1. Spirit Fanfics >
  2. Mystical >
  3. Novas sensações

História Mystical - Capítulo 14


Escrita por:


Notas do Autor


Posso dizer pra vocês que meu coração salta pela boca na expectativa de publicar o primeiro lemon dessa fic? Gente! Obrigada aos novos favoritos e principalmente os comentários, amo vocês e eu enrolei un pouco pra publicar? Sim kkk mas eu gostaria de pedir que tenham paciência comigo, eu quase nunca escrevo lemons e nem gosto muito, mas esse eu realmente me esforcei kk e corrigi três vezes, mas como sempre vai ter erros Entãão, ja peço perdão.

• A imagem do capítulo(se aparecer) não me pertence.

Capítulo 14 - Novas sensações


Narrador Onisciente

Novas sensações

Albafica acordou no meio da noite bastante atordoado. Sentia suas nadegas escorregadias e o cheiro forte de sangue. Retirou as cobertas de seu corpo e viu sua túnica bastante manchada e um pedaço de pano molhado em seu ventre, ainda muito sensível e dolorido. O ômega notou que era Camus quem estava ao seu lado e não Manigold. O que sem dúvidas pegou-o de surpresa, levantou-se calmamente notando que apesar de estar bastante sujo já não sangrava mais, o que foi um alívio.

Entrou calmamente na sala de banhos de Manigold para se limpar. Não demorou mais do que o necessário lá, saiu rápido tendo seu corpo extremamente sensível enrolado em um tecido branco muito confortável, sua túnica apenas a deixou jogada em um sexto onde as criadas costumavam pegar as roupas sujas assim como o pano grosseiro que mantinha a cama limpa. Com um suspiro cansado e com muita vergonha acabou mexendo com Camus.

O mais novo resmungou e abriu os olhos tomando um belo susto - Alba, você está bem? Parou de sangrar - O loiro mordeu o lábio inferior e assentiu apontando logo em seguida para onde havia deixado sua túnica suja.

- Estou sem roupa... - Sua voz saiu em quase um murmúrio fazendo com que o ruivo rapidamente ficasse de pé e fosse em busca de outra túnica para o mais velho.

Camus entrou no quarto de Albafica bastante envergonhado, Manigold estava dormindo lá, mas seu susto sem dúvidas fora maior, afinal, o vampiro não estava de fato dormindo. Assim que entrou o alfa ja sentiu o aroma cálido de Camus e logo sentou-se na cama, não havia se quer conseguido cochilar pensando que Albafica poderia estar sentindo dor ou que algum alfa maldito invadisse o quarto para abusar dos dois - Ele está bem? - Perguntou rápido vendo o mais novo assentir e mexer no baú onde as roupas de seu ômega ficavam guardadas.

- Ele não está mais sangrando e eu acho que não está mais sentindo dor - O ruivo já iria sair do quarto quando Manigold rapidamente o parou, o risco de atacar Albafica ja havia passado, então ele de fato queria voltar para o seu ômega se ele iria entrar no cio.

- Camus. Por que não me deixa ficar com ele e vai dormir? Amanhã o dia vai ser cheio com Lugonis vindo aqui e todos os assuntos com Argos. Então eu queria passar o máximo de tempo possível com o Albafica.

-Tudo bem... Mas ele ainda não está fora de si. Ainda está bem consciente, cuide bem dele - O vampiro sorriu e pegou a túnica que o ruivo iria levar, apenas o acompanhou rapidamente até até o quarto e depois seguiu para o seu, quando passou pela porta o aroma de Albafica estava intenso. O loiro estava próximo a sacada sentindo apenas o vento frio tocar sua pele tão quente.

- Você demorou a noite está lind... - Parou de falar assim que notou que quem havia entrado no quarto não era Camus. O loiro estava terrivelmente corado, não apenas pela vergonha mas pelo calor que tomava seu corpo, e ver seu alfa ali... O deixou ainda mais quente.

O vampiro sem enrolação deixou a túnica por cima de um banco qualquer e caminhou até onde o Nynfes estava parado. O menor deixou o pano escorregar por seu corpo assim que sentiu aqueles braços fortes ao redor de si apenas que seus lábioa fossem tomados de forma voraz quase não lhe dando tempo para respirar, pediu passagem com a língua explorando cada canto daquela boca, Albafica passou seus braços em torno do pescoço do maior para intensificar mais o ósculo.

