História My wings are made of plastic - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Bangtan, Bangtan Sonyeondan, Bts, Fic, Jihope, Lemon, Long, Long-fic, Namjin, Romance, Sope, Sope Me, Taekook, Vkook, Yoonmin, Yoonseok, Yoonseokmin
Visualizações 16
Palavras 1.859
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Adolescente, Fluffy, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Nudez, Pansexualidade, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Espero que gostem
Minha primeira história aqui no Spirit, qualquer erro é só me falar!
Beijos da Jazz.

Capítulo 1 - 01. We are broken people.


Quarta-feira, 18h57

Let me in, let me wonder

Let me worry where you've been

Let me in, you can find me

When you find me we begin.

We could be more, don't you run away

We could be happier this way

You could do more, don't you run away

We could be happier.

O mais novo apoiava a cabeça sobre o banco do carro com um olhar sério em direção ao mais velho que não se deixava abalar pelo o bico que estava se formando aos poucos nos lábios do rapaz, de jeito nenhum que ele deixaria Namjoon deixá-lo naquele lugar novamente, havia perdido o total interesse e por mais que soubesse que ele tinha um probleminha... Talvez um sério problema com bebida, Jungkook não encarava a situação tão ruim assim ao ponto de ter que ir a uma terapia em grupo... Então não ia se dar por vencido tão fácil, rapidamente aquele carro era local de uma disputa de quem desviava o olhar primeiro em um completo silêncio e logo Jungkook colocou um sorriso cínico no canto de sua boca, erguendo uma das sobrancelhas.

A sua mão guiou-se até a trava do carro e a deixou abaixada, voltando a colocar o cinto em volta de si, cruzando os braços como estivesse convencido que havia ganhado aquela discussão silenciosa, mesmo tendo um bico na cara mostrando claramente como era o bebê ali.

Pelo o amor da Santa Cabrita, Jungkook sai logo desse carro que o Namjoon tem que me levar em casa! — Seokjin exclamou colocando o rosto entre os dois bancos e se esticou o suficiente para abrir a porta do mais novo. — E você é burro? A tranca só serve para o lado de fora. — Voltou a se repousar contra o banco de trás sem controlar o quanto ria daquela situação.

Ainda bem que você falou isso, eu estava louco pra rir quando ele fez isso. — Namjoon era quem cuidava de JK durante as longas viagens dos pais dele, até mesmo mandavam uma boa quantia por mês, até mais do que Jungkook precisava como fosse compensar toda a distância que estavam estabelecendo entre eles e o filho, então tinha um carinho enorme pelo o mais novo, por mais que não falasse em voz alta.

Presenciou os piores e melhores momentos, até sentia orgulho de Jungkook ainda está vivo e querer melhorar, mas toda semana era a mesma discussão antes de ir para a terapia. Pelo ao menos meia hora dentro do carro para convencê-lo que aquilo era o melhor pra si.

Dessa vez sabe que é sério, você precisa ir, Jungkook, você escolheu o que era melhor pra ti e a ideia foi até sua. — Fez uma leve pausa, levando a mão para o ombro do rapaz e bagunçou de leve o seu cabelo, abrindo um sorriso compreensivo em seus lábios. — Então... Vai e me liga que eu vou te buscar. Agora não me faça te colocar lá dentro como semana passada.

Não, tudo menos isso. Da última vez, Jin-Hyung ficou gritando, acho que esse é um castigo suficiente... — Ele respirou fundo e finalmente saiu do carro, apenas com o celular e algumas moedas no bolso, observando a sua volta todas aquelas pessoas que estavam na entrada, sentia suas bochechas queimando de tanta vergonha, sabia o nome de quase todo mundo presente ali e sabia mais do que seus parentes deveriam saber, da mesma forma com ele...

Todos ali sabiam que Jungkook era um alcoólatra.

