História Mysteries of my mind - Capítulo 15


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, D.O, Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kai, Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Sehun, Suho
Tags Baekhyun, Baekyeol, Bts, Chanbaek, Chanyeol, Drama, Exo, Hoseok, Jhope, Jimin, Jin, Jungkook, Kai, Kyungsoo, Misterios, Namjoon, Rap Monster, Sehun, Suga, Suho, Taehyung, Yoongi
Visualizações 22
Palavras 3.551
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Lemon, LGBT, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Suicídio
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Preparem os lenços.
Boa leitura <3

Capítulo 15 - My story: Yoongi. Ato II: Minha doce esquizofrenia.


Capitulo 15, Ato 2: Minha doce esquizofrenia.
"Em um canto da minha memória, um piano marrom encostado a um lado.
E eu me lembro daquele tempo, quando eu estava cansado e perdido, naquela época, quando eu caí em um poço de desespero..."

Seus olhos tristes me causavam um arrepio corporal impressionante, mais uma vez eu me via preso em um sonho onde ele estava a minha frente, mas eu não podia o tocar, nem o sentir.
-Por quê? -Sussurrei triste e sua expressão se tornou confusa.
-Por que o que? -Ele questionou enquanto me olhava.
-Eu quero te tocar, mas sempre que me aproximo você fica mais distante... Por que isso?
-É só um sonho chanyeol. -Ele revirou os olhos.
-Eu te quero na vida real...
-Então deseje isso. -Foi à última coisa que ele falou antes de sumir, evaporar na verdade. Acordei suado e me sentei passando as mãos sobre o rosto. Estou cansado, frustrado, bravo com toda essa situação. Suspirei e logo em seguida ouvi o barulho de passos vindo do corredor, meu coração acelerou no mesmo instante.
"Então deseje isso" eu desejava, o desejava com todas as forças nesse momento. Olhei para o lado e vi yoongi dormindo tranquilamente, nem mesmo conseguia saber a hora desde que não havia relógios por aqui, talvez para não sofrermos contando os minutos.
Levantei da cama com calma e andei até o corredor, a fraca luz não me deixava visualizar quem andava pelo corredor a passos lentos. A porta do salão de instrumentos foi aberta e lá a pessoa entrou, andei apressado com medo de perder a tal pessoa que meu coração dizia ser Baekhyun, mas eu não queria saber que era ele, se fosse ele não seria real... Não! De forma alguma posso pensar assim, baekhyun é real, ele não pode ter somente sido inventado por mim. Toquei a maçaneta e eu conseguia ouvir meu coração palpitar, isso até que eu ouvi o piano... Não era yoongi e a única pessoa que eu conheço além dele que toca desse jeito... Abri a porta acabando com o mistério e meu coração se encheu de tristeza e ao mesmo tempo de alegria, se é que isso é possível. Baekhyun estava lá, era tanta felicidade por vê-lo -e infelicidade também- que não suportei e corri até o piano.
-Você está aqui! -sorri da melhor forma possível, de orelha a orelha, nunca estive tão feliz por ver alguém.
-Eu disse, se me desejar eu estarei aqui. -Seu sorriso estava diferente, algo nele estava diferente.
-Como fugiu? Como está aqui? -perguntei, eram tantas as perguntas que meu coração se abalava só de pensar nas possíveis respostas...
-Chanyeol vamos lá, eu sou nada mais nada menos que fruto da sua imaginação.
-não, não pode ser eu jamais criaria algo tão bom assim! -falei em puro desespero de tentar me convencer de que isso era mentira.
-Fico grato que me ache tão bom assim, só precisa se achar bom agora. - ele finalizou e eu me senti confuso. -Você sabe, quando me criou você se refletiu em você, nas coisas que gosta.
-Não você é o oposto de mim, calmo, talentoso, legal! -passei as mãos no rosto e meu corpo subiu uma súbita raiva. -VOCÊ É REAL! - Gritei e as teclas do piano soaram altas e duras de ouvir.
-Quanto antes me aceitar melhor chanyeol, vai me ver mais com isso. - Me sentei ao teu lado no piano e encostei a cabeça deixando algumas lágrimas rolarem, senti seus braços envolverem meu corpo. -Vai ficar tudo bem... 
-Chanyeol? - ouvi uma terceira voz, yoora nos encarava.
-yoora? -me levantei e ela correu até mim me abraçando. -Como eu senti sua falta, meu Deus, eu sabia que ela estava mentindo! 
-Não chanyeol, eu sempre estarei viva com você, eu prometi voltar. -ela sorriu como sempre sorria e meu corpo se arrepiou me deixei chorar como nunca na minha vida, as duas pessoas que eu mais queria ver estavam na minha frente nesse momento me abraçando, meu corpo não suportou tal evento, era o melhor dia da minha vida. 
-Chanyeol, hey chanyeol! - Ouvi uma voz mais grossa e abri os olhos, em questão de segundos baekhyun e yoora sumiram, agora quem estava a minha frente era yoongi. -Que merda você ta fazendo aqui essa hora? 
Meus olhos que demonstravam felicidade e soltava lágrimas de alegria morreu no mesmo instante e agora soltava lágrimas de pura dor, sofrimento e tristeza. Yoongi me olhou estranho, talvez preocupado, algo que jamais imaginei ver de yoongi, não comigo.
-Eu os vi... -solucei com o choro.
-eles quem? -ele se aproximou se apoiando no piano.
-Baekhyun... E minha irmã, estavam aqui, estava tudo ótimo até você entrar! -ele me olhou e suspirou. -eles estavam eu juro! -disse tentando o convencer e talvez me convencer também e cada vez, a cada segundo saia mais lágrimas dos meus olhos.
 -Me desculpe por isso chanyeol, mas foi uma alucinação... -Senti dó em sua entoação e chorei mais fechados olhos, quem sabe assim eu não acordava desse pesadelo, e então, o que eu menos esperava aconteceu, um abraço veio da parte de yoongi. Levantei o rosto e ele me olhou. -Vamos para o quarto, você precisa descansar... E se contar isso a alguém eu juro que te mato.
Assenti e fui para o quarto dormir, não sei como, mas aquele abraço me aconchegou de uma forma muito grande. 
Yoongi não era nada do que falavam, no fundo, bem no fundo deve existir um yoongi amoroso que está escondido.

