História Mysterious Deaths - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Kuroko no Basuke
Personagens Akashi Seijuro, Aomine Daiki, Himuro Tatsuya, Kise Ryouta, Kuroko Tetsuya, Midorima Shintarou, Murasakibara Atsushi, Personagens Originais, Takao Kazunari
Tags Akakuro, Aokise, Assassinatos, Detetive, Kiseki No Sedai, Lemon, Midotaka, Mistério, Mortes, Murahimu, Romance, Universo Alternativo, Violencia, Yaoi
Visualizações 43
Palavras 1.442
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Ficção, Lemon, LGBT, Mistério, Romance e Novela, Saga, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Slash, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oieeeee! Como vão?

Adivinha quem não tem vergonha na cara e esqueceu da fanfic, e só lembrou quando um leitor comentou a fic? Eu!

Só digo uma coisa, perdão, k

Eu estava preocupada com o colégio, por isso não postei nada. Bem, agora que estou de férias, >>>>talvez<<<< os capítulos saiam mais rápido.

Não revisei o cap, perdão pelos erros!

Boa leitura!

Capítulo 6 - Capítulo 5 - O Complexo de Uma Noite de Cinema


— HAHAHAHAHAHHA CHUPA AOMINECCHI!

— VAI SE FODER LOIRA ENDEMONIADA!

— EEEEH? HIDOI* AOMINECCHI! VOU CONTAR PARA O KUROKOCCHI!

— CONTA PARA VOCÊ VER SE NÃO TE ESPANCO!

— O que está acontecendo? — Uma voz foi ouvida, calando Daiki e Ryouta que estavam quase se matando.

— Ah! Kagamicchi, tudo bem? — O loiro, ignorando completamente a existência de Daiki que o olhava indignado, foi até o ruivo-falso, o ajudando com algumas sacolas. — Quer ajuda?

— Mas você já pegou as sacolas... por que está perguntando? — Murmurou meio desconcertado.

— O que você comprou? — Kise bisbilhotava a sacola, tirando de lá alguns produtos para cabelo. Incluindo um pote de tinta vermelha. — Ne, ne, Kagamicchi, por que você pinta seu cabelo de vermelho? Você fica bem com o cabelo escuro!

— Te interessa? — Taiga perguntou, e, verdadeiramente, sem intenção de soar grosseiro.

— HIDOI!

— Ignorando essa gazela, e aí, Bakagami, bora assistir um filme com o resto?

Sure, o que vão assistir?

— “O Chamado”.

Fuck.

— Ué? O que foi? Está com medinho, Bakagami? — Se aproximou sorrindo zombeteiro, arrancando uma carranca de Taiga.

— Ó-óbvio que não! Mas é que... filmes de terror são... — Tremeu em calafrio.

— Hahaha! Bakagami tem medo de um sanguezinho e fantasminhas? Uyyy! HAHAHAHA! — Começou a rir, se afogando de vez em quando com o próprio riso.

— Aominecchi, você... está bem? — Kise se aproximou do moreno, que ria tanto que se jogou no chão, segurando o abdômen, enquanto chorava.

— ... só interna.

— Realmente... — Ryouta murmurou. Depois de tal cena, direcionou o olhar ao relógio que se encontrava preso à parede, se empalidecendo logo após. — KAGAMICCHI, FODEU! — Kise saiu correndo, pegando seu casaco e colocando rapidamente, pegou uma carteira com uma boa quantidade de dinheiro e começou a puxar Aomine pela blusa, desesperadamente.

— O que foi criatura? — Taiga questionou.

— O FATO DO AKASHICCHI TER COMBINADO ENCONTRAR A GENTE ÀS 18:30, E AGORA SER 18:32 NÃO TE PREOCUPA?

— ...

.

.

.

— AAAAAAAAAAAAH, BAKAGAMIIIIIIIII ME SOLTAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA!

Vocês devem estar se perguntando, “MAS QUE MERDA? ”, e eu lhe respondo, meu caro, Taiga, desesperado, simplesmente jogou o moreno no ombro e saiu correndo junto de Kise, fazendo certo ser berrar feito uma cabra por indignação.