Só de pensar que mal sabia seus nomes fazia o rapaz ter vontade de vomitar, ainda não estava certo de essa era a melhor opção pra ele. Mal sabia como falar estando sóbrio, imaginando contando o seu problema para um grande grupo de pessoas.

Certeza que eu não tenho outra opção? — O rapaz murmurou virando-se em direção ao carro, seus olhos estavam pedindo por socorro praticamente. Jungkook sabia muito bem como ceder, porém com Seokjin ali, a situação era mais complicada, o mais velho abriu a janela de trás do carro negando com a cabeça.

Não mesmo, se eu souber que você não participou, vamos ter uma conversinha. AGORA VAMOS, MOTORISTA! — O mais velho berrou fechando a janela do carro devagar, batendo no banco do motorista, fazendo Namjoon revirar os olhos. Assim que o carro se afastou, estava pronto para gritar e fazer Jungkook querer enfiar a cara debaixo da terra. — Beijos, filho! O PAPAI TE AMA!

No mesmo instante sentiu as suas bochechas pegarem fogo, sem sair do lugar encarando o chão por alguns segundos rindo de nervoso, sabia que todo mundo tinha ouvido os berros de Jin, não tinha nem como esconder. Restava para Jungkook aceitar e fingir que estava tudo bem, que ainda não estava em desespero. Costumava fazer toda aquela pose na frente de seus Hyungs, que ele não tinha tantos cacos para recolher tentando sempre sorrir ou algo do tipo, porque eles já tinham visto todo o lado obscuro que Jungkook podia ter.

Agora o rapaz apenas sentia que estava na hora de crescer e melhorar. Sozinho. Só não sabia como dar os próximos passos ainda.

JungKook? — Alguém o tirou do transe, já parado na porta da reunião por alguns minutos focado em simplesmente em seus pensamentos que em viu o ruivo se aproximar. — Achei que tinha dado um treco, fiquei preocupado. — Assim Jung Hoseok o seu mais sincero sorriso nos lábios, passando o braço em volta dos ombros do outro rapaz, o puxando cada vez mais para dentro.

Você é realmente todo errado. — Gargalhou passando a mão no rosto, pela a aproximação com o seu Hyung o encarou com um sorriso nos lábios. Aquele lugar não era tão ruim, não entendia o porquê de não querer ir.

Okay, okay, você deve está pensando "AMAS NÃO FOI O JUNGKOOK QUE DISSE QUE NÃO FALAVA COM NINGUÉM" , ele podia muito bem ter falado para os mais velhos que não sabia o nome de ninguém, dramático como o mais novo era, falava isso com os olhos marejados e continuava a dizer que quase não olhavam em sua cara, mas foi tudo grande parte de seu drama (e um pouco de paranóia), quem sabe assim Namjoon o deixava ficar em casa mais uma noite e graças a teimosia do seu Hyung, conheceu pessoas boas ali, como Jung Hoseok, que o ganhou quando lhe ofereceu um pacote de biscoito, o mesmo biscoito que JK devorou em três minutos sem ao menos avisar, e Park Jimin, bem...

Esse já era mais próximo de JK e nem tinha como negar, a ideia de participar de um grupo de apoio não era totalmente de Jungkook, o próprio quis tentar melhorar por saber que Jimin estava fazendo o mesmo e agora estava tentando conquistar o mínimo de conforto, sabendo disso, o moreno criou um laço com o seu Hyung desde que perderam um concurso na academia de dança daquela cidade; só que essa história ficará pra depois; assim começou a coletar uma admiração pelo o loiro e a determinação que o outro tinha. JK queria ser assim, queria não desistir no meio do caminho de cada boa decisão que fazia.

Hoseok parecia ser um ímã quando se tratava de comida, o guiou até a mesa cheia de doces de boas-vindas que o responsável por aquele lugar sempre fazia. Queria deixar o máximo de pessoas o possível confortáveis, pelo ao menos era o que parecia.

