1. Spirit Fanfics >
  2. Não Conte a Ninguém - Imagine Jaehyun >
  3. Capítulo 19

História Não Conte a Ninguém - Imagine Jaehyun - Capítulo 19


Escrita por:


Notas do Autor


Isso é hora de atualizar ? Pra quem tá ansiosa pra finalizar, sim kkkk

Boa Leitura, Cherries.

Capítulo 19 - Capítulo 19


Fanfic / Fanfiction Não Conte a Ninguém - Imagine Jaehyun - Capítulo 19 - Capítulo 19

Os passos de Jaehyun foram impedidos de continuar, assim que a ligação se encerrou inesperadamente e nem uma mensagem sequer chegou, o endereço o qual ele estava esperando para assim ir o mais rápido possível ao encontro da sua garota imprudente. 

Com a raiva do momento, arremessou o aparelho celular em qualquer direção e por sorte estava sozinho naquele corredor, do andar onde estaria sendo feita a reunião que por sorte, ainda restava a assinatura de Jaehyun para assim o pai da garota ter toda a empresa em suas mãos, mas foi nesse fato que o mesmo sorriu lambendo os lábios, percebendo a quase besteira que estaria sendo feita por um deslize de um sonho. Acredita que se o pai de S/N ter toda a empresa, perderia tudo ao passar para o nome de Rebecca e assim o golpe seria maior, pois é o que ela deve estar esperando.

Portanto, ao retornar aquela sala assustando a todos com a forma que abriu a porta, ditou tais palavras aborrecendo o pai de S/N.

— Como ousa cancelar a reunião ? 

— Por enquanto, cancelada. 

Respondeu em meio aquele alvoroço, as pessoas falando ao mesmo tempo sobre a forma como os dois melhores amigos estavam se tratando, ambos demonstrando raiva.

Ao contrário de Jaehyun, o homem mais velho não estava por dentro das últimas notícias da própria filha e nem da mulher que pretende se casar, essa a qual não se encontra no momento dando suspeitas a mais para Jung sobre possivelmente estar onde se encontra S/N, foi pensando nisso que ele se pronunciou ao amigo sobre a mesma.

— Onde está Rebecca ? 

— Por que quer saber dela ? Está em casa, esperando por mim. — Respondeu Carl, confuso com a pergunta inusitada.

— Ligue pra sua casa, então. 

— Que interesse é esse por Rebecca ? Não lhe basta as mil mulheres ? — Acabou por se irritar, retirando-se de uma vez daquela sala adiando assim a reunião. 

Para Jaehyun um alívio, pois de alguma forma está protegendo o que é de direito de S/N, enquanto o próprio pai dela está cegamente por aquela mulher. 

Deixando a empresa indo em direção ao estacionamento pegar seu carro, sentiu estar sendo seguido e, imediatamente virou-se agarrando a camisa da pessoa, era apenas Taeyong carregando mil perguntas.

— O que quer agora ? Não vê que estou apressado ? — Foi rude, não sendo nenhuma surpresa para o rapaz.

— Que perguntas foram aquelas sobre Rebecca ? 

— Não é do seu interesse, seu incompetente!

— Qual o seu problema ? 

— S/N é o meu problema! Nada disso teria acontecido, se você tivesse ficado de fora da reunião, esperando pela ligação dela! — Gritava tão alto que, as veias do seu pescoço enaltecia.

— Está acontecendo algo ? 

Foi então que, Jaehyun se viu necessitado de contar tudo que estava acontecendo, adorando ver Taeyong lamentar pela culpa de não ter visto a ligação da garota, o mesmo quis ir logo atrás de Carl falar tudo, porém, Jaehyun afirmou do amigo estar cego a um ponto que não irá acreditar sem provas, portanto, a chave para isso será encontrar Yuta.

Juntos seguiram para o apartamento, após terem dado uma boa olhada nos possíveis locais onde ela teria ido se encontrar com ele, foram até mesmo no estabelecimento próximo a empresa onde Yuta costuma trabalhar, mas nada estranho foi encontrado, afinal, eles não iriam ser idiotas o suficiente. 

Enquanto isso no mesmo local abaixo do subsolo, S/N acaba de acordar sentindo uma imensa dor de cabeça misturada ao frio, estava com febre por causa do medo que sentiu horas atrás. Junto a isso, os pulsos apertados pela corda que a amarrava na cadeira a qual estava, tudo totalmente escuro devido ao saco em sua cabeça. 

