História Não Desista De Mim - Capítulo 21


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Asiático, Japao, Jeon, Jungkook, Negra, Tokyo, Tóquio
Visualizações 6
Palavras 2.102
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drabble, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Linguagem Imprópria
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 21 - Capítulo 21


Trilha Sonora: Demi Lovato - Lionheart


Kalifa


Nunca me senti tão feliz na minha vida. Aliás fazia bastante tempo que que não me sentia tão viva quanto estou me sentindo agora. E isso é bom, muito bom. Ter alguém que te faça sorrir com pequenos gestos, alguém que faz o possível para te ver feliz sem dúvida é uma das melhores coisas da vida.


Acho que estou apaixonada. Não sei definir tal sentimento. É como se minha mente não estivesse processando direito, porque eu só sei pensar nele, em seus gestos simples, nas suas piadas, nos seus sorrisos despreocupados, do seu olhar que sempre parece querer descobrir a minha alma. Enfim, acho que isso é estar apaixonada. E se não for, então eu realmente não faço a mínima ideia do que seja.


Os dias estão passando muito rápido para mim, até demais. O tempo parece voar mesmo quando se está com a pessoa que gosta.


As férias estão chegando e quero viajar para o Brasil. Quero ver meu pai, dar um abraço que esteve reprimido por durante muito tempo. Queria tanto que o Hikaru fosse, mostrar a ele o meu Brasil em que vivi. Não essa besteira que a mídia passa sobre ele. Brasil não é só Samba e Carnaval...


Saio dos meus pensamentos quando vejo alguém chegando. Rapidamente vou até mesa e anoto o seu pedido.


E logo após isso eu vejo a pessoa que sempre povoa meus pensamentos entrando e vindo em minha direção.


- O que você está fazendo... - iria terminar a frase se ele não tivesse me segurado pela cintura e me dado um beijo memorável. Beijo esse que me deixou um pouco desorientada por alguns segundos.


Ouvi o pigarreio do senhor sentado logo ao nosso lado e tratei logo de puxar o Hikaru para um lugar mais afastado.


- O que foi isso? - perguntei sorridente e ainda incrédula com o feito.


- Nada,  só queria surpreender minha namorada. Exagerei? - perguntou sorrindo. 


- Nos não estamos em um filme clichê de romance, seu bobo. - ele riu quando eu disse isso.


- Eu sei que você gostou, confessa. - ele pisca pra mim.


- Mas me conta o que te trouxe aqui no horário do meu trabalho? - mudo de assunto. Na verdade eu gostei, mas ele não precisa saber disso. - Você não é de vir aqui só pra isso.


- Sabe quando eu disse que tinha me feito uma inscrição para aquela vaga de emprego na empresa de tecnologia?  - eu penso um pouco e me lembro.


- Sim, aquela que você disse que poucas pessoas conseguem passar? - ele faz que sim com a cabeça.


- Me disseram que eu fui aceito. - ele fala animado.


- Nossa. Estou muito orgulhosa de você. - o abraço forte e ele me levanta, me fazendo girar.  Eu só consegui rir, e depois ele me colocou de volta no chão.


Olho para ele um pouco tonta.


- Você está animado mesmo. Devo me preocupar com esse seu surto de alegria? - brinco. E ele apenas da de ombros.


- Acho que não. Na semana que vem eles querem me entrevistar e acertar alguns detalhes. 


- Acho que isso merece uma comemoração. Mas não faço ideia  de como fazer.


- Eu sei como. Minha irmã vai passar a noite na casa da amiga. Quem sabe nos podemos fazer a nossa comemoração do jeito que sabemos. - ele chega mais perto para chegar em meu ouvir. - Só você e eu, assistindo uma série, namorando. Que tal?


Nossa, esse garoto vai me matar desse jeito. Parece que de uns tempos pra cá ele tem estado mais ousado. Se estou gostando? Sim, muito.


- Não iria querer outra coisa. - ele continua a me encarar a espera de um beijo, mas desvio e beijo sua bochecha. - Acho que se a gente continuar, vamos ser presos por atentado ao pudor. Olha para trás.


Ele faz o que eu digo e se depara com o senhor olhando para a gente indignado com a nossa compostura, ou acho que talvez ele está assim porque ainda não fui entregar o pedido ao cozinheiro.


