História Breaking barriers or the soul? - Capítulo 20


Escrita por:

Postado
Categorias Got7, Stray Kids
Personagens BamBam, Bang Chan, Han Ji-sung, Hwang Hyun-jin, Jackson, JB, Jinyoung, Kim Seung-min, Kim Woo-jin, Lee Felix, Lee Min-ho, Mark, Personagens Originais, Seo Chang-bin, Yang Jeong-in, Youngjae, Yugyeom
Tags 2jae, 2jae!kids, 2jin, Abo, Changlix, Changlixkids, Jeongmin, Markson, Minsung, Minsungkids, Woochan, Woochankids, Yugbam
Visualizações 69
Palavras 3.844
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), FemmeSlash, Ficção, Ficção Científica, Fluffy, Hentai, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shounen, Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Meu deus!! Eu atualizando o capítulo lá pra 0:39, socorro, isso que dá dormir a tarde.

Capítulo 20 - 1-21: Na mansão, parte 1, transtorno


Fanfic / Fanfiction Breaking barriers or the soul? - Capítulo 20 - 1-21: Na mansão, parte 1, transtorno

저택에서, 제 1 부.  

- Explica isso aí! - pedi ainda em total confusão. 

- Eles vão trazer a ômega hoje!! Eu só tenho algumas horas como prazo!! Eles querem que eu traga a fórmula hoje se não eles vão... - Como eu odiava o Chang quando ele parava de falar no ápice da verdade.

- DESEMBUCHA CRIATURA!! - ordenei com meu tom de alfa, meu alfa estava no controle. 

- Eles vão contar pro mundo que você é um alfa híbrido... - desabafou Chang abaixando sua cabeça. OPA!! Fui ameaçado, é isso mesmo Coréia? 

- Vamos pra lá afora! Pega suas coisas porque eu vou levar as minhas! - me exaltei levantando em um salto. 

- Pra que levar nossas coisas? - Como se não fosse óbvio. 

- Eles não falaram que iam chamar a ômega hoje, então, o processo de você e ela ficarem juntos vai levar dias pra vocês serem casados no papel, sem falar nesse negócio de você ter que se atar a ela, isso vai ser uma grande dor de cabeça para acontecer, sem falar que você não está sobre o controle deles, eles que estão sobre o seu, na verdade, nem sei o do porquê de todo esse drama. - Nossa mano, como eu não havia notado isso antes. 

- Como assim drama? Eu tenho o controle? Que? - perguntou Chang ainda mais confuso, mas ele também havia levantado e nós dois íamos até o quarto dele pra pegar suas coisas. 

- Eles precisam da fórmula e você à tem, você já é adulto e pode se cuidar sozinho, você pode renegar sua família e escolher outra família, eles só podem fazer o casamento com o Seo Chang-bin e se você mudar o nome para Lee Chang-bin você não precisará se casar com a ômega, esse negócio de expor um alfa híbrido só traria problemas pra eles por terem ocultado isso da sociedade e ainda fazer experiências proibidas num país que a punição chega a ser sempre severa, então eu acho que você sai ganhando nisso. - justifiquei o motivo do meu sorriso bobo e do meu comentário intencional. 

- Meu Fe é tão inteligente! - elogiou Chang me fazendo corar em seguida, nós já estávamos no quarto dele organizando nossas roupas...bem, as roupas dele, eu teria que ir na minha antiga casa para pegar minhas roupas, ou seja, me encontraria com meus pais, eu já estava na hora de confortá-los sobre o assunto de eu estar longe. 

Chang estava muito abusado, por assim dizer, sua mão sempre pousava em partes que me deixavam estático e excitado, mas eu controlava meu desejo por ele ao máximo, consegui? Claro que não né! É o Changbin que estava fazendo aquilo, eu acho que esqueci de mencionar que nesse tempo que eu ia pro colégio, o Bin era cortejado por vários e várias ômegas ou betas, aquilo me irritava? Oh como, já ameacei várias pessoas, quando o Chang não estava por perto claro, ele não era meu, então o que eu fazia era discreto, ou era pra ser. Nós já estávamos a caminho da minha antiga casa, que não ficava muito longe da minha "nova casa", nesse curto período, o Changbin me vem com a seguinte pergunta. 

- Você pretende me contar ou não que ameaçava as pessoas que davam em cima de mim? - Vê se tem cabimento essa pergunta, claro que não né meu querido! 

