História Nada Além de Você - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Got7
Personagens BamBam, Jackson, JB, Jinyoung, Mark, Personagens Originais, Youngjae, Yugyeom
Tags 2jae, Fuflly, Markson, Yaoi, Yugbam
Visualizações 93
Palavras 1.197
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 7 - Abraços grátis.


Fanfic / Fanfiction Nada Além de Você - Capítulo 7 - Abraços grátis.

Choi Youngjae

— Quantos abraços você já conseguiu? — Jackson me perguntou cansado. 

— Nem consigo contar. — falei. 

— Qual era o objetivo desse trabalho mesmo? — BamBam disse se abanando. 

— Perder o sábado todo pra abraçar pessoas que eu nem conheço. — disse Jackson com um tom de deboche. 

— Não, o verdadeiro objetivo é abraçar as pessoas, pois você não sabe pelo que elas estão passando, e um abraço pode ajudar. — falei olhando para Bam. 

— Poxa, você é bom mesmo nisso Jae. — Jackson colocou as mãos na cintura. 

— Eu gosto de dar abraços. — olhei a hora em meu celular. — Meu Deus eu preciso ir pro trabalho, tô muito atrasado! 

— Mas você já não tinha avisado que ia demorar? — Jackson perguntou confuso. 

— Eu disse que eu ia demorar um pouquinho, já faz meia hora que eu tô nessa. Já vou indo, avisem o professor depois. — saí correndo sem esperar por uma resposta. 


Não demorou muito para eu chegar no café já que fui correndo, porém cheguei lá muito cansado, ainda tive sorte que o sol estava fraquinho. Quando eu ia entrar no café, vi Jinyoung sentado na calçada chorando, era possível ouvir seu choro baixinho. 

Jinyoung... o que aconteceu? — me sentei na calçada perto do mesmo. 

— Nada, me deixa em paz. — limpou suas lágrimas e desviou o olhar. 

— Ei, eu só quero te ajudar, pode confiar em mim. — falei tentando dar conforto. 

— Eu já disse pra me deixar em paz, sai! — falou voltando a chorar. 

— Eu não vou sair enquanto você estiver chorando. — olhei para ele, mas ele insistia em manter os olhos no chão. 


Silêncio. 


— Eu tô fazendo um trabalho de abraços grátis... acho que você tá precisando de um... posso? — ele não disse nada mas mesmo assim o abracei de lado. — Vai ficar tudo bem. 

Deve ter acontecido algo bem ruim pra ele ter ficado assim. 

— Fica bem. 

Adentrei o café e fui direto para o balcão falar com Mark hyung.

— O que aconteceu com o Jinyoung? Ele tá muito mal. — perguntei para Mark. 

— Ele teve uma discussão com o Jaebum. — respondeu o hyung. 

— O que aconteceu? — perguntei outra vez. 

— Isso só eles podem te responder. — disse. Por algum motivo ele não quer me falar. 

— Vou falar com o Jaebum, o Jinyoung não quis me contar nada. — falei colocando meu avental. 

— Cuidado, ele tá muito nervoso, se eu fosse você nem me atreveria a entrar lá. — ele disse com receio. 

— Eu preciso saber, o Jinyoung tá chorando muito. Você já falou com ele? — perguntei e ele assentiu. 

— Já sim. Ele até pensou na possibilidade de se demitir daqui. — passou a mão pelo seus cabelos. 

— Então a coisa foi feia. O que o Jaebum fez pra ele deve ter sido muito ruim. — baixei a cabeça. — Vou ir lá. 

Me dirigi a sala de Jaebum hyung. Entrei sem bater na porta. 

— O que aconteceu hyung? — o olhei. 

— Youngjae... do que você tá falando? 

— Sobre você e o Jinyoung terem brigado, ele estava chorando muito lá fora, mas não quis me contar nada. — me aproximei de Jaebum que estava sentado. 