xXx


Acordei com uma gritaria na porta do quarto.
-entra você! -Era a voz de Hoseok?
-Não é melhor batermos na porta antes? -Jungkook disse, claramente era ele, a sua sensatez é inconfundível.
-O que está esperando chanyeol? Vai logo atender esses idiotas que não calam a boca e nem tem coragem pra bater em uma porta.
-É porque você também está nesse quarto.
-Tanto faz só se livra deles. -revirei os olhos e me levantei, escovei os dentes na pequena pia que havia ali e sai do quarto assustando a todos.
-Vocês fazem de propósito? -Perguntei e eles ficaram sem entender -Vocês estão gritando na porta do quarto do yoongi.
-Também é seu quarto. -Taehyung disse.
-Sim, mas vocês poderiam ter me gritado ou batido na porta, vocês fazem confusão pra tudo. 
-Eu disse. -Jungkook cruzou os braços dizendo.
-O que estão querendo comigo tão cedo? - perguntei cruzando os braços.
-Temos uma novidade -Eles falaram juntos.
-Eu conto! -Tae gritou assustando os demais presentes.
-Ah não tae fica quieto. - Hoseok disse e então os dois começaram mais uma discussão.
-Eu vou sair! -Jungkook disse e eu sorri largo, fico feliz em saber que ele vai finalmente poder seguir a vida dele.
-Isso é ótimo JK! Quando sai? -perguntei enquanto os outros estavam emburrados.
-Hoje, depois do horário de visita. -É mesmo, é hoje, como pude esquecer? Saberei se acharam somin, e espero que sim...
-Ah! É hoje o horário de visita, tinha esquecido, se tudo der certo teremos outra surpresa hoje. - sorri e eles ficaram confusos.
-Que surpresa? -Hoseok perguntou.
-se eu contasse não seria surpresa né? -disse com um sorriso de deboche e eles reviraram os olhos. 
-Chanyeol, Jungkook a visita de vocês chegaram. -uma enfermeira disse e Jungkook só faltou pular de alegria, seguimos para a sala de visitas onde já de cara Jungkook a encontrou e correu até ela. 
-Estou saindo finalmente estou saindo. -Ele a tomou em seus braços e a abraçou forte o suficiente para ela tirar seus pés do chão. O sorriso de ambos era bem evidente e de fato ela era muito bonita, seus cabelos ruivos realçavam seus olhos, sorri com a cena e me direcionei a minha mãe e dois caras, Jin e outro que suponho ser namjoon. 
-Filho. -Mamãe me abraçou forte e sorriu. - Como tem estado?
-Bem. -menti, ontem mesmo tive duas alucinações no mesmo momento só podia estar piorando... -E Jin, conseguiu? -olhei para ele.
-Me surpreenderia se namjoon não tivesse achado a garota -ele disse enquanto arrumava sua gravata e namjoon riu.
-Não foi fácil, mas a encontrei e a trouxe, devo chamá-la?
-Sim! Eu vou chamar Taehyung -Disse com um sorriso de orelha a orelha e corri para fora da sala. -Tae tae!
-Meu Deus chanyeol a gente se viu a menos de um minuto atrás, ta com saudade já? -ele riu e eu revirei os olhos.
-Eu tenho uma surpresa para você. -Disse e ele estranhou.
-Ah que injusto, por que só para o tae? -Hoseok disse triste. -Hose também queria surpresa.
-Meu Deus gente, vamos, o que é? - Jimin disse mais animado do que Taehyung que parecia perdido em tudo isso.
-Calma, que está acontecendo? -O próprio disse e eu segurei seu pulso.
-Vem comigo! -O puxei rápido e ele só me acompanhou tentando desviar das coisas.
-Chanyeol calma! -Taehyung dizia enquanto era arrastado para a sala. -O que é tão urgente assim?