Manigold por sua vez, mantinha uma mão naquela cintura fina o puxando para mais perto, enquanto a outra apertava com força considerável as nadegas branquinhas. Sem muito esforço o alfa carregou seu ômega no colo ainda o beijando até a cama, onde deitou-se por cima do mesmo finalmente parando o beijo bastante ofegante. Retirou suas próprias roupas voltando a ficar por cima e retornando ao beijo, Albafica acabou gemendo quando sentiu a mão do maior em seu falo enquanto com o próprio corpo precionava o seu impedindo-o de fechar as pernas.

Quando novamente pararam o beijo Manigold passou sua língua lentamente por cima da marca chupando ali perto deixando uma mancha arroxeada, fanzendo um arrepio percorrer todo o corpo abaixo de si e um ofego escapar pelos lábios um pouco inchados. O vampiro tornou a ficar de pé sendo observado pelo ômega que ainda mantinha as pernas bem abertas sentindo seu lubrificando natural começar a descer por entre sua nadegas, um dor leve passou por seu ventre e um pouco mais abaixo fazendo-o gemer um pouco mais alto, seu cio estava de fato chegando naquele momento.

O maior pegou em uma gaveta um tubinho pequeno contendo um óleo com o mesmo aroma delicioso de Albafica, rosas. Passou um pouco em seus dedos e voltou a ficar por cima do loiro, seus beijos começaram a descer para o peito magro parando ali por uns minutos, chupou-o até deixar marcas e descer para os mamilos, passou a língua calmamente pelo bico rijo logo contornando-o com seus lábios e voltando a passar a língua, o loiro tinha uma de suas mãos nos cabelos platinados enquanto a outra passava as unhas com força considerável pelas costas cheia de músculos e cicatrizes.

O mais velho começou a penetra-lo com apenas um dedo e ainda sem largar seu mamilo, o loiro acabou gemendo alto e abrindo mais as pernas - Manigold... - Ofegou movimentando seu quadril, apesar do seu lubrificante natural e do óleo um ardência ainda poderia se sentida - Aah! - Gemeu ainda mais algo sentindo os movimentos de vai e vem ao mesmo tempo em que o vampiro não retirava só lábios de seus mamilos. Um segundo dedo fora introduzido e os beijos de Manigold desceram até o ventre um pouco inchado e sensível - Mani...

Era um sensação devastadora e o fato de Manigold permanecer tão calado o angustiava ainda mais. Os movimentos de vai vem começaram bem lentos com os dois dedos, o maior então tomou seu íntimo entre seus lábios o fazendo estremecer e prender a respiração, Manigold passou a língua pela glande vermelha algumas vezes antes de introduzi-lo por completo em sua boca, o loiro apoiou-se em seus cotovelos e jogou a cabeça para trás vez ou outra olhando para o alfa, seus gemidos se tornaram mais altos a medida que o maior movimentava seus dedos dentro de si. Deixou seu corpo cair na cama respirando rapidamente e abrindo ainda mais pernas. Um resmungo baixou fora ouvido pelo maior quando retirou seus dedos daquela cavidade tão chamativa.

O vampiro começou a tocar seu próprio falo enquanto ainda mantinha o de Albafica em sua boca. Albafica quase gritou algumas vezes em que mantinha-se firme nos movimentos de vai e vem, chupando-o uma última vez ficou de pé ao lado da cama ainda com a mão fazendo uma massagem em si mesmo. O loiro engoliu em seco sem saber o que o vampiro milagrosamente calado queria, apenas ficou de joelhos a sua frente o surpreendendo, não sabia de fato o que fazer. Apenas tomou aquele membro enorme em suas próprias mãos imitando os movimentos que o viu fazer.

