1. Spirit Fanfics >
  2. "Não confie em ninguém" >
  3. Retorno á estranheza-

História "Não confie em ninguém" - Capítulo 2


Escrita por:


Capítulo 2 - Retorno á estranheza-


[Dipper]

-então eles estão voltando pra aquela cidadezinha?

-e sim, o tio Ford ele... ele investigar umas coisas por lá

-investigar sei. disse meu pai

-mas você não vão esperar a festa de formatura? Mabel você estava tão ansiosa

-mãe, eu nem estava tão ansiosa assim, fora que eu amo aquela cidadezinha quero voltar o mais rápido possível. disse sorrindo. eu e Mabel concordamos de não comentar nada com nossos pais, primeiros que ele não acreditariam em nos, segundo que não queremos deixar eles preocupados.

-Se e o que querem, não podemos fazer muita coisa. disse meu pai.

no dia seguinte compramos as passagens para sábado, e já começamos a prepara as malas. Durante a semana nos teorizamos sobre tudo tipo de coisa.

-conseguiu falar com o Soos? ou a wendy?

-nada, já tentei ligar para todos e nada.

-nada? como a assim nada?

- a telefonista falou que os números não existem

-ta tudo ficando mais estranho.

As provas passaram e a sexta chegou.

fiz a ultima prova. sai de escola e fiquei esperando Mabel. ela estava se despedindo das amigas

-vamos? perguntei

-vamos! disse limpando as lagrimas.

no sábado,  pegamos as malas e fomos para rodoviária. Pegamos o ônibus, o ônibus estava bem vazio por isso Mabel aproveitou e deito em dois bancos, eu me sentei atrás dela encostei minha cabeça no vidro e acompanhei a paisagem...

As árvores...

Acordei, já estava escuro.

-acordou bela adormecida?

Disse Mabel, ela estava ajoelhada na poltrona do ônibus e o porco estava ao seu lado.

-já chegamos? que horas são? Perguntei olhando para janela

-dez e vinte, quase chegando  - ela puxou o próprio celular e mostrou o  mapa- estamos a uma hora e meia de Gravity falls

-vou tentar ligar de novo, vai que...

Antes que eu terminei o celular da Mabel começa a falha, como estáticas em uma TV o celular, o celular fica cinza e emite um som estranho... Ela solta o celular no meu colo e eu pego

-Que porra e essa?! Ela abraçou o porco

Eu tento desligar, mexer em algo e nada então tiro a bateria, a estática continua como se estivesse ligado. Eu tiro o meu do bolso e vejo que estava do mesmo jeito, também tiro a bateria e continha assim

-ultima parada Gravity falls! Disse o motorista.

O celular desliga, Mabel olha pra mim e começa a tira as malas

-o que ta acontecendo?! Ela pergunta pegando o celular desligado

-eu não sei! Não estávamos a uma hora de Gravity falls?!

-estávamos!

-Ultima parada Gravity falls! Gritou o motorista novamente. Pegamos nossas coisas e saímos de lá

Era um pequeno ponto de ônibus que estava caindo aos pedaços. Eu ligue meu celular e vi que ele estava normal novamente então notei o horário  eram 24:10

-Mabel, as horas

-se passaram duas horas?! Como?! Dipper o esta acontecendo?!

Quando escutamos algo, era um carro que vinha na nossa direção, o carro parou com os faróis ligados bem na nossa frente, os  faróis estavam fortes e eu não conseguia ver quem estava dirigindo

-Dipper...

Mabel estava atrás de mim segurando sua arma

-Quem esta ai?! Responda! digo

A porta do carro se abriu e uma figura alta caminhou na nossa direção e aos poucos reconhecemos

-Wendy?! Disse Mabel guardando a arma

-e ai baixinhos. Disse colocando as mãos nos bolsos, ela estava usando uma jaqueta preta por cima de uma camisa branca. Uma calça preta e seu cabelo estava preso em um rabo de cavalo

-Wendy que bom ver você aqui. Digo forçando um sorriso. Eu coloco meu celular no bolso e sinto meu canivete.

-o Soos me pediu pra buscar vocês, fiquei um tempão esperando vocês

-serio? A wendy pode me dizer que horas são? Meu celular ta meio errado he he . disse Mabel

-claro, são -ela olhou no próprio celular - 10:36

-10:36? O meu esta totalmente errado, são 12 e 10. disse Mabel

-que maluquice, agora vamos! vamos, ja esta tarde , eu levo vocês pra cabana . Pegamos nos malas 

-Eu vou na frente! Disse Mabel ja entrando no carro.

Depois de colocar as malas no porta malas, me sento no fundo com o porco, que começa a dormir no meu colo

-Então Wendy, você disse que vai levar a gente pra cabana, mas a gente não vai atrapalhar o Soos? E a família dele? Mabel pergunta abrindo um pacote de jujubas e oferecendo para todos no carro.

-o Soos? Não que isso, o Soos não esta mais morando lá não. A um mês ele abriu a cabana do mistério numero 2. Ela fica um pouco mais perto da cidade e ele e a Melody estão morando lá agora.