- OI!!? Como se sabe!? Me... - Como eu estava tão feliz, o momento da desgraça - nem tanto assim -, veio pra causar. 

Jisung, e todos os outros amigos, menos o Chan e Woojin já que estavam na casa, estavam na porta da minha casa esperando alguém abrir a porta, provavelmente eu, já que o Jisung não é um grande amigo que conta tudo de bom que acontece comigo, só os podres mesmo, nem sei como eu o aguentei até hoje. 

- O que vocês fazem aqui? - perguntei chamando a atenção de todos para mim e o Changbin. 

- O que você faz aqui fora e...COM O CHANG!!!? - gritaram todos os barulhentos presentes lá, todos estavam surpreendidos. Eu falei que o Jisung é um péssimo amigo. 

- Jura que você não contou Jisung!! - reclamei o fuzilando. Vê como são as amizades nessa época. 

- Por que devia, vida de vocês, não minha, sou importante demais pra me importar com seus problemas de relacionamento! - rebateu Jisung se aproximando na pessoa que estava ao lado dele, eu nem havia notado a presença dele antes. 

- MinHo!? Você não ia me dar cobertura!? - Olha que feio hein Chang! Ensinando aos meus leitores como se safar da aula! Isso que é exemplo. 

- Eu ia...mas o Sung disse que eu ia viajar com ele hoje, não questionei porque faz tempo que eu não faço isso sabe! - se explicou MinHo, ele parecia...feliz? Por que ele estava feliz sendo que teria que ficar com aquela bixa louca do Jisung!? 

- Bixa louca é teu cu que não é mais virgem!! - OLHA!! EU SÓ NÃO FALO NADA PORQUE AQUI É FAMILY FRIENDLY!! 

- Mas, se você está aqui...onde você estava!? - perguntou Seungmin botando aquele assunto como o mais importante. 

- E por que estava com o Changbin!? Vocês estavam sorrindo agora pouco!? - perguntou Hyunjin ainda mais curioso. Esses fulos fogosos! 

- Olha...só não falo nada agora porque o Woojin acabou de descer as escadas. - Como eu sei, bem, digamos que eu sinto isso de vez em quando, eu sei quando alguém se aproxima. 

- Como você... - não conseguiu terminar sua fala Jinyoung, a porta havia sido aberta, e de lá saiu...ele... 

- CREDO!! QUEM É VOCÊ!!? - exclamou Jisung dando um salto para trás assustado. 

- Sou eu...Woojin...não dormi muito bem... - Aquela visão era de matar, Woojin estava com o rosto inchado, suas olheiras eram bem grandes e seus olhos vermelhos...ele chorou, por minha causa... 

- Appa... - não consegui dizer mais nada, meu corpo se mexeu de acordo os meus pensamentos, eu havia abraçado meu appa por estar tão mal com tudo aquilo, eu sabia que seria difícil pra eles, mas não imaginava que o Woojin, justo o que nunca demonstrava sua tristeza pra ninguém, nem para o Chan, chorou por causa que eu havia saído de casa, eles sabiam que uma hora ia acontecer, mas não imaginavam que eu ia ser tão ingrato pelo que eles fizeram. 

- Fe...lix...? - aquela voz, não era a mesma que eu reconhecia, era uma voz cheia de mágoa, angústia, tristeza e sofrimento, não era a voz dele... 

- Chan-appa...? - não aguentava mais ver aquilo, meus pais estavam sofrendo por minha causa...de novo, eu não queria mais vê-los daquele jeito. 

Woojin separou nosso abraço para ajudar o ômega, ele estava...fraco, por que eu havia sido tão desprezível com ele!? Eles quem me ajudaram e eu os deixei sem ao menos pensar no que eles passariam após a minha decisão, claro que foi doloroso pra mim à noite, eu havia chorado muito, tive pesadelos naquela noite, mas eles tiveram uma coisa pior, um vazio e solidão que quem devia estar nesse lugar era eu, eles não pareciam ter o mesmo carisma que tinham antes, pareciam que haviam ressuscitados como mortos-vivos, eu havia estragado a paz deles com meus pensamentos impulsivos! Eu só pensava no meu bem-estar e acabou que eu não pensei no deles... 

- Vamos conversar, AGORA! - eu decretei com meu tom de alfa solto por impulso...de novo, parecia que tudo ia ser um lupe repetitivo... 