-Vai saber já... Só um minuto. -Disse enquanto passava o olho pela sala e logo vi jin e nam ao lado de uma garota de cabelos castanhos, ela parecia perdida, sem saber o que fazia lá. -Okay ta preparado? -Disse impedindo ele de vê-la. 
-Sim chanyeol agora mostra logo cara eu vou ter um ataque. -Ele disse nervoso e eu sorri saindo da frente, fazendo com que conseqüentemente seus olhos caíssem sobre ela. - Somin?... - Notei seus olhos lacrimejarem. 
-Tae? -a voz da moça soou fraca ela parecia querer chorar. 
-Somin eu... Me desculpa. - ele tentou falar mais alguma coisa, mas antes disso ela pulou em seus braços. 
-Você sumiu... Taehyung disse para fugir, mas não era de mim! -Ela disse e ele riu a abraçando. 
-Me desculpa minha pequena, ouve imprevistos. -Ele disse com o maior sorriso que já vi em seu rosto.
Jungkook de um lado com sua namorada e do outro tae e Somin -que eu espero que comece a namorar, eu não sou um cupido fraco- até mesmo me deu falta do baekhyun...
-Jin -me aproximei e ele me olhou, no fundo dos seus olhos eu vi dó. 
-já sei o que quer saber... Namjoon. -ele chamou e o amigo dele se colocou a frente.
-E então? -Perguntei.
-Byun baekhyun, não existe em lugar algum por perto do local onde você o encontrava e até mesmo mais longe disso... Desculpa chanyeol, mas Byun baekhyun é um fruto da sua imaginação. -Ele soltou tudo de uma vez e eu suspirei.
-Me desculpa por isso filho... -ela me abraçou forte. 
-tudo bem mãe, vai ser melhor assim. -Tentei sorrir o mais forte que eu pude e me sentei com ela no sofá.
-Vamos dar privacidade a vocês. -Nam disse e Jin assentiu.
-Vão lá, eu já estou indo. -ela sorriu e depois que eles saíram ela sorriu pra mim.
-Está acontecendo alguma coisa? -perguntei desconfiado.
-Não, por quê? -ela me olhou e eu semicerrei os olhos.
-Esses olhos... Esse brilho nos olhos eu só lembro deles na época de papai. -falei e ela fingiu surpresa.
-Quem é? Jin? -chutei e ela corou.
-Chanyeol! Mas que tipo de insinuação é essa? -ela me deu um leve tapa no braço e eu a olhei surpreso.
-Desde quando? -perguntei -Não é por minha causa né... Tipo para pagar ele. - sussurrei e ela arregalou os olhos.
-Park chanyeol que tipo de pessoa você acha que sou? Você está me ofendendo. -ela disse e eu apenas consegui rir.
-Mãe me explica isso.
-Não estamos saindo. Eu hein, credo chanyeol.  - revirei os olhos e ela riu. - como está indo aqui? Estão te tratando bem?
-Eu me acostumei com as coisas, à rotina, sinto falta de casa... De você... Mas é suportável. -suspirei.
-Eu entendo, logo vai estar em casa.
-mãe...
-diga. -ela me olhou esperando que eu falasse algo, mas eu hesitei...
-John perguntou de mim... Ou talvez a July? -meu coração acelerou em medo do que eu poderia ouvir de resposta.
-Sim... -Ela suspirou. 
-Pelo suspiro creio eu que não foi nada bom. -Falei e ela assentiu.
-Eles acabaram me ligando depois de tanto te mandar mensagens e não ser respondido. Acabei contando que estava aqui e eles riram acharam que era piada, mas depois que eu disse que era séria a chamada caiu, não sou idiota sei que desligaram...
-Tudo bem -Suspirei.
-Mas um tal de kyungsoo perguntou de você algumas vezes.
