História Namoro por contrato (temps. 1 e 2) - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Christopher Uckermann, Dulce María
Personagens Christopher Uckermann, Dulce Maria, Personagens Originais
Tags Christopher Uckermann, Dulce Maria, Vondy
Visualizações 58
Palavras 968
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Lemon, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Nudez, Sexo, Suicídio
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 7 - Reencontros


Pov's Annie on

Ucker: Eu descobri que meu pai pupava a cerca e eu posso não ser filho dela e sim da Magda. - diz ele com cara de quem vai chorar. 

Annie: Calma! Vem cá me dá um abraço! - Peço de braços abertos e ganho meu abraço. 

Dul: Vocês se conhecem há quanto tempo? ???

Ucker: Ela é filha do meu tio, portanto ela minha prima e aliás estudamos juntos deste o maternal,  mas no início não fomos amigo até o dia que eu... - ele se interrompe um pouco - tive um acidente de carro que quase tive uma das minhas pernas amputadas. - diz enquanto mostra uma cicatriz. 

Dul: Mas que acidente foi esse? - pergunta ela com cara de pra que eu fui perguntar isso. 

Annie: Dul!

Ucker: Deixa eu quero falar - diz ele olhando para a cicatriz enorme em sua perna. 

Annie off

Ucker on

Ucker: Deixa eu quero falar - digi olhando para a cicatriz enorme em minha perna. - Estava no treino do time de futebol...

Lembranças on

Treinador: Bom treino rapazes, para o chuveiro agora, todos vocês. 

Após nossos banhos todos foram embora, menos eu, Alfonso (poncho), Christian (Chris) e o Eddy (Eddy Villard).

Chris: Que tal nós sairmos hoje para pegarmos algumas gatas, ein??

Eu como sempre fui o primeiro a topar logo em seguida foi poncho,  mas eddy sempre o mais quieto de todos nós disse que não ia porque estava ficando com uma garota. 

Chris: Ficar não quer dizer que é namoro, então não é traição,  vamos logo. 

Do nada sinto algo como um aperto no coração que dizia para mim não ir pra mim voltar para a minha casa, mas eu ignorei esse aviso por completo,  mas se eu soubesse o que iria acontecer com todos nós, eu não teria ido nem deixado eles irem. 

Achei que tudo estava bem, mas como me enganei estava errado novamente. Na verdade eu fui que eu não queria ver meu pai com suas putas que só querem extorqui-lo, ele começou a ficar procurando felicidade nessas mulheres que ele contrata depois da morteda minha mãe quando eu tinha sete anos,  a morte da minha mãe foi tão suspeita que mesmo depois de 20 anos dela morta eu ainda sofro porque eu a encontrei decapitada na cama dos meus pais com os lençóis brancos já vermelhos pelo sangue que escorria.

Já na festa eu não queria e nem ia ficar, mas veio uma garota cujo nome era Natália, parece que ela fez uma macumba pra mim somente com o olhar, na verdade namorei com ela pelos últimos três anos da minha vida, mas ela me largou após eu dizer que estava falido, mas na verdade não estava, ela me dispensou dizendo que eu não passava de um pobre coitado que não merecia ela, já que eu não poderia dar o luxo que ela estava acostumada. 

Fiquei com ela aquela noite, mas algo nessa noite não me agradava, ma verdade era algo nela. Peguei carona com os garotos e todos nós estávamos bêbados, Chris foi para a direção,  totalmente bêbado, não conseguia ficar em pé, fui no banco de trás junto com Eddy. Pouco tempo depois Chris resolveu não respeitar o semáforo e quando fomos passar pelo cruzamento um carro veio em máxima velocidade e atingiu nosso carro em cheio justamente do lado onde eu estava, empurrei Eddy com tudo para fora, mas não houve tempo para eu soltar o cinto enquanto o carro adentrava carro a dentro. Fiquei preso entre as ferragens pelas pernas, já que um dos ferros perfurou minha perna e eu gritava de dor até que vi Annie e não sei de onde tirei forças para gritá-la e ele veio e viu essa cena deplorável, pedi a ela que ligasse para o corpi de bombeiros,  ela tentava me acalmar, mas não adiantava de nada pois eu gritava muito de dor, minha oerna doía muito por causa do ferro, só me lembro que apaguei e acordei já no hospital operado, sem ferro algum em minha perna,  mas um corte enorme costurado com linha (ponto) de repente entrou o médico no quarto onde eu estava e me disse que eu ia ficar sem andar se eu não me cuidasse. Quando ele saiu subi ao parapeito da janela e já ia pular quando senti umas mãos quentes me puxarem pela cintura,  estava com muita dor na perna por ter me levantado sem esperar nem o médico me dar alta para levantarda cama, quem me puxava era Annie, de repente vi um rapaz chamado Jack, que logo ajudou Annie a me por novamente na cama, desde esse dia viramos melhores amigos, ele era dono da Corporação Almeida, atual Corporação Uckermann, mas ele morreu há pouco tempo e eu proneti que nunca deixaria a empresa dele falir. 

Desde este dia vivo com uma cicatriz enorme em meu corpo. 

Lembranças off

Termino de contar com o rosto cheio de lágrimas que caiam descontrolavelmente de meu rosto. 

Dul: Me desculpa por ter feito você chorar, não devia ter tocado neste assunto. 

Ucker: Nada não. - Digo chorando e já que eu estava sentado na cama onde Annie estava as duas me abraçaram até que eu  parasse de chorar. 

De repente vejo quatro rapazes entrar no quarto de Annie, é o primeiro hospital que vejo deixar ficar seis pessoas em um único quarto, sem contar a Annie, esses rapazes eram Poncho que eu não via há alguns meses e também estava Jack e eu me aproximei dele e toquei o rosto dele para ver se aquilo era um sonho, uma assombração ou se a minha mente estava me trollando. E os outros eram somente Chris e Eddy que eu vi há no máximo 24 hrs. 

Jack: Hey cara! Eu não morri,  eu estou vivo! O que acha, estou bem ou estou pior que uma múmia? 



Notas Finais


Desculpem pelo horário era pra mim ter postado mais cedo, mas eu primeiro havia publicado minha outra fic, e achei que eu havia publicado e ar a, mas lembrei que não havia publicado porcaria nenhuma aí eu começei a escrever era mais ou menos umas cinco da tarde, mas só publiquei agora, como semana que vem não sei se vou publicar a fic, pois minha net está acabando (rezem para que eu consiga que minha avó deixe usar o cartão dela, ou alguma alama caridosa me ajude) vou tentar publicar o máximo de caps possíveis até sábado.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...