Mas claro que o medo tomou conta de si. Aguentaria aquilo tudo? Afinal quase chegava ao umbigo do alfa, decidiu ignorar seus pensamentos e apenas concetrou-se naquela delação. pegou seus cabelos tirando-os de suas costas e empinando um pouco sua bunda, realmente saber o que fazia o menor apenas introduziu aquele membro enorme em sua boca imitando os movimentos que sentiu o alfa fazer em si. Manigold apesar de surpreso acabou soltando um suspiro baixo, Albafica não sabia o que fazia e quase se engasgou umas duas vezes, acabou segurando os fios loiros começando a movimentar seu quadril para frente enfiando seu membro na boca do menor quase sem piedade.

- Delícia... - Sussurrou puxando o ômega para ficar de pé tomar seus lábios mais uma vez, sugou o lábio inferior do menor e voltou a introduzir sua língua, iniciando um beijo ainda mais agressivo ainda segurando os cabelos loiros. Quando findou o ósculo novamente Albafica estava deitado na cama mordendo seu lábio inchado e vermelho apenas esperando o que estava por vir, seu cheiro adocicado tomou por completo o quarto e a cabeça de seu alfa que lutava para não enfiar seu membro com toda força naquela entrada virgem.

Era oficial para o menor, seu cio havia começado e com ele uma dor absurda tomava conta de seu ventre fazendo-o abrir as pernas e quase implorar para o alfa que massageava o próprio membro enquanto o observava - Por favor... - Albafica implorou manhosos vendo o alfa ficar por cima de si, Manigold estava deixando seu cheiro no ômega e em todo o quarto. O menor deixou suas pernas bem abertas tentando puxar seu amado com as mãos.

O mais velho sorriu ladino melhorando sua posição na cama, passou a ponta de seu pênis na entrada bastate molhada e preparada - Vai doer um pouco... - Falou, observando o menor apenas assentir enquanto começava a penetra-lo sem muita pressa. O ômega sentiu uma lágrima descer enquanto a sensação de que estava sendo partido ao meio apenas aumentava.

Sussurrou pedindo que o maior parasse, sendo obedecido na hora, Manigold parou vendo que seu ômega chorava e se remechia tentando sentir menos dor. Começou a estimular novamente o falo do mais novo na tentativa de distrai-lo daquela dor, melhorou sua própria posição acabando por penetra-lo um pouco mais - Para! - A súplica fora quase um grito. Manigold continuou a masturbação leve notando que não o havia penetrado com nem mesmo metade de seu pênis. Depois de algum tempo Albafica mexeu seu quadril, era possível sentir o quanto a sua pele stava febril.

O alfa tentou penetra-lo um pouco mais vendo-o fechar os olhos e virar o rosto, mais lágrimas estavam descendo por seus rosto, não fosse o torpor que o cio lhe causava certamente estaria sentindo muito mais dor. Um resmungo baixo saiu por seus lábios quando o alfa se retirou de dentro de si. Manigold pegou novamente o pequeno vidrinho de óleo passando mais um pouco em suas mãos, voltou a penetrar o ômega com apenas os dedos enquanto sua outra mãos massageava mais uma vez o seu falo. Seus dedos iam e vinha com facilidade, então tomou a decisão de colocar o terceiro, o ômega arqueou as costas sentindo uma nova onda de prazer.

Manigold retirou novamente os dedos de dentro do ômega, posicionou-se para então penetra-lo mais uma vez, o menor quase implorava para ter seu corpo tomado de vez, o alfa invadia-o aos poucos percebendo que se tornara uma tarefa mais fácil e aparentemente menos dolorosa para seu amado. Segurou uma das coxas do loiro colocando sua pernas um pouco mais para cima, afim de que conseguisse entrar ainda mais, Albafica estava de olhos fechados e a boca entreaberta respirando rápido, seu cenho franzido evidenciava as dores que sentia - Ahn... alfa - A palavra saira praticamente como um suspiro sôfrego, arqueando as costas e usando as mãos para tentar puxa-lo ainda mais para dentro de si.

O vampiro em fim o penetrou por completo, soltando um tornado baixo e rouco aumentando o seu cheiro pelo quarto e pelo ômega indicando que definitivamente ele era seu. A lubrificação natural do menor aumentou e Manigold passara apenas um curto tempo parado iniciando em fim as estocadas, começou vagarosamente ficando totalmente por cima do corpo menor, os braços finos passaram por seu pescoço voltando a arranhar suas costas enquanto enfiava seu rosto na curvatura do pescoço bem onde sua marca estava deliciando-se por em fim estar tomando aquele corpo e sentindo aquele aroma de rosas.

