História Namorado de aluguel - beauany - Capítulo 15


Escrita por:


Notas do Autor


Boa leitura!

Capítulo 15 - Capítulo 15


Fanfic / Fanfiction Namorado de aluguel - beauany - Capítulo 15 - Capítulo 15



— Ah — ouvi heyoon exclamar. —Desculpem.

Sentamos como se tivéssemos sido pegos no flagra.

Josh passou a mão no cabelo, se livrando da areia e bagunçando completamente o que eu havia arrumado.

— Oi, heyoon. Precisa de alguma coisa?

— Não. Quer dizer, sim. O Spencer está te procurando.

Os olhos de josh brilharam.

— O Spencer está aqui?

— Acabou de chegar. Eu disse que você viria.

Josh se levantou depressa e estendeu a mão para me ajudar. E fez isso com tanta força que quase fui parar no chão outra vez. Depois começou a andar, e olhou para trás uma vez para ver se eu o seguia. Eu tentava, mas ele estava indo rápido demais.

— Eles têm um caso de amigos — heyoon comentou, e aí eu percebi que ela estava andando ao meu lado. — Mas você já deve saber disso.

— Ainda não conheci o Spencer.

— Não? Eles são praticamente a mesma pessoa. Apesar de o Spencer ser um pouco exagerado para o jeito tranquilo do Josh.

Vi josh abraçar um cara, e eles trocaram vários tapinhas nas costas antes de se afastarem. Eu conseguia ouvir a risada dos dois de onde estava, a uns dez metros.

— Ele vai querer te apresentar — heyoon falou e me deu um empurrãozinho.

— Ah. Certo. — Eu não queria que Josh tivesse que sustentar a mentira com pessoas de quem gostava de verdade, mas, com heyoon ali parada, eu não podia fazer nada.

Continuei andando até parar ao lado dele. E pela primeira vez vi de fato o rosto de Spencer, os olhos escuros, quase pretos, com aquela luz, e quase recuei um passo. Eu o conhecia. Bom, não realmente. Ele tinha saído com a Sina uma vez havia dois anos, e eu fui fazer companhia. Só lembrava disso porque ele tinha sido um tremendo babaca, a tratou mal o tempo todo e ainda tentou transar com ela no fim da noite.

Josh estava contando a Spencer sobre uma cena que ele teve que fazer na aula de teatro.

— ... e aí eu perguntei à professora: “Pode ser um monólogo?”

Spencer riu.

— O que a menina falou?

— Ela achou que eu estava brincando.

— E você continuou?

— O que mais eu podia fazer?

— Não sei… talvez parar de se preocupar com os sentimentos dos outros pelo menos uma vez e pensar na sua nota.

Josh deu de ombros.

— Tanto faz. No fim deu tudo certo.

Spencer olhou para mim, e eu fiquei esperando que ele também me reconhecesse, mas não aconteceu. Ele só parecia se perguntar por que aquela garota esquisita estava interrompendo a conversa. Fazia dois anos, e o encontro nem havia sido comigo. Era compreensível que ele não me reconhecesse.

Josh olhou para mim com aquela expressão feliz, e foi como se voltasse de repente à realidade.

— Ah, oi, any.

— Você conhece essa gata? — Spencer perguntou.

— Conheço. Ela veio comigo.

— Sortudo. Como um cara sem graça como você descola uma garota como ela?

— Deve ser meu charme fatal..

Spencer olhou para mim.

— É isso mesmo?

— Ele é bem charmoso.

— Humm. Pensei que charme fosse especialidade minha. - heyoon, que havia se juntado a nós, riu.

— Existe uma diferença entre ser charmoso e ser atrevido, Spencer.

— E você deve conhecer bem essa diferença — ele respondeu.

Heyoon ergueu uma sobrancelha. Esperei pela resposta, mas ela e Spencer riram. Depois ele a agarrou e a jogou em cima de um ombro.

— Eu já volto. Só vou jogar esta garota no mar. Faz parte do presente de formatura. — E saiu correndo, como se fosse justamente essa a sua intenção.

— Nem vem! — ela gritou, batendo em suas costas. — josh, me salva!

Josh se limitou a dar de ombros e continuou sorrindo.

— Ryan!— heyoon berrou.

Josh e eu vimos Spencer correr para o mar. Antes de ele chegar lá, Ryan os alcançou e os dois fingiram uma luta na areia. Josh suspirou.

