História Nada Além da Loucura (Creek) - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias South Park
Tags Craig, Creek, South Park, Tweek
Visualizações 73
Palavras 2.689
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Eu ia acabar essa historia mas ai eu falei

"ah, caralho fodasse"

vou escrever mais 2 cap

esse e mais outro por isso aproveitem~~

Capítulo 2 - Minha Doce Alma Gêmea


Fanfic / Fanfiction Nada Além da Loucura (Creek) - Capítulo 2 - Minha Doce Alma Gêmea

Muitos Anos antem 

Craig Onn

 

A primeira vez que olhei mesmo para ele foi quando o garoto estranho no fundo da sala sempre sozinho e calado lutou comigo e em vez de chorar ou ficar com medo de levar uma surra voo em cima de mim me deixando espantado.

 

Eu batia nele e ele batia em mim e mesmo assim ele não ficava no chão se negando a se render.

 

Ele só tinha 10 anos na época.

 

Fomos para o hospital e dormimos juntos no mesmo quarto até que.

 

Acordei com as trovoadas lá fora e me deparo com a figura loira e sorridente sentado em cima de mim segurando o meu pescoço.

 

Querer me matar enquanto eu dormia não me assustou

 

O que me assustou foi o que senti quando aqueles profundos olhos azuis me olhavam

 

Algo despertou dentro de mim naquele dia

 

 

 

E foi ai então que comecei a pesquisar sobre ele e observa-lo de mais perto.

 

 

 

Percebi ao longo do tempo que ele nunca fazia trabalho com alguém

 

E se fosse obrigado a fazer sempre fazia seu trabalho calado e nunca repedia o mesmo grupo.

 

Percebi também que sua nota era sempre ”7” o que não é nada surpreendente para o primeiro da turma como eu

 

Mas foi ai que notei

 

Sua nota era SEMPRE 7

 

Em português, matemática, ciências.... todas as notas, sempre 7

 

É impossível um aluno na média tirar sempre 7, geralmente se tira 6, 5 as vezes 8....

 

Tirar 7 significava apenas uma coisa

 

Que ele sabia todas as questões e mesmo assim errava de proposito

 

Mas por quê?

                          

Isso era simples

 

Fico o encarando do outro lado da sala

 

Ele não queria chamar a atenção

 

Ele ficava agitado, falando sozinho, olhando para os lados sempre desconfiado, nunca confiando em ninguém

 

O interesse que tinha por aquele garoto só crescia, foi a primeira coisa viva dentro de mim que acendeu como fogo. Como farei.... aqueles olhos azuis me encararem de novo?

 

 

 

 

 

Tinha 12 anos quando descobrir uma oportunidade. Tweek estava sentando-se na arquibancada como sempre na educação física, as vezes ele se safava dos treinos já que nem o treinador queria ele. Aposto que se ele jogasse seria bom, mas deve ter manipulado a todos que joga mal para ninguém ficar interessado nele.

 

Chuto a bola de proposito na cara do goleiro do time inimigo em vez de jogar no gol.

 

- CRAIG – O treinador grita comigo – Eu te avisei, não é? Se ficasse fazendo isso ia sair do jogo.

 

Mostro o dedo para ele

 

- Ok já chega, some daqui

 

Ando até a arquibancada enquanto o goleiro do time adversário ria de mim.

 

Eu cuido dele depois

 

 

Off

 

Craig se senta do lado do Tweek que fica mais encolhido olhando para o lado

 

- E ai – Craig olha para Tweek

 

Tweek olha para ele de lado e se assusta ao ver um sorriso raro no Craig e seus belos olhos verdes que tinham um estranho brilho dourado o encarando como se tivesse o vendo totalmente nu.

 

Isso fez Tweek corar e sentir vergonha em vez de desconfiança.

 

- O-Olá

 

Craig virou e voltou a olhar para o jogo, tudo o que ele queria era isso, seu plano pode finalmente começar de verdade.

 

 

Tweek Onn

 

Estava voltando do recreio e estava pronto para sentar na minha cadeira e contar os segundos para voltar para casa.

 

Eu odeio a escola, mas do que a escola odeio as pessoas

 

Um garoto de cabelo marrom estava fazendo um escândalo quando entrei na sala

 

Ando até minha cadeira ignorando aquilo, não quero me meter nisso.