- É, estamos incomodando aqui. - ele devolve o beijo na bochecha. - Te vejo a noite para nossa festinha particular.


- Combinado. - ele da uma última piscada para mim e sai no mesmo ânimo que veio. A animação dele até me contagiou um pouco. Ele tem o poder de me animar, mesmo quando não estou com ânimo algum para nada. Quanto mais fico com ele mais eu percebo esse lado tão especial que não percebe que tem.


O dia ia tudo bem, depois da rápida visita do meu namorado. Mas como nada que é bom dura para sempre, algo tinha que estragar.


Estou falando isso porque quem acabou de entrar foi aquela garota insuportável que tinha até parado de me atormentar mais depois daquela conversa com a Mikasa. Mas parece que não entendeu o recado direito. Sim, é a Mieko.


Vou até a mesa do grupo dela, com a minha melhor cara neutra. Não vou dar a ela o gostinho da minha infelicidade estampado no meu rosto.


- Vão pedir agora? - em 3,2,1 e...


- Escurinha. - reviro meus olhos internamente. - Que bom que veio nos atender. Mas não se sinta importante. É do costume do seu povo servir, não é?


- Não. Nunca foi e nunca será. Mas é do costume do nosso povo encontrar pessoas que se acham melhor do que as outras pela etnia, quando na verdade não passam de ignorantes sem conteúdo. - sorrio falsamente e depois fico séria.


O pessoal que estavam sentado com ela, ficaram calados olhando para ela surpreendidos com a minha resposta. Ela só fica me olhando com raiva. 


Que fique porque não estou nem aí.


- Vão pedir? - ignoro o olhar dela e fico pronta para anotar.


- Queremos Milkshakes por agora. - Será que ninguém tem boca, só ela?  Que gente tão sem identidade.


- E você fala por todos? - digo com a sobrancelha arqueada.


- É da sua conta? Apenas traga os pedidos. - fecho os olhos e suspiro.


- Ok, trago já. - saio de lá rapidamente porque já estou no meu limite.


Enquanto espero os pedidos eu vejo que eles comentam alguma coisa e riem. Talvez eu seja o assunto da conversa porque vez ou outra eles olham para mim. 


Como se eu ligasse para isso. Já passei por coisa pior, então eu vou com certeza sobreviver a isso.


Logo o pedido deles está pronto e vou até eles que param de rir quando me aproximo com a bandeja de Milkshakes.


Entrego o pedido de cada um.


- Isso está horrível. Sinceramente esse lugar fica pior a cada dia. - a insuportável reclama.


- Então porque está aqui, querida. Não existe só esse estabelecimento. - chega, cansei dessa palhaçada. Não foi aturar mais nenhuma palavra vindo dessa idiota.


- Estou aqui por que quero estar. Agora me traga outro melhor que esse daqui, ou você quer que eu chame o gerente? - ela fala com aquele sorriso cínico. Já deu pra mim.


- Você quer melhor? - pego o copo da mão dela. Retiro a tampa e derramo tudo na cabeça dela, e ainda deixo cair o copo em sua cabeça. - Melhorou, sua vaca?


Ela grita histérica de raiva, tentando se limpar inutilmente do líquido rosa do seu cabelo e de sua blusa.


- Você vai me pagar caro por isso. - ela grita quase chorando de raiva.


- Foda-se sua retardada. É você quem vai pagar caro se continuar me enchendo, entendeu? Esse é o último aviso que te dou. Vê se coloca isso no seu cérebro minúsculo. - e saio em direção a porta.


- Mas o que está acontecendo aqui? - o meu chefe olha para ela toda ensopada e depois olha para mim furioso. - O que você fez?


- O que eu já devia ter feito a muito tempo. Ah, e eu me demito, não vou passar mas um segundo nessa droga de lugar. Não precisa me pagar minhas horas desperdíçadas aqui. Até nunca mais. - bato a porta, olho para cima e fecho os olhos. 


Inspiro bem forte, sentindo uma sensação de alívio tomar conta de mim por ter feito o que queria a muito tempo. O melhor foi que não me arrependi de nada.


•••


Bato na porta do meu namorado, que em segundos a abre todo arrumadinho, como se fôssemos sair a um lugar.


- Você está linda, sabia? - ele fala me olhando daquele jeito que só ele sabe.