As estocadas foram aumentando a velocidade a ponto de o menor implorar de forma manhosa por mais, o membro rijo do vampiro já entrava e saía tranquilamente de dentro do corpo de seu amado. No quarto todo, o odor de alfa e ômega se unia, era audível apenas os suspiros, súplicas misturados com breves juras de amor, e o som das carnes batendo uma contra a outra. Manigold já não aguentava se segurar, saiu de dentro do menor e deitou na cama o puxando para cima de si e o penetrando mais uma vez. O alfa atou em seu ômega o fazendo quase gritar de dor.

Seu membro estava completamente inchado dentro da cavidade apertada, Albafica recostou sua cabeça no ombro do alfa num misto de sofrimento e prazer com aquele ato - Mani... Me marca de vez, dessa vez como alfa e ômega - O vampiro sorriu mostrando suas presas.

- Aonde você quer? - O loiro puxou seus cabelos para cima e apontou na região abaixo de sua nuca. Manigold cravou as presas bem no lugar, agora de fato estavam ligados permanentemente.

***

Havia se passado poucas horas, a aurora de um novo dia nem mesmo se aproximava. Albafica abriu os olhos atordoado, sentia o torpor do cio tomar posse de seu corpo assim como a dor bastante singular em seu quadril. Remexeu-se na cama suspirando, apesar de dolorido e sujo de sangue e do leite de seu alfa, a excitação tomava conta de seu corpo, a mente nublando seu último vestígio de consciência. Não demorou muito para que novamente estivesse por cima de seu alfa o implorando para ser possuído novamente.

A lubrificação natural ja começava a molhar suas nadegas, ao passo que sua mente ja havia nublado, dali para os dias seguinte sem dúvidas, o ômega ja não lembraria de nada. Começou a deixar breves beijos no pescoço do alfa tentando acorda-lo, mas nada adiantava. Então puxou as cobertas observando o membro adormecido levando suas mãos até lá e começando a masturba-lo, não demorou muito para que o colocasse de uma vez dentro de sua boca.

O vampiro finalmente acordou do susto, mas o cheiro do ômega espalhado pelo quarto logo o fez lembrar que nos próximos quatro dias seria todo dedicado ao cio do menor, puxou-o de cima de seu falo quase desperto e o beijou — Fode... — A suplica bastante ousada e que não esperava, saiu quase em um sussurro vendo-o sentado em seu membro e esfregando suas nadegas implorando para ser penetrado.

No dia seguinte, Manigold acordou sentindo o cansaço que a noite anterior o provocou, era o primeiro cio que tanto ele passava com um ômega como Albafica passava com um alfa. Então de fato não poderia dizer que entendia muita coisa, tudo o que sabia era que o o menor ficaria sedento por sexo quase que o tempo todo, tendo apenas breves minutos de consciência, durante esses minutos deveria aproveitar para alimenta-lo, então, depois da quarta vez que fizeram naquela noite, o Nynfes não acordou mais, dormiu até mais ou menos meio dia, dando tempo ao alfa de se limpar e limpa-lo com muito cuidado.

O vampiro chegou a pedir o café da manhã de Albafica mas vendo que este não acordaria acabou deixando para pedir o alimento dele apenas na hora do almoço, apenas aproveitaria para dormir e assim o fez por no máximo duas horas até ouvir os choramingos do ômega apertando seu próprio ventre. Estava de fato fragilizado, o mais velho fora rápido em lhe fazer comer a sopa de legumes e um pouco de geleia de amora em uma fatia de pão. Observou que ele bebeu bastante água e com um desespero muito evidente. Ainda o convenceu a tomar um pouco de leite, já que sabia muito bem que durante todo aquele dia seria apenas isso que ambos iriam ingerir.

Continua...


Notas Finais


Comentem ai o que acharam 🤭

Sera que vai sair um baby mestiço? Hehehe

Gente, relevem, foi meu primeiro lemon omegaverse😶


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...