- Precisamos mesmo, primeiro o Felix aparece aqui junto do Changbin, e agora o Woojin e o Chan parecem mortos-vivos, o que aconteceu com vocês!? - perguntou Jeongin se exaltando e indo em direção ao Chan que estava pálido e magro, ele ficou daquele jeito em só algumas horas, isso era de matar. 

Eu, Jeongin, Jisung e o Jinyoung fomos conversar sozinhos no meu quarto com o Chan, era hora de falar profundamente uns com os outros, mesmo que eu não seja um ômega, eu era um alfa híbrido, ainda tinha meu lado sentimental de um ômega, então eu fui classificado como um ômega naquela época já que meu lado sentimental era bem ativo depois daquele dia, Changbin ficou na sala para conversar com o Woojin e com os outros e confessar o que descobrimos naquela manhã, eu havia mandado uma mensagem enquanto subia as escadas para o Chang, falando que devíamos contar pra eles e que íamos levá-los conosco, ele acatou o meu pedido e até gostou falando que era uma ótima idéia já que nós havíamos virado uma família bem unida. 

Quando entramos no meu antigo quarto, já podia se sentir o sofrimento abafado que tinha lá, minha cama estava molhada...de lágrimas, meu guarda-roupa estava aberto e todas as minhas roupas estavam mexidas, ele havia sofrido tanto...e eu nem tive a capacidade de confortá-los com a idéia de ir embora, eles não estavam num estado adepto com eu estar longe do alcance deles...eu queria morrer...MINHA CAIXA!! 

- MEU DEUS!!! - gritei por impulso e já me encontrava no chão tentando esconder minha caixa de..."remédios"...mas era tarde demais. 

- Felix!! O que tem nessa caixa aí!!? - perguntou Jisung, eu ia tentar argumentar, mas a verdade veio à tona de qualquer jeito. 

- Tem...calmante... - respondeu Chan simplista mas com uma voz fraca, ele havia procurado essa caixa por saber o que tinha nela? 

- Por que você tem calmante Felix? - perguntou Jinyoung, quando ele perguntou eu senti que meu coração havia parado de bater, eu ainda não estava pronto pra responder. 

- Pra caso eu me irrite demais com você, eu me acalme, só isso. - Não era como se fosse mentira, mas o motivo principal era outro. 

- Conta isso pra outro, seu rosto mostra bem explicitamente que você tem outro motivo além desse! - insistiu Jisung, ele era persistente quando queria. 

- Não é da sua conta, minhas coisas são do meu departamento que... - Eu ia continuar, eu queria continuar a frase, mas aquela expressão que o Chan fez me impediu de mentir, ela era tão dolorosa, não dava mais para mentir... - Por causa de tudo, eu não consigo me manter calmo com nada, eu tenho um problema sério com a verdade, eu não consigo me manter calmo, antes eu usava pra me manter calmo porque eu me estressava com brigas, eu não conseguia me manter calmo com nem mesmo com as nossas conversas, sempre queria estrangular as pessoas que me insultavam, que me irritavam tanto com...aquelas mentiras e falsidades! Agora que eu estou com o Changbin, eu preciso pra me manter são porque ele me estressa por ainda esconder coisas de mim, todos escondem e eu sei disso porque vivo com vocês a 3 anos! - Falei mesmo, a verdade tem que ser dita. 

- Tá bem Felix, nós compreendemos isso, mas existe coisas que temos que dizer no momento certo, e precisamos ter certeza que a sua memória na irá sumir de novo, mas jura que você usou só pra isso!? - indagou Jeongin ainda curioso. Vou dizer, pra alguém fofo ele é bem persistente hein. 

- Eu usei calmante toda vez que me deparava com a verdade, ou até antes, eu não sou aperfeiçoado a isso, mesmo que a verdade seje a mais necessário na minha vida, é muita coisa pra mim, eu não tô preparado para tudo, mas eu quero estar! - justifiquei ainda mais, mas quanto mais desabafava mais aperto eu sentia, não como se fosse algo ruim, mas como se fosse algo profundo que eu não devia ter dito...eu acho que não devia ter dito mesmo, bem, só um pressentimento meu... - Mas...Chan, você não devia ter pego esse calmante, ele dá efeitos colaterais graves...eu, fiquei bem compulsivo com eles...até pensei em matar várias pessoas por causa deles... - Eu só posso dizer uma coisa sobre isso...vai dar merda pro Woojin. 