-  Você também está. - ele cede passagem e logo estamos em seu sofá assistindo um dorama, que são tipo novelas no Brasil. Era um romance muito clichê bem exagerado...


Começo a pensar no ocorrido lá no restaurante. Como eu disse antes, não me arrependo, só fico pensando no que aquela doente vai fazer. Sei que não vai deixar isso como está. Mesmo que eu tenha dito claramente para parar com isso, não acho que ela irá fazer isso. Principalmente agora...


- Terra chamando. Tem alguem aí? - ele estala os dedos, me fazendo despertar dos meus pensamentos.


- Desculpa, estou um pouco aérea hoje. - ele me olha um pouco preocupado.


- Espera aí, você está pedindo desculpa sem motivo aparente? - agora ele parece realmente preocupado, mas sei que está brincando... Eu acho.


Ele parece me examinar.


- Você está bem mesmo? - tão engraçadinho.


- Só estou pensando em uma coisa aqui. 


- Posso saber que coisa é essa? - pergunta sem tirar os olhos dos meus.


- Acho que fez uma coisa muito errada, e não me arrependo. Sabe a Mieko? - ele faz que sim com a cabeça.


- Garota insuportável e sem noção, que vive pegando no seu pé? Conheço muito bem. Mas não no bom sentido. - respiro fundo antes de contar.


- Eu derrubei Milkshake na cabeça dela. - falo em um so fôlego, seriamente e ele apenas me olha também sério, mas logo começa a rir.


- O quê? Me conta essa história direito. - conto tudo para ele, e também digo que me demiti. - Minha garota toda rebelde. Bom saber desse seu lado.


- Hika, é sério. - sorrio.


- Teria jeitos melhores de contornar essa situação. Mas acho que a sua foi a melhor. Ela estava precisando de um banho desse para ver se vira algo melhor. - ele me puxa mais para ele e me abraça de um jeito tão reconfortante. - Agora chega desses pensamentos. O que tenho em mente é bem melhor.


- E o que seria? - pergunto já sabendo a resposta.


- Você e eu nos beijando sem promessa de parar. 


- Isso é bem melhor mesmo. - ele me beija e só isso já é o suficiente para estarmos totalmente imersos um no outro.


As coisas iam esquentando cada vez mais, e quando eu percebi já estava sentado em seu colo, querendo mais e mais. Acho que com ele não era diferente.


Ele de repente para o nossos beijos e fixa seus olhar no meu, e Continuamos assim por mais alguns segundos.


- Eu te amo. - ele disse sussurrando, acariciando meu rosto.


Suas palavras me causaram um impacto tão grande que fiquei olhando para ele sem reação aparente, mas por dentro parecia que eu ia explodir.


Ele começou a ficar um pouco desconcertado pelo meu olhar. 


Fala alguma coisa sua idiota.


- Eu também te amo, Hika. - falo o que já estava instalado na minha garganta.


Ele da um sorriso lindo e suspira aliviado.


- Pensei que você iria me deixar sozinho nessa. - fala assim que cola sua testa na minha.


- Impossível é não te amar. Você é uma das melhores coisas que aconteceram na minha vida. 


- Penso a mesma coisa sobre você. - ele me beija e agora é uma sensação diferente. Talvez porque tenha um sentimento revelado. A sensação de amar e ser amada.


Continuamos nossos beijos apaixonados e a cada segundo mais acalorados.


Sinto suas mãos acariciando meu corpo e logo as sinto em minha bunda. Tomei um susto com, mas foi de surpresa com a firmeza que ele dez isso.


- Acho melhor pararmos por aqui... - ele disse logo ao perceber meu espanto. Ele não sabe o quanto o quero agora.


- Na verdade eu quero que você continue. - Digo sem tirar seus olhos dos meus.


Pego sua mão, meio nervosa porque nunca fiz isso, mas não quero parar agora.


Faço ele tocar sua mão direta em meu seio e ele arfa com o contato.


- Tem certeza que quer continuar? - ele também fala tão nervoso quanto eu. apenas faço que sim com a cabeça.


Sinto sua mão apertar levemente em meu seio e sinto uma sensação desconhecida com seu contato.


Retiro minha blusa e ele também retira sua camisa. Ele junta seu corpo tão quente quanto o meu e nos beijamos.


- Eu te quero tanto. - fala entre meus labios. Sinto um volume em sua bermuda...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...