 

- Eu já falei cara, estava aqui. – Ele bate na mesa – Meu caderno sumiu

 

- Cara, calma você deve ter esquecido em algum lugar

 

- EU NÃO ESQUECI, ele estava aqui

 

- Já procuramos em todo o lugar da sala

 

- Não em todos os lugares – Sinto olhos em mim e levanto o rosto para o olhar, tinha 2 da turma do Stan e mais esse garoto de cabelo marrom me encarando – Eu não vi na bolsa do Tweek

 

- Espera, o que? – Falo sentindo meus tiks ficarem mais fortes

 

- Voce me ouviu porra – ele anda até mim e bate na minha mesa – Eu quero ver a sua bolsa

 

- UMA PORRA – Me levanto pronto para brigar se preciso, por que do nada acha que eu peguei a porra do seu inútil caderno?

 

- Não é obvio? Por que eu tiro notas melhores do que você seu burro, então você pegou para colar, seu doente de merda

 

Estava pronto para avançar nele quando alguém se colocou no nosso meio.

 

- Sério, cara? – Olho para cima vendo que era o Craig – Essa é sua linha de raciocínio? – ele rir colocando a mão na cadeira se apaiando. – Mas se ele pegasse o caderno para colar, não era mais fácil ele pegar o meu? – ele encara o garoto de um jeito que faz ele da um passo para trás sem perder a raiva no rosto – Afinal eu tenho melhores notas que a sua, por que não procura na sua bunda? Deve ter enfiado lá – ele dá de ombro.

 

Todos da sala começaram a rir, menos eu.

 

Ainda estava com raiva, raiva desse babaca e raiva desse valentão achando que pode me defender.

 

- Vem cara, bora procurar no seu armário

Eles saem

 

- Obrigado. – falo tentando procurar um tom de educado

 

Mas em vez de ele me olhar com pena e da um sorriso falso

 

Ele me olha de lado com seus olhos verdes penetrantes e depois vai embora sem falar nada.

 

.....

 

Volto a me sentar e fico pensativo

 

 

Vou para casa, durmo.

 

 e sonhos com aqueles olhos verdes

 

Eu não consigo tirar isso da minha cabeça. Seu olhar seus olhos verdes me olhando com se conseguisse ver tudo em mim, cada detalhes.

 

Eu pensei que Craig era só um valentão sabicham, mas ele é mais perigoso do que isso.... Sinto que ele ver através de mim

 

Devia me manter distante dele, mas..

 

Mordo a minha unha olhando para o lado deitado na noite

 

Eu quero saber mais sobre ele.

 

Eu preciso, é mais forte do que eu....

 

 

 

Comei então a perceber um rosto naquela sala tão cheia de meros rabiscos.

 

Craig era o melhor da classe, poucos sorrisos, ou melhor, nenhum e sempre calmo.

 

Diferente de mim, mas ao mesmo tempo parecido.

 

Ele agia indiferente aos outros e não parecia ter medo de nada.

 

Um dia ele se virou para mim vendo que eu estava olhando para ele.

 

Coro e desvio o olhar na hora, merda, merda, merda.

 

Sinto seu olhar ainda em mim por um longo tempo então levanto o meu rosto tomando coragem para olha-lo

 

Ele sorrir me olhando no fundo dos meus olhos, seu olhar parecia tão perto e intenso mesmo que ele esteja do outro lado da sala.

 

 

Coro mais e não consigo desviar o olhar antes dele.

 

Merda.

 

Abro um pouco do band-aid que estava na minha mão e fico arranhando o machucado que já estava lá. Aquilo me acalmava e sempre o fazia quando estava nervoso.

Suspiro inclinando meu corpo encostando a testa na minha mesa. Sem saber se estava excitado por essa dor maravilhosa ou pelo olhar de julgamento de Craig junto com seu sorriso tão raro.

 

Fecho os olhos

 

Queria me tocar agora mesmo, aqui nessa sala na frente de todos.

 

- Ahn... – suspiro em um sussurro – Eu preciso saber mais, mais.

 

De repente os pensamentos que sempre mantenho guardado se revelam.

 

Eu quero aquele sorriso só para mim.

 

 

Viro o rosto que ainda estava deitado na mesa vendo o Craig de perfil prestando atenção na aula.

 

Eu quero marcá-lo

 

 

 

Craig Onn

 

Tudo está como planejei

 

Bastou só manipular algumas pessoas.

