1. Spirit Fanfics >
  2. Na Fanfic Era Diferente >
  3. Coração acelerado

História Na Fanfic Era Diferente - Capítulo 8


Escrita por:


Notas do Autor


Olá, amores ♥
Agora NFED tem dois dias de atualização, sendo eles terças e sábados ♥

Espero que gostem ♥

Capítulo 8 - Coração acelerado


O dia em que Jimin me convidou para viajar com ele foi o mesmo dia onde eu comecei a ficar estranho por causa dele. E quando digo estranho, quero dizer muito estranho. Havia algo nele que estava me deixando quase louco, cheio de ansiedade e nervosismo, sem saber o que fazer.

Ele não precisou perguntar duas vezes antes que eu aceitasse viajar com ele, mesmo que eu não soubesse para onde iriamos. Ele disse que era uma surpresa e que eu saberia apenas no dia da viagem, porque se eu soubesse o destino antes apenas ficaria ainda mais eufórico e ansioso e ele não queria isso.

Jimin me ajudou com tudo que eu precisava para fazer meu passaporte, assim como no mesmo dia aproveitou e me levou para comprar minhas malas. Ele disse que iriamos despachar uma e levar uma de mão dentro do avião, por isso compramos já a grande e a menor.

E eu fiquei extremamente carente dele nos dias que se seguiram. Carente de um jeito que nunca fiquei por outra pessoa antes. Eu não estava me entendendo mais!

Teve um dia em que fomos ao cinema e eu usei de todas as desculpas possíveis para tocar nele, fosse me esticar na cadeira, esbarrar em sua mão no balde de pipoca, escorar meu braço no seu... isso até ele perceber e juntar sua mão na minha, o que claramente era a minha vontade.

Outro dia, quando estava saindo da faculdade eu o liguei, ele pensou que tivesse acontecido alguma coisa, mas eu apenas o disse que estava sentindo sua falta. Ele soltou uma risada baixinha e disse que tínhamos nos visto no horário do almoço, porém em seguida afirmou que também sentiu a minha. Naquela noite ele dormiu em meu apartamento, agarradinho em mim.

Talvez o que mais ferrasse o meu psicológico, fosse o fato de Jimin ser um amorzinho que me respeitava apesar de qualquer coisa. Ele já tinha demonstrado sentir desejo por mim, contudo não tinha tentado nem mesmo me beijar, quem dirá fazer outras coisas.

Até que dois dias atrás eu o indaguei se ele não sentia vontade de me beijar em uma súbita coragem que me atingiu, e eu quase pedi que ele fingisse não ter ouvido minha pergunta, mas a verdade é que minha curiosidade ultrapassava o constrangimento e, por isso, aguardei que ele respondesse.

— Toda vez que eu te olho sinto essa vontade. — Declarou ele. — Seja um beijo em sua testa antes de você dormir, em cima dos seus olhos quando você acordar, nas suas bochechas cada vez que você fica envergonhado... e principalmente na sua boca, mas essa não tem motivo, eu só queria muito.

E eu quase o beijei, mas fiquei com vergonha e soltei uma risadinha nervosa.

E hoje eu estou mais uma vez em sua casa. Tínhamos combinado de dormirmos juntos, porque viajaríamos cedo no dia seguinte e assim poupávamos tempo. Acho que outra vez estávamos apenas arranjando desculpas para ficarmos mais tempo juntos.

Quando estávamos prontos para dormir, Jimin me encarou como se perguntasse se tinha acontecido alguma coisa, mas ele não falou nada e, bem, nem eu. Apenas o abracei e encaixei o rosto em seu peito, não demorando a sentir suas mãos me abraçando confortavelmente. Jimin depositou um beijo em minha testa e me desejou uma boa noite, mas meu coração estava muito acelerado e eu sabia que não conseguiria dormir tão cedo.

— Seu coração está batendo rápido... está tão nervoso assim? — Será que ele ainda teria perguntado isso se soubesse que, na verdade, o culpado de meu coração estar assim era ele? — Ei, está tudo bem, você pode segurar minha mão amanhã. É normal ficar nervoso na primeira vez que fazemos algo.

— Você ficou nervoso no seu primeiro beijo? — Mas que diabo de pergunta é essa, Jeon Jungkook?

