História My Vampires Coffee - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Boku no Hero Academia (My Hero Academia)
Personagens Denki Kaminari, Eijirou Kirishima, Enji Todoroki (Endeavor), Fumikage Tokoyami, Gran Torino, Hanta Sero, Iida Tenya, Inko Midoriya, Katsuki Bakugou, Kyoka Jiro, Midoriya Izuku (Deku), Mina Ashido, Minoru Mineta, Momo Yaoyorozu, Shouta Aizawa (Eraserhead), Shouto Todoroki, Tomura Shigaraki, Tsuyu Asui, Uraraka Ochako (Uravity)
Tags Bakudeku, Bakugou Uke, Bakugou X Midorya, Bakutodo, Dekubaku, Dekutodo, Katsuki Uke, Kiribaku, Shoto × Bakugou, Todobaku, Todobakudeku, Tododeku, Todokatsu, Todoroki X Bakugou, Yaoi
Visualizações 133
Palavras 2.538
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Lemon, LGBT, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Musical (Songfic), Shonen-Ai, Shounen, Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Bissexualidade, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Então, essa é minha primeira fanfic com anime, pois até agora só escrevi sobre BTS, e meu Deus.
Como eu vim parar aqui?

Capítulo 1 - O perigo de uma sexta-feira 13


Fanfic / Fanfiction My Vampires Coffee - Capítulo 1 - O perigo de uma sexta-feira 13

   -Parece que seus clientes favoritos chegaram - Denki sussurrou no seu ouvido.

   Bakugou correu seus olhos pela cafeteira da universidade a procura do relógio de ponteiros na parede.

   Ele marcava 1:20 da tarde. Esse sempre era o horário deles de chegada no seu local de trabalho.

    E o loiro mesmo sabendo disso, nunca estava preparado psicologicamente.

    O sino irritante da porta soou por todo o ambiente, anunciando o casal mais cobiçado daquela instituição de Graal.

     Todoroki Shouto e Midorya Izuku, vulgo, os caras que Bakugou tinha um pequena quedinha.

      Num tamanho de um penhasco para ser mais específico.

      - Fecha a boca, tá escorregando um pouco de saliva Katsuki- Brincou o seu companheiro de trabalho.

    Denki adorava tirar sarro da cara seu amigo e adorava ainda mais as suas repostas tão doces como o molho de pimenta do Kirishima.

      - Vai tomar no cu, seu bosta do caralho- Bakugou bufou irritado tentando se ajeitar naquele uniforme ridículo.

     Quem diabos teve a ideia de colocar uma camisa de botões branca e aquela gravata borboleta preta como uniforme? Ele era a porra de um caixa numa cafeteria da Universidade aonde estudava, não um garçom de um restaurante do século XIX.

      Mais naquela Universidade tudo parecia antigo demais.

      "Foco Bakugou"  

Era sempre assim; colocava a sua atenção em qualquer pensamento que não fosse os olhos sedutores heterocromicos ou os olhos tão belos como esmeralda.

       Mas quem poderia culpa-lo? Eram Todoroki e Midorya vindo em sua direção.

  Merda de camisa. Merda de gravata.Merda de tradição. Merda de coração acelerado.

       - Eu ainda tenho esperança que um dia você consegue arrumar essa gravata Kacchan - Midorya chegou no caixa com um sorriso radiante.

       Adorava mexer com aquele loirinho.

       - Eu também tenho esperanças, por que você não simplesmente tira? - Shouto sugeriu ficando ao lado do namorado.

       - Regra número dois do café graal "Não tire qualquer peça da merda do seu uniforme" - Katsuki respondeu imitando a voz irritante da Midnight.

       Como sua chefa, ela era uma ótima pessoa.

       - Se ela descobrisse o que você faz - Izuku falou e logo após riu acompanhado do bicolor.

      Porra, aqueles dois rindo era coisa mais perfeita do mundo.

      Só podia ser a oitava maravilha do mundo ou a primeira maravilha fodivél do mundo.

      "Foco Bakugou"

       - O-o que vão pedir? - Katsuki se amaldiçoou mentalmente por ter gaguejado, sentia suas bochechas corarem de vergonha ou de irritação, não sabia ao certo, mais mesmo assim continuou olhando nos olhos daqueles dois.

      Era orgulhoso demais para desviar o olhar.

       - você já sabe, Kacchan~ -Izuku apoiou seus cotovelos no balcão se aproximando mais do loiro - por que ainda pergunta?

