1. Spirit Fanfics >
  2. Namorada de Aluguel >
  3. PROPOSTA

História Namorada de Aluguel - Capítulo 3


Escrita por:


Capítulo 3 - PROPOSTA


POV BELLA  

Por mais incrível que poderia parecer eu estava muito à vontade ao lado daquele homem que acabo de conhecer praticamente, já que das outras vezes não havíamos trocado mais que cinco palavras durante suas visitas no café que trabalhava, enquanto Edward faz seu pedido ao garçom que veio nos atender eu me vi perdida em meus pensamentos ao me dar conta que estava ferrada, sim pois agora não tinha mais emprego porém não me arrependia de ter posto James em seu devido lugar, aquele asqueroso. 

—Bella! Ouço meu nome ser chamado e encontro olhos verdes me encarando curioso. 

Coro ao perceber que novamente tinha me perdido em pensamentos. 

—Oh sim, me desculpe. 

—...tudo bem, o que gostaria de pedir? Perguntou Edward com um sorriso divertido. 

—Um suco de laranja, está ótimo para mim. Digo sem graça. 

—Apenas um suco? ... Diz surpreso e faz uma careta voltando-se para o garçom. —Traga fritas para nós também.  

Pediu ele e o foi minha vez de ficar surpresa. 

—O que? 

—Você não tem cara de quem come fritas. Digo observando seu corpo magro, porém definido com alguns músculos. 

Ele ergueu a sobrancelha com minha avaliação. 

—E tenho cara de quem come o que, Srta? Perguntou contendo o riso.  

—Batata doce e ovos?  

Digo mordendo o lábio inferior e o vi cair no riso e me vi o acompanhando.  

—Então presumo que me ache saradão.  

Supôs ele com malícia me fazendo corar absurdamente e agradecer mentalmente ao garçom que trouxe nossos pedidos.  

Após este pequeno constrangimento eu pude conhecer mais sobre aquele belo homem simpático e muito bonito, onde descobrir que não era apenas um rostinho bonito e sim um homem de vinte seis anos que muito jovem deixou a cidade que vivia com os pais para focar em sua empresa após a faculdade e que hoje era uma das maiores empresas de perfumes que o país conhecia. Agora entendei por que aquele homem tinha um cheiro que inebriava qualquer pessoa. Soube também que tinha uma irmã gêmea, Alice que era uma grande estilista e que estava noiva de seu melhor amigo Jasper e um irmão mais velho chamado Emmet que era um excelente advogado casado com uma cozinheira de sucesso chamada Rosalie e tinham dois filhos, Megan e Brian. Ambos gêmeos também de 5 anos. E então me contou sobre seus pais, Carlisle e Esme e vi um grande amor e carinho ao falar sobre seus pais e descobri que seus pais eram o casal perfeito, há trinta anos casados. Realmente uma família perfeita.  

—Vocês são mesmo reais? Parecem ser a família perfeita de catalogo de margarina.  

Digo abobada arranca uma risada de Edward.  

—Perfeitos não somos, já tivemos nossas discussões e desentendimentos, mas o amor que temos um pelo outro sempre falo mais alto.  

—Isso é realmente lindo de se ouvir, Edward.  

—..., mas tem algo que errou, para minha família certamente sou o menos “perfeito” digamos.  

—Por que?  

—Como pode ver todos encontraram suas almas gêmeas enquanto eu nunca tive esse prazer. Não que realmente tivesse o procurado. 

—Você é um homem bom e divertido, Edward certamente tem muitas garotas a fim de você. 

—Ninguém que realmente me fizesse me imaginar um dia como vivem meus pais. 

—E isso te incomoda? Sua família desejar isto? 

—Um pouco, principalmente dona Esme ela sempre está planejando algo para mudar isto. 

Gargalho com esta informação. 

—Um dia quem sabe poderá os conhecer.  

Disse ele e vi algo diferente passar por seus olhos ao dizer aquilo. Como se tivesse planos para isso acontecer. Balancei a cabeça achando estar com um parafuso a menos. 

O qual sempre tive não posso negar.  

—É, quem sabe. Concordo com um sorriso leve.  

 

POV EDWARD 

Eu nunca em toda minha vida contei tanto sobre minha vida para uma garota como contei para Isabella.  

Aquela bela morena certamente tinha algo que eu não sabia o que era, mas estava gostando muito. Além de linda, era divertida e muito inteligente. Após contar minha história pedi que fizesse o mesmo e então soube que ela era uma jovem de vinte anos que se mudou da pequena cidade que vivia com seus pais, pessoas simples e honestas e que após conseguir uma bolsa de estudos para cursar Literatura deixou a segurança de sua cidade e sua família para arriscar um novo começo em Seattle morando sozinha com uma colega de quarto ao qual dividiam as despesas.  

Apesar de jovem certamente era muito madura. Existiam poucas garotas como ela, isso eu tinha certeza. Nenhuma das mulheres que já sai e conheci eram encantadoras como ela e a cada minuto eu tinha certeza que ela era perfeita para o meu plano e agora que não tinha mais emprego e precisava de dinheiro eu poderia a ajudar e ela então me salvaria dos planos de dona Esme.  

—Bella tenho que confessar algo, não fui totalmente sincero com você.  

Digo quando estamos nos despedindo do café. Ela me encara com seus olhos chocolates temerosos.  

—O que quer dizer, Edward? Não me diga que é casado.  

Diz ela estupefata e gargalho.  

—Não, não. Completamente solteiro como te disse, era tudo real.  

—E qual o problema?  

—...Tem um motivo especial para eu ter a encontrado. Pois eu sei que só você pode-me ajudar. 

—Ajudar? Com o que?  

—Lembra-se do que disse sobre minha mãe? É extremamente real, mas eu tenho um plano para passar as férias sem dor de cabeça, eu estou procurando por uma mulher que possa fingir ser minha namorada e pensei que, não eu tenho a certeza que é você. Desde o dia que a vi no café e agora que pude a conhecer mais, vejo que é uma mulher linda e inteligente, perfeita para ser minha namora de aluguel. 

Vejo seus olhos arregalarem à medida que digo tais palavras e me sinto muito nervoso temendo sua resposta.  

Nunca temi um não como agora.  

—E então aceita?  

Pergunto e ela pisca algumas vezes se dando conta que é realmente real. 

—Espera, você quer que eu finja que sou sua namorada para enganar sua família? E o que ganho com isso? 

—Enganar é uma palavra muito forte, não pense desta forma. Afinal darei a eles o que querem.  

—Muito generoso de sua parte.  

Diz sarcástica e abaixo o olhar sabendo que não era a decisão mais honesta.  

—Pense bem, Bella posso pagar o quanto quiser para me ajudar.  

—Agora estou me sentindo uma protistuta. Diz ela nervosa.  

Droga, não tá saindo nada como planejei.  

—Será apenas por algumas semanas, nada mais que isso. E depois será como um término normal.  

—Tirando a parte que tudo fora uma farsa.  

—Isso. Concordo, pois era a verdade.  

Ela me encara e vejo que luta internamente ao pensar na possibilidade. Retiro meu cartão de meu bolso e entrego a ela.  

—Me ligue quando tiver a resposta, tenho apenas mais dois dias antes de ir visitar minha família.  

Digo a ela que assenti lentamente e vou embora. Torcendo para receber sua ligação.  



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...