Tudo bem, eu estava nervoso e precisava me distrair, então puxei qualquer assunto só para ouvir sua voz e pensar em qualquer outra coisa que não fosse esse maldito coração acelerado. O único problema, é que encarar Jimin tão de pertinho somente o fazia acelerar ainda mais.

— Um pouco, o que é normal. — Deu de ombros. — Jungkookie... está tudo bem? Você quer conversar comigo? — Ele voltou a acariciar meus cabelos. — O que houve com o meu bebê, uh?

Eu neguei com a cabeça, porque me senti extremamente sentimental só de ouvi-lo me chamar de tal forma. A verdade, é que desde que saí de casa por conta da faculdade, eu mesmo tomava conta de mim. Então ser cuidado por alguém, ainda mais alguém que estava se tornando tão importante, era muito bom e me trazia aquele calorzinho gostoso ao peito que só Jimin tem sido capaz de fazer.

Voltei a me escorar em seu peito, sendo outra vez abraçado e recebendo um afago tão gostoso em meus cabelos, que não demorei a conseguir de vez pegar no sono.

Só que eu acordei várias vezes de madrugada, e como não queria acordar Jimin apenas fiquei deitadinho ao lado dele, observando seu rosto sereno e adormecido.

É, Park Jimin, parece que eu falhei em não deixar meu coração ceder.

 

Quando Jimin acordou eu estava o observando, e fiquei um tantinho tímido ao ver que ele percebeu meu olhar em cima de si. Mas não disse nada, apenas me desejou bom dia e depositou um beijo sobre minhas pálpebras, em seguida em minhas bochechas devido a minha vergonha. Ele perguntou se eu queria ir primeiro para o banho, mas logo me convenceu a ficar mais um pouquinho na cama enquanto ele tomava o seu.

Ele deixou um último beijo em minha bochecha e levantou, me agraciando com a visão de suas costas. Não evitei de descer os olhos por todo seu corpo, pensando se seus músculos eram tão durinhos quanto pareciam.

Acho que eu estava o secando demais, porque ele se virou para mim e sorriu maliciosamente antes de questionar onde exatamente eu estava encarando. Eu apenas ri e disse não estar olhando para ele.

— Então você não estava me secando? —- Perguntou risonho, voltando a se aproximar da cama.

Como acordei com o espírito da ousadia, resolvi arriscar:

— Só estava me perguntando mentalmente se sua bunda é tão durinha quanto parece. — E eu mesmo quase me bati, porque eu não deveria ter dito isso.

Jimin se ajoelhou na cama e ficou na minha frente, aquele maldito sorriso não saía da sua cara e me irritava, porque sabia que ele fazia totalmente de propósito apenas para me incomodar. O que surtia muito efeito, vale dizer.

— Aperta e descobre. — O tom sussurrado me fez estremecer todo.

E como o dia parecia ter vindo só para provocarmos um ao outro, me ajoelhei em sua frente e permiti que suas mãos envolvessem minha cintura, mas somente porque eu fui lá e o apertei mesmo enchi minhas mãos com aquela parte sua que parecia ter sido sim muito trabalhada em uma academia. Jimin parecia não se afetar com meus toques, mesmo quando eu talvez tenha apertado mais que o necessário.

Até que o soltei, um pouco tímido pelo que fiz. Tá, eu não sou tão ousado assim.

O espírito da ousadia já me deixou para trás.

— A sua é mais bonita. — Ele piscou para mim, saindo de cima da cama e correndo para dentro do banheiro.

Então Park Jimin também me encarava desse jeito?

Me perguntou quem de nós vai aguentar mais tempo sem agarrar um ao outro.

Nesse caso... talvez fosse uma boa provocar ele um pouquinho que fosse nessa viagem.

 

Nós tomamos café da manhã com calma, como se nada tivesse acontecido, como se eu não tivesse agarrado ele com força e vontade. Na verdade, Jimin parecia tão confortável comigo que não aparentava se importar com isso. Talvez ele sequer se importasse se eu pedisse para tomar banho com ele.

Por conta disso, como eu sou curioso ao extremo, eu resolvi lhe questionar.

— Hyung, você não sente vergonha perto de mim? — Ele me olhou confuso. — Digo... Você pareceu não se importar que eu o tocasse. Sei que não foi nada muito ousado, que foi por cima da roupa, mas ainda assim.