Assim que avistaram uma cabeleira ruiva, junto de uma esverdeada e de outra arroxeada, aceleraram mais o passo. Assustando os 3 que se encontravam ali.

— O que... aconteceu com vocês três...? — Akashi questionou baixinho, o mesmo estava abraçado a um azulado tremendo de frio, tentando proteger o pequeno com seu casaco.

— GOMEN, AKASHICCHI, É QUE O KAGAMICCHI ACABOU CHEGANDO, CONVIDAMOS ELE, AOMINECCHI COMEÇOU A MORRER NO CHÃO E NEM PERCEBEMOS QUE ESTÁVAMOS ATRASADOS, NOS PERDOE!

— Espera... atrasados? Mas... nós não tínhamos combinado de nos encontrar às 18:30? Ainda são 18:17, vocês chegaram cedo.

— Espera... quê? Mas... no relógio...

— KISEEEEEEEEEEEEEEEEEE!! — O loiro ouviu duas vozes gritarem juntas.

.

.

.

— Aliás, por que Tetsu está tremendo e está tão pálido? — Aomine perguntando, assim que “limpava suas mãos”, após ter dado... “””carinho””” para Kise.

— Quando estávamos vindo para cá, um cara acabou por empurrar Tetsuya, e ele caiu em uma poça de água.

— Que azar... — Aomine falou. — Como era esse cara? Ele se desculpou por isso? Tetsu, se você pega uma hipotermia, a gente se ferra.

— Bem... na verdade o cara nem olhou para trás, apenas continuou correndo. Ele era até que alto, tinha cabelo preto e sobrancelhas grossas. — Midorima falou calmo, enquanto arrumava os óculos no rosto em um tipo de tique.

— Hm... que babaca. — Aomine falou, com a concordância de Taiga, Seijuuro e Atsushi. Ryouta estava jogado no chão, então não conseguiu concordar.

— Heeeeeeeeeeeey!! Vocês já estão todos aqui? — Foi ouvida mais uma voz, muito bem conhecida, por sinal. — A pessoa mais diva que conhecem chegou!

— Ué, não estou vendo ela. — Kagami falou, fingindo procurar com o olhar.

— É porque você não tem bom gosto e muito menos um bom olho para vê-la. Mas tenho certeza que Shin-chan já encontrou ela, né? — Kazunari fez uma cara convencida.

— Acho que preciso trocar o grau dos meus óculos, pois não vejo essa pessoa também. — O esverdeado falou, arrancando uma risada de todos, e uma face de indignação de Takao.

— Só não planto o barraco porque eu fiz minhas unhas e não posso bater em ninguém. — Cruzou os braços, fazendo beiço em sinal de birra.

— Conforta teu macho, Midorima. — Aomine disse, segurando a risada, recebendo um dedo do meio. — Olha ela, está puta hoje.

— Então... pessoal, vocês não acham que é melhor entrarmos? Kuroko-kun parece estar congelando. — Himuro, que até então não teve sua presença notada, declarou calmo. Fazendo com que todos se tocassem da situação do baixinho que se escondia nos braços do – por enquanto – amigo.

Todos se direcionaram para dentro do cinema, que naquele dia, por ser um sábado, estava lotado. Algumas pessoas encaravam o grupo, talvez pelo fato deles chamarem certa atenção pela aparência.

— Eu vou buscar pipoca com o Tetsuya, alguém vem?

— Eu! — Kise foi até os garotos, junto de Tatsuya e Kazunari que decidiram os acompanhar, os outros garotos ficariam para ficar na enorme fila de ingressos.

.

.

.

Todos já estavam na sala do cinema, aonde veriam o filme, estavam na seguinte ordem: Murasakibara, Himuro, Kagami, Aomine, Takao, Midorima, Kise, Kuroko e por último, Akashi.

As reações eram muitas. A cena era a seguinte: A câmera se aproximava de um poço lentamente, com uma música de suspense, todos sabiam do claro susto que teria.