Nas últimas semanas, por ser uns dos primeiros a chegar, começou a notar ou melhor... Reconhecer muitos ali, indo além do problema que elas apresentam superficialmente naquela reunião, eram pessoas que Jungkook adoraria conhecer.


•••


Quarta-feira, 19h47

I'm tired of all this talking... — Cantarolou baixinho passando a ponta da língua em volta dos lábios secos, o clima estava frio para aquele verão, então vestia um casaco fino até demais, com os braços arrepiados e aos poucos encolhia os ombros. Péssimo hora pra não usar o seu moletom, Taehyung. — cause everything you hear is empty words.

Continuou até a parte que lembrava, abrindo um sorriso travesso em seus lábios em uma tentativa de encontrar as palavras junto com um ritmo da música, já não percebia as pessoas em sua volta focado em encontrar o resto daquela música sem conter as risadas baixinhas que escapavam de sua boca.

Odeio quando isso acontece. — Murmurou pra si retirando o celular do seu bolso para ver as horas, parando um pouco longe da entrada da reunião, de onde tinha vindo tanta gente? — Falta mais de dez minutos, ah... Aposto que esqueceram a janela aberta de novo ou pior.

A distância que tinha para caminhar até a reunião era curta, não levava mais de minutos andando com calma como Taehyung fazia agora e estava na esquina daquela rua, quando um carro passava as pressas com dois rapazes falando alto dentro dele atraindo a sua atenção rapidamente enquanto já voltava a caminhar em direção da porta.

Assim que entrou, seus olhos encontraram os de Rose, quem programava tudo praticamente sozinha, junyo com a sua Nona e abriu os braços para abraçar a mais velha.

Que saudades suas, quanto tem a senhora não vem na cidade? — Levou as suas mãos até o rosto da senhora que ria de forma debochada, beijando as bochechas de Taehyung.

Rapazinho, você me viu na segunda-feira. Incrível isso. — Afastou-se devagar dele e continuou a arrumar a mesa dos lanches daquele dia, com a intenção de alimentar o Tae daqui a pouco.

Desculpa o atraso, Rose, eu sabia que eu deveria ter vindo mais cedo! — Muitas vezes Tae costumava ser mais envergonhado em público, mas naquela hora estava focado em ajudar a mulher, que nem notou o tom de sua voz, assim notou olhares sobre si. — Ah... Desculpa... — Sussurrou com o seu sorriso quadricular estampado em seus lábios.

Rose bateu de leve no braço de Taehyung enquanto arrumava algumas cadeiras, já chamando quase todo mundo para entrar e o rapaz apenas a observava com as bochechas queimando. Admirava demais a mulher, junto com Yoongi, foi o motivo inicial de querer levantar da cama todas as manhas, aquele grupo havia virado a sua família à muito tempo e não era nem difícil de perceber isso.

Tirando o seu atraso repetindo de hoje, era um dos primeiros e um dos últimos a sair. Um dos poucos lugares que distraia a sua cabeça e podia tentar ajudar as pessoas ou apenas para conversar.

Relaxa, eu consegui arrumar tudo com um pouco de ajuda do Hoseok, é que tudo ficou uma bagunça depois de segunda. — Levou ambas as mãos até o próprio rosto levemente avermelhado, fazendo que Taehyung voltasse a rir. — Que bom que você veio.

Eu não ia faltar. — Murmurou indo abraçar a nona de Rose e beijar a sua bochecha.

Então assim começou mais uma reunião. Todos estavam focados nas melhoras naquela noite, bem... Quase todos.

A cabeça de Hoseok estava longe, havia recebido uma nova proposta de emprego, que realmente fazia o rapaz se questionar da própria capacidade de dar aulas.

O mais novo, pelo o jeito, tinha um interesse em específico, mas naquele momento crítico, só se perguntava... "EM QUE PORRA O JIMIN ESTA ENFIADO?"



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...