-kyungsoo? -perguntei surpreso, o kyungsoo que eu mal conheço e mal me conhece se preocupou e meus amigos de anos não...
-Sim, primeiro foi ele e alguns meninos, agora ele passa lá de vez em quando com alguns deles ou sozinho, ele não sabe quando vai poder te ver... Mas pediu para que eu dissesse a você que estão te esperando lá fora e tudo vai ficar bem.
-Isso não é mentira é?
-Não, realmente ele parece preocupado - Sorri mínimo, pelo menos ele estava preocupado comigo.
-Chanyeol, temos que nos despedir do Jungkook vamos. -Tae apareceu com um brilho nos olhos que eu nunca vi.
-Está certo, preciso ir mãe, até a próxima. -Abracei ela e beijei se rosto indo até a porta onde todos estavam ali sentimentais.
-Não vai -Hoseok chorava.
-Hose eu venho visitar vocês -JK riu enquanto falava.
-Não, você não sabe o quanto eu, Hose, estou me esforçando para estar aqui e implorar para que não vá.
-eu sei que está por isso eu te amo Hose. -ele o abraçou.
-Ei! Eu também estou aqui. -Hope disse e foi abraçado mais forte por JK.
-Vai fazer falta cara -Jimin dizia enquanto afastava Hoseok e o abraçava.
-Sentir falta desse chato? Vocês devem estar de brincadeira só pode. -tae disse revirando os olhos.
-você disse igualzinho o yoongi, eu sei que vai sentir minha falta tae, eu também vou sentir falta das suas paranóias! -Ele puxou Taehyung para um abraço e sussurrou -Não perde essa menina de novo.
-Pode deixar -ele disse sorrindo.
-Chanyeol. -Não, eu odeio despedida. -Tenta controlar eles?
-O chanyeol? Se ta de brincadeira, me deixa cuidando de tudo! -tae disse e todos reviraram os olhos.
-Você seria a última opção pode ter certeza. -Jimin disse rindo.
-Ta certo eu vou fazer meu máximo -disse abraçando JungKook e logo sussurrei -Faça o favor de nos visitar e de cuidar bem da sua namorada.
-Pode deixar, fica bem aqui chanyeol, um dia nos encontramos lá fora.
-logo - falei e então ele se afastou indo para onde todos queriam ir, a saída e dali não o vimos mais.
-Estou emotivo não me toca... vou pro quarto -Hose disse saindo.
-Eu também vou deitar. -Jimin disse saindo.
-Chanyeol -Tae virou para mim. -Obrigado, pelo que fez a somin realmente me perdoou...
-Por nada tae, eu precisava fazer algo, precisava te ajudar.
-Você nem me conhece direito chanyeol -Ele riu.
-Não precisa de muito tempo para gostar de você Taehyung.
-Valeu mesmo. -ele sorriu e me abraçou.
Depois disso fomos ambos descansar, os dias tem sido corridos aqui dentro, ate mesmo eu precisava deitar e processar tudo o que tinha acontecido... Jungkook fará falta...
Acordei mais uma noite com o som do piano mais alto do que o normal na sala de instrumento. Me levantei e fui até lá encontrando como sempre yoongi.
-Por que será que eu já esperava sua visita aqui? -Ele riu e levantou a cabeça e eu vi seus olhos escorrendo lágrimas.
-Yoongi... Tudo bem? -perguntei me aproximando.
-tudo ótimo -ele suspirou e bateu forte na tecla do piano mas parou em seguida.
-Não parece...
-Não é da sua conta chanyeol. -Ele riu. -Mas como você é um bom garoto eu vou te contar o que aconteceu e o porquê estou aqui. -Arregalei os olhos e ele suspirou. - Sente-se confortavelmente, vamos a uma viagem de dez anos atrás.
-Está aqui há 10 anos? - perguntei.
-Sim. -Mais um suspiro. -Tudo começou no dia em que decidi me matar...

