História Nanatsu no Taizai - High School - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias The Seven Deadly Sins (Nanatsu no Taizai)
Personagens Arthur Pendragon, Ban, Diane, Elaine, Elizabeth Liones, Escanor, Gelda, Gilthunder, Gowther, Guila, Hauser, Jericho, King, Liz, Meliodas, Merlin, Zeldris
Tags Drama, Nanatsu No Taizai Romance, Vida Escola
Visualizações 36
Palavras 1.004
Terminada Não
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Nesse capitulo, podemos perceber que finalmente Elizabeth e Meliodas, estão aprendendo o que significa a palavra amor, quer saber como eles aprenderam, então vamos ler!

Capítulo 5 - A deusa aprende o que é amar!


Fanfic / Fanfiction Nanatsu no Taizai - High School - Capítulo 5 - A deusa aprende o que é amar!

Acordando Elizabeth percebe que está na sua casa e que está atrasada, e se dormisse mais, poderia até chegar no segundo tempo. Ela arregala, e pula da cama se aprontando muito rápido, atrapalhada do jeito que Elizabeth é, ela acaba colocando a camisa da escola no avesso, mas ela nem percebe e já vai para escola.

 

Meliodas, chegou mais cedo do que de costume, e ele estranha que Elizabeth ainda não tenha chegado, no começo ele desconfiou e pensou que ela não viria por causa do desafio, mas depois percebe que ela não é assim. Quando ele está prestes a entrar na sala, Elizabeth grita:

 

- MELIODAS-SENPAI!

- Elizabeth?

- Espere – chegando perto do Meliodas, inspirando de tanto corre

- Estava correndo?

- É

- Deixa eu pensar... Acordou tarde, e por isso chegou nessa hora e assim.

- O que “Assim”?

- Já percebeu que você está com o uniforme no avesso, né?

- Mas o quê? – Quando Elizabeth percebe, fica totalmente vermelha

- Hahaha, além de ser uma deusa estupida também é atrapalha?

- Cala boca, Meliodas-senpai

- Só é um pouco, engraçado.

- Eu apenas estou um pouco cansada – quando ela fala isso, ela quase caiu no chão se não fosse o Meliodas

- Ops, o aconteceu? – Segurando Elizabeth, e quando os dois percebem estão um de frente para outro com poucos centímetros de distância, quase encostando os lábios.

- Eu já disse, eu só estou um pouco cansada, então vou me trocar, com licença.

- Não mesmo, vou te levar para enfermaria.

- De novo? Eu estou bem, tá bom? Se eu tiver mal, eu vou para enfermaria sozinha.

- Por que você sempre tem que agir assim? – Meliodas segura o pulso de Elizabeth e começa a andar com ela até a enfermaria

- Meliodas-senpai, eu não consegui cumprir o desafio. - Elizabeth já fala isso dentro da enfermaria, já deitada numa cama

- Nossa, sério? Mas eu não quero que você vá para minha casa, se você tiver doente.

- Eu vou mesmo assim, não estarei doente – começa a se levantar devagar.

- Então você promete? – Meliodas levanta o dedo mindinho como um gesto de promessa

- Sim, eu prometo – também levantando seu dedo e se entrelaçando com o dele

 

 

DEPOIS DA ESCOLA:

O diretor da escola, pai de Elizabeth, chama ela depois das aulas para sua sala. Ele começa a reparar, que ela está começando se machucar demais, e ao mesmo tempo se animando, depois que conheceu Meliodas, também começa a perceber que ela está chegando tarde na escola, então acha que o Demônio era uma má influência, mas ele nunca percebeu o sorriso enorme que Elizabeth abriu depois que conheceu Meliodas, a vida dela era tão perfeita, ela era a garota bonita, popular, com notas legais, amigos, ela se sentia triste, parecia tão falso, e superficial para ela. Até que encontrou Meliodas, não era artificial, era real, aos poucos ela começou a se aproximar dele, sabia seus gostos, sua história, brigava com os outros que deixava ele triste. Ela se apaixonou por ele, sem menos perceber. A deusa estupida estava totalmente caída de amores pelo demônio loiro. Mas não era errado isso? Eles eram totalmente diferentes, mas mesmo assim se completavam. Mas seu pai nunca viu essas qualidades que o Meliodas fez para sua filha:

 

- Olá pai, para que o senhor me chamou?

- Nós estamos numa escola, então eu não seu pai, sou seu diretor, e exijo mais respeito.

- Me desculpe, papa... Quer dizer, me desculpe diretor.

- Melhor. Então eu te chamei só para te comunicar, FIQUE LONGE DO MELIODAS!

- O QUÊ???

- Já avisei, não quero você perto dele.

- Mas por quê?

- Esta me questionando?

- Sim estou, porque eu não entendo a causa que você está me afastando dele.

- Filha...

- Por favor, estamos na escola, então sou apenas uma aluna.

- Exato, então você já percebeu como é o Meliodas?

- Sim, um cara da hora, calma gentil, e as vezes teimoso.

- NÃO! Ele é um bagunceiro, um baderneiro, que só causa confusão, e ele não é uma boa influência para você. Ele é um demônio!

- E EU NÃO LIGO! – Elizabeth acaba batendo sua mão na mesa do diretor

- Viu o que ele fez com você?

- Eu não mudei diretor, e só para constar, vou para casa de uma amiga fazer um trabalho, então TCHAU!

 

 

Elizabeth vira de costas para seu pai, e bate à porta na cara dele fazendo um barulhão. Quando Elizabeth chega na casa do Meliodas, ele já percebe que ela está de mal humor por algum motivo. No começo os dois se deitaram no chão e comentam o que sentem, depois discutiram sobre o que eles dois achavam da vida e no final relatava o seu dia inteiro. Elizabeth e Meliodas, contam sobre tudo que aconteceu no seu dia. Mas na hora que Elizabeth conta para Meliodas, sobre a discussão que ela teve com seu pai, Meliodas acaba interrompendo:

 

- Por que ele quer nos separar?

- Eu não sei. Ele fala que você é uma má influência, sei lá.

- Por que eu seria uma má influência? Só porque eu sou um “bagunceiro”?

- Eu também não entendi direito, mas numa coisa ele está certo.

- No quê?

- Ele e todas pessoas falam que somo diferentes, e somos mesmo, e as vezes tenho medo de que essas diferenças acabem atrapalhando nossa relac...

 

 

E finalmente Elizabeth percebe que meliodas está ajoelhado, e poucos centímetro do seu rosto, ele pega no queixo dela e a levanta um pouquinho do chão, e quando ela percebe eles estão já se beijando (igual na imagem). Ela não estava acreditando, mas mesmo assim ela retribuiu o beijo. Quando eles param, e se afastam, Elizabeth pergunta: ”por que? ” Meliodas faz um sorriso de enorme e fala: “ué você não parava de falar coisas idiotas, e também porque eu queria” nessa hora Elizabeth arregala seus olhos e percebe que ele a ama.

 

[...]


Notas Finais


Elizabeth se machucando de novo, conta sua vida problemática, ela discutindo com seu pai pelo seu amado, ela indo para casa dele, onde aconteceu seu primeiro beijo e finalmente ela entende o que é amar. Espero que tenham gostado, e me desculpe se eu cometi algum erro ortográfico, e podem me mandar criticas que eu aceito na boa, e também quero melhorar cada vez mais essa fanfic


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...