História Nada é por acaso - Capítulo 31


Escrita por: ~

Postado
Categorias David Luiz, Nina Dobrev, Thiago Silva, Zendaya
Personagens David Luiz, Nina Dobrev, Personagens Originais, Thiago Silva, Zendaya
Tags David Luiz, Nina Dobrev, Thiago Silva, Zendaya
Visualizações 103
Palavras 1.853
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oiieee

Capítulo 31 - Confiança e Desconfiança


Fanfic / Fanfiction Nada é por acaso - Capítulo 31 - Confiança e Desconfiança


David On:


-Eu não digo que é o melhor restaurante da cidade, eu digo que o cesar é o melhor restaurante do mundo. -Falei enquanto comíamos a sobremesa. 

-Você diz isso porque eu ainda não abri o meu  restaurante. -Disse.

E eu ri. -Se não for melhor que este eu não vou te poupar não Zoe. 

-Vai ser melhor sim, quando eu entrar na le corde bleu você verá. -Disse.

-Eu já falei que não concordo com isso. -Repiti.

-Você não concorda com nada que eu quero. -Falou. 

-Você sabe que não é nada disso Zoe. -Neguei. 

-Você praticamente está me impedindo de concretizar o meu sonho, eu não vejo que mal tem em entrar para universidades. -Resmungou. 

-Eu não estou te impedindo de concretizar nada eu só acho que não é altura para isso, você está grávida Zoe,  uma gravidez de risco, você não pode fazer esforços, você não se stressar e estudar exige tudo isso.

-É uma universidade não é o fim do mundo, eu não vou morrer se eu ir para lá. -Continuou. 

-Você pode ir, só acho que agora não é o momento, uma coisa de cada vez Zoe, Você vai ter tempo para fazer tudo isso, eu mais do que ninguém, quero te ver estudar, trabalhar, prosperar ser independente, só que agora a prioridade são os nossos filhos.

-Acho que agente já pode ir para casa. -Disse baixinho. 

-Tá bom, mas pensa no que eu te falei por favor. -Pedi. 


                   (.....)


-Zoe jura que você não vai falar comigo hoje? -Bati na porta trancada a quase uma hora. -Você está bem? 

-Está tudo bem David. -Respondeu ao fundo. -Eu só preciso ficar sozinha. 

-Você está sozinha a uma hora amor, abre a porta vamos conversar. -Pedi. 

E depois de 5 minutos que para mim foram uma eternidade, lá estava ela.

Como eu imaginei, olhos vermelhos de tanto chorar e rosto corado de tanta vergonha.


Flasback On:


-David? -Ouvi ela me chamar  com dificuldade enquanto eu estava no banho.

-Oi? -Respondi.

-Você viu o meu shampoo? -Senti sua voz se aproximar.

-No armário do quarto eu acho. -Respondi. -Me passa a toalha por favor? -Pedi. 

E repentinamente senti a cortina do boxe ser aberta e ela estendeu a toalha, mas paralisou quando olhou para mim...

Eu quis rir da sua cara, mas me preocupei quando ela correu para o quarto e se trancou nele.


Flasback Off:


-Eu acho que não é motivo para você chorar tanto. -Falei. 

-Você pode colocar uma roupa por favor? -Perguntou olhando para a toalha amarrada em minha cintura e eu ri. 

-Tudo bem. -Adeentrei no quarto. 

-No banheiro por favor.  -Disse sem me olhar. 

E lá eu fui, a Zoe era tão tímida que chegava a ser engraçado, ela me viu pelado, se trancou no quarto, chorou horrores e agora mal consegue olhar para mim.

-Pronto. -Falei assim que voltei ao quarto. -Está melhor assim?

-Tá. -Sussurrou. -Desculpa David...Por...Por...Eu não queria...Eu juro...Eu abri o boxe...Sem pensar...Desculpa. -Escondeu o rosto entre as mãos. 

-Zoe você não precisa ficar assim, foi coisa boba, isso é normal. -Me agachei perto dela. 

-Eu estou com tanta vergonha. -Admitiu ainda sem me olhar. 

-Amor olha para mim -Segurei o seu rosto entre as minhas mãos. -Eu não estou com vergonha e você não tem que estar, isso é normal, as pessoas se vêem despidas a toda hora, principalmente quando moram juntas, têm uma relação e gostam uma dá outra.

-E porquê eu me sinto assim? -Brincou com os seus dedos. 