Murasakibara estava comendo e olhando atentamente para a tela; Himuro mexia sua perna em ansiedade enquanto comia pipoca com Atsushi; Kagami olhava a cena tremendo, com os olhos marejados; Aomine mantinha uma carranca no rosto, com os braços cruzados; Takao lixava suas unhas; Midorima tentava entender a burrice dos personagens de filmes de terror; Kise apertava o braço de Kuroko e olhava assustado para a tela; Kuroko dormia encostado no ombro de Akashi; Este último que também dormia encostado no azulado.

— AAAAAAAAAH!! — As pessoas gritaram com o susto. Kagami e Kise já choravam com o filme, desesperados e querendo ir embora.

.

.

.

— NUNCA, REPITO, NUNCA MAIS ME LEVEM PARA VER FILME DE TERROR, NUNCA! — Taiga gritava na sala, enquanto as pessoas iam embora.

— Você é muito escandaloso, Bakagami, parecia uma criancinha gritando. E se assusta com tudo.

— Eh? Mas você também se assustou com muitas cenas, Aominecchi!

— Quieto, loira!

— Eu sou homem!

— Hey, Akashi-kun e Kuroko-kun dormiram, é normal isso acontecer enquanto assiste filme de terror? — Himuro perguntou, encarando os dois garotos.

— Vindo do Akashi, isso é comum, já que é o próprio demônio, e o Tetsu convive com o Akashi todo dia e não se assusta, então está tranquilo.

— Ai, quando será que o Akashicchi vai assumir gostar do Kurokocchi?

— Ué, Kise, você não gosta do Kuroko? — Taiga perguntou.

— Kurokocchi é meu melhor amigo! — Recebeu um olhar raivoso de Aomine. — É claro que gosto dele! Mas não da forma romântica, até porque eu gosto de outra pessoa. — Olhou “Disfarçadamente” para Aomine, que por acaso, nem notou a indireta – muito direta – que o loiro o mandou.

— E então... quem vai acordar o Aka-chin e o Kuro-chin? Apenas avisando, eu não vou. — Segurou o braço de Himuro. — Muro-chin também não vai. — E então saiu “andando lentamente” para fora da sala.

— Só digo uma coisa. — Kazunari iniciou, saindo correndo e puxando Midorima junto. — Eu e o Shin-chan não vamos!

— Haha~ — Kise riu de leve. — Tchau para vocês dois! — Saiu correndo da sala. Deixando Aomine e Kagami sozinhos com o “casal”.

— ...

— EU NÃO VOU ACORDAR ELES! — Ambos falaram ao mesmo tempo.

— Você tem mais intimidade, Ahomine!

— Mas-

— Tchau! — Foi embora de forma extremamente rápida.

Aomine questionava entre deixar ambos os garotos ali mesmo e morrer com uma tesourada, e acordar ambos e o ruivo querer dar uma tesourada nele por ter interrompido o momento.

Por algum motivo, nenhuma das situações lhe agradava, mas era mais seguro acordá-los. Entretanto, ele teve uma ideia.

Com as pernas tremendo, Daiki foi se aproximando lentamente dos dois, tocando no ombro de Kuroko e o chacoalhando levemente.

— Hmm... Aomi... ne-kun? — Levantou o rosto levemente do ombro de Akashi. — O filme já acabou?

— U-uhum... Ne, Tetsu, pode acordar o Akashi? Não quero morrer hoje...

— Hm? Por que morreria? — Questionou jogando a face para o lado. Virando o rosto novamente e começando a tocar a bochecha de Seijuuro. — Akashi-kun... acorde... o filme já acabou.

Aomine, que até então olhava a cena, começou a sair de fininho da sala, deixando o azulado e o ruivo sozinhos.

Os olhos de Seijuuro se abriram, encarando os orbes brilhantes de Tetsuya, ficando meio corado.

— Etto... Akashi-kun, o filme acabou, vamos saindo? — Tetsuya, que também estava meio corado pela aproximação, perguntou.

— U-uhum... — O ruivo se levantou sem jeito, estendendo a mão para o azulado, que a segurou envergonhado.

Ambos os garotos saíram da sala, corados e em silêncio. 


Notas Finais


* "Cruel"

Espero que tenham gostado!

Novamente, desculpa pela demora de quase um mês, ou um mês mesmo

Até mais! :3

Kissus <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...