— Você sentiu vergonha em fazer isso? — Por que ele sempre precisava me jogar contra mim mesmo? Acabei negando com a cabeça. — Só quero te deixa confortável comigo, Jungkookie. Vamos passar vários dias juntos nessa viagem, no mesmo quarto de hotel, quero que esteja bem comigo. Claro, podemos pedir duas camas quando chegarmos lá, isso é o de menos, mas... ainda assim é o mesmo quarto. Se não se sentir confortável, também, eu posso pegar outro quarto e...

— Hyung! — Tive que segurá-lo, pois caso contrário ele não iria se aquietar. — Está tudo bem. Eu gosto de dormir com você. É confortável.

Nós não conversamos mais, nem na casa de Jimin e nem no carro enquanto íamos para o aeroporto. Mas era nítido que eu estava nervoso. Meu passaporte estava com ele por conta do visto, já que o nosso destino era uma surpresa para mim.

Mas quando chegamos no aeroporto eu já não me aguentava mais de curiosidade, então antes de fazermos o check-in Jimin me levou para frente de um painel com a lista de todos os voos próximos.

— Nosso voo é o 4177. — Ele disse.

Então olhei para o painel, buscando qual o nosso destino. E quando eu vi e voltei a encarar Jimin, eu só tive vontade de grudar ele em um abraço para nunca mais soltar na minha vida.

— Nós vamos para a Califórnia...

— E o nosso hotel fica em San Francisco. — Ele declarou.

Eu o grudei em um abraço no meio do aeroporto sem me importar com quem estivesse nos olhando ou qualquer coisa que fosse. Jimin iria viajar a trabalho, e queria me levar junto porque sabia que aquele era o meu sonho. Era o lugar que eu mais queria conhecer no mundo.

 

Dentro do avião eu outra vez parecia uma criança feliz. Depois de quase ter tido um surto com a decolagem, onde quase quebrei a mão de Jimin de tanto que apertei, agora eu só queria tagarelar e descobrir tudo que tinha ali dentro. Jimin estava sonolento, como tinha me dito que ficava sempre que precisava viajar durante muitas horas — mesmo que estivéssemos no ar há, no máximo, uma hora.

— Pode dormir, hyung. — Informei enquanto escolhia na pequena telinha um filme.

— Posso assistir com você?

— É lógico que sim. — Disse já o entregando um dos lados do fone.

Jimin escorou a cabeça em meu ombro e entrelaçou seu braço no meu, por pouco não juntando nossas mãos. A tela podia ser pequena, mas permitia a nós dois assistirmos muito bem ao filme. Acabei escolhendo o primeiro da lista, só depois percebendo que tinha escolhido Amizade Colorida. Mas, como Jimin não fez nenhum comentário, supus que não tinha problema.

Na verdade, ele já estava dormindo em meu ombro nessa hora. Eu só não tinha visto ainda.

 

Nosso percurso até a Califórnia foi cansativo aos olhos de Jimin, mas eu estava tão ansioso que apenas tinha o achado muito longo. Suspirei assim que saímos do aeroporto para dentro do táxi, me perguntando quando iriamos ver a minha querida ponte dos sonhos.

Mas tive que segurar minha vontade, pois não passamos por ela. Ainda assim, estava muito empolgado para sequer ousar pensar em não ficar muito feliz. Apenas por estar ali eu já me sentia mais do que feliz.

O quarto de hotel, então, era gigantesco, me senti dentro de um filme ou uma série. E Jimin parecia feliz de me ver daquela forma, portanto que pouco parecia se importar com o meu jeito um tanto infantil.

— Não vou ter muito tempo essa semana, tenho várias reuniões. — Declarou. — Daqui duas semanas sairemos de San Francisco, então ficaremos o resto da viagem em Los Angeles.

— Tudo bem, pesquisei alguns lugares para visitar. Tem outros que eu queria ir com você, mas alguns mais próximos eu posso ir duas vezes. — Sorri enquanto o dizia.

— No sábado quero te levar em um lugar para jantar. — Ele comentou, largando as malas sobre a cama e já pegando algumas roupas.

— Um encontro?

— Você quer que seja um encontro? — Ah, aquele maldito sorriso de canto que me destrói todo.

Mas eu não tive dúvida alguma quando o respondi:

Sim, eu quero ter um encontro de verdade com você.


Notas Finais


Eu só queria avisar que essa viagem promete, hihihi
A fanfic não vai ser muito longa, mas nós teremos muito fluffy Jikook de agora em diante ♥

Beijinhos e até sábado ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...