-Talvez por falta de hábito, ou de intimidade ou mesmo de confiança. -Lamentei. -Eu já tentei...tornar a nossa relação mais íntima, mas você não me dá muito espaço. 

-Eu sei. -Concordou. 

-Você foge de mim sempre que eu me aproximar. -Falei.

-Não é fugir, é só... medo. -Disse. 

-De mim? -Questionei. 

-Do que pode acontecer. -Falou. 

-Zoe tudo depende de você, eu não vou fazer nada que você não queira e nem vou te forçar a nada.

-Eu tenho medo de me envolver David, medo de me apegar e depois as coisas não darem certo, eu estou cansada de perdas na minha vida.

-Você nunca vai saber se não deixar acontecer, se não deixar eu me aproximar, você vive com a desconfiança constante de que a qualquer altura eu vou te magoar e te fazer sofrer Zoe, só confia um pouquinho em mim por favor. -Supliquei.

-Acho que a minha vergonha também me impede de fazer isso. -Riu fraco. 

-Vá lá Zoe nós somos namorados, essa vergonha e essa timidez não precisam existir. -Falei. -E se te ajuda agente já teve momentos muito mas íntimos do que estes, se não essas crianças não estariam aqui. 

-Nós estávamos bêbados, eu não me lembro de praticamente nada. -Disse.

-Eu me lembro. -Ela me olhou mais envergonhada ainda. -Vagamente claro. 

-Eu nunca tive um namorado David, esse é um universo novo e estranho para mim, as vezes eu não sei como agir com você, e as novelas e os filmes não ajudam muito. 

-Esquece as novelas e os filmes, a realidade é bem diferente e eu acho normal, você cresceu num mundo privado de quase tudo, mas eu estou aqui, eu posso te ajudar, eu posso te ensinar é só você deixar.

-E como você vai fazer isso? -Perguntou receosa. 

-Te dando carinho, te dando amor, te ensinando a dar e receber prazer. -Acariciei o seu rosto. -Confia em mim?


Zoe On:


Confiar no David é uma decisão arriscada, eu queria, eu juro que eu queria, mas é exactamente como ele disse, eu vivo com a desconfiança de que a qualquer altura ele vai me magoar ou me fazer sofrer.

E por outro lado sei que devo dar um voto de confiança, afinal ele é meu namorado, é pai dos meus filhos e eu quero que ele seja o meu futuro...

Namorados se beijam, se abraçam e fazem coisas piores, mas só de ter visto ele pelado eu já morro de vergonha imagina fazer "coisas piores" aí eu morro e ainda me enterro.

Além de ele merecer um voto de confiança, ele é paciência comigo, e eu sei que isso não vai durar para sempre, me lembro em uma das conversas que tive com a doutora Verónica e ela referiu este facto. 

Os homens têm necessidades sexuais que acabam se tornando fisiológicas, e precisam de alguém que as satisfaça.

Eu não sei se devemos conversar sobre isso, claro que já conversamos, indirectamente, mas eu nunca cheguei ao ponto de perguntar se ele tem essas necessidades. 

Mas claro que tem, ele é um ser humano, e eu sou uma boba, pois mesmo que eu quisesse deixar de ser essa menina estupidamente tímida e me tornar uma mulher, eu não sei nem por onde começar.

Primeiro que eu não estou lá muito atraente: Estou gorda, enxada e redonda. Segundo que simplesmente não consigo: Tímida, envergonhada e inesperiente. Terceiro que eu não estou habituada: É muito estranho, é algo que não faz parte dos meus princípios, algo que não se encaixa no meu mundo.

Lembro das minhas conversas com a Nina, que antes me faziam rir horrores, e hoje vejo como ela tinha razão. 


Flasback On:


-Nina se alguém nos houve falando disso é o nosso fim. -Tranquei a porta do meu quarto. 

-Sexo. -Riu. -Se-Xo. -Gritou. 

-Fala baixo Nina. -Pedi. 

-Eu não sei porquê este é um assunto proibido, nunca entendi. -Disse. 

-Porque não é para nossa idade. -Falei. 

-Nós vamos fazer 18 anos Zoe, se não é para a nossa idade agora quando vai ser? 

-Simplesmente não será, ninguém fala neste assunto e ninguém prática este acto. -Disse. 

-Ninguém prática este acto? tem certeza? -Riu. -Como você explica a nossa existe? acha que caímos da árvore? 

