História Nadie Como Tú - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Sou Luna
Personagens Ámbar Benson, Luna Valente, Matteo, Miguel, Monica, Rey
Tags Lurey, Sou Luna
Visualizações 134
Palavras 1.294
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá, meus amores!!
Como vocês estão?
Espero que gostem desse capítulo.
Bora ler?

Capítulo 6 - Maggie


Dias se passam e nada mudava entre os sentimentos de Luna e Rey. Ambos seguiam pensando um no outro mas não tinham coragem de falar. Luna acreditava que ainda estava confusa por causa de Matteo e achava que deveria ficar calada. Rey... Por sua vez, pensava que estava tudo errado. Jamais poderia sentir algo por Luna, que era filha de Miguel e Mônica, pessoas estas que eram maravilhosas e que só estava trabalhando ali por eles e claro, por Luna. Luna... A garota não saía de seus pensamentos nem sequer por um minuto. – Droga! Porque eu não consigo parar de pensar nessa garota? – Rey se pergunta e decide trabalhar. Ele então veste seu paletó e abre a porta do quarto para sair. Enquanto caminha pelo corredor, não percebe a chegada de Luna e acaba se esbarrando na jovem. O moreno então segura Luna próxima de si e encara seus olhos. – Luna...

- Rey...

- Toma mais cuidado. – O moreno fala e desce o olhar para os lábios de Luna. A jovem, percebendo seu olhar acaba mordendo os lábios, fazendo Rey fechar os olhos e respirar fundo. – Eu... Eu preciso ficar longe de você. – O homem fala e se afasta de Luna. Ele tenta seguir seu caminho, mas a jovem o chama.

- Rey... Espera! – O moreno não tem coragem de se virar e respira fundo mais uma vez. Luna então se aproxima meio receosa e puxa levemente o braço de Rey. – Eu... Eu... Eu tô com saudade... – A garota fala surpreendendo Rey que se vira e a encara.

- Saudade?

- De você. Olha... Eu sei que parece loucura e é... Mas... Eu sinto sua falta. Nossas aulas não estão sendo a mesma coisa de antes. Tem... Tem um bloqueio entre a gente. Rey, eu... Eu... Eu gosto de você e te ver me ignorando dói... – Luna assume para si mesma e para o moreno que engole a seco encarando seus olhos marejados.

- Me perdoe, Luna... Mas... Não existe outra maneira de agirmos se não for essa. Não... Não dá pra continuar como está. Precisamos manter distância e você sabe disso. – Rey fala encarando os lábios da mexicana que se aproxima ainda mais dele e acaricia seu rosto. Luna não se reconhecia. Na verdade, após muitas e muitas conversas com Nina, havia decidido se deixar levar pelos seus sentimentos. Não tinha nada a perder. E por mais que aquilo pudesse parecer estranho e louco, para ela não tinha nada de anormal. Afinal, existem muitos e muitos casais por aí formados por homens mais velhos e mulheres mais novas e vice-versa também.

- Mas... Rey...

- Luna. Sou somente seu professor de matemática e claro, empregado da mansão. Se quiser outra coisa, procure alguém da sua idade. Com licença. – Rey fala friamente e deixa Luna sozinha. O moreno se sentia mal por agir daquela forma, mas não podia ser diferente. Miguel e Mônica jamais aceitariam aquela relação. Eles haviam lhe dado uma nova oportunidade e ele não podia estragar tudo com aquela loucura de desejo por uma adolescente. Sabia muito bem que Luna sempre fora apaixonada por Matteo Balsano e ele não via lógica no que ela dizia sentir por ele. Saudade... Saudade do que? De apenas dois beijos? Não fazia o menor sentido. Bom, até fazia. Pois ele mesmo sentia saudade. Mas precisava ser racional. E pensar com a cabeça e não somente com o coração.

Decidido então a focar seus pensamentos em seu trabalho, Rey teria que recepcionar a nova empregada da mansão. Uma tal de Maggie. Os minutos se passam e finalmente dá o horário em que a mulher chegaria na mansão. Luna que nunca havia ficado preocupada com empregados, decide que também queria conhecer a mulher. Algo lhe dizia que precisava fazer isso e mesmo sem entender ao certo o porquê, decide ir até Rey, seus pais e seu avô para finalmente conhecer a nova empregada. – Senhora Maggie, não é? – Rey fala ao ver a mulher entrar na mansão e a mesma o encara sorridente.

