1. Spirit Fanfics >
  2. Namore meu namorado 2: O intruso!. - NCT (Ji Sung Centric!) >
  3. Descobri!.

História Namore meu namorado 2: O intruso!. - NCT (Ji Sung Centric!) - Capítulo 24



Notas do Autor


Olha, o penúltimo capítulo...
Sim penúltimo...

Não chorem...

Espero que gostem...
Boa leitura...

Capítulo 24 - Descobri!.


    Aquela confusão que se iniciou no quarto de Jeno e Jaemin teve um fim quando Ji Sung interveio, talvez se ele não tivesse aparecido algo muito pior Poderia ter acontecido mas, por sorte não acontece. No fim, resolverem chamar os pais de cada um dos garotos envolvidos naquilo, claro que um acontecimento como aquele não era algo que ficasse muito tempo abafado, pois no momento da confusão os sons que viam dali eram altos o suficiente para que outros alunos daquele dormitório ouvissem e, sem rodeios alguém deve ter ido avisar aos seguranças que consequentemente informaram ao diretor e, naquele momento que já eram quase 8 da note, estavam os cinco envolvidos e seus respectivos pais. Bem, quase todos.

■■■

    Não era uma cena muito usual de se ver, um bando de adolescentes e seus pais vestidos de pijamas na sala do diretor que também estava vestido com seu pijama azul de nuvem, sabia cômico se não fosse por motivo nada orgulhoso que os tinha levado ali. Quando os pais de Ji Sung foram avisados que o filho estava encrencado e metido com agressões, foi quase um desespero na vida dos mais velhos, já que em momento algum da vida imaginaram que o filho pudesse se matar com aquele tipo de coisa, pelo menos não até os trinta anos onde já casado bateria em algum doa maridos; palavras de Wu Yifan por experiência própria, por ser casado com um Do raiz.

    Já Taeil e Doyoung quando souberam não foi muita surpresa para eles, eles até tinham apostado quando tempo levaria para Mark se meter em encrenca e, acreditam os dois perderam, pois demorou um pouco mais do que o previsto, no fim, Mark ganharia a tão sonhada moto que queria e, seus pais estavam desolados talvez não conhecessem tão bem assim o filho e sua nova fase de “garoto que demora a se meter em encrenca”.

    Enquanto que os pais de Taeyong ficaram muito fekiz3s por saberem que aquilo aconteceu, não as agressões em si, mas o fato dele finalmente Ter colocado um pouco de sua raiva para fora. Desde que era criança quando foi adotado, o ruivo nunca tinha demonstrado aquele sentimento com nada que acontecesse, por mais raiva que pudesse sentir, ele não a transparência e os pais estavam preocupados nesse aspecto. Mas, estando ali e ouvindo que o filho finalmente demonstrou aquela sentimentos ruim, os deixou mais aliviados.

■■■

    Tinham uma leve impressão de que o diretor não estava gostando do modo como os pais estavam tratando seus filhos, pois parecia que os dois – Mark e Taeyong – Não tinham cometido atos agressivos com o colega de dormitório, colega esse que estava de cabeça baixa. Seu pai não tinha aparecido de novo, mas os pais de Jeno também não puderam ir por causa de ChenLe, então tudo bem. Porém, para Jaemin não estava nada bem, nem mesmo quando foi agredido seu pai se importou, era realmente frustrante.

    No fim, apenas receberam uma advertência e aquilo givafaia no registro permanente deles. Foram liberados sem mais consequências.

    Quando foram saindo da sala do diretor, Jaemin estava chorando baixinho, mas parou quando ouviu a voz de seu pai, olhou para o mais velho que estava totalmente desgrenhada e suado como se tivesse ido correndo até ali, e foi mesmo. Tinha saído correndo da empresa tão apressado e preocupado com o filho que até esqueceu que tinha um carro.

- Está um pouco atrasado papai, não precisa mais está aqui. Volte para a sua amada empresa. – Disse o loiro voltando a andar.