 

olhei para o lado

 

E por que não o Cartman? O cara mais manipulável que existe.

 

Só plantei algumas ideias na cabeça dele como indiretas e a mente doentia dele fez ele pensar que Tweek roubou algumas coisas dele durante os anos.

 

Ele apenas tinha esquecido ou perdido e eu reparei

 

Ele fala para a sua turma que fala para outras pessoas e isso se espalha.

 

Sorrio discretamente indo para o corredor enquanto algumas pessoas fofocam no corredor

 

Vejo o Clyde, o garoto de cabelo marrom que foi goleiro naquele dia.

 

Ele estava colocando a senha do seu armário. 5-13-16

 

No intervalo pego o precioso caderno dele e ando até o seu armário, todos estavam na cantina

 

- 5 ~ 13 ~ 16

 

Falo cantarolando e jogando aquele caderno lá.

 

Agora vamos esperar o show começar

 

 

 

Quando Clyde se confrontou com Tweek e eu me coloquei a frente

 

Quando Clyde foi embora com o rabo entre as pernas

 

Olho para o Tweek de lado esperando ver um olhar gentil e amigável, mas o que eu vi foi só fogo e ódio, como pensei, ele era um predador no mar de ovelhas.

 

Isso só me deixou mais interessado ainda

 

Saio sem falar nada para ele, por dois motivos.

 

O primeiro era: Ser amigável não vai funcionar com essa gracinha e o segundo é ....

 

Estou duro pra caralho.

 

 

 

Quando Clyde percebeu que o caderno estava no armário e a turma do Stan estava com eles o boato do Tweek ser um ladrãozinho só se tornou mais uma das paranoias sujas de Cartman

 

 

 

Pensei que teria que pensar em outra situação, mas o que fiz funcionou e muito bem.

 

 

Em tudo lugar que vou, qualquer coisa que faça sinto seus lindos e grandes olhos azuis profundo em mim.

 

Ele ficava no canto do corredor me encarando de longe enquanto conversava com uma garota, uma idiota que não parava de mexer o cabelo e rir por coisas nada engraçadas.

 

Olho de canto de olho interessado mais nas reações que podia causar nele.

 

Então dou um sorriso para ela, um sorriso que a fez corar e sorrir como a macaca que é.

 

Uma reação chata e já esperada, prefiro muito mais o meu baby

 

Olho novamente para o lado e vejo que ele não está mais lá, fico excitado só de imaginar o que vai vir.

 

Depois de conversar vou até onde ele estava e o procuro por ele, mas só encontro alguns fios dourados no chão.  Eu sei que Tweek costuma puxar os cabelos quando está com raiva. Eu já vi uma vez arranhando sua pequena mão enquanto fazia um trabalho em equipe que foi obrigado a fazer.

 

Pensei como seria adorável ver o rosto dele de dor, mas ele apenas sorri. O que me fez vibrar.

 

 

 

No dia seguinte percebi um alvoroço. Algumas garotas reunidas assinando o braço engessado de uma garota, oh, aquela mesma macaca que estava conversando comigo ontem está hoje que o braço engessado?

 

Ando até o Stan que estava com a Wendy e pergunto o que aconteceu.

 

- A coitada da bebe, ela caiu das escadarias ontem. – Wendy fala

E tudo perde o foco para mim a única coisa que tem cor para mim é uma figura de cabelos cor de ouro no fim do corredor.

 

- Ela tem sorte de não ter quebrado o pescoço ou algo assim – Stan fala, mas não consigo parar de olhar para Tweek no fundo de tudo isso.

 

Seus olhos profundos brilhantes azul e por trás dos seus cabelos bagunçados me encarando como se tivesse pouco centímetros de mim. Um olhar de ódio, de vingança, de ... ameaça.... um fogo azul que me atrai mais do que me assusta.

“Por sorte ela só vai ficar um tempo sem jogar vôlei”

 

É como se tudo tivesse ficado em câmera lenta ele apenas passa pelo outro corredor seguindo o seu caminho como se aquilo não tivesse nada a ver com ele. Mas eu sei que aquele alvoroço tinha tudo haver com ele, sinto meu coração batendo e era só aquilo que escurava. Quando ele se vai sinto uma dor no meu coração, eu queria ter sido queimado mais tempo naquele fogo.

 

- Craig, pra onde você está indo? – Sem perceber estava andando para onde ele foi. – Não quer assinar o nome do gesso da bebe?