— Acorda, moleca! 

Rebecca gritou, assustando mais ainda a mesma.

— Para com isso, Rebecca! 

— Estou lhe causando medo ? É bom mesmo que sinta, assim não pensará duas vezes de ficar caladinha. — Livrou ela do saco, fazendo sua imagem entrar no campo de visão da mesma. — Bom, agora preciso fazer cara de paisagem, pois logo vão notar sua ausência. 

Um homem entrou no local, recebendo uma quantia em valor de dinheiro por Rebecca, apenas para ficar de olho na garota enquanto ela fique fora.

— Quando tudo isso acabar, você irá esquecer disso e sumir do mapa, escutou bem ? — O homem concordou, recebendo um sorriso maléfico da mesma que após retocar o batom, foi embora.

— Moço, por favor. Me deixe ir, lhe pago mais ainda. 

— Desculpa, não tenho nada contra você, mas além de receber o dinheiro posso perder minha família caso eu ajude você. — Respondeu ele, colocando uma mordaça na boca dela para que assim não grite pedindo ajuda. 

Jaehyun e Taeyong voltaram as ruas, especificamente foram ao teatro de balé, tentar descobrir algo através das câmeras a direção que ela tenha pegado, porém, as mesma não estavam funcionando levando eles ao começo e, de volta à estrada, Taeyong entrou no assunto.

— Se ela foi apenas tentar descobrir algo, talvez tenha dado certo e voltou pra casa, pra mostrar a Carl. — Como Jaehyun quis dar um soco na boca dele, por ser tão ingênuo e positivo. — Isso não é um filme onde vão sequestrar ela.

— Desça do carro, imbecil. 

Parou o veículo, não querendo mais escutar aquelas palavras absurdas enquanto ele está ao ponto de enlouquecer, sem notícias da garota.

— Jaehyun, vamos na casa de Carl. Rebecca talvez esteja por lá. 

— Eu mandei descer! — Gritou.

Contragosto, o rapaz saiu do veículo sendo largado naquela rua e Jaehyun seguiu sem rumo, apenas indo em qualquer local tentando a encontrar, foi lembrando das palavras de Taeyong que decidiu passar na casa de S/N encontrando seu amigo bem despreocupado, junto a Rebecca jantando.

— Veio pedir desculpas ?

— Na verdade, eu gostaria de ver S/N.

Fingiu não estar sabendo de nada, não sabendo que Rebecca sabe da relação dele com S/N.

— S/N foi dormir na casa do namorado, parece que voltou com aquele japonês lá. — Disse Carl, acreditando no envelope que achou no quarto da mesma deixado por Rebecca. 

— Voltaram, é ? Bom, então vou fazer companhia para o casal, estou entediado.

— Cansou dos seus brinquedinhos ? 

Se referiu aa mulheres, acreditando que o amigo ainda esteja se envolvendo com varias. 

Jaehyun entrou na casa sem ser convidado, travando uma batalha dentro de si que era controlando a vontade de colocar Rebecca contra a parede e confessar tudo, mas, estava certo que Carl por estar cego não iria acreditar gerando em meter a polícia nisso, ficando mais difícil de encontrar S/N se estiver em uma cela. 

Sentaram na mesa, mas, ele não tocava na comida apenas ficava encarando Rebecca, diferente da mesma que fazia cara de paisagem como havia dito. E, foi quando Carl recebeu uma ligação indo atender em outro cômodo que, Jaehyun levantou-se levando Rebecca junto ao agarrar com força o braço dela.

— Onde está S/N, sua cadela ? — Sua outra mão, foi ao encontro do maxilar dela pressionando com força para que assim tenha medo e confesse.

— Vou gritar, se não me soltar. 

— Grita, aproveita e confesse que quer roubar tudo dele. 

— E, perder essa oportunidade ? S/N fora da jogada só me resta você, porém, acredito que não será tão burro de me entregar, afinal, uma ordem minha e aquela moleca morre. — Então, Jaehyun soltou ela após escutar os passos se aproximando, Carl havia voltado e estranhou o fato deles estarem de pé. — Jaehyun já vai, amor. Uma mulher a espera, como sempre.

— É, alguém espera por mim.

