História Namorado por Sete Dias - Jikook - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jungkook
Tags Bangtan Boys, Boyxboy, Bts, Jikook, Kookmin, Yaoi
Visualizações 7.047
Palavras 2.693
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Alohaaaa, cheguei novamente! Demorei uma semana pra postar sim! E sabe por que? Porque eu fiquei com preguiça de escrever e a inspiração não veio, MAS COMO TU QUE É BOM SEMPRE VEM, eu trouxe mais um capitulozinho pra vocês muito cute e com uma pegada de hotzinh!

Deem muito amor pra esse capitulo porque o próximo rsrsrsrsrsrsrsrsrs
Sem delongas

Boa leitura;
Desculpem os erros;

Capítulo 15 - Dia 6 - O Jantar de Ensaio


Diferente de todas as outras vezes, a sala estava vazia e o quarto já não tinha apenas uma pessoa dormindo solitária na enorme cama. Pela primeira vez naquela semana Jeongguk não sentiria dor em seu pescoço e Jimin não havia se sentido solitário na noite passada. Ambos dormiam harmoniosamente, como se aquela fosse a primeira noite que finalmente conseguiram dormir completamente relaxados.

Jeon estava de costas para Park, mas ambos não estavam separados, muito pelo contrário. Jimin tinha sua perna sobre o quadril de Jeongguk, assim como seu braço, como se o moreno fosse um travesseiro, o qual gostaria de ficar abraçados todas as noites. Mas ao contrário do que muitos achariam, Jeon não estava nem um pouco desconfortável. Sua mão estava sobre a coxa de Park, como se a segurasse ali sobre seu quadril, e a outra entrelaçava seus dedos com os do platinado. Tudo isso debaixo do fino lençol branco, já que os cobertores estavam espalhados pelo chão.

Na noite passada, Jeongguk havia chegado duas horas depois, cerca de nove horas e meia da noite. Havia ajudado Yoongi a achar seu celular e o cartão-chave de seu quarto, que curiosamente estavam jogados debaixo do banco do jardim, o mesmo da noite anterior. Jeongguk nem ao menos se atreveu a perguntar o que aconteceu, ele sabia que seu primo ainda sofria com o término de seu relacionamento, mas se tudo desse certo, em dois dias ele estaria feliz novamente.

Quando Jeon chegou em seu quarto, as luzes já estavam desligadas, a caixinha decorada com os presentes que antes estava sobre a mesa de centro da sala, já não estava mais lá. Muito menos os travesseiros e o cobertor que Jeongguk usava para dormir no sofá. Pela primeira vez ele dormiria com Jimin, na mesma cama, e aquilo só fazia dele mais feliz. E quando colocou seus pés na suíte, sorriu ao ver que o platinado já dormia tranquilamente, mas foi só se ajeitar ao seu lado que o mais novo acordou com um sorriso no rosto, dando um ultimo beijo em Jeon antes de voltar a dormir profundamente.

Pela primeira vez naquela semana, Jeongguk se sentiu em completa paz.

O sol adentrava o quarto de hotel, refletindo seus raios sobre o espelho do enorme guarda-roupa. O canto dos pássaros podia ser ouvido do lado de fora, e realmente, já passavam das nove horas e trinta minutos, se continuassem dormindo, o café da manhã seria perdido. Mas, quem se importava? A aquela altura tudo o que Jimin e Jeongguk menos queriam era levantar daquela cama.

O primeiro a acordar foi Park, ouvindo as notificações do celular de Jeongguk, já que sempre deixava o seu no modo silencioso. Coçou seus olhos e assim que se deu conta do calor emitido pelo corpo de Jeongguk, e que realmente era Jeon Jeongguk, não pode evitar um sorriso. A visão das costas definidas e nuas de Jeon foi uma das melhores e desejou poder ver aquilo pelo resto de suas manhãs.

Jimin se aproximou ainda mais do corpo de Jeongguk, como em um abraço e beijou sua nuca, sentindo o doce cheiro do mais velho.

— Bom dia, Jeongguk-ah... — Disse em sussurro, escondendo seu rosto no pescoço de Jeon.

Ah, devia ser obrigação todas as pessoas do mundo sentirem aquela mesma sensação gostosa que estava sentindo naquele momento.

Jeongguk continuou em silencio, ainda adormecido, o que fez Jimin depositar um beijo no pescoço do moreno, roçando seu narizinho ali.

— Jeonggukkie... — Disse em um tom mais alto, percebendo um resmungo vindo do mais velho. — Está na hora de acordar.

Jeon apenas puxou o lençol para cima de sua cabeça, cobrindo completamente seu rosto, fazendo Jimin rir. Sem pensar duas vezes, Park ajoelhou-se sobre a cama e puxou o corpo de Jeongguk para que deitasse de barriga para cima, e sem maldade alguma, sentou sobre o colo de Jeon, com uma perna de cada lado de seu corpo.