      - Para confirmar, esse é o meu trabalho se você não percebeu- respondeu sério, por mais que estivesse uma pilha de nervos pela aproximação repetina do esverdado.

     Midorya adorava lhe fuder.

     Mais nunca no sentido correto.

     - Então, como vai o curso de medicina? - o loiro perguntou enquanto preparava um Moncha para o Todoroki e um Affogato para o Izuku.

     O Mocha é uma versão achocolatada do Cappuccino que consiste na mistura entre um Cappuccino e chocolate quente. Sinceramente, achava a cara do Todoroki.

    Ele odiava coisas amargas.

   Lembrava-se na vez em que Shouto experimentou café puro, aquele foi o dia em que conseguiu variados memes do bicolor, com todo respeito, claro, a arte da chantajear seus amigos com fotos constrangedoras.

    Já o Affogato está mais puxado para lado de uma sobremesa, já que consiste na mistura de uma colherada de sorvete de baunilha com uma ou duas doses de café espresso.

    Tão infantil como o Midorya.

    E gostosa também.

   "Foco Bakugou"

    - Boa, tinha certeza que queria ser neurocirurgião e Midorya se apaixonou na profissão de cardiologista, o curso caiu como uma luva - Shouto respondeu sentando num dos bancos de madeira do balcão.

     - "Caiu como uma luva" claro, vocês dois são uns gênios de merda - Katsuki virou-se e entregou os pedidos para ambos, colocando o Moncha e o Affogato no balcão.

     - falou o garoto prodígio de Artes plásticas - o esverdeado zombou enquanto pegava uma quantidade generosa de sorvete de baunilha do seu copo.

     - Calado Deku - o loiro grunhiu.

   Em um momento de distração, Katsuki não percebeu que a xícara usada que estava recolhendo tinha uma parte afiada.

    Tudo aconteceu muito rápido.

    Deixou a xícara cair entre seus dedos, cortando o seu dedo indicador e em outra fração de segundos um cara qualquer do curso de arquitetura pulou no balcão, mais que o garoto chegasse até si, viu Todoroki, num movimento rápido, jogar o garoto fora da loja, quebrando a vidraça da entrada no processo.

     - Mais que porra foi essa!? - Bakugou alternava seu olhar assustado entre o Bicolor de pé a sua frente e o aluno que estava na caçalda da loja gemendo de dor.

    - Denki - Katsuki se assustou com o tom sombrio que Izuku usou para chamar o seu amigo - leva o Kacchan para longe daqui agora.

   - TÁ SE ACHANDO QUEM PARA MANDAR EM MIM? - Bakugou gritou exaltado.

    Tinha um aluno extremamente machucado na calçada do seu trabalho porque foi arremessado com uma força monstruosa, não podia simplesmente ignorar.

      Fingiu que não ouviu os gritos de repreensão do seus amigos e caminhou até a entrada da loja para levar o garoto para enfermaria.

     Mais tinha um problema.

     O garoto não estava mais lá.

                 #@@#

     Bakugou não estava entendendo mais nada.

     Depois daquele estranho episódio que aconteceu na cafetaria, ele foi liberado.

     E agora se encontrava andando no corredor principal da universadade feito uma barata tonta.

     - Que merda kirishima... - mumurrou frustrado olhando para a tela do celular. Até o ruivo falsicado - que infelizmente era o seu melhor amigo- estava estranho.

     Tinha falado com aquele cabelo de merda ontem a noite e até agora não tinha respondido sua mensagem.

     "Ah Bakugou, vai que o seu amigo está ocupado dormindo"

     Dormindo? Aquele imbecil? Teu cu.

   Eijiro é o tipo de pessoa que responde um segundo após você ter mandado a mensagem, principalmente se fosse a mensagem de Katsuki Bakugou.

     Era capaz que no momento em que o loiro estivesse digitando, o ruivo já ter respondido.

     Bufou frustado guardando o celular no bolso da calça preta.

     Aquela merda de sexta feira 13 estava uma porcaria.

      Bem, a única coisa boa daquela palhaçada toda, era que hoje estava completando um ano que conhecia Todoroki e Izuku.

      Tinha os conhecido quando entrou na Universidade Graal.

       Na verdade, conheceu primeiro kirishima, já que ele foi o seu "guia turístico" na instituição quando era um novato ano passado.

      Foi durante esse passeio entre a salas que descobriu a sala de medicina.

     E por Deus, como desejou ter se afogado para alguém do curso de medicina fazer respiração boca a boca ou infarto para ser necessário ele tirar a camisa para ser examinado.