"Hoje o dia estava o inferno, não que todos os dias não fossem, mas esse em particular... Suspirei enquanto andava pelas ruas de Seul voltando para casa, onde não teria ninguém. 
Algumas lembranças me vinham à cabeça de toda a minha vida, algumas me incentivavam a fazer isso, outras me faziam pensar se realmente queria isso, e no fim era sempre "sim"
Abri a porta e dei de cara com o vazio, meus pais foram trabalhar minha irmã estava por ai. Joguei a mochila em qualquer lugar, coloquei a ração para a minha gata sina, e fui em direção ao meu quarto. Meu coração acelerado doía como quem implorava por aquilo, o ato, eu não aguentava mais esse mundo. Balancei a cabeça tentando afastar esses pensamentos e a primeira coisa que fiz foi levantar e ir até a sala onde estava meu piano, sentei ali e me ajeitei para tocar, iniciei a melodia e em menos de cinco minutos de calma e harmonia a porta foi aberta revelando meu pai entrando bêbado.
-Ah, você está aí. -ele disse com desdém e eu nem me propus a responder. -Sua irmã não chegou? -neguei e continuei meu piano. -Para de tocar essa merda...
-meu piano não é merda... -falei praticamente sussurrando de tão baixo 
-Não o piano não é você tocando sim. -ele riu irritantemente. -para com essa merda yoongi! - ele massageou as têmporas e se levantou bruscamente me fazendo recuar. - Não vai parar? Então não vai ter piano! -Ele pegou uma marreta e acertou o piano várias vezes o danificando, lágrimas saiam dos meus olhos e meu corpo tremia.
-Você é um monstro! - Gritei antes de correr pra dentro do quarto de novo, ele destruiu a única coisa que eu amava ainda.
Meu piano...
Ouvi baterem a porta da sala, provavelmente foi ele indo ao bar novamente, peguei a garrafa de bebida dele, o álcool e joguei tudo no chão, acendi um fósforo e o taquei no chão vendo o fogo se acender, era assim que eu morreria.
Mamãe desculpa... "