 

-  Ah – viro saindo do traze – Foda-se – Volto a andar seguindo o meu caminho  

 

 

Volto a andar seguindo o meu caminho.

 

Meus olhos só queriam olhar uma coisa.

 

Viro o corredor vendo a silhueta magra entrando dentro de uma sala.

 

Ando até onde ele estava indo, era o laboratório.

 

 Abro de leve a porta e olho para ver o que ele estava fazendo, ele apenas estava sentado em uma das mesas com a cabeça baixa.

 

Entro devagar. Ele estava tão distraído que nem me notou entrar.

 

Foi ai que percebi sua respiração ficando ofegante, meus olhos escurecem e eu percebi só agora o quanto duro eu estava.

 

Off

 

 

 

 

Tweek escuta um “CLIK” na sala escura que escolheu para se aliviar, alguém tinha trancado a porta.

 

O loiro olha para cima ofegante tentando recuperar a calma enquanto se encolhia.

- Olá Tweek – Esse ficou mais próximo revelando o rosto da voz suave

 

-.... CR-Craig? – Tweek fica vermelho – O-O que está fazendo aqui?

 

- Segui o rastro de sangue que você deixou pelo caminho para mim.

 

Tweek se levanta assustado.

 

- Do que está falando.... Craig?

 

- Não fique assustado – O maior anda até ele e Tweek continua andando para trás até encostar na parede, ele vira o rosto assustado vendo que estava contra a parede e olha rapidamente para frente de novo vendo olhos azuis verdes e um sorriso sádico poucos centímetros na sua frente – Foi a coisa mais romântica que já fizeram por mim.

 

- O que?

 

- Não to falando da garota ali ter caído – Craig deixou a palavra “caído” sair com uma voz largada de diversão – das escadarias.... Não, isso não da nem para o cheiro o que estou falando é....

 

O moreno coloca a mão no rosto do garoto de olhos azuis para fazer os olhos dele não deixar de olhar os olhos verdes do mesmo.

 

- Seu belo olhar de ódio e ameaça para mim agora a pouco quando me olhou do outro lado do corredor.... – Craig acaricia o rosto de Tweek com o colegar – Um belo olhar de “Se sorrir para outra pessoa de novo...– Craig suspira quando ver o Tweek corando. Seus olhos inocentes de vítima azul escurecem revelando seu eu  - .. o próximo a “cair” pode ser você”

 

- ..... E o que vai fazer? – Tweek aproxima o rosto do dele – Me denunciar? Tem provas que fiz algo?

 

- Casete, não .... O que eu quero é outra coisa – O maior desliza a mão que estava no rosto de Tweek e leva para os seus cabelos dourados o segurando e depois o puxando com força, o forçando o olhar de mais perto – Quero ser seu namorado.

- O qu- ahn – Craig pressiona seu corpo contra o corpo de Tweek fazendo o volume do mesmo encostar no menor.

 

- Vai ter coragem de negar? Mesmo tão duro assim? – Tweek olha para ele e depois vira o rosto corado suspirando quando Craig pressiona mais uma vez  seu volume no dele – Vai diga que sim por bem.... – Ele beija a bochecha dele. – Ou é você que vai “cair”.

 

- Heh.... Então é assim? – Tweek olha para ele com raiva ainda corado – Nunca nem falou um “a” comigo e agora exige que eu seja seu namorado? Quer uma resposta minha?

 

Tweek usa toda a sua força para empurrar Craig assustando o maior que cai no chão. Tweek se joga em cima dele antes dele conseguir se levantar ficando de quatro sobre ele.

 

- Esqueça em “cair” das escadas ou qualquer outro lugar, eu vou te machucar, Craig e vou deixar todos sabem que eu fiz isso, na verdade eu quero que todos saibam disso – Os olhos do loiro escurecem fazendo o Craig corar – Se você não for meu em troca.

 

- Puta merda .... – Craig suspira colocando a mão no quadril de Tweek – Eu estou “caidinho” por você, Honey

 

 

Craig ergue o corpo e da um beijo doce nos lábios raivosos de Tweek fazendo ele se acalmar.

 

Um beijo doce e carinhoso selou um acordo digno de qualquer demônio ou o próprio diabo.

 

 

Desde aquele dia em diante Craig e Tweek começaram a namorar.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


Espero que tenham gostado~~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...