História Não "Apenas fãs" - Capítulo 5


Escrita por:

Visualizações 30
Palavras 1.022
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Científica, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Slash, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Me perdoem por demorar quase um mês para postar! Prometo que não será mais assim, eu estava com uma crise de imaginação e em uma outra conta minha passei uma desilusão danada! Eu cogitei em não postar mais nada e desistir dessas fanfics. Mas uma escritora muito especial de uma fanfic que eu gosto muito me deixou muito feliz, e eu me lembrei de escrever também.

Capítulo 5 - Sinônimo- Trip


Eu não sei quantas semanas passaram, mas sei que elas foram calmas e confortáveis. Tanto que me fizeram esquecer qualquer problema, só sei que não faz muito tempo depois daquele dia, eu ainda não me acostumei com a ideia de ter um filho, não sei se é uma boa ideia… mas se meus mestres acham isso uma boa ideia, ok...


  Provavelmente é o dia do Trip, então ele virá me buscar em breve. Eu sinto que perco minha sanidade a cada dia, me sinto mal por ter desistido tão… rápido? Não, eu acho que passara mais de um ano que eu estou submetido a essa vida...


(…)

 

Olhar para o espelho do quarto de Trip me deixa com nojo de mim mesmo. Eu sou o sinônimo de ridículo, tudo em mim desperta repulsa em quem está a minha volta, até mesmo eu tenho repulsa a mim…

 

Eu me sento na cama e deito minha cabeça em meus joelhos e fico com meus olhos afundados em uma escuridão profunda em quanto penso, pensar nada não é mais fácil do que ficar imaginando quando ele vai voltar.

Quando eu estava já a cochilar eu ouvi um barulho na porta, o rangido era ecoado pelo quarto escuro e parcialmente vazio.
   

-Oi, Aoba. Me desculpe por te deixar sozinho.- Diz Trip com seus olhos focados em meu corpo.- Sabe, Aoba, eu te acho muito bonito quando você é vunerável…

Quando ele falou a última frase, ele tocou suavemente meu ombro com seu lábio, e isso me fez soltar um pequeno grunhido, enquanto ele segurava minha cintura e me colocando para mais perto dele eu pude sentir sua ereção.

-O que estou fazendo? Não, não posso! Pelo menos, não agora…

Ele me deitou minha cabeça em seu colo, devagar e delicadamente e ficou acariciando meus fios azulados. Ao passar dos minutos seus dedos começaram a machucar meus cabelos, como eu não podia protestar contra meu dono então chorei, quase implorando para ele parar.

-Você fica tão bonito chorando!

 

Não suporto mais esconder isso, eu vou ficar maluco aqui. Todas essas coisas que eles falam, ficar nesse ambiente branco e preto, ser tocado dessa maneira por pessoas que eu confiei e chamei de: "amigo", meramente em pensar que não só vou viver nesse inferno, mas uma parte minha também me assusta. Eu não quero ficar aqui, eu quero voltar para a vida que eu tinha antes; eu estou com medo, com muito medo.

Antes que eu pudesse fazer qualquer movimento senti os braços de Trip me puxar para perto de seus lábios; aquela sensação quente durou apenas segundos, mas eu poderia descrevê-la em horas. Os lábios de Trip se colaram aos meus de uma forma tão… inquietante? Eu poderia pensar em mil desculpas para tentar negar a sensação, mas eu queria que ela durasse mais tempo do que durou.

 

Ele mordeu meu lábio inferior com força, fazendo o sangrar. Ele espalhou o sangue por toda a minha boca e em seguida deu um sorriso cínico, muito semelhante com o mesmo de Virus.

-Eu sei que não posso machucar você, Aoba!- Disse, ainda com seu dedos tocando a parte ferida de meu lábio.-Mas eu acho muito lindo quando você se machuca, Aoba!

Trip é maluco, ele é o sinônimo do que eu penso que seja a insanidade. As vezes eu o acho parecido com uma criança, mas eu realmente não sei o que se passa na cabeça dele. Eu tenho… medo do que ele pode tentar fazer se eu o desobedecer, eu sei muito bem que ele adora quando eu sou o seu submisso e é só isso que eu sei sobre ele, sem ser os métodos malvados que gosta de usar ao me dar doces. Trip adora me deixar com uma expressão apavorada, ele mesmo me disse isso: "Você fica muito lindo quando está com medo!"

 

Suas mãos desceram até os meus quadris, ele acariciava cada vez mais rápido as coxas do mais novo, até que seu telefone toca. Ele olhar para o celular com cara de desânimo e atende o mesmo.

-Trip, como está o Aoba-san?

-Melhor impossível, Virus, até você ligar!

-Eu gostaria de falar com ele, por favor, passa para ele imediatamente!

Trip, com lágrimas de fúria nos olhos me dá o celular.

-Ah… oi!- Falo hesitante, o olhar vingativo de Trip está me dando medo.

-Aoba-san! Eu estou muito feliz em ouvir sua voz!- Diz ele, eu posso imaginar o sorriso de alívio do Virus agora.- Eu sinto muito por "incomodá-los".

A última palavra pulou com irônia da voz de Virus e ele continuou:

-Você está bem? Diga a Trip para ele não tentar fazer nada com você! Faz mal para o bebê e você, e eu não quero isso.

-Sim… eu vou dizer sim!

-Se cuide, Aoba-san.

-Eu... Eu digo o mesmo…

Ele desliga e eu olho para Trip. Ele não parece nada feliz… talvez não queira nem saber do assunto da conversa, mas eu tenho que obedecer a ordem de meu outro mestre. Trip se senta ao meu lado e pergunta:
-Não vamos pode fazer isso, né?

Como resposta balanço a cabeça negativamente. Ele continua:

-Que maldade! Bem, nada eu posso fazer, não é mesmo?

Ele me deita na cama e faz o mesmo deitando ao meu lado, ele roçava com o seu polegar minha bochecha.

-Eu te acho muito fofo! Eu queria mostrar para o Virus que Sly Blue não era um deus como ele achava que ele era. E quando Blue perdeu as memórias eu tive a prova, você é melhor que ele, Aoba! Eu prefiro sua personalidade adorável…

As vezes eles me falam como eu era antes de perder a memória. Eu sei que foi graças a eles que não me lembro de nada sobre quando jogava rhyme e era: Sly Blue. Eles me disseram que era para me manter longe de Toue, mas eu sei que só fazem isso para realizar o desejo deles. 

Eu queria poder acreditar que eles realmente se importam comigo, mas eu sei que não é bem assim. Fico deprimido só em pensar que nada disso vai acabar. Mas já estou satisfeito em dormir…


Notas Finais


Se tiver algum erro corrijo depois.


Obrigada por ler!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...