1. Spirit Fanfics >
  2. Namorada de Aluguel (2yeon) >
  3. Capítulo 1

História Namorada de Aluguel (2yeon) - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Oii
Só para lembrar que é uma adaptação.

Capítulo 1 - Capítulo 1


Se humilhar para conseguir o que quer de alguém seria uma atitude patética e infantil vinda de uma garota de dezessete anos, eu mesma julgaria assim, mas, infelizmente, essa era eu, agarrada na cintura dela e esperneando, implorando para que não me deixasse. Duas horas, poxa, era muito ? 

_Já chega Nayeon, essa encenação está se tornando ridícula. -Suas lentes azuis me encaravam tão profundamente, sentia que ela podia decifrar a verdadeira objetividade de cada movimento meu. 

_Por favor, não pode me deixar aqui, não agora, esqueceu do quando isso importa para mim ? ____Ok, não era a melhor coisa para se dizer, o quanto era importante para mim.

_É exatamente esse seu egoísmo que está me fazendo desistir da gente, quando cheguei a primeira coisa que me disse foi que suas amigas iriam pirar ao me ver, porra, dirigi por três horas, tem duas semanas que não nos vemos.

_Desculpa, desculpa, não foi nada legal, eu sei...___Apoiei meu rosto em seu peito. _Mas, por favor entre comigo.

Não era culpa minha, Sana é a cobra da história, ela se infiltrou no meu grupo de amigas à um ano, e desde sempre vem jogando piadinhas pro meu lado, tentando colocar as outras contra mim, seu último truque era esse, tentar provar que eu estava mentindo sobre meu relacionamento à distância, já tem dois meses, Minatozaki não iria sair dessa como a grande heroína, Momo era real e eu tinha que esfrega-la na cara furiosa de Sana.

_Não vou me prestar à isso, desculpa Nayeon, acabou.

Não, não poderia terminar ali, num estacionamento imundo de escola. 

_Sei que vai conseguir alguém melhor. 

_Melhor ? Eu quero você. __Segurei firme em seu pulso. _Não pode fazer isso comigo, sabe a quanto tempo esperávamos por hoje, é meu baile de formatura. 

_Sim, seu baile de formatura, tem idade o suficiente para adentrar pela porta, ser madura e aceitar que não temos nada. ___Um carro cinza passou por nós, estacionando duas vagas após o carro de Momo, dele, um casal saiu, nenhum dos dois estava dirigindo pois saíram pela porta detrás, não os reconheci.

_Nayeon..._Olhei para ela com minha feição pidona. _Preciso ir, a viagem de volta é longa. 

Suspirei derrotada. 

_Tudo bem. 

_Deveria entrar, você está linda. 

_Por que você é fofa até nesses momentos ? Não pode ir embora e simplesmente me xingar antes ? __Empurrei seu ombro levemente, Hirai riu e se distanciou, entrou em seu carro, eu estava fodida, baixou o vidro e me encarou. 

_Sua mimadinha de merda, egocêntrica, egoísta e manipuladora, você merece mesmo entrar sozinha. __Ri, ela me pareceu realmente convincente, deu ré e sumiu na estrada sem se despedir decentemente, mas também, o que eu esperava ?

"Sana" 

Seu nome me veio à cabeça, merda, eu precisava dar um jeito naquilo. E rápido. Meu celular apitou, era uma mensagem de Jihyo. 

"Estamos aqui, vai demorar muito princesinha ?" 

"Momo se atrasou um pouco, ainda no trânsito" 

"Ok" 

Singelo, mas justo. Em meio aos meus surtos internos, meus olhos se encontraram com os duma garota, ela estava sentada no banco do motorista, segurava um livro, era o mesmo carro de onde o casal desconhecido saiu, me aproximei esboçando meu melhor sorriso.

_Oi. 

_Oi ? __Usava óculos, seus cabelos, mesmo curtos estavam presos num rabo de cavalo pequeno, suas roupas não condiziam com o baile, ela não planejava entrar, blusa cinza larga e calça jeans escura, havia um Alien como estampa na camisa, de longe, não era meu estilo, mas serviria, era uma emergência. 

_Estuda aqui ? 

_Quê ? 

_Perguntei se estuda nesse colégio. 

_Não, minha família se mudou recentemente, decidi terminar o ano na minha escola antiga. ___Ela era nova na cidade, ótimo, menos chance de ser descoberta. 

_Veio trazer seu irmão ? 

_Irmã. 

_Perfeita. __Ela ergueu as sobrancelhas abaixando o livro, do qual li o título: "E o vento levou". 

_Você será o meu par. 

_Ah...__Abriu a boca como se fosse dizer algo além de uma simples sílaba. 

