfiar tudo na minha boca, mas ele era muito grosso, fazia meu maxilar travar. Quando seu pênis tentava entrar na minha garganta eu me engasgava e deixava tudo mais babado. Ele gostava e incentivava a tentar ir mais fundo. Porém, eu não conseguia fazer isso sem quase vomitar.

- você consegue lauren – camila incentivou passando a mão no topo dos meus cabelos – prende a respiração e tenta não pensar muito.

Respirei fundo passando o dedo polegar na cabeça vermelha do pau dele, que estava quase inchada, enquanto tentava me recuperar.

- isso é tortura – justin murmurou e Camila botou o dedo sobre os lábios dele.

- shiii – pediu e voltou a colocar a mão na minha cabeça – vamos.

Com calma eu enfiei o pau dele na minha boca e fechei os olhos sentindo sua glande tocar a entrada da minha garganta. Justin gemeu e seus dedos foram empurrando minha cabeça devagar, até que finalmente ele entrou todo na minha boca e meu nariz tocou os pelos ralos da sua região intima.

Justin soltou um gemido alto quando tirei seu pênis da minha garganta e voltei a tê-lo somente em minha boca para conseguir respirar novamente pelo nariz. Depois voltei a fazer o mesmo processo até que ele puxou meus cabelos me fazendo parar.

- chega – justin me puxou para cima me fazendo ficar em pé novamente e minha mão agarrou seu pulso tentando faze-lo soltar meus cabelos.

- não – Camila ordenou e ajoelhou diante dele enfiando seu pênis na boca de uma vez.

- porra – justin xingou e meus olhos correram para assistir a cena.

Camila fazia movimentos rápidos, sugando Justin com força e enfiando o pênis dele na sua garganta várias vezes. O barulho de estalos que suas sugadas faziam ecoaram pelo quarto enquanto Justin jogava a cabeça pra trás. Ele estava ficando com as bochechas vermelhas e suas pernas fracas. Justin começou a foder a boca de Camila fazendo ela se engasgar e aquilo me assustou, mas eu não sabia se devia faze-lo parar ou deixava.

Eu nem tive tempo de tomar uma atitude porque Justin gozou curvando o corpo pra frente e segurando a cabeça de Camila contra seu pênis. Após alguns segundos de espasmos ele voltou a ficar ereto e ela tirou o pênis dele da boca ficando de pé. Ela me olhou sorrindo e limpando os cantos da boca com os dedos.

- até que seu gosto não é ruim – Camila falou encarando Justin enquanto lambia os lábios provocativa. O loiro agarrou ela com brutalidade, fazendo seus corpos se chocarem e puxou a cabeça dela pra trás pelos cabelos da nuca.

- você me paga, filha da puta – justin quase cuspiu contra o rosto dela, mas não era porque ele estava com raiva, ele só queria manter a autoridade.

- pelo visto eu sozinha sou capaz de fazer vocês dois gozarem – ela se soltou das mãos de justin e mantinha o sorriso perverso nos lábios.

Agarrei ela pelo braço e puxei seu corpo pra mim. Beijei ela com força sentindo o gosto de justin em sua boca e puxei ela pra cima fazendo suas pernas entrelaçarem na minha cintura. Minha mão espalmou suas nadegas e minhas unhas cravaram sobre sua pele fazendo ela gemer.

- porra Lauren – falou ao afastar do beijo e eu caminhei até a cama jogando ela encima do colchão.

Subi sobre seu corpo, arrastei a ponta do meu nariz por sua barriga descendo até sua calcinha e puxei a peça me livrando dela que estava encharcada. Camila sorriu quando sentiu minha respiração bater contra sua vagina, ela acariciou meus cabelos e eu iniciei o oral fazendo ela gemer.

Ela estava tão sensível aos meus toques que não demoraria muito para gozar.

Passei minha língua por toda sua vagina sentindo seu gosto misturar com o gosto de vinho que eu tinha em minha boca. A morena gemia arrastado e arqueava as costas do colchão hora ou outra quando os espasmos ficavam mais forte.

- eu-eu vou – camila gemeu com a voz falha e as mãos de Justin me puxaram pelo ombro.

- eu termino – ele me olhou antes de se colocar entre as pernas dela.

Eu subi na cama me posicionando ao lado do torso de Camila, coloquei minha mão sobre sua barriga e meu rosto na curvatura do seu pescoço. Beijei a região enquanto meus dedos acariciavam seu mamilo. A morena arqueou as costas mais uma vez ao gemer e mordeu os lábios quando sentiu que estava chegando perto.

Justin agarrou as coxas dela e olhou por baixo dos cílios pra ter certeza que veria Camila gozando. A morena se curvou pra frente, contraindo os músculos da barriga e segurando a cabeça de Justin. Ela gemeu fazendo as veias de seu pescoço saltarem sobre a pele e depois caiu exausta sentindo o orgasmo incendiar seu corpo.