— Aish... Me deixe dormir, amor... — Resmungou de olhos fechados, franzindo o cenho.

Jimin desfez seu sorriso e qualquer expressão que tinha em seu rosto ao ouvir o apelido. Suas bochechas coraram como nunca e seu coração parecia ter parado. E em questão de segundos, novamente seu sorriso se abriu, ainda maior.

— Do que você me chamou, Jeongguk-ah? — Colocou ambas mãos no peitoral nu de Jeon, se apoiando ali.

No mesmo segundo que Jeongguk percebeu o que havia dito, não havia sono que não fizesse ele abrir seus olhos e sentir suas bochechas corarem.

— E-Eu te chamei de alguma coisa, Jimin-ah? — Gaguejou, olhando nos olhos de Jimin. Sentou-se sobre a cama e coçou seus olhos.

— Chamou. — Riu baixo, percebendo a reação de Jeon. — Você me chamou de ‘amor’, Jeongguk! — Colocou seus braços ao redor do pescoço do moreno.

Jeongguk revirou seus olhos, rindo baixo e deitou-se novamente na cama, segurando a cintura de Jimin até que estivesse deitado, e então puxou o lençol para cima dos dois.

— Ok, eu chamei. Agora a gente pode voltar a dormir? — Fez um biquinho.

Park negou com a cabeça e tirou o lençol de cima dos dois, voltando a deitar na cama, ao lado de Jeongguk, que bufou.

— Seu celular está vibrando desde mais cedo, acho que ta na hora de verificar suas mensagens. — Se espreguiçou na cama, soltando um bocejo.

Jeongguk passou as mãos em seu rosto e sentou-se sobre a cama, erguendo seus braços enquanto se espreguiçava. Um pequeno sorriso se formou em seus lábios ao lembrar do que havia acontecido na noite passada. Finalmente estava com Jimin. Não oficialmente, mas estava.

Assim que deu um ultimo selo nos lábios do platinado, levantou da cama e caminhou até a cômoda onde estavam sua carteira e seu celular. Arregalou os olhos ao ver as ‘infinitas’ notificações de mensagens ali, a maioria de JiHyo.

Jimin de longe observava Jeongguk. Ele estava tão lindo daquele jeito, seus cabelos bagunçados, sem camisa e com seu rosto tão descontraído e sem preocupações nenhuma. Ah, se tivesse uma religião, com certeza agradeceria a Deus por ter um homem daqueles em sua cama. Sem perceber, um sorriso se fascínio e alegria se formaram nos lábios de Jimin.

— O jantar de ensaio é hoje. — Jeongguk disse, levando seu olhar até o de Park, rindo ao ver sua expressão. — O que foi?

— Uh? Ah, nada. — Desfez o sorriso, sentando sobre a cama. — Não lembrava do ensaio.

— Nem eu, e pelo jeito JiHyo sabia disso... — Riu baixo, voltando a olhar as notificações em seu celular.

— Como assim?

— Trezes das vinte mensagens são dela comentando sobre o jantar de ensaio. — Negou com a cabeça e sorriu, bloqueando novamente seu celular.

— Isso é importante pra ela, óbvio que ela iria se preocupar. — Suspirou e deitou novamente na cama. — O que se veste em um jantar de ensaio?

— Você nunca foi em um? — Jeongguk perguntou, olhando surpreso para Jimin.

— Não. — Disse abafado pelo travesseiro que colocou em seu rosto. — Você foi?

— Sim, no da minha mãe com o Chul. — Sorriu travesso, se aproximando da mala de Jimin. — Bom, eu vou te ajudar. Vamos ver as roupas que você trouxe.

Jimin riu e sentou-se novamente na cama, abraçando o travesseiro.

— Vai em frente... — Riu ao ver Jeongguk pegar a mala e colocar sobre a cama, mexendo ali. E só então lembrou do que havia dentro daquela mala, e não, não eram apenas roupas.

Lembrou do dia em que foi ao shopping com JiHyo, e do presente que havia ganhado. Deus, não!

— Não! Não mexe ai, Jeongguk! — Rapidamente levantou da cama e se aproximou do moreno, em uma tentativa fracassada de puxar a mala para longe de Jeongguk.

— Por que? — Perguntou, afastando a mala de Jimin, sorrindo de canto. — Tem algo aqui que eu não posso ver, é? — E novamente se pôs a mexer na mala de Jimin, futricando entre as roupas, até sentir algo duro ali dentro, como se fosse um plástico.

— Jeongguk, por favor! V-Você não vai gostar do que tem ai dentro! — Disse em um tom manhoso, sentando sobre suas próprias pernas, olhando para Jeongguk. Seu corpo gelou quando viu a expressão de Jeon, estava óbvio que havia achado o ‘presente’.