Pela primeira vez na noite, ele parecia feliz. Eu não precisava contar a ele que Spencer havia sido um babaca com a minha amiga dois anos atrás.

Spencer nem se lembrava disso, era evidente, e devia ter mudado muito depois daquilo. Parecia diferente, mais legal.

— Seus amigos são divertidos — eu disse.

— É, a gente se divertia muito.

— Tem saudade disso?

— Tenho saudade de como era antes. Agora é tudo diferente, e é inútil tentar fazer voltar a ser como era.

Eu esperava que isso significasse que ele tinha desistido de tentar reatar com heyoon. Ela e Ryan não o mereciam.

Josh estava sentado em uma mesa conversando com Spencer quando voltei do banheiro. Eu me aproximei dele por trás e passei os braços por cima de seus ombros, colando o rosto ao dele. Segura essa, heyoon, pensei quando ela passou por nós com Ryan. A noite estava bem mais fria, e o rosto de Josh era morno. Senti seu sorriso quando ele entrelaçou os dedos nos meus.

— Vocês dois são fofos de dar nojo, sabiam? — Spencer comentou.

Josh ficou tenso e mudou de posição na cadeira. Seus dedos soltaram os meus, e ele cruzou os braços. Ah, não. Estava se sentindo culpado. Queria contar ao amigo que era tudo mentira. Eu sabia, porque conhecia o sentimento. Uma coisa era mentir para Jules, porque era como se ela merecesse; outra, completamente diferente, era mentir para sabina e Sina.

— Por favor, não — cochichei. Josh não podia contar esta noite, não sem saber como o amigo reagiria à notícia. Spencer poderia contar tudo a Heyoon, e então a noite teria sido inútil. — Você pode terminar comigo amanhã e contar para ele.

Josh assentiu, tenso. Beijei a pele sob sua orelha. Ele estava tão perfumado que eu queria ficar ali, tirar vantagem dos últimos momentos de contato físico que teríamos.

Senti quando ele se arrepiou e me afastei.

Quer ir embora? — ele perguntou.

— Fica aí conversando mais um pouco. Vou buscar seus sapatos.

Ele olhou para os seus pés descalços.

— Ah, é. Deixei perto das pedras. Obrigado.

Estava ficando tarde. Havia escurecido, e era mais difícil enxergar o caminho na praia.

Contornei as pedras e vi duas pessoas se agarrando.

— Ai, desculpa!

Heyoon e Ryan levantaram a cabeça para olhar para mim, ela ajeitando o cabelo.

— Desculpa — repeti. — Só preciso pegar os sapatos do Josh. Estão ali.

Peguei os sapatos.

— Vocês vão embora? — heyoon perguntou.

— Vamos.

— Obrigada por terem vindo — Ryan falou quando eu estava prestes a sair dali. — É bom ver o josh feliz de novo.

É tudo encenação, seu babaca, eu quis dizer. Você é o pior amigo do mundo, e não use a felicidade dele para se sentir menos culpado. Mas não falei nada, claro.

— Ah, com certeza. A gente se vê.

Josh estava caminhando na minha direção quando eu saí do semicírculo de pedras.

— Obrigado — ele disse, apontando para os sapatos quando nos encontramos. Eu me senti feliz por ter sido eu a pegar heyoon e Ryan atrás daquelas pedras, e não ele. Josh não precisava ver mais do que já havia visto naquela noite.

Ele me abraçou e escondeu o rosto no meu cabelo.

— Obrigado por hoje.

Fechei os olhos.

— Tudo bem. Foi divertido. — E me surpreendi ao perceber que estava sendo sincera.

Josh era uma companhia agradável.

Ele envolveu minha cintura com um braço, e com a outra mão acariciou minhas costas. Talvez também quisesse tirar proveito dos últimos momentos de contato físico que teríamos.

— Eu também me diverti. Vou te levar para casa. — Ele me soltou e pegou minha mão.

Olhei para trás e vi heyoon parada ao lado das pedras, nos olhando. Eu devia ter imaginado que ela era a razão para o contato físico.




Notas Finais


Tô com uma peninha da any💔
Gravem bem esse Spencer mais pra frente ele vai ter um importantr papel.
O que acharam?
Comentem e favoritem se gostarem
Xoxo❤❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...