Ela buscou pelos meus lábios me dando um selinho rápido e logo Justin deslizou as mãos pela minha perna tirando minha calcinha. O loiro beijou minhas coxas antes de ficar completamente encima de mim sustentando seu corpo com os braços para seu peso não me esmagar.

Camila continuava a se recompor do meu lado, com o barulho da sua respiração quebrando o silencio do quarto e com as mãos sobre a barriga.

- era pra eu ter feito ela gozar – fiz bico encarando os olhos castanhos de Justin – não você.

- você já fez ela gozar com oral outras vezes – ele me deu um selinho após responder – era a minha vez.

Minhas mãos deslizaram pelas costas dele enquanto nossos olhos se encontravam. O loiro beijou meu pescoço e mordeu minha orelha antes de levantar. Ele foi até o criado-mudo, abriu a gaveta e tirou um pacote de camisinhas. Camila se jogou sobre mim tampando minha visão e sentando sobre minha região intima. Ela jogou os cabelos de lado antes de aproximar a boca da minha. Nos beijamos e minhas mãos deslizaram pelas coxas dela. Justin se jogou do nosso lado, de peitoral pra cima e com uma camisinha em mãos. Enquanto ele abria o pacotinho Camila me beijava com desejo, nos fazendo incendiar novamente, ainda rebolando sobre mim. Justin gemeu do nosso lado e quando virei meu rosto para olha-lo, o mesmo estava colocando a camisinha.

- é impossível não ficar excitado com vocês desse jeito – ele comentou fazendo nós duas rir. Minha mão alcançou a vagina de Camila e como estava lubrificada o suficiente eu só adentrei meus dedos, fazendo então ela gemer.

Iniciei movimentos lentos e fui acelerando os poucos. Ela sentou sobre meus dedos, colocando as mãos em meus seios e rebolando com forme eu a tocava. Justin ao nosso lado ficava duro novamente e com os lábios inchados de tanto que ele os mordia.

- merda – Camila xingou quando meus dedos saíram de dentro dela brutalmente. – por que parou?

- você vai terminar encima dele – olhei pro loiro que sorriu satisfeito.

Camila saiu do meu colo e foi pro dele. Ela segurou o pênis pela base e colocou dentro dela soltando um gemido agudo e longo. Justin fechou os olhos e abriu a boca sentindo seu pênis dentro dela. Assim então se iniciou os movimentos. Ela rebolava sobre ele e quando cansava Justin fazia a parte dele. O barulho de seus corpos se chocando me deixava ainda mais excitada e pra não ficar só na vontade comecei a me masturbar, mas logo depois Camila puxou minha mão.

- senta sobre ele – ela pediu com a voz arrastada – senta nele!

Eu fiquei de joelhos na cama e sentei sobre o peitoral de Justin ficando de frente pra ela.

- esta na sua vez de receber um oral – Camila falou antes de me dar um beijo rápido.

Justin segurou minhas coxas enquanto eu posicionava minha bunda sobre seu rosto. Minha vagina ficou próximo a sua boca e então eu sentei sobre seus lábios sentindo sua língua me invadir.

Soltei um gemido quando ele começou a passar a língua pela minha vagina. Camila começou a cavalgar sobre Justin quando viu que ele estava concentrado em mim. Então nós duas começamos a gemer juntas e só parávamos quando nos beijávamos vez ou outra.

Minutos depois eu saí de cima dele sem antes gozar e me joguei sobre a cama. Camila estava com gostas de suor sobre seu rosto, suas bochechas estavam vermelhas assim como as de Justin. Os dois estavam ficando cansados. Foder exigia muita energia. Então ela também saiu de cima dele, com as respirações ofegantes e com suor por todo corpo eles pararam um pouco pra recuperar o folego.

Justin se levantou da cama, buscando ar pelo nariz e soltando pela boca, ele se livrou da camisinha em seu pênis, jogando a no chão, para logo em seguida pegar um novo saquinho e encapar seu membro.

Tirei meus dedos do meu clitóris, pois estava me masturbando enquanto eles fodiam, e me virei de bruços sobre a cama puxando as pernas de Camila. Arrastei seu corpo sobre o colchão, deixando sua vagina perto de mim, deslizei minha mão pelas suas coxas antes de colocar meus dedos dentro dela, a pegando de surpresa. A morena gemeu erguendo a cabeça pra me olhar e sorriu ao notar que quem a tocava era eu.

Justin logo segurou minhas pernas me indicando a ficar de quatro, ele segurou o membro pela base antes de colocar em mim. Então as fortes intocadas começaram e eu não sabia ao certo se gemia ou se me concentrava em tocar Camila.

Nossos gemidos ecoaram pelo quatro, junto com o barulho do corpo de Justin batendo atrás de minha bunda e o prazer tomava conta de todo ar.