      Era errado querer isso? Com certeza.

  Mais Shouto Todoroki e Izuku Midorya com aquele uniforme apertado branco era demais para qualquer um.

      Depois daquele episódio que Bakugou queria tirar a sua roupa na sala de medicina, Ejirou o convidou para passar o intervalo do curso consigo e ele aceitou.

      E como amou aceitar.

    Descobriu naquele dia que os seus crushs faziam parte do grupinho do seu "guia turístico"

   O grupo era consideravelmente grande e todos veterano, já que estudavam há um ano ali.

  Tinha dois casal lésbico, um dos casais tinha uma que se chamava Momo Yaoyorozu que cursava arquitetura e a outra era Kyoka Jiro e cursava música.

   Gostou delas, principalmente de Jiro, eles gostavam da mesma bandas de rock e a garota tinha uma banda com Denki.

      Nos tempos livres tocava bateria na banda deles.

     O outro casal era constituído por Ochaco Uraraka que cursava administração e a outra era Tsuyu Asui que fazia biologia.

     Tinha a menor ideia de como elas estavam juntas.

      A cara de bolacha era agitada pra caralho e a outra tinha umas manias estranhas de sapo e não falava muito.

     Era extremamente oposto.

     Mais se completavam.

     Vai entender essa merda.

     E continuando a falar de Denki, seu nome era Denki Kaminari e supreendente cursava educação física junto com Kirishima.

      Nunca esperou que seu colega de trabalho fosse cursa algo que você precise movimentar muito seu corpo, aquele pikachu era a pessoa mais preguiçosa que havia conhecido.

  Mais segundo Eijiro, Denki tinha excelentes notas.

     Claro, como se fosse cair nessa.

     Aquele garoto nem sabia escrever o seu nome direito.

     Também tinha uma garota meio louca chamada Mina Ashido que cursava design.

     Por mais que Mina tivesse uns parafusos a menos ou a mais, considerava ela e Jiro um tipo de suas melhores amigas

     E por último - e o mais importante - os mais gostosos cursavam medicina e eram os melhores alunos do curso.

     Só isso.

     Não bastava serem gostosos, tinham que ser fodidamente inteligentes.

    Puta que pariu.

    Pensando melhor, não sabia se aquilo era realmente um motivo de comemoração.

      Fazia um ano que conhecia aqueles gostosos e nunca havia pegado nenhum deles.

     Mais que merda.

     - Até nisso eu sou um bosta cara - Katsuki abriu o seu armário brutalmente - Têm como piorar?

      Claro que têm como piorar, era a sua vida afinal.

      Tinha esquecido completamente do trabalho de artes que era para amanhã de manhã.

      Agora tinha somente uma tarde para pintar um quadro relacionado ao tema sobrenatural.

      Parabéns Katsuki, você se fudeu bonito.

      Correu para a sala de atividades práticas do seu curso rezando que não estivesse absolutamente ninguém lá.

     Escutar música no fones de ouvido numa sala vazia era sua maior fonte de inspiração.

    E talvez, pensar em dois garotos específicos que pareciam obras perfeitas de arte, fizesse seu lado artístico aflorar ainda mais.

              #@@#

   - Por que o Kacchan está na Universidade numa sexta-feira 13? Ele é humano! Você esqueceu por acaso, seu velho? - Midorya bateu suas mãos na mesa do diretor irritado, seus olhos estavam brilhando em fúria - se alguma coisa acontecer com ele eu juro que aca-

    - Eu não esqueci jovem Midorya - o diretor interrompeu -  mais o jovem Bakugou ignorou o meu aviso de que era para ele faltar hoje e como vocês dois sabem, ele é uma pessoa um pouco complicada de se convecer.

     Midorya segurou o grito de raiva que estava prestes a dar.

     Kacchan, as vezes, conseguia ser um completo imbecil.

    - eu entendo que Katsuki não é uma pessoa fácil de se lidar - Todoroki se aproximou da mesa do All Might - mais hoje todas as espécies estão descontroladas por causa da sexta-feira 13 - Shouto olhou nos olhos de Izuku antes de continuar - e Bakugou agora é o único humano na instituição.

  All Might percebeu o tom de voz temeroso na última fala do bicolor.

    Sabia que a situação era grave.

    A instituição do Graal escondia um segredo: 70% do seus alunos não eram humanos.

    Eram divididos em quatro espécies: Vampiros, Lobos, Feiticeiras e demônios.

    Esses monstros eram subdivididos entre si em classe de S à E.