— Ah sobre isso... senta aí que eu vou te contar. — fiz o que ele disse. — Jinyoung se assumiu gay, e ele sabe que eu sempre achei isso errado e mesmo assim ele ainda teve essa coragem. 

Jaebum é um preconceituoso, imagina se ele souber que eu também sou gay. 

— É por isso? Fala sério Jaebum. — cruzei os braços. Eu sei bem como é passar por isso e não é legal. 

— Youngjae eu fui criado assim desde sempre, sabendo que pessoas do mesmo sexo não podem se relacionar. — ele explicou. 

— Meu hyung é um preconceituoso... — me levantei com a cabeça abaixada. 

— Tenta se colocar no meu lugar, imagina se tem uma pessoa na qual você confiou a vida toda e- 

— Quem tem que se colocar no lugar dos outros é você. Muda esse conceito que você tem sobre isso. — caminhei devagar até a porta pronto para ir embora. 

— Youngjae espera... 

Saí sem esperar ele terminar a frase. Eu não sabia que o Jaebum era assim. Minha mãe estava certa, ninguém é perfeito. E eu pensando que Jaebum hyung era perfeito. 


Hoje precisei ficar até a noite, já que eu tinha que cumprir meu horário. Depois daquela discussão com Jaebum eu não troquei mais nenhuma palavra com ele, e ele não saiu daquela sala o dia todo. 


Todos os outros já tinham indo embora, inclusive o Jinyoung, ele até foi embora mais cedo hoje. Eu me encontrava arrumando os docinhos do balcão. 

— Youngjae. — Jaebum me chamou. — Você ainda tá bravo? — dei uma olhada rápida nele e voltei a arrumar os doces. 

— Eu não tenho motivos pra estar bravo com você. Não foi a mim que você machucou dizendo coisas terríveis. — falei ainda arrumando os doces. 

— Me desculpe por isso. — disse. 

— Não é pra mim que você tem que pedir desculpas, é pro Jinyoung. Me desculpe dizer, mas você foi um idiota. — sim, esse era meu xingamento. 

— Eu sei. — suspirou. — Eu sou um idiota. 

— Hyung, por favor não seja tão duro com o Jinyoung, ele é seu amigo a muito tempo. Não deixe a sexualidade dele afetar a amizade de vocês, por favor... — eu estava quase chorando, eu sabia como era difícil passar por aquilo. Também fiquei imaginando se fosse comigo. 

— Você tem razão, eu acho que fui duro demais com ele. — me olhou. — Ei, por que está chorando? — se aproximou de mim. 

— Não é nada, eu só sou muito sensível. — limpei meus olhos mas as lágrimas não cessaram. 

— Eu prometo que vou pedir desculpas ao Jinyoung. Eu sei o quanto eu fui idiota. — Jaebum deu um longo suspiro. 


O silêncio tomou conta do lugar, o que se podia ouvir era o meu choro baixinho, talvez eu estivesse decepcionado por saber que na verdade Jaebum é preconceituoso, e que algumas vezes eu pensei na possibilidade dele ser gay, mas eu me enganei. 

— Então sobre aquele trabalho que você tava fazendo, sobre abraços grátis... acho que tô precisando de um. — sorriu. 

Ele me abraçou apertado, enquanto eu sentia o cheiro adocicado de seu perfume. Talvez eu não tivesse mais uma oportunidade dessa, então eu tinha que aproveitar o tempo em que estava quentinho nos braços de Jaebum. 

— Eu gosto de você hyung. 

— Eu também Jae. 

Naquele momento meu coração bateu como louco, mesmo sabendo que ele não correspondia da mesma forma. Isso só me ajudou a perceber que quando você se importa com o que a outra pessoa pensa, você gosta dela, e eu me importo com o que Jaebum hyung pensa. Eu só queria poder dizer que amo ele. 


Como eu posso sentir tudo isso hyung? 

Eu acabei de conhecer você. 


Notas Finais


não era pra eu estar postando capitulo hoje, mas como eu estou sem nada pra fazer :\

se virem algum erro me avisem. e nao deixem de comentar


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...