- O QUE!!!? POR QUE NÃO ESCREVEU UM RECADO!!? - gritou Chan, aquilo era efeito do calmante ou era o Chan mesmo? Eu acho que era a segunda opção. 

- Tá no verso, mesmo que cause esse efeitos, eram os únicos que eu tinha, eles estavam debaixo da minha cama e eu suspeitei que foi o antigo eu que usava... - argumentei um pouco pensativo, mesmo que eu tenha comprado eles, como consegui esconder aquilo do Chan-appa? Ele limpava meu quarto todo, como não havia notado isso antes... 

- Mas Chan, por que você ficou tão triste com a saída do Felix, devia agradecer por esse entulho ir embora! - Já devem saber quem falou né!? 

- Mesmo que ele seje uma pessoa irritante, ele é o meu filhote, eu nunca vou estar pronto pra quando ele partir, seja pra outra casa, outra cidade, outro país, ou até quando ele morrer, eu não posso demostrar isso muito bem, mas eu sempre quis ficar com o Felix a sós, como um pai e um filho, um momento nosso, mas essa criatura ingrata me afasta sempre! - Olha, eu não tenho culpa se minha personalidade é assim tá! - Mas...eu acho que está na hora de desapegar dele... - quando Chan falou aquilo, eu senti como se fosse largado de novo, como se alguém desistisse de mim de novo. 

- APPA! Não...por favor, não fale isso...dói em mim, saber que você prefere me deixar do que persistir, mesmo que eu não tenho esse dom como os outros, eu amo você appa, mas mesmo que você pense que não, eu sinto isso sim...desculpa por te fazer sofrer tanto... - pedi abraçando meu pai com força, aquele era um abraço de conforto, mas mesmo que eu tenha desabafado, eu teria que contar outra coisa...os tios do Changbin.

Quando eu me separo do abraço, foi naquela hora que a oportunidade apareceu, eu desabafei o que havia me atormentado naquela hora, eu não conseguia achar cabimento naquelas palavras que eu falava, eu estava...desabafando com uma clareza, nem parecia ser eu que estava contando aquilo. Eles foram mais compreensivos do que eu imaginava, eles entenderam o perigo que eu estava, não demoraram muito em mudar sua expressão para amargura e raiva, eles me ajudaram em organizar as minhas coisas e falaram que íamos nos encontrar no aeroporto (sim, onde os tios do Changbin moram não é na Coréia do Sul e sim na do Norte, mesmo que o Chang tenha uma mansão no lado Sul, onde ficava ele, os pais dele e, as vezes, os tios viam para ajudar no experimento.). 

Nós descemos as escadas com um humor sério, aquele dia seria um dos mais impactantes na minha vida, Woojin estava melhor, ele estava rindo junto com os outros alfas, nosso humor mudou rapidamente com aquela cena, era algo incrível de se ver, nossa amizade parecia sempre ser algo indescritível, eu me sentia bem perto deles, aquele momento parecia ser algo tranquilo, mas quando olhamos para o que estava na mesa, surtamos... 

- CARALHO!! VOCÊS ESTÃO BEBENDO!!? NÓS TEMOS QUE PARTIR DAQUI A 1 HORA!! LEVANTA ESSA RABA DO SOFÁ OU DA POLTRONA E VÃO SE PREPARAR AGORA!! - gritei com minha voz alfa fazendo todos se encolherem. Pelo visto o gene de dois alfas amplia mais o seu comando. 

- Meu querido Fe...senta no colo do Daddy aqui... - PORRA! FIQUEI DE PAU DURO AQUI...! 

- Se me chamar de Fe de novo, você vai dormir com o MinHo!! - alertei irritado, mesmo que aquele apelido seje muito fofo, eu não estava bem com aquele cheiro que ele estava soltando, meu ômega dominou meus pensamentos, ele queria ser fudido... 

- Vamos logo! - interceptou Chan antes que Changbin me fizesse perder o controle. 

A sorte é que Hyunjin, como sempre, estava são, ele não bebeu mais do que 1 drink, eu agradecia ele internamente. Eu teria que ficar lá com o Changbin esperando o Chan arrumar as coisas do Woojin, que também estava embriagado, ele estava muito triste com a minha saída também, por isso jogