História Mysterious Love (Imagine Taehyung-BTS) - Capítulo 48


Escrita por: e PandoraSora

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Girls' Generation
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Taeyeon
Tags Anjo, Bangtan Boys (BTS), Bruxo, Demônio, Dominação, Ecchi, Ficção Cientifica, Hentai, Híbrido, Hot, Imagine Taehyung, Imagine V, Lobo, Magia, Mistério, Possessão, Psicologia, Sadomasoquismo, Sci-fi, Sobrenatural, Sora_akai, Taehyung, Vampiro, Yoonmin
Visualizações 182
Palavras 1.319
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Ecchi, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Sci-Fi, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 48 - Reflexões.


Fanfic / Fanfiction Mysterious Love (Imagine Taehyung-BTS) - Capítulo 48 - Reflexões.

Mi-Cha se aproxima de mim e pergunta o porquê de eu estar tão atônita.


— Eu vi alguns reflexos, visões... — murmuro.


— Creio que não seja daqui, se não eu também teria visto. — sua frase me passa um pouco mais de alivio. 


O cemitério estava repleto de nevoeiro.


— Vai ser difícil enxergar com isso. — semicerro os olhos.


— Min-Kyung vai te seguir, por isso precisamos nos separar, no momento que ele te seguir com outra aparência, eu irei procurar o verdadeiro Taehyung e então vamos desfazer tudo isso. — Mi-Cha começa a caminhar em outra direção.


O cemitério causava certos calafrios, de acordo com os passos que eu dava eu conseguia ter uma visão mais nítida do que estava ao meu redor. 

As lápides possuíam símbolos antigos.

Notei que no ar desse lugar havia um componente desconhecido, dava um pouco de confusão na mente. O nevoeiro começa a se desfazer ao meu redor e uma figura se faz presente logo a frente. Seus traços eram completamentes iguais. Era como se fosse o próprio Taehyung ali na frente.


— Você não escutou sobre o aviso dos limites, não é? — eu precisava distraí-lo e dar tempo para Mi-Cha. O rastreamento de Mi-Cha deve ser bem melhor que o meu, ela parecia tão experiente.


— Há coisas que não condizem completamente com os meus interesses. — murmuro lançando um pequeno sorriso. O homem possuía a aparência de Taehyung, mas de forma alguma seu sorriso era igual ao dele. Taehyung mesmo em sua forma cínica, possuía um sorriso único. — Onde está Taehyung? — questiono séria. Minha mão tremia para que lançasse algum poder, mas machucaria Taehyung ao mesmo tempo.


Se estiver certa, Taehyung deve estar fraco, não haverá muitas liberações de poderes, esse homem não possuí poderes, sua base é a chantagem.


— Você obviamente deve ter descobrido algo, ao invés, não estaria aqui. — o homem murmura revelando uma outra voz, sua tonalidade era bem mais grave.


Rapidamente mudo o sentido dos meus passos e caminho ao lado de lápides mais altas. Essa energia é assombrosa. Minha visão escuresse um pouco, mas logo se recupera. Isso de novo... não! Não agora.


— Está bem? Garotinha? — a voz do homem ecoa e logo escuto passos próximo das lápides.


Me viro em uma coluna chegando em um lugar totalmente vasto, as lápides chegaram ao fim. Este espaço estava reservado para novos mortos, mas não haviam lápides em datas próximas. Não estava com medo, ou hesitante, apenas estava ganhando tempo.


— Diga-me, veio sozinha? — solta uma risada abafada. — Você é louca a esse ponto?

 

Analiso ao redor e vejo sua figura, agora diante de mim.


— Sou. — sinto uma leve energia nas pontas dos meus dedos. Uma voz sussurra calmamente, estava em minha mente. Ela conseguiu.


— Tem alguém aqui! — ele exclama levemente irritado e se aproxima. Sinto sua pele falsa deixar uma marca no meu pescoço, ele apertava, mas não tão forte. Suas mãos tremiam. — Onde ela está? — um sorriso arrogante preenche meu rosto.


— Como se eu fosse realmente falar. — solto uma risadinha amarga. — Por que não procura? — sorrio ladina. A expressão no rosto do homem só piora. Ele estava querendo se destranformar. Eu seria sua próxima vítima?


— S/n! — vejo Taehyung logo atrás do homem. Sua pele estava pálida, ele tinha o semblante repleto de exaustão. — cia  afasta dele. — Taehyung pede em repleta lamúria.


— Tae... — meu olhar cai novamente sobre ele. Ele estava tão fraco, tão frágil. A minha urgência no momento foi correr até ele, mas vejo Mi-Cha aparecer.


Taehyung não me encara, encara apenas o oponente a sua frente. Seus passos são infalsos, mas ele consegue se manter em pé.


— S/n, agora! — Mi-Cha lança um forte impulso contra os dois corpos semelhantes. — Nós precisamos fazê-lo enfraquecer, precisamos matar ele. — sua mão estava tremendo. — Você sabe, ele é demônio, ele vai se recuperar. — S/n! Não tem tempo! — Mi-Cha grita me fazendo acordar do transe. Viro minha atenção rapidamente e procuro me concentrar em propelir poder. Mesmo com nossos poderes o processo ainda estava fraco. — Nós precisamos aumentar a força. — Mi-Cha comenta.


— Mas, isso pode machucar fortemente Taehyung. — meu olhar de indignação cai para ela. Eu não posso fazer isso com ele, quando ele vai parar de por sua vida em risco por tudo?


— Você acha mesmo que ele não sabia? — Mi-Cha me encara. — Se continuarmos assim, Min-Kyung vai escapar e pegar outra vítima, seja eu ou você. — isso havia me convencido.


Meu cérebro lutava entre duas escolhas. Uma parte de mim queria chorar por estar machucando alguém, outra queria apenas que tudo acabasse.

O impulso se torna mais forte do que imaginei, tudo a nossa frente se torna claro, como se um sol nascesse logo ali. A imagem de um local vasto e um corpo caído aparece.


— Deu certo. — Mi-Cha murmura respirando fundo. — Esse parasita não é forte, mas causa uma incrível dor de cabeça. — ela olha ao redor e toca levemente sua testa. A energia está acabando, logo os outros estarão aqui.


Corro até Taehyung e não sinto sua pulsação, sua pele estava gélida e tão sem vida.


— Taehyung... — murmuro baixinho chamando-o.


— Ele vai ficar bem. — Mi-Cha responde e se abaixa ficando na mesma altura que eu. — Posso? — ela questiona hesitante em tocar a mão dele, concordo e ela toca calmamente. — No máximo três dias. — ela sorri e se levanta. — Ele é forte, fique tranquila. — toca meu ombro em consolação e deixa duas batidinhas.


— Você é realmente louco... — sopro um sorriso e acaricio levemente seu rosto.


                              [...]


Há dois dias atrás ele estava naquelas terríveis condições, porém parecia que ele nunca melhorava. Ontem sua temperatura corporal aumentou absurdamente. Segundo Hoseok, ele nunca havia visto algo com aquilo acontecer.

Analiso minuciosamente aquela tão admirável decoração. O ambiente espaçoso tinha um ar tão monótono, o quarto estava em repleto silêncio.

Taehyung estava inconsciente mas era como se eu estivesse machucada por dentro. E era isso. Me machuca vê-lo mal. Observo-o atentamente e novamente acaricio suas madeixas claras, a cor da sua pele estava bem melhor que antes.


— Aish! Por que você está assim? — exclamo fingindo indignação, mas logo fecho minha cara em uma expressão triste. — Você deveria estar me falando como foi parar lá... — fecho os olhos brevemente e suspiro. — Me pertubando com seus comentários totalmente aleatórios... — analiso-o e penso em outros exemplos. — Me fazendo visitas surpresas, trabalhando no seu escritório/trono real, é admito você fica sexy trabalhando e dirigindo... — solto uma risadinha e me preparo para levantar. — Vou pegar algo para lanchar e logo volto, prometo. — sorrio ladina e me levanto com um pouco de animação.


No momento não tinha ninguém em casa, apenas eu. Saio do quarto e desço as escadas calmamente, assim que desço o último degrau observo uma porta que dá acesso ao corredor em que fica a biblioteca. Não deveria estar aberto. Me aproximo e quando iria fechar a porta noto que as luzes também estavam acesas, logo adiante, a porta da biblioteca estava completamente aberta. Esses garotos não sabem fechar as portas antes de sair?

Assim que me aproximo e dou passos para dentro da biblioteca a sensação de mau-estar me persegue. Um formigamento na parte detrás da cabeça me incômoda de forma absurda. Os símbolos nos meus braços aparecem sem esforço algum, estava ficando com mais tontura a cada segundo que passava. Minhas pernas fraquejam e inesperadamente sinto o impacto do meu corpo contra o chão, sem forças para me levantar tento respirar fundo. Os reflexos invadem minha mente de forma devastadora.


Fazendo-me esquecer até mesmo de onde eu estava. Ele transformava tudo ao meu redor.





Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...