O Soos amava a cabana, porque ele faria isso? Abri uma nova cabana do mistério? me perguntei silenciosamente

-entendo, que bom pra ele -Disse Mabel sorrindo- e você wendy, me diz as novidades

-ah não aconteceu muito coisa, quando me formei no colégio fui trabalhar na madeireira do meu pai e dês de então estou lá. E vocês? Alguma novidade? Em e os garotos em? Disse dando um leve soquinho no ombro da Mabel

-Vai tudo bem, mês passado eu estava namorando um garoto LINDO do time de futebol mas ai a gente terminou, mas dessa vez eu tomei a iniciativa de não me envolver romanticamente com ninguém. Disse rindo e ate roncou um pouco

Eu revirei os olhos e olhei a paisagem, chegamos na cidade que não mudou muito. pouquíssimas pessoas nas ruas, não estranhei, afinal já passa das dez da noite em uma cidade pequena

Puxei meu celular e vi que estava sem sinal

-wendy você tem sinal? Perguntei olhando para ela

Wendy sorriu e disse

-merda! Eu já ia esquecendo, mês passado  a torre de sinal de telefone caiu e isso prejudicou a luz e a internet, acredita?!

-e como essa torre caiu? Mabel perguntou

-uma chuva horrível, foi que o jornal falou.

-hum...digo puxando meu caderno de anotações, anoto tudo que aconteceu ate agora

Chegamos na cabana bem rápido, e Wendy estaciona. A cabana continuava a mesma, com aquele S caído. Parecia intocada pelo tempo

-então e isso. Disse Mabel tirando a ultima mala do carro

-obrigada Wendy. Digo já com o caderno guardado.

-sem problema, ei cara ta tudo bem? Parece meio tenso. Perguntou se aproximando

-tudo bem!- minha voz saiu fina -quer dizer, esta tudo bem, só estou um pouco cansado. Me afastei e fui em direção a varanda da cabana. Assim que Wendy partiu Entramos na cabana e ela parecia intocada.

O porco correu e se deitou na poltrona de Stan. Mabel andou ate a loja e eu a segui, tudo estava do mesmo jeito

-Se o Soos abriu uma nova cabana, porque ele não levou essas coisas? Todas essa mercadoria pegando poeira...Mabel observou.

Tudo estava ali, a caixa registradora estava aberta e tinha dinheiro ali, havia um saco de salgadinhos aberto no chão.

Me abaixei

-e como se tivesse saindo as pressas.

-a Wendy, parecia normal mas... A ligação do Ford e os celulares... Não consigo acreditar que tudo esta bem. Mabel se sentou em um banco empoeirado

-vamos pensar nisso amanha, por hoje vamos descansar.

Subimos para o segundo andar e chegando no quarto que costumávamos dividir. As duas camas estavam sem lenções e estavam um pouco empoeiradas, como o resto da casa.

-o waddles pode ficar com a minha cama, vou dormir no quarto do Ford por enquanto

-então ta bom. Ela ou empurrou a própria cama na direção da minha antiga cama

-não posso dormir muito longe do meu bebe. Disse sorrindo

-faz oque você quiser. Me virei e fui em direção ao primeiro andar, o quarto do Ford estava bem mais sujo que os outros. Limpei um pouco e depois me deitei

-BOA NOITE! Mabel gritou

-BOA NOITE! gritei novamente.

Mas não consegui dormir, o que esta acontecendo? Eu preciso descobrir

Preciso encontrar o Ford

Preciso...

Preciso....

Preciso...

Dormir um pouco...

Abri meu olhos, estava em uma sala escura que a única fonte de iluminação eram três velas na frente de um boné branco com um pinheiro azul...

Espera...o boné que eu usei durante aquele verão?!

-não temos muito tempo. Era uma voz feminina, então uma garota de cabelos loiros que vestia roupas pretas e sujas apareceu

-quem e você? -Perguntei me afastando- o que esta acontecendo?!

-Você tem que sair da cidade, vocês dois idiotas precisam ir o mais longe possível. Ela falava devagar mas eu senti um certo desespero em sua voz

-não vou sair ate ter meus avos comigo

-Seu idiota! Ele vai usar vocês dois contra Ford! Se ele tiver vocês como refém tudo será  vão! Todo essa luta será em vão! Se ele entrar  na nossa dimensão estaremos mortos ou pior...seu tom era agressivo

Eu me afastei dela

-quem e você? O que esta acontecendo?!

Escutei um barulho alto com um tiro, seguido por um grito

-o que foi isso? Perguntei me virando para escuridão quando um garoto loiros e um pouco mais velho que ela apareceu, ele se vestia como um soldado e estava muito sujo e sobre tudo seu braço estava destruído

-acabou...ele entrou. Disse o loiro segurando o que estava de seu braço

-merda...agora e tarde... odeio essa família. ela pega uma arma longa que eu não reconheci e caminha na direção do estrondo.

Acordei 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...