1. Spirit Fanfics >
  2. Myung, volta aqui! >
  3. Bônus 2.0

História Myung, volta aqui! - Capítulo 3


Escrita por: lvsknj

Capítulo 3 - Bônus 2.0


Fanfic / Fanfiction Myung, volta aqui! - Capítulo 3 - Bônus 2.0

Não foi fácil contar a Jungkook que a luva tinha se quebrado, ainda mais contar que quem a havia derrubado era Myung. O alfa estava pronto para dar um castigo gigantesco ao filho, talvez um ano sem vídeo game, mas Jimin impediu, contando sobre sua gravidez.

Todas essas notícias de uma vez fizeram Jungkook desmaiar, já que sua pressão abaixava em situações estresse. O ômega sabia desse pequeno problema de saúde e estava contando com ele. Se o Jeon mais velho apagasse por só alguns minutos, sua raiva já diminuiria e o castigo de Myung não seria tão pesado.

Não leve a mal, Jimin ama o marido, mas agirá a favor de seu filho sempre que conseguir.

Dito e feito. O pequeno alfa ganhou uma punição bem pesado, mas pelo menos ela não duraria um ano, Jungkook estava empolgado demais com a notícia de que seria pai de novo pra pensar em um castigo mais elaborado.

As coisas corriam bem. Uma nova escultura de luva do Iron-Man foi feita, essa nova era deixada na sala de estar e ficava trancada dentro de uma caixa de acrílico e é claro, tinha um segurança consigo vinte e quatro horas. Pode-se pensar que isso era ideia de Jungkook, mas na verdade quem tinha bolado tudo era Jimin. Não correria o risco de sofrer novamente a dor de cabeça que vinha junto com o roubo do objeto de valor, ainda mais aos nove meses de gravidez.

A chegada dos mais novos membros da família, os gêmeos Seung e Hyeon, deixou tudo mais feliz na mansão Jeon. Myung não se aguentava de alegria, sempre querendo ficar perto dos caçulas, os abraçando e apertando.

Os anos foram se passando e cuidar de três crianças não era fácil. Jeon Jungkook que o diga.

Depois de três anos do nascimento dos gêmeos, Jimin decidiu que voltaria a fazer apresentações de balé clássico pelo mundo. Seu alfa, sempre compreensivo, deu todo o apoio e também escolheu começar a ficar em casa e cuidar dos filhos, função que antes era em maior parte do ômega.

O Jeon mais velho passava a maior parte do dia dentro do escritório, assinando papeis e em ligação com Taehyung, sócio, padrinho de seus filhos e quem tinha assumido seu lugar nas viagens de negócios. Das sete da manhã as seis e meia da tarde, ele era do escritório.

Depois do período de trabalho, o alfa ia atrás de seus filhos. Myung normalmente estava na quadra, jogando tênis com Namjoon. Seung e Hyeon estavam sempre juntos, estudando ou fazendo alguma experiência catastróficas com elementos do kit de química. Jungkook sempre dava um jeitinho de se juntar a atividade ou só ficar assistindo mesmo.

Nesse momento, ele andava pelos corredores enquanto chamava pelos filhos. Tudo bem que a casa era grande, mas ele já tinha andado por mais de metades dos corredores e ninguém tinha lhe respondido. Myung estava com 14 anos, andava meio rebelde, então era normal que não respondesse. Mas os gêmeos sempre respondiam ao pai.

Algo estava estranho. E ele percebeu isso quando estava andando pelo jardim.

Normalmente, Jungkook era bem devagar no raciocínio, então demorou um pouco para perceber que algo de estrema importância estava faltando no local.

Quando bateu o olho na fonte de pedra que ficava muito bem destacada na área da piscina, quase teve um treco. A escultura de sapatilhas de cristal tinha sumido de lá de cima.

O objeto valioso tinha sido dado por Jungkook à Jimin e tinha virado o xodó do ômega. A ideia de colocá-lo no jardim em cima da fonte de água tinha sido do próprio, pensando em mostrar a todos o quão lindo o enfeite feito em sua homenagem era.

Jimin surtaria quando visse que seu precioso item tinha sumido.

— Céus. — Era a única palavra que saia da boca do alfa a cinco minutos. Seu couro cabeludo doía de tanto que ele puxava os cabelos. — Calma, Jungkook! Já aconteceu antes e a sua luva foi achada, você consegue fazer o mesmo! O Jimin nem ‘tá aqui pra descobrir!

O problema era que o Jeon não sabia por onde começar! Como Jimin tinha começado suas investigações nas vezes que isso já tinha acontecido?

Jungkook demorou um pouco pensando, até se lembrar de alguém que conhecia a casa como a palma da mão e saberia onde procurar.

Namjoon.

O alfa correu por toda a casa, tão nervoso que até esqueceu do radinho que usava pra se comunicar com os funcionários, e só encontrou o Kim vinte minutos depois.

— Pai, Ainda bem que eu achei o senhor! — Um fato curioso: Desde que era pequeno, Jungkook chamava Namjoon de pai quando estava com problemas. — Eu preciso que você me ajude, eu ‘tô implorando!

— Não ‘tá, não. — O alfa comia tranquilamente alguns amendoins que estavam em um potinho em cima da bancada da cozinha. Jin, que estava por perto, soltou algumas risadinhas com a fala tranquila do marido em resposta ao pedido desesperado do Jeon. — As pessoas normalmente se ajoelham quando imploram, e você não está ajoelhado.

E Jungkook, realmente desesperado, se ajoelhou e grudou nas pernas do pai postiço, quase já chorando de tanta agonia.

— As sapatilhas do jardim sumiram! — E essas palavras foram suficientes para também deixar o outro alfa preocupado. Sinceramente, Jimin dava mais medo quando estava bravo do que Jungkook.

— Que Caralho, Jungkook! Justo quando o Ji ‘tá voltando pra cá!

E então o Jeon se lembrou que Jimin estava voltando pra casa e ele chegaria em algumas horas. Tanta pressão assim foi forte demais para o alfa.

Ele foi ao chão, desmaiando e batendo a cabeça.

 

αβΩ

 

Jungkook acordou desnorteado, abrindo os olhos e vendo um cômodo branco desconhecido por si. O alfa não evitou dar um pulinho na cama quando olhou para o lado e viu Jimin lendo um livro.

— Finalmente você acordou, meu bem. — O ômega deixou o livro de lado e andou até o marido, pegando sua mão. — Só precisou de três pontinhos na cabeça, nada demais.

— Quando... Quando você...? — O Jeon mais velho gesticulava com a mão, deixando bem claro como estava confuso com a presença de Jimin.

— Antes de tudo, você está bem?

— Sim.

— Que bom. — Jungkook definitivamente não esperava levar um pequeno tapa na testa. — Ai! Por que fez isso?!

— Pode imaginar o nervoso que eu passei quando cheguei em casa depois de seis meses fora e encontrei uma ambulância parada lá na frente?! — O ex-Park quase desmaiou também, ficando extremamente nervoso e sendo acolhido por Namjoon.

Depois que o desespero passou, Jimin ficou muito bravo quando o segurança lhe disse que o Jung tinha desmaiado por conta do sumiço da estátua de cristal. Qual é?! Jimin não era como o marido.

— Você pode até ficar desesperado quando o seu cristal do Iron-Man some, mas eu não! É só pensar um pouco. Não tem jeito de uma coisa que chama tanta atenção sair lá da mansão tão fácil. Foram as crianças e eu não ligo que elas peguem, não vou ficar bravo com você por “ter deixado” — Fez aspas com as mãos. — Eu adoro o presente que me deu, não leve a mal, mas não me importo tanto quanto você. Eu ficaria realmente bravo se o que sumisse fossem meus brincos da Tiffany, não sei o porquê você e o Namjoon acharam que eu surtaria.

Depois da alta, Jimin e Jungkook voltaram para a casa. Obviamente, as crianças não ficaram livre de um castigo. O ômega mal pode acreditar que Myung, aos 14 anos, estava envolvido no roubo junto com os gêmeos. Alguns hábitos parecem nunca mudar.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...