História My Way - Shawn Mendes - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Shawn Mendes
Personagens Shawn Mendes
Visualizações 299
Palavras 2.104
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 8 - It's you


Outra noite sem dormir, dessa vez sem nem conseguir ao menos fechar os olhos. Durante toda a madrugada eu tentei processar tudo o que tinha acontecido, e cheguei a uma conclusão: Shawn fez a coisa certa da maneira mais errada possível. Ele sabe o quão repugnante eu acho uma traição, mas fez isso comigo. Por mais que, parando para refletir melhor, eu encontre motivos de sobra para ele ter feito isso, porém, não fora uma atitude de um homem honrado. É certo que eu não tenha nada para oferecer a ele. É certo dizer, também, que Tracy é mil vezes mais bonita que eu, mais rica e, com toda certeza, mais interessante. E, se não fosse ela, seria qualquer outra. Era preciso apenas um pouco de tempo para ele perceber que de nada agregaria em sua vida ficar comigo.

Quando começou a clarear o dia e eu vi que não conseguiria dormir, fiz um café forte para me manter acordada pelo resto do dia. Depois tomei um banho na esperança de que a água levasse com ela todo mal que rondava minha vida, mas isso não aconteceu porque a minha realidade sempre foi e sempre será essa. Eu já devia ter imaginado que “quando a esmola é demais o santo desconfia”, pudera eu ser feliz?

Com o tempo, o cansaço chegou, junto dele o sono. Não tive disposição para almoçar, acabei dormindo no sofá mesmo. Acordei perto das quatro, não havia dormido muito, mas já era de bom tamanho para quem estava mais de vinte e quatro horas acordada. Por curiosidade olhei meu e-mail, fazia alguns dias que não checava minhas mensagens. Entre as mensagens recebidas, tinha uma que mais me chamou a atenção, da Editora Society. Lembrei que há alguns meses, um professor havia gostado muito do meu trabalho e resolveu enviar para um amigo que trabalhava naquela editora, até fiquei animada, mas fora só isso, não obtive nenhuma resposta. Abri a mensagem sem esperança alguma que tivesse algo bom ali.

De: editorasociety.com.br

Para: [email protected]

Assunto: Estágio.

Bom dia, Srtª Harper. Há alguns meses recebemos de seu professor, Sr. Webs, um interessante artigo sobre os demasiados problemas e benefícios decorrente da tecnologia. A Editora Society ficou muito interessada em seus traços escritos e gostaríamos de tê-la em nossa equipe. Estamos lhe oferecendo um estágio remunerado no período de seis meses. Se percebemos um destaque maior em você, o que achamos que irá acontecer, seu contrato será prolongado.

Se estiver interessada, Segunda-feira estaremos esperando por você às quatro em ponto para uma entrevista em nossa editora.

Atenciosamente, Ed. Society.

Eu estava tremendo, mas dessa vez não era por causa de algo ruim, mas sim de algo esplendoroso. No meu rosto estava estampado um sorrido do tamanho do universo. Essa foi a notícia que salvou meu dia, senti até vontade de comer.

Por sorte a tarde passou depressa e logo caiu a noite. Demorei muito para dormir, mas dessa vez eu dormi por quatro horas seguidas, grande avanço.

Com a maior lentidão de todos os dias, levantei. Depois de pronta e faltando uma hora para começar meu expediente, fui até a gravadora andando com calma. Sentia meu estômago doer só em pensar que veria Shawn e que falaria com ele. Não sabia o que poderia acontecer com a gente depois da nossa conversa, mas de acordo com as circunstâncias, o fim era inevitável. Cheguei bem cedo, como de costume, sabia que ele sempre se atrasava então fiquei despreocupada, não o encontraria ainda por ali. Eu estava errada. Assim que abri a porta da sala me deparei com o rapaz debruçado em sua mesa, mas assim que ouviu o barulho se levantou.

Ele estava péssimo, tanto quanto eu. Estava explicito no rosto e no corpo do garoto que ele não teve uma boa noite de sono.

– Bom dia. – proferi em um tom baixo e me dirigi até minha mesa.

– Bom dia. – tentou esboçar um sorriso mas foi em vão. – O que tenho para hoje?

– Sam Collins. Use seu poder de persuasão para convencê-lo a assinar com a Mendes. Parece que duas outras gravadoras estão interessadas no menino. Ele virá aqui às nove para conhecer o lugar. Não decepcione seu pai. – disse tudo sem ao menos olhar para ele, não conseguia.

– Só isso?

– Hm – dei uma olhada na agenda. Não! – Hoje tem seção de fotos para a capa do álbum de Tracy Martin, ela quer sua presença lá. – senti um nó em minha garganta ao pronunciar o nome daquele mulher e ao relacionar ela a Shawn. – Será às três. – ele não disse nada. – Ah, será que eu poderia sair às três hoje? – pela primeira vez olhei para Shawn e vi seu rosto sem nenhuma expressão. Ele apenas olhava diretamente para mim.

– Mas seu horário de saída é às seis.

– Eu sei, me desculpe, mas eu realmente preciso resolver umas coisas. Então, como você vai sair e não terá nenhum outro compromisso, eu achei que poderia...

– Não, tudo bem, Patrice. Você pode sair a hora que quiser.

– Obrigada. Eu prometo que se ainda der tempo, eu voltarei para o serviço.

– Não precisa. – sorriu e eu apenas balancei a cabeça concordando. – Nós podemos conversar agora?

– Eu acho melhor você ir para a sala de reuniões, Sam deve estar chegando.

– Mas nós...

– Nós conversamos na hora do almoço. – ele concordou e saiu.

Passei a manhã organizando a agenda de Shawn para o resto da semana, sabia que se tudo desse certo na entrevista, eu não seria mais sua secretária. Eu estava torcendo para que isso acontecesse.

Perto da hora do almoço ele voltou e antes mesmo que horário habitual, me liberou.

– E agora, nós podemos conversar? – perguntou quando eu já estava saindo da sala.

– Sim, mas vamos para o restaurante. Eu estou com fome.

– Certo.

Fomos para o restaurante que costumávamos almoçar. Sentamos em uma mesa no fundo, longe das pessoas que ali estavam. O garçom anotou nossos pedidos e saiu.

Eu estava nervosa, torcia para que não sentisse a crise de ansiedade naquele momento. Respirei fundo tentando acalmar meu tremor interno. Shawn percebeu meu incômodo.

– Tudo bem, amor? – não sei se aquela palavra fora dita sem querer, mas senti meu coração apertar ainda mais depois de ouvi-la, mas minha garganta pareceu fechar e eu não conseguia dizer nada. – Patrice? – ele tocou em minha mão. – Você está gelada!

– Eu estou bem. – contava até três mentalmente, até que depois de alguns minutos eu já estava mais calma. – Eu estou bem. – repetia para ter certeza que estava.

– Amor, eu sinto muito. – Shawn começou com as desculpas. – Eu não queria que aquilo acontecesse, foi contra a minha vontade. Quando eu percebi ela já tinha me agarrado, amor, eu não correspondi àquele beijo. Eu juro, Patrice. Acredita em mim.

– Eu tentei falar com você a tarde inteira, custava ter deixado o telefone ligado? Custava ter respondido as minhas mensagens assim que as viu?

– Meu celular descarregou, quando eu vi suas mensagens corri para sua casa, mas você não estava lá.

– É claro que não. – falei o óbvio. – Eu esperei por você, eu queria muito que você tivesse comigo, Shawn, mas você não estava. Você disse que chegaria cedo, mas você não chegou. O que aconteceu?

– Nós almoçamos, ela me falou suas ideias sobre o CD. Quando terminamos ela e convidou para conhecer o estúdio os ensaia para os shows, tinha tantos instrumento ali que eu fiquei vislumbrado e perdi a noção do tempo, mas eu juro que não aconteceu nada. Quando me dei conta, meu celular havia ficado sem bateria e já era noite. Ela me pediu uma carona e eu concedi, mas ao chegar na sua casa ela me beijou e, merda, tinha paparazzi por todo o canto. Eu não queria fazer você passar por isso, me desculpa, eu não queria aquele beijo, eu juro. Se dependesse de mim, eu nunca mais sequer dirigiria a palavra a ela, mas ela cancela o contrato se eu não tiver a acompanhando, e você sabe que esse contrato é muito importante para a gravadora. Patrice, não me deixa, por favor. Você não imagina o que eu passei sem poder falar com você, não me tira da sua vida. É você que eu quero. Eu te amo.

Senti meus dedos formigarem e algumas lágrimas solitárias caírem, ele nunca havia dito que me amava. Os olhos de Shawn eram suplicantes, eu conseguia ver a verdade em tudo o que ele dissera. Eu também o amava, mas não conseguia dizer a ele, não conseguia expressar em um terço de tudo o que eu sentia por aquele homem.

O garçom chegou com nossos pedidos e eu discretamente limpei meu rosto. Shawn levantou e se sentou ao meu lado, mas não ousou me tocar, parecia ter medo.

– Me desculpa. – sussurrou e sem jeito tocou em meu ombro, ao perceber que eu não recuei ao toque ele me abraçou. – Eu te amo tanto, Patrice, amo tanto que chega a doer. Eu fui um completo idiota, mas confia em mim, isso nunca mais vai acontecer. Eu não consigo ficar longe de você, amor. – correspondi seu abraço e ele enterrou seu rosto em meu pescoço.

Sentia suas lágrimas molharem o local, ele também estava chorando.

– Está tudo bem? – ele perguntou.

– Tudo bem. – respondi.

Depois de acalmar os ânimos, nós comemos. Se semblante mudou, ele voltou a ser o Shawn de sempre, mas eu estava calada procurando um jeito de contar a ele sobre o estágio.

– Por que você está não calada?

– Sabe quando eu pedi para sair mais cedo hoje? – ele concordou. – Então, eu recebi a proposta de um estágio em uma editora daqui de Toronto. – Shawn passou a se atentar ainda mais. – É um estágio remunerado, durante seis meses, mas se eu me sair bem posso ser contratada. – sorri para demonstrar minha tremenda felicidade mas recebi dele um sorriso fraco. – Então, a entrevista será hoje. Isso é ótimo, não é?

– É. É ótimo. Meus parabéns! Você merece muito. – beijou minhas mãos

– Você não parece tão feliz assim.

– Eu estou. Eu só... bem, isso quer dizer que nós não vamos mais trabalhar juntos.

– Oh, me desculpe, mas eu só soube ontem. Precisamos de alguém para trabalhar com você, minha nossa, não havia pensado nisso.

– Eu me viro sozinho, tranquilo. Nenhuma outra secretária será tão boa quanto você, e eu não quero outra também. – eu sorri.

– Eu serei eternamente grata por tudo o que você fez por mim.

– Para, isso está parecendo uma despedida. Nós só não vamos trabalhar juntos, mas não quer dizer que não vamos nos ver todos os dias. Nós somos namorados. – falou parecendo inequívoco.

– É verdade.

Depois que voltamos do almoço, Shawn fez questão que entrássemos ali de mãos dadas. Segundo ele, o mundo inteiro precisava saber sobre o nosso relacionamento, principalmente agora que não teríamos mais nenhum vínculo profissional. Às três ele precisou ir para o seu terrível compromisso e eu fui para a entrevista.

Tudo havia saído perfeitamente bem, mais que bem. Começaria na próxima segunda, eu teria que oficializar a minha demissão no decorrer daquela semana, até porque, eu não trabalhava somente para Shawn.

Meu namorado fora me buscar na editora e me levou para casa. Ao chegarmos nos deparamos com Mike que estava me esperando do lado de fora do prédio.

– Mike. – ele me abraçou sem ao menos dizer algo. – O que faz aqui? – perguntei assim que nos separamos.

– Você não respondeu minhas mensagens, mas eu sabia que se viesse ontem você não me atenderia. Está melhor? – balancei a cabeça em sinal de afirmação. – Conseguiu dormir? – não respondi. – Não. – concluiu. – Teve alguma crise?

– Do que vocês estão falando? – perguntou Shawn confuso.

– Ah, parece que se acertaram. – Mike falou sem ânimo.

– Sim, está tudo bem, Mike. Agradeço a preocupação, mas você não precisa se importar com os meus problemas, não mais.

– Patrice, entenda, eu sempre vou me preocupar com você. Ei, você não é um problema, entendeu? – olhei para o lado tentando não manter contato visual com ele. – Ei, olha para mim. Patrice, você é a melhor. – riu. – No final tudo, qualquer coisa, se resolve, não é mesmo? – olhou para Shawn. – Você sabe que pode contar comigo sempre, fico bem em saber que você está bem. – sorri e o abracei. – Preciso ir. – beijou minha testa. – Cuide dela cara, cara. Por favor, cuide dela. – disse em um tom mais baixo para o meu namorado, mas eu pude ouvir.

– Eu não vou deixar nada de mal acontecer com você, eu não farei mal a você. Nunca. – sussurrou em meu ouvido e me beijou.

They say that the world was built for two
Only worth living if somebody
Is loving you
Baby, now you do

Video Games - Lana Del Rey



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...