Jeongguk puxou o pedaço de plástico e franziu o cenho nos cinco primeiros segundos, até finalmente perceber do que se tratava e ler a marca e o nome do item;

‘’SexShop

Plug anal vibratório com controle’’.

Sua respiração falhou e sua boca se entreabriu, Jimin gostava daquele tipo de coisa?! De repente, um sorriso abriu em seu rosto e ele nem ao menos estava prestando atenção nas desculpas vindas da boca do platinado, apenas a imagem de Jimin usando aquilo se passavam na sua cabeça. Espera, aquilo ainda estava lacrado...

— Jeongguk, a JiHyo comprou pra mim, okay? E-Eu pedi pra ela não comprar mas ela—

— Você já usou um desses? — Jeongguk interrompeu, olhando curioso para Jimin, ainda com um sorriso nos lábios.

Jimin pensou um pouco antes de responder.

— Uh? Não! Eu só... Eu já disse, a JiHyo comprou pra mim. — Suspirou, olhando assustado para Jeon. Talvez Jeongguk achasse aquilo insano e nojento, e não era aquela visão que gostaria de passar.

Porém, não era mentira que talvez havia se interessado naquele ‘brinquedo’ quando o viu no sex shop.

— E por que ela comprou pra você? — Ergueu sua sobrancelha.

— E-Ela disse que nós precisávamos de um upgrade e me deu como presente... — Abaixou o olhar, mordendo seu lábio inferior.

Deus, como Jimin ficava sexy daquele jeito. Imaginá-lo usando aquilo era tão... Excitante. Ele queria usar aquilo com Park, mas e se ele não gostasse daquele tipo de coisa? Jeongguk não queria forçar nada parecido.

— Jimin-ah. — Chamou atenção do mais novo, que ergueu seu olhar. — Você não gosta desse tipo de... — Olhou para o brinquedo, coçando a garganta. — De brinquedo? Digo, você não usaria um desses?

Park havia se engasgado com a própria saliva ao ouvir a pergunta. Jeongguk parecia decepcionado, desanimado. Para falar a verdade, Jimin nunca havia usado aquilo na sua vida inteira, e nem ao menos chegou perto de algo assim, mas nunca descartou a possibilidade de usar.

— E-Eu não sei. Eu nunca usei. — Mordeu sua bochecha, sentando na cama.

— Mas você usaria? — Sorriu de canto, mordendo o lábio.

— Por que a pergunta? — Sentiu suas bochechas corarem.

Jeongguk realmente queria muito, muito, muito ver Jimin usando aquele plug. Ou melhor, queria que Jimin usasse o jantar de ensaio inteiro. Jeon queria provocar Jimin novamente antes de finalmente... Antes de finalmente.

— Porque eu quero que você use. — Disse em um tom sério, ainda mordendo seu lábio. Jimin sentiu as borboletas de seu estomago se mexerem como nunca e um leve arrepio percorrer todo seu corpo. — Você usaria?

Park concordou com a cabeça, dando uma olhada novamente no plug antes de voltar o olhar a Jeon.

— Eu quero que você use durante o jantar inteiro, e eu vou ficar com o controle. O que você acha? — Colocou o brinquedo sobre a cama, se aproximando de Jimin.

— Eu acho que... Acho que tudo bem. — Concordou com a cabeça, acompanhando a aproximação de Jeongguk com o olhar.

— Então eu mal posso esperar pra hoje a noite chegar. — Tirou as mechas de cabelo que estavam na testa de Park e sorriu, selando seus lábios.

Jimin riu baixinho e concordou com a cabeça, colocando os braços ao redor do pescoço de Jeongguk.

— E quando eu vou poder tirar? — Sorriu de canto, arqueando sua sobrancelha.

— Quando voltarmos do jantar, vai servir como... Algo pra preparar você. — Coloco os braços ao redor da cintura de Park.

— Interessante.

Selou seus lábios novamente com os de Jeongguk, e mais uma vez, e outra, e mais uma até finalmente puxar o moreno para cima de si, caindo na cama com Jeon por cima de si. Soltando algumas risadas alegres.

[...]

 

Já passavam das sete horas e meia da noite. Jimin e Jeongguk voltaram ao quarto depois de uma tarde ouvindo histórias de Yang-Mi e Chul, onde riram e Park pode conhecer um pouco mais da história dos Jeon.

Yang-Mi pode notar que o casal parecia mais feliz do que nunca, já que agora trocavam beijos a cada cinco minutos, assim como pode notar os sorrisos alegres tanto quanto de Jimin, quanto de seu filho Jeongguk, que tinha paixão em seus olhos.