_Mora perto daqui ? Por que assim, nada contra mas, não dá para você entrar vestida de nerdzona da sexta série. Não tem um terno dentro desse carro ? Uma gravata vermelha combinaria com meu vestido. __Ela continuava me encarando estática. _Ou você é do tipo que prefere vestido ? 

_Você é estranha, vou fechar a janela. _Vi sua mão se aproximar do botão que faria o vidro subir.

_Não ! Não, por favor, preciso disso. __Pus meus braços na janela.

_Disso ou de mim ? 

_Do favor e de você. 

_Não. 

_Vai...não tem nem uma blusa social ? 

_A roupa não é o problema garota desesperada. __Respirei fundo, talvez se eu explicasse a situação ela entenderia e concordaria com meu simples plano.

_Olha, minha namorada terminou comigo no meio de um estacionamento deserto, minhas amigas acham que ela não existe, longa história, e eu não posso entrar sozinha no baile de formatura onde serei provavelmente coroada a rainha. Vamos, me ajuda...

_Você sempre precisa implorar por companhia assim ? __Ela riu. 

_Não, nunca, é minha primeira vez. 

_Está fazendo bem...

Continuei à encarando esperando por uma resposta concreta. 

_Então, quer que eu finja ser a modelo ? ___Apontou para onde a briga com Momo havia acontecido, ela estava se referindo a japonesa que possuía belas curvas. 

_Olha, elas nunca à viram, além disso você... __Tentei pensar num bom adjetivo. __Nenhum veio à minha mente, a coreana ainda me fitava com seu olhar neutro e indiferente.

 _Eu pago. 

_Não sou uma prostituta, mas tenho certeza que existem números que você pode ligar para conseguir uma. _Riu mais uma vez. 

_Tá...se você não gosta da idéia do dinheiro, fico te devendo uma. 

_Me devendo ? 

_É, é, um favor, se precisar de uma namorada falsa, ou companhia, tanto faz. 

_Não preciso de namorada, muito menos de companhia. 

_Ok, fico feliz que você não precise de encontros de mentira, e que consegue alguém para sair com você sempre que quer, obviamente, eu também. Mas o caso é que este lugar está vazio...e poxa, preciso chorar lágrimas de mentira para te convencer ? 

_Tudo bem. 

_Tudo bem ? 

_Entro com você, moro a sete quarteirões daqui, vou para casa vestir alguma coisa que tenha cara de baile de formatura. 

O vidro se fechou, ela resmungou sobre não acreditar que faria mesmo aquilo, e foi embora. 

Haviam poucos carros ali, me apoiei no mais limpinho deles, peguei meu celular, vasculhei todas as redes sociais de Momo, ela não era adepta à internet, nada sobre o término estava exibido para que todos vissem, menos mal. Cinco minutos se passaram e nada da "substituta da Momo aparecer"; Se ela mora só à sete quarteirões daqui, por que esperar a irmã no estacionamento e não em casa ? Cada doido com suas loucuras não é ? Bufei, postei no Twitter que o baile seria um arraso, guardei o telefone e cruzei os braços, estava começando à ventar. Dez minutos e nada, essa garota me enganou, merda. Comecei à pensar em desculpas que poderia dar às minhas amigas, ela ficou doente...teve que estudar para as provas finais da faculdade...é, ela está na faculdade. Certeza que Sana me olharia torto e sorriria, "Conte a verdade, vamos logo" Jihyo me daria uma bronca e Dahyun suspiraria decepcionada. Sei que elas são minhas amigas e não deveriam desconfiar de mim, mas admito que dei motivos, contei tantas histórias sobre Momo e o quanto ela era perfeita, algumas bem exageradas, só queria que ela saísse bem "na fita", não esperava que fosse terminar comigo no último segundo ! É, até eu suspeitaria de que ela não existia. Momo e eu nos conhecemos numa cafeteria da UCDES (Universidade Coreana de Ensino Superior), ela estuda lá, junto com meu irmão mais velho, não são amigos, mas trocam uns "bom dia" pelos corredores. Quando à conheci, não comentei que ainda estava no ensino médio, faltavam poucos meses para eu ir para UCDES, onde disse que estudava, ela acreditou e à partir daí começamos à ficar, só disse que estudava lá por que vou mesmo e talvez ela não gostasse de garotas de colegial às achasse novas demais ou alguma coisa assim, não importa. Quando começamos à namorar sério, eu disse a verdade, Momo me perdoou e continuamos juntas, até hoje, minutos atrás na verdade, perdi a namorada, e estou quase sem as amigas também. Vinte minutos plantada e tive a certeza de que aquela desconhecida me deu uma rasteira e furou o combinado. Afaguei o vestido com as mãos, respirei fundo, estava pronta para entrar quando escutei uma buzina, a dublê de Momo estava com o rosto para fora da janela, o cabelo ainda preso, mas sem os óculos. 

_Ia mesmo entrar sem mim depois de todo aquele drama ?! 