- Só Maggie. Esse negócio de senhora me faz parecer uma velha e eu não sou, não é mesmo? Ou sou? Bom... Isso não importa. Agora... Que casa maravilhosa é essa? Eu estou chocada. Perplexa feat. sem palavras. Você deve ser o... Reynaldo. Rey... Lindo nome. E o dono é mais lindo ainda. – Maggie fala deixando Rey sem graça. Alfredo acaba rindo e Luna revira os olhos.

- Seja muito bem vinda, Maggie. Já nos conhecemos antes então... Seja bem vinda novamente. – Alfredo fala sorrindo e a mulher sorri ainda mais.

- Muito obrigado, senhor Alfredo. Digo senhor, porque já tem um pouco mais de idade e eu sempre respeitei os mais velhos. Mas este aqui... Vai ser chamado somente de Rey. O rei do meu coração. – Maggie fala fazendo Alfredo rir e Rey a encara sério sem saber o que falar ou fazer. Ele então limpa a garganta e olha para Luna que estava com uma cara de poucos amigos.

- Ér... Eu... Eu vou lhe mostrar onde fica seu quarto e... O que precisa fazer na mansão. – Rey fala mas Luna o interrompe.

- Não... Não precisa, Rey. Minha mãe pode fazer isso, não é mesmo?

- É claro que sim. Venha comigo, Maggie. – Mônica fala e caminha com Maggie para o novo quarto da mulher enquanto Miguel, Alfredo, Rey e Luna ficam sozinhos na sala.

- Bom, eu preciso fazer algumas coisas agora. Com licença. – Miguel fala e dá um beijo na filha, saindo logo em seguida.

- Eu... Eu também preciso resolver algumas questões. Vou ao banco ver como estão as ações e pensar no que fica melhor para aplicar seu dinheiro, Alfredo.

- Muito bom, Rey. Tente voltar cedo. Quero conversar em particular com você.

- Claro. – O moreno fala e sai ao mesmo tempo em que Luna dá um suspiro.

- Minha neta... Quero conversar seriamente com você. Quero aproveitar que é sábado para podermos ter uma conversa mais tranquila e mais demorada. Venha comigo. – Alfredo fala e se encaminha para as escadas que levariam aos quartos. Luna o segue sem entender nada. O que ele queria conversar com ela?

- Vovô... Ér... O que o senhor quer conversar comigo? – Luna fala entrando em seu quarto e se jogando na cama. – Essa sua cara de sério não combina em nada com senhor. Rsrs. – A jovem ri, fazendo Alfredo rir também. O homem então se senta na ponta da cama de Luna e encara a garota.

- O que sente pelo Rey?

- O que? Co... Como assim?

- Luna, não tenta negar.

- Mas... Ér... Eu... Eu sinto o que todos sentem. Ele... Ele parece ser um homem bom. Educado. Gentil... E está tendo a oportunidade de ter uma nova chance na vida. O que eu mais sentiria por ele? – Luna pergunta tentando disfarçar o que realmente sentia.

- Gosta dele, não é?

- Sim. Como todos aqui. Bom, nem todos. Tirando a Âmbar que sempre implicou com ele...

- Luna, não foge do assunto. Perguntei se gosta dele. Não como um amigo, que é como todos nós gostamos e sim como algo a mais. Como um homem. Está apaixonada por ele, não é?

- O que? Vovô... De... De onde tirou isso? – Luna fala e começa a rir, extremamente nervosa.

- Sim, você está apaixonada por ele. E não pode negar isso. Seus olhos não mentem, minha neta. – Alfredo fala e Luna baixa o olhar para logo em seguida, erguê-lo para Alfredo que nota o mesmo cheio de lágrimas. Luna sorri sem graça e deixa uma lágrima cair sem conseguir pronunciar uma única palavra, ela se aproxima de Alfredo e o abraça fortemente. O homem acaricia seus cabelos enquanto tenta acalmar a neta que chorava em seus braços.


Notas Finais


Gostaram? Odiaram?
Mereço comentários?
Maggie entrou na fanfic e pelo que parece, já entrou querendo acabar com Lurey. Kkkk... Sem querer, na verdade.
Aviso que teremos muitas cenas de ciúmes vindo por aí...
Vejo vocês no próximo capítulo!
Até mais!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...