     Aqueles dois garotos que estavam a sua frente eram vampiros de classe S, vindos de duas das três principais famílias de vampiros existentes.

   Shoto Todoroki vindo da família controlada por seu pai Enji Todoroki e Izuku Midorya vindo da família gerenciada por sua mãe, Inko Midorya.

     E por essa razão que não podia simplesmente punir aqueles dois por está praticamente desrespeitando um membro do tribunal de magos.

     E também, conhecia aqueles dois desde do começo da sua existência e por isso podia afirmar com toda a certeza que nenhum humano em todos aqueles séculos mexeu tanto com Shoto e Izuku como Katsuki Bakugou.

    E, talvez, ele soubesse o porquê.

    Mais esperava não estar certo.

    - Izuku, Shoto - all Might chamou a atenção do dois jovens - vocês sabem por que essa instituição existe não é? Para que consigamos fazer as quatro espécies se relacionarem harmonicamente com os seres humanos - se levantou da sua poltrona amarronzada e caminhou até a enorme janela escura que ocupava a parede inteira atrás de si - e para isso criamos regras e uma delas é que seres como nós,desumanos,  nunca devemos nós relacionar romanticamente com nenhum humano - olhou por cima dos ombros para os jovens vampiros - cuidarei do jovem Katsuki mas não pensem que me enganam, vocês odiavam qualquer tipo de café por séculos e foi só Bakugou trabalhar na cafetaria da Universidade que vocês passam lá a tarde inteira.

    - Diret-

    - Eu sou um mago Todoroki, não um estúpido - All Might interrompeu - Parem com essas manias irritantes de vampiros de se acharem muito espertos ao ponto de enganar qualquer um, eu não sou qualquer um, eu sou um mago de classe S e exigo apenas a verdade, entenderam?

    A reposta veio com apenas um aceno de cabeça.

    Podia sentir que eles que queriam falar mais alguma coisa, porém...

    - Ótimo, podem se retirar.

 E quando os vampiros apenas sumiram da sua frente foi quando finalmente o diretor soltou o ar que estava segurando.

   - Desculpe-me meus alunos, eu apoio o amor, mais eu não quero uma guerra.

    Nunca iria querer.

              #@@#

    Observou a sua pintura e pensou se existia alguém do universo mais trouxa que ele.

   O tema era sobrenatural não "Pinte sobre amores não correspondidos porque você é um otário que se fudeu bonito no requisito amor"

   - Merda de mãos - xingar as suas mãos em voz alta não ajudaria muito a apagar o seu quadro.

    Mais por que diabos ele tinha pintado Midorya e Todoroki daquela forma?

Talvez consequência do acontecimento de hoje de manhã? Talvez.

      Izuku ficará no seu quadro com um olhar sombrio e um sorriso sádico, sem contar com o ambiente de tons escuros que exaltava o brilho verde de seus olhos ameaçadores.

    Que Izuku era aquele?

    Shoto tinha sido retratado com um toque selvagem.

     Olhos animalescos e sua roupa manchada de sangue numa posição de luta, mais sendo impedido por Midorya que abraçava o seu pescoço sorrindo.

     Também não conhecia aquele Shoto.

     Hoje descobriu lados que não fazia ideia que aquele dois possuía.

     Não conhecia aquele Midorya de tom sombrio ou o Todoroki de força monstruosa.

     Isso o deixava assustado.

     Por quem havia se apaixonado? Por eles ou por pela sua imagem de casal perfeito e misterioso?

     Nem ele sabia.

     - Achei você - Bakugou olhou para a porta da sala de pintura - Você se escondeu?

     Aquele era o garoto que tinha sido arremessado por Shoto.

     O que diabos ele estava fazendo ali na porta e sem nenhum arranhão?

     - O que caralhos você está fazendo aqui? E por que está sem nenhum arranhão? É o Deadpool por acaso? - Katsuki se levantou do seu banco.

    Aquele cara não estava nada bem, sua cara se contorcia numa careta.

    Será que era de dor?

    - Deadpool? É assim que se chama vampiros agora? - a gargalhada psicopata no final da frase soou por toda a sala.

     Vampiro? Mais que merd-

    - Não se mexa - Bakugou sentiu uma respiração no seu pescoço.

    O cara não tava mais na porta.

     Não tinha como ele ter corrido tão rápido, não é? Impossível.

    Completamente impossível.

      Mais sua mente só pensava uma coisa:

      "Perigo"


   


Notas Finais


Opiniões?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...