Camila foi a primeira a chegar no ápice, meu braço já estava ficando dolorido quando ela soltou um gemido alto e agudo que fez todo meu corpo se arrepiar, foi como se seus gemidos me dessem estímulos a chegar no meu ápice. Meu rosto afundou no colchão enquanto minha bunda se mantinha pra cima, eu já não conseguia sustentar meu corpo e se não fosse pelas mãos de Justin em minha cintura eu tinha deitado de bruço sobre a cama.

- mais rápido – implorei levantando meu rosto e vi Camila se arrastar para perto de mim – por favor – mordi os lábios quando senti o pênis de Justin ir mais fundo.

- levanta – camila pediu com a voz arrastada e eu me perguntei a onde ela conseguia tanta energia pra não estar cansada a essa altura do campeonato.

- não dá – murmurei tentando sustentar meu corpo pelos meus braços – por-rra.

Camila se enfiou de baixo de mim, colocando sua barriga junta com a minha, ela segurou meus seios os massageando e aproximou a boca do meu pescoço.

- vamos, baby – ela deslizou a mão até meu clitóris e foi como se eu tivesse recebido um choque em meu corpo. Eu soltei um gemido longo e arrastado que minha garganta doeu.

- porra – justin gemeu e sua mão apertou mais meu quadril – eu, eu – ele mal conseguiu falar e suas entocadas aceleraram.

- merda, justin – xinguei perdendo as forças dos meus braços e caindo por cima de Camila, mas ela pareceu não se importar muito.

- Você está quase lá, goza pra mim – Camila pediu com a voz arrastada e eu fechei meus olhos sentindo meu corpo em chamas.

Por um momento foi como se eu tivesse saído do meu corpo e estado em outro lugar e não ali com eles. Tudo em mim ardia, mas não era uma ardência ruim, era muito boa, fez meu pulmão perder o ar e meu corpo se desligar por um minuto.

Quando dei por mim estava caída por cima de Camila sentindo minhas pernas tremerem e minha vagina se contraído sem o pênis de Justin dentro.

Eu me joguei pro lado sentindo os músculos da minha barriga se contraírem e joguei a cabeça pra trás quando o ar invadiu meu peito e me fez voltar a realidade. Era como se eu estivesse me afogado e estava recuperando o folego de forma desesperadora.

Ouvi o gemido de Justin e abri os olhos pra olhar, o loiro estava jogado ao lado de Camila com o rosto vermelho e com o corpo suado. Seu pênis já não estava tão ereto e sua respiração estava tão desregulada quanto a minha.

Camila que estava no meio de nós dois encarava o teto com a mão na barriga e parecia aproveitar a sensação.

- vocês estão bem? – perguntou após alguns minutos de silencio.

- não sei – respondi sentindo minha boca seca

- isso foi intenso – justin comentou e ergueu o corpo pra olhar para nós duas – lauren, você teve um orgasmo!

- eu acho que sim – murmurei sentindo vergonha e Camila riu

- certeza, você revirou os olhos e tudo – ela virou o rosto pra me olhar – foi incrível assistir

- eu nunca senti isso antes é mais forte que gozar – virou o rosto para olha-los – é como se meu corpo ficasse possuído, é muito insano.

- eu acho que nós três tivemos um sexo intenso – Justin comentou e se sentou na cama – eu estou exausto.

- você não vai nos deixar aqui né? – sentei na cama rapidamente e o vi tirar a camisinha do pênis.

- sim eu vou, nada vai mudar entre nós três apesar disso – Justin nos olhou e foi como se um balde de agua fria tivesse atingindo minha cabeça – eu aceitei fazer parte do sexo, mas nada além disso.

- não sei em que mundo dormir junto depois do sexo é romantismo – Camila sentou na cama e levantou as sobrancelhas para Justin – isso tudo é medo de se apaixonar?

- medo? – Justin gargalhou e se curvou para catar suas roupas do chão.

- você pra mim é um grande medroso, isso sim – Camila pulou da cama e passou por Justin – quer saber? Pode sair, não precisamos mais de você – ela abriu a porta e encarou o loiro – já fez seu trabalho, agora pode ir, não precisamos mais dos seus serviços.

O loiro riu andando pelado até a porta com as roupas nos braços e parou na frente de Camila. Deu um selinho rápido nela fazendo a mesma se esquivar pra trás surpresa e depois saiu do quarto.

Camila bateu a porta forte e eu me joguei sobre o colchão sentindo a exaustão do pós sexo.


Notas Finais


então o sexo a três finalmente aconteceu kkkkkkkkk eu dediquei um cap inteiro só pra isso. Espero que tenham gostado...
Queria agradecer a todos q estão aqui sempre comentando, me apoiando e me incentivando, eu leio todos os comentários e isso me deixa tão feliz. muito obrigado. Voces sao incríveis.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...