-Isso é um assunto que a nós não diz respeito Nina. 

-Um dia nós também vamos ter um marido, e aí eu não sei como agente vai fazer os nossos filhos se não soubemos nada.

-Você tem tanta pressa de saber tudo. -Critiquei. 

-Uma coisa que eu também gostaria de saber é se só no nosso país se vive assim, será que fora da Irlanda também é assim?

-Não, eu acho que só nós vivemos este martírio. -Ri. 

-Nada que não se resolva, olha o que eu trouxe. -Saltitou. -Um livro. -Me entregou. 

-Você É maluca de todo, onde arranjou isso?

-Não interessa, o que interessa é que aí tem tudo que precisamos saber.

-Eu não vou ler isso. -Neguei. 

-Eu leio por você. -Se ofereceu. 

-Eu não quero ouvir isso. -Falei. 

-Lição número um. -Me ignorou. -Sexo pode ser a união de dois corpos em uma sintonia só, o desejo e o prazer mútuo. 

-A minha mam vai ouvir Nina. -Gargalhei. 

-Que ouça, ela já sabe isso. Continuando, o desejo sexualidade dos homens e diferente do das mulheres. 

A falta de desejo sexual nós homens é um fenómeno, são movidos não só por amor e carinho por outra pessoa, mas também pelo atração o instinto sexual.

Se não satisfazer as suas necessidades, levará o seu parceiro a procurar alguém que o faça. 


Flasback Off:


Essa era a diferença entre mim e a Nina, ela sempre foi mas confiante, aventureira e destemida, e eu sempre fui a Zoe. 

Talvez eu devia ter dado ouvidos a bobeiras que ela dizia, me seriam muito úteis agora.

Sua última frase não  me sai da cabeça. "Se não satisfazer as suas necessidades, levará o seu parceiro a procurar alguém que o faça".

-Está pensando em que? -Me despertou.

-Você me trairía? -Perguntei. -Quer dizer você já me traiu uma vez mas aquilo foi meio que indirectamente eu estou perguntando agora, você me trairía?

Ele me olhava perplexo -Zoe para com isso, eu te peço para você confiar em mim e você me vem com essas perguntas, pelo amor de Deus, ninguém merece. -Se levantou. 

-Não é para você se chatear é só para você me responder.  -Falei.

-E porque eu te trairía? -Perguntou.

-Se por acaso eu... -Bloquiei. -É que eu...Eu li que...

-Fala logo. -Me olhou com cara de tédio. 

-Eu li que os homens têm necessidades sexuais. -Falei envergonhada para variar. 

-Todo mundo tem Zoe. -Disse. -Até você. 

-Eu não. -Neguei. 

-À tá bom, continua, o que você leu mais?

-Se não satisfazer as suas necessidades, levará o seu parceiro a procurar alguém que o faça. -Perdi a vergonha.

E ele gargalhou retardadamente me irritanto.

-Eu estou falando sério David, não é para você rir. -Bati nele. 

-É por isso que você está me perguntando se eu te trairía? -Riu. -Isso é resultado destes livros, filmes e novelas que você fica vendo. 

-Você não me respondeu. -O lembrei. -Você me trairía?

-Porque causa de sexo? -Me encarou. -Não, eu não te trairìa, o que eu sinto por você vai muito além disso.

-Me tranquiliza saber disso. -Deixei escapar um sorriso. 

-Mas isso não significa que eu não queira Zoe. -Falou. -Eu sou homem há coisas que eu não consigo evitar. 

-O problema é que eu não sei nada sobre isso. -Admiti. 

-Eu te ensino. -Se aproximou. -Você só tem que confiar em mim. 

-Eu não sei. -Falei incerta. -Eu não tenho certeza. 

Ele suspirou. -Tudo bem Zoe, quando você tiver certezas eu estou aqui

-Eu te amo, muito. -Acaricei seu rosto, me sentindo mal pelo misto de sentimentos dentro de mim. 

Eu não deixaria a confiança e a desconfiança tomassem conta de mim, acho que a timidez e a vergonha já bastam. 


















Notas Finais


Perdão pela demora (Estou sem celular amores)

Espero que tenham gostado, críticas, sugestões e opino sempre bem vindas:

https://spiritfanfics.com/historia/o-preco-da-fama-10640182

https://spiritfanfics.com/historia/entre-idas-e-vindas-9364916

https://spiritfanfics.com/historia/escolhas-erradas-9029166


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...