JiHyo estava com SunHee, terminando de ajudar nos detalhes do casamento, assim como os pais do noivo. Sinceramente, Yang-Mi não ia muito com a cara de Mei, mãe de SunHee, mas não deixaria aquilo estragar a felicidade de sua princesinha, muito menos estragar o casamento.

O jantar de ensaio aconteceria ás oito horas e quinze minutos, e Jeongguk e Jimin estavam se arrumando no quarto. Jeon terminava de abotoar sua camisa azul, e Park secava seus cabelos com o pequeno secador de cabelo que havia no banheiro do hotel.

Junto disso, Jimin se preparava psicologicamente para colocar o famoso brinquedo que estava sobre a cama; um lembrete de Jeongguk. O platinado sentia ansiedade e medo em colocar aquilo. Ansiedade porque logo após o jantar viria para o hotel novamente e... Bom, aconteceria. E com medo de que Jeongguk exagerasse com o pequeno controle do plug. Medo de colocar aquilo, já que nunca se quer havia visto um daqueles na vida e nem ao menos sabia como funcionava tal coisa. Mas ele deixaria toda aquela sensação de lado, era uma experiência única em sua vida, e era bom que passasse ela com Jeongguk, o dono do seu coração.

Suspirando, Jimin terminou de secar seus cabelos. Com uma toalha ao redor de seu quadril, saiu do banheiro e caminhou até o quarto, onde Jeongguk esperava pacientemente, mexendo em seu celular, mas logo ergueu o olhar quando percebeu a presença de Jimin ali.

— Tudo bem? — Jeon perguntou ao ver a expressão nervosa de Park.

— Sim, não se preocupe. — Sorriu fraco, se aproximando da cama.

— Se você não quiser, bom, eu não vou te forçar, Jimin-ah. — Levantou da cama e quando o platinado pegou o brinquedo da cama e se aproximou novamente de sua mala, mexendo entre suas coisas, Jeon o abraçou por trás, beijando sua nuca.

— Não, tudo bem. — Sorriu ao sentir os beijos do moreno, ainda mexendo em suas coisas.

— O que você ta procurando ai? Suas roupas já estão na cama. — Riu baixo, olhando curioso para Jimin.

Como prometido mais cedo, Jeongguk realmente ajudou com as roupas de Park, lhe mostrando um suéter bege de camurça que usaria por cima de uma camiseta social azul e uma calça social preta. Todas as roupas estavam em cima da cama.

— JiHyo comprou lubrificante também... — Riu envergonhado, finalmente achando o fraco.

— Ah... — Jeongguk riu, se afastando de Park. — Você vai colocar agora?

— Vou. — Concordou com a cabeça, mordendo seu lábio inferior. — E-Eu já volto... — Pegou as roupas de cima da cama, junto com os sapatos, o lubrificante e o brinquedo, entrando no banheiro, trancando a porta atrás de si.

Jeongguk ao ouvir o som da porta trancada, riu e se jogou deitado na cama, olhando para o teto.

Jeon Jeongguk estava completamente apaixonado.

 

[...]

Cerca de vinte minutos depois, finalmente o som da porta foi aberto, e rapidamente Jeongguk sentou sobre a cama e observou Park. Ele estava incrivelmente bonito com aquela roupa, mas o mais importante, o pequeno controle preto estava em sua mão. Um sorriso malicioso se formou nos lábios de Jeongguk.

Mordendo seu lábio inferior, Jeon levantou da cama e Park continuava parado na porta, deixando que o moreno o observasse e quando notou que a ‘’observação’’ de Jeongguk havia sido concluída, suspirou e fechou seus olhos com força, dando seus primeiros passos, completamente desconfortável.

Deus do céu! Ele mal podia dar um passo sem sentir aquele plug incomodando. Por que Jeongguk havia inventado de usar aquela coisa?! Ele só conseguia sentir raiva.

Quando chegou perto o suficiente de Jeongguk, que tinha um sorriso bobo nos lábios, colocou o controle em sua mão e passou por ele rapidamente, suspirando.

— Eu já disse que te odeio? — Jimin perguntou.

Jeongguk foi atrás de Jimin e riu ao perceber o jeito com que ele caminhava, ainda mais sua reação. Abaixou o olhar levemente para o pequeno controle em sua mão e sorriu, negando levemente com a cabeça.

Aquela noite seria longa, e uma das melhores da sua vida. 

 


Notas Finais


E ae geraaaaaaaal, o que que ces acharam?! Sinceramente, eu to amando meu bebê que vai terminar em no máximo 4 ou 5 capítulos.
Proximo capitulo tem muito hot se Jesus quiser, ou não, mas provavelmente vai ter sim!
Espero que ces tenham gostado!

Então,
Comentem
Favoritem
E até o próximo capitulo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...