1. Spirit Fanfics >
  2. Na varanda >
  3. Visita da madrugada

História Na varanda - Capítulo 8


Escrita por:


Notas do Autor


Gente, não me matem pelo Leo ok? Eles vão ir bem devagar...
E eu amo The Neighbourhood então é claro que eu ia mencionar isso.
Achei que ficou bem fofo e espero que gostem!

Capítulo 8 - Visita da madrugada


POV JASON

Eu nunca vou contar nada sobre o que aconteceu naquela noite. Me jogo no sofá.

- Eu vou matar sua madrasta. – Nico já estava de pijama, parado a minha frente.

- Eu sei. – Maldita seja Hera. – Você não deveria ter ido embora assim, Will ficou mal.

- Se eu não saísse dali iria começar uma briga com ela. – Ele passou as mãos em seus cabelos, claramente irritado.

- Ele não tem como adivinhar Niquito.

- Eu que deveria ter adivinhado que seu plano era horrível, vem Sra. O’ Leary, venha dormir.

Sabia que tinha sido uma noite difícil, geralmente Nico deixava Sra. O’ Leary escolher onde iria dormir, quando ele a chamava, significava que estava mal. Fui tomar banho pensando no que deveria fazer agora, eu também estava envergonhado com as ações de Hera, ela sempre era tão implicante.

POV WILL

Eu queria que Nico me respondesse, eu já tinha mandado mensagens pedindo desculpa e perguntando se ele estava bem, e ele nem visualizou.

- Cara, você acredita que Calipso já está namorando? ELA POSTOU NO INSTAGRAM!

- Leo você tem que esquecer isso. – Calipso foi sua ultima namorada, eles terminaram faz uns dois meses já.

- Eu estou tentando Will, é só que, ela foi especial. – Ele olhava para o celular com os olhos cheios de lagrimas.

- Ei, sem essa! Você é o Bad Boy supremo! Todas amam o Leo, já esqueceu? – ele me lançou uma tentativa de sorriso.

- Vou me deitar, até amanhã.

Eu sabia que ele precisava de espaço, então dei isso a ele. Leo sempre se sentiu meio deslocado, quando encontrou Calipso isso melhorou muito. Foi difícil quando se separaram, dentre as fases do termino Leo agora estava naquela em que se quer pegar todo mundo, ele negava, mas eu e Lou sabíamos que ele ainda estava magoado com Calipso.

Eu ainda olhava minha conversa com Nico, preciso falar com ele.

(...)

Encarei a porta a minha frente, o que eu estou pensando? Já são meia noite e quarenta, o prédio está silencioso, talvez ele esteja dormindo, não foi uma boa ideia vir até aqui. Mesmo assim bato na porta, três vezes. Não escuto nenhum barulho vindo da casa, deve estar dormindo, fico ali por mais uns segundos, torcendo e então desisto, vou até o elevador.

No mesmo momento em que chamo o elevador escuto latidos, Sra. O’ Leary! Volto para perto da porta, torcendo para ter mais alguém acordado junto com ela.

Escuto resmungos do outro lado e a porta se abre. A minha frente com cara de sono está Nico, o pijama de caveiras está amaçado, ele reprime um bocejo, e eu não consigo evitar sorrir.

- O que você está fazendo aqui?

- Queria saber como você está. Desculpe, acho que te acordei, eu estava indo embora, mas a Sra. O’ Leary começou a latir...

- Eu estou bem – ele passou a mão no rosto, ainda acordando. – Entra aí.

Entrei em seu apartamento, a única luz vinha de um dos quartos, o que não me deixava muito confortável depois de ter visto um filme de terror, Nico pegou um copo de água na cozinha e apontou para a varanda, eu o segui, tentando não bater o pé em nada no caminho.

Depois que Sra. O’ Leary entrou na varanda atrás de mim, Nico fechou a porta e acendeu as luzes, o que agradeci silenciosamente, lugares escuros hoje não. Ele se sentou em um dos sofás que ficavam virados para a rua, eu fiz o mesmo, pensando em o que falar. Eu vim aqui no impulso, sem nenhuma ideia do que fazer, só queria conferir se ele estava bem.

- O que foi Will? – ele fazia carinho na cabeça da Sra. O’ Leary.

- Você não me respondeu vim ver se estava tudo bem. Me desculpe por ter derrubado refrigerante em você.

- Eu sei que foi sem querer, a culpada é Hera de qualquer forma.

- Ela pareceu um amor de pessoa – falei irônico.

- A família é complicada. – Suspirou.

Eu queria ajeitar seu cabelo, mesmo com a cara de sono, o rosto e o cabelo amaçado ele continuava lindo.

- Disso eu entendo. – Pensei em meu pai e revirei os olhos.

- Você gostou do filme? – Não queria ir embora ainda.

- Achei meio bobo. – O encarei, só pode ser brincadeira.