Confirmou as palavras dela, sem deixar de a encarar até escutar seu amigo tossindo, buscando atenção. 

— Bom, então lhe vejo amanhã na reunião.

— Que reunião ? 

— A que será realizada após nosso casamento no cartório. Ah, desculpe não lhe convidar, Rebecca deseja algo privado apenas com os familiares. — Jung entendeu a intenção dela, tudo para não ser desmascarada bem na hora, porém, S/N como filha dela terá que aparecer ou estranho será.

— Estarei mesmo ocupado. 

(...)

O dia amanheceu e ele não havia dormido, estava revirando tudo que fosse possível para encontrar S/N antes mesmo daquele casamento ser realizado, agora ele entendia os planos de Rebecca ao tirar a garota da jogada, pois ela poderia estragar o casamento assim como a reunião. 

Portanto, agora ele estava mais preocupado de a encontrar do que impedir o casamento, mas para a reunião ele guardou uma surpresa com a ajuda de Taeyong o qual se torna o advogado do casal sendo ele a ler o contrato. Então, novos documentos foram feitos após Carl e Rebecca lerem outros acreditando ser os verdadeiros, nesse caso, teriam tempo de encontrar ela até que Rebecca descubra a armadilha.

— Vai deixar ele casar com ela ? 

— Rebecca é esperta, vai impedir minha entrada e já deixou claro acontecer algo com S/N, caso eu tente impedir. — Explicou e Taeyong entendeu, mas estranhou a forma que o homem sorriu. — A pressão de se ver derrotada, a fará confessar na frente de todos.

— E, assim poderemos encontrar S/N ? 

Touché!

Enquanto isso no esconderijo, S/N observava Yuta andando de um lado para o outro, demonstrando nervosismo com medo que algo acabe dando errado, como alguém descobrir antes da reunião onde está S/N.

Ele vendo atenção da mesma nele, foi em sua direção livrando a mordaça da boca dela, querendo que diga o que tanto pensa.

— Como entrou nisso, Yuta ? 

— Rebecca apenas estará me devolvendo algo. — O cenho dela franziu, não compreendendo. — Toda a riqueza que vocês tem, deveria pertencer ao meu pai. Abaixo daquela empresa, existia a única herança que me restou, mas seu pai passou por cima derrubando tudo.

— Isso é mentira, Jaehyun e meu pai compraram aquele terreno e começaram do zero. — Afirmou, vendo a expressão do rapaz mudar e um forte tapa atingir seu rosto. — Yuta…

— Os dois nos roubaram, pagaram um mísero dinheiro sendo que valia mais. 

— E, Rebecca está lhe ajudando por vontade própria ? Acredita nisso ? 

— Coloque de volta a mordaça na boca dela garota, a voz dela me irrita. — Rebecca chegou ao local, deu um beijo em Yuta e encarou a garota após ter sido calada. — Estamos juntos há muito tempo, ajudo Yuta porque sem eu o amo. Sabe, como foi fácil colocar ele na sua vida ? Fazer cruzar seu caminho naquele restaurante, te segurar até que eu pudesse garantir mais tempo para enfim o dia de hoje, me casar com teu pai e tomar tudo dele até não restar nada, afinal, a parte de Jaehyun também será passada para ele hoje e quando Carl assinar aqueles papéis passando tudo para o meu nome, poderei lhe soltar para ir ao encontro do inútil do Jaehyun, esse o qual não está movendo uma pedra por você.

Mesmo com as duras palavras, S/N não acreditou, ficou focada em acreditar que Jaehyun esteja fazendo algo para evitar esse casamento assim como a reunião, evitar que passe sua parte hoje para Carl. 

— No final, nem juntos vocês vão ficar, ele é covarde demais para confessar ao amigo que anda comendo a filha dele. — Inclinada na direção de S/N com as mãos em cada lado dos braços da cadeira, Rebecca fazia tortura psicológica com a garota que cada vez mais com febre ficava. 





Notas Finais


Espero que tenham gostado do capítulo. Até mais, bb's. <3

Estou voltando com essa fanfic do Chanyeol, dêem uma olhadinha se puderem >> https://www.spiritfanfiction.com/historia/possessive-love--imagine-chanyeol-11767760

Divulgação >> Super indico >> https://www.spiritfanfiction.com/historia/um-year--imagine-sehun--exo-18320736

Meu perfil @Meiyeol


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...