- Filho me desculpe, eu vim o mais rápido que deu, e correr é algo que não faço a muito tempo. – Respondeu mais velho.

- Olha, finalmente ele me deu uma resposta. Faz quanto tempo que não ouso mais que três palavras suas, sei lá mais de 10 anos? Me poupe. Volte para onde não queria ter saído, não se importa com o filho que sequer dar a mínima. – Nem mesmo olhava para o pai.

- Não fale do que não sabe, eu tenho meus motivos para isso. Então não fale do que você não sabe, não tente culpar minha dor. – Agora a voz do mais velho estava alterada.

- Sua dor? A sua dor? E quanto a minha dor? Nunca pensou em mim? Eu perdi a minha mãe é logo aos poucos eu vou perdendo aquele que deveria ser o meu pai, que deveria cuidar de mim naquele momento em que eu mais precisava. Mas não, ele resolveu me deixar, resolveu dar mais atenção aquela maldita empresa e me deixar largado nas mãos dos empregados que depois de um tempo nem podiam mais falar comigo por ordens suas. -  A partir daí o Na era dor visível, tão visível que suas lágrimas escorriam como se fosse normal para ele, o que não era mas, que agora era o momento.

- Você não sabe como é ver o amor de sua vida morrer em seus braços, depois dela ter sacrificado a vida para me dar o maior sonho que já tive. Você não sabe como é a sensação de ir do céu ao inferno no mesmo segundo. VOCÊ NÃO SABE!. – Gritou a última parte, assustado Jaemin que ficou confuso com aquilo.

- Então me explique todos esses anos me negaram saber o motivo da morte da mamãe, estão agora é a sua chance de me contar. Me conte e me faça entender quão grande é a sua dor para abandonar seu filho de apenas três anos. Diga. – Pediu o loiro desesperado por uma resposta.

- Está bem, acho que está na hora de saber mesmo. – Suspirou o Na mais velho. – Sua mãe nasceu com uma doença rara e incurável, ela não poderia ter um filho sem sacrificar a vida, o sistema dele era muito frágil e ela não suportaria uma gestação. Mas, ao me conhecer ela soube que meu maior desejo era ser pai, então ela se sacrificou mesmo eu pedindo que não fizesse isso, no começo tudo correu bem a gestação foi caminhando bem até que você nasceu, mas nos três anos seguintes desde seu nascimento, quando ninguém mais esperava o pior veio a acontecer. Sua mãe morreu. – Contou o senhor Na.

    Ouvindo aquela história Jaemin pode entender por fim o mistério da morte de sua mãe, mas no fundo queria não ter ouvido aquilo, pois agora sabia que ele foi a causa da morte da mãe. Por isso que seu pai tinha se afastado dele, era tudo verdade seu pai o odiava por ter matado a mulher que ele mais amava. Jaemin em sua mente era um assassino desde sempre.

- Então eu matei a minha mãe? É por isso que estou sozinho, eu sou um assassino, um merda de um assassino que você não consegue nem ficar perto. Agora posso entender tudo. Obrigado por me contar a verdade. Pode ir embora agora e volte a ignorar minha existência. – Falou o loiro voltando a caminhar.

- Claro que não filho. – O mais velho correu para abraçar o mais novo com força. – Não é nada disse que está pensando. Vamos para casa lá podemos conversar melhor e vou tirar essa ideia absurda se sua cabeça. E a partir de hoje, vamos nos entender. – O choro de Jaemin agora era algo e dolorido porém, tinha alegria misturado.

    Porque, aquele que descobri!.  


Notas Finais


Então neh...

Descobrimos os motivos do Jaemin, da falta do pai, da morte da mãe dele... muitos acontecimentos...

E também, o quanto os pais do Mark são sem noção, assim como o filho... kkkkkkkkk

Como eu disse, penúltimo capítulo.
O próximo consequentemente é o último...

Não chorem, não chorem ok... kkkkkkkk

Até prevê...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...