- Como você pode não ter medo?

- São só invenções – ele deu de ombros – você não parece um grande fã de filmes de terror.

- Não sou, sou fã do rei dos filmes de terror – falei o encarando, ele abaixou a cabeça. Sra. O’ Leary agora dormia aos nossos pés. – A primeira vez que eu te vi você estava apoiado ali – apontei para a mureta de proteção da varanda, e o vi corar. Não sabia que era possível alguém ficar mais bonito com o rosto vermelho, e ali estava Nico, provando exatamente isso.

- Eu não sabia que você já tinha me visto antes. – Foi tudo que ele respondeu.

Começou a garoar, e eu agradeci por morarmos no mesmo bloco, assim não teria que ir embora somente por causa da chuva. Eu não sabia como mais puxar assunto e tinha medo de falar mais alguma coisa esquisita então ficamos ali em silencio vendo a chuva cair.

- Will, por que você saiu correndo ontem? Na piscina... Achei que quisesse falar comigo... – olhei para ele surpreso, seu maxilar estava travado, senti o quanto ele estava tenso ao falar isso.

Respirei fundo antes de responder.

- Achei que você me acharia um stalker esquisito. – Nico sorriu, um pequeno sorriso de lado, que fez meu coração derreter.

- Will, daqui da pra ouvir você tocar sabia?

Não eu não sabia. Eu toco apenas quando estou sozinho em casa, não me acho muito bom nisso, senti a cor se esvair do meu rosto, eu sempre fechei a porta da varanda abafando o som no apartamento, mas nunca imaginei que alguém me escutaria no lado externo do andar superior.

- Não. Há quanto tempo você escuta?

- Não sei, um dia eu estava sentado aqui lendo e ouvi você. Você toca bem e tem um bom gosto musical – Nico sorria para mim, podia ver como ele estava falando a verdade, ele realmente gostava de me ouvir tocar.

- Obrigado. – Eu não contaria que algumas das músicas foi ele que me apresentou, uma das coisas que eu sabia sobre Nico era que ele gostava de ouvir música bem alto, assim como eu. Quem liga se você pode ficar surdo um dia? A melhor forma de esquecer os problemas é ouvindo música alto.

  Nico se levantou e foi para dentro do apartamento, me deixando sozinho por alguns instantes, a chuva aumentava, eu estava começando a me arrepender de não ter pego meu moletom. Quando voltou o rapaz trazia seu celular, fones e um cobertor.

- Você está tremendo. Se cubra. – Ele ordenou, o que não deu muito espaço para discutir com ele.

Nico se sentou perto de mim, se cobrindo também. A proximidade mesmo que fosse menor que na primeira vez que assistimos algo juntos fez meu corpo tremer. Por algum motivo os cabelos de Nico cheiram a morango, o que não é nem um pouco ruim.

- Posso te mostrar algumas músicas?

- É claro.

E assim ficamos até amanhecer, mostramos nossos cantores favoritos um para o outro, as vezes Nico se animava e cantarolava baixinho à música que estávamos ouvindo, ele era tão fofo. Conversamos sobre os shows que fomos e os que queríamos ir. De alguma forma enquanto ele falava sobre seus hobbies eu percebi, estou apaixonado pelo roqueiro a minha frente.

Eu não estava assustado com isso, aproveitei a beleza do nascer do sol ao som da musica que Nico havia escolhido, The Neighbourhood – Nervous.

You got me nervous to speak
So I just won't say anything at all
I've got an urge to release
And you keep tell me to hold on
You got me nervous to move
So I just won't give anything to you
You got me turnin' all around to be who you need me to

Should I be quiet?
Come on, be silent
You know I'm tryin'
So don't say nothin'
Tell me you trust me and
Kiss me and hug me, yeah
I would do anything for ya
You just gotta love me and
I got an itch in my throat
I don't know which way to go
I keep on switchin', I know
I need a different approach
It's all because I wanna
Show you that I'm so capable

 

 

Você me deixa nervoso para falar
Então eu simplesmente não direi nada
Tenho vontade de me libertar
E você continua me dizendo para segurar
Você me deixa nervoso para mover
Então eu não vou dar nada pra você
Você me fez mudar para ser quem você precisava que eu fosse

Devo ficar quieto?
Vamos, fique em silêncio
Você sabe que estou tentando
Então não diga nada
Diga-me que você confia em mim e
Me beije e me abrace, sim
Eu faria qualquer coisa por você
Você só precisa me amar e
Eu tenho uma nó na garganta
Não sei para onde ir
Eu continuo mudando, eu sei
Preciso de uma abordagem diferente
É tudo porque eu quero
Te mostrar que sou tão capaz


Notas Finais


EAI?
Se alguem quiser ouvir a música o link
https://www.youtube.com/watch?v=Wo-ey84ptBc


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...