Ele estava repleto de sentimentos dolorosos no coração, por isso yoongi era difícil... 
-Então foi por isso que entrou depressão, suicídio... 
-Foi chanyeol, eu não matei ninguém por incrível que pareça eu nunca mataria nem mesmo uma mosca. -Ele riu fraco. -Mas como pode ver eu falhei e fui trazido para cá por um amigo meu.... 
-Wow... Que barra, mas como está agora? -perguntei. 
-Essas memórias me invadiram de uma vez só, como um tapa na cara, mas eu sinto que posso me libertar agora. -ele sorriu e eu sorri ao ouvir isso. -Eu quero sabe chanyeol, me libertar, ser outra pessoa. 
-É ótimo ouvir isso. -falei com um sorriso no rosto. 
-É ótimo poder falar isso -ele sorriu e eu sorri o abraçando. 
-você vai sair daqui em breve. -sussurrei. 
-Sim eu vou. -Seu sorriso foi caloroso, finalmente min yoongi sorrindo e com bons pensamentos. - vamos dormir, está tarde e estou cansado. 
-vamos. -Disse enquanto o acompanhava, eu realmente ficava feliz que ele queria melhorar, yoongi tem tudo para ser incrível lá fora, ele não merece ficar aqui.

xXx

Acordei com um alarme soando, um barulho alto e chato. Me levantei as presas e saí do quarto vendo todos correrem.
-O que está acontecendo? -perguntei a jimin que passava correndo.
-É o alarme de incêndio, a sala de instrumentos pegou fogo. -ele disse rápido e me puxando.
-Pegou fogo assim de nada?  -Perguntei enquanto era puxado.
-Parece que tinha alguém lá, mas temos que correr.
-Alguém? -parei.
-Chanyeol não é hora de parar. -Ele me olhou preocupado.
"Eu vou sair daqui logo."
-Era yoongi?! -gritei e corri em direção a sala onde podia se ver fumaça preta saindo da porta, não acredito que ele fez isso.
-Não chanyeol -Taehyung pegou meu braço e me puxou para longe.
-Tae me solta! -gritei já chorando.
-Não vamos perder mais você. -Ele sussurrou e eu morri por dentro enquanto era arrastado para fora. Fomos levados para o grande salão e lá estavam todos inquietos. 
Do meio de toda essa bagunça apareceram alguns bombeiros junto de yoongi que parecia até bem.
-Graças a Deus - falei indo até ele. -mas que merda yoongi 
-Falhei de novo... -ele sussurrou. 
-Min yoongi, tacar fogo na sala de instrumentos é inaceitável, vamos te levar para a ala de urgência. - um dos enfermeiros disse. 
-Não, não leva ele - Pedi. 
-Não é uma opção chanyeol. -ele respondeu.
-cadê a doutora shinhye? -perguntei. 
-Ela ainda não chegou. -tae disse. 
-Não, não vai levá-lo! -gritei o agarrando. 
-Não insiste chanyeol - yoongi disse. 
-Não é mais da sua conta... -Tae me puxou as forças me afastando de yoongi e meu coração gritava para fazer algo. 
-Então eu vou junto -Gritei e me soltei socando a cara do enfermeiro -se não me levarem junto eu vou fazer muito mais de um inferno. 
-Chanyeol! -Tae gritou, mas jimin o segurou e então um enfermeiro me pegou pelo braço e me puxou pra perto de yoongi.
-Ta certo, os dois estão sendo transferidos para a ala U.
-Chanyeol... -Yoongi disse sem entender nada.
-Eu não vou abandonar mais você. -falei.
-Mas e a gente? -Tae disse.
-Vocês têm a si mesmos, não posso abandonar ele... Desculpem-me.
E depois disso fomos arrastados para dentro daquela porta que ninguém nunca quis entrar.


Notas Finais


Essa é a historia do nosso bb min yoongi.

"HARU MAS Q MERDA É ESSA?" Eu sei que deu meio ruim, mas tudo precisa de um pouco de adrenalina não é?? hdhfshgsgs

Deixem nos comentarios o que acham que vão acontecer, favoritem a fic para dar apoio e suporte, e ate domingo com mais um capituloooo <3

AMO VOCÊS ~don't hate me <3~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...