Não contive um sorriso e pulinhos de alegria, minha cabeça estava à salvo. Caminhei até o veículo, agora estacionado, ela abriu a porta, mas não saiu. 

_E então ? 

Ela inflou as bochechas esperando que eu dissesse algo, provável que queria um comentário sobre sua roupa, mas não dava para ver nada naquele escuro. 

_Vira para mim, por favor.

Seu cabelo estava uma bagunça, e eu não poderia deixa-lo assim, o que iriam pensar ? 

_Ei, o que vai fazer ? 

Perguntou quando me inclinei para perto de seu rosto com uma escova à qual tirei da bolsa.

_Ajeitar seu penteado, se é que isso aí pode ser chamado assim. 

Ela deu de ombros quando soltei seus cabelos, ficavam acima de seus ombros, e foi aí que me toquei, Momo era loira, em todas as fotos que mostrei, a dublê não podia ser morena, podia ?! 

_O que foi ? 

Perguntou quando dei espaço para que saísse do carro, ela o trancou e virou para mim, vestia um terno preto com gravata azul escuro, era mais alta que eu, ao menos isso...

_Seu cabelo é castanho.

_Só percebeu agora ? 

Riu nasalando. Não tinha graça, nem um pinguinho sequer. 

_Entendi, a modelo é loira né ? Se for asiática, isso é geneticamente impossível, só diz que passei uma tinta por cima, sei lá. 

Sorri com sua tentativa de ajudar, ela parecia simpática. 

_Deixa para lá, vamos ? 

Dobrou o braço para me acompanhar, recusei seu cotovelo segurando em sua mão. 

Aquela cena se repetia tantas vezes na minha cabeça, eu e Momo, caminhando no meio do salão, e a feição devastada de Sana, teria o prazer de ver o rosto de Minatozaki, mesmo estando com minha namorada postiça. 

Ela parou, meu corpo levou um tranco, não foi nada legal para quem estava em cima dos saltos. 

_Preciso de um pouco de informação, quer convencer suas amigas de que a gente se conhece, não ? 

_Ah, é, bom...

_Seu nome, seria um bom começo. 

Eu ri, nem mesmo meu nome ela sabia.

_Im Nayeon, dezessete anos, formanda aqui, na pequenina escola pública de Seoul, membro do conselho estudantil e muitas vezes as pessoas imploram por minha companhia, e não o contrário. 

_Anotado. 

Apontou com o dedo para a cabeça e piscou. 

_E nas próximas duas ou três horas você será Hirai Momo, penúltimo ano na UCDES, motivo pelo qual meus pais não apoiam o namoro aliás, acham você velha demais para mim. 

_E eu sou. 

Fiquei confusa, ela estava falando de Momo ou de si mesma ? 

_E qual sua idade ? 

_Se estou no penúltimo ano, devo ter uns...acho que...vinte e um ?

Ah, ela estava falando de Momo. Assenti com a cabeça. 

_São só quatro anos, nada extravagante.

_O que não seria o fim do mundo se você não estivesse no colégio. 

Revirei os olhos. 

_Só pelas próximas cinco semanas, e você parece meu pai falando.

Ela deu ombros. 

_Me parece um bom pai.

_Não tem importância. 

Dei leves tapinhas em seu ombro. 

_A coisa é....você terá que terminar comigo, de preferência na frente das minhas amigas, seja rápida e discreta. Não exagere nas palavras, fale o que vier à cabeça e então vá embora, nunca mais apareça, como a verdadeira Momo. A história e o plano acabam aí. 

Um nó se formou em minha garganta, meu estômago revirou ao lembrar de Momo, balancei a cabeça tirando a imagem da japonesa de meus pensamentos.

_Consigo fazer isso, tranquilo. 

_Ufa. Mas sua irmã, ela não vai atrapalhar né ? Tipo, sair correndo pelo ginásio gritando seu nome em alto e bom som.

_Néah, minha irmã não imagina que estarei lá dentro, vestida assim então, hum, zero chances de ela notar. Está mais interessada numa garota que veio junto. E se eu perceber que ela está se aproximando, dou um jeito de tirá-la de perto.E conto tudo, ela é legal. Vai colaborar.

_Não acha melhor enviar uma mensagem para ela ? Só por precaução. 

_Então...

A namorada postiça riu coçando a nuca. 

_Eu até faria isso, mas na correria esqueci o celular em casa. __Apalpou os bolsos provando sua fala anterior. 

_Tem certeza de que ela é de boa ? 

_Claro, de boa. __Repetiu minhas últimas palavras, senti uma tensão percorrer minha espinha. 

_É, ok, tudo certo então. Dito e esclarecido. 

Ela olhou para mim e riu como se eu tivesse esquecido uma pergunta óbvia.

_O que foi ? 

_Nada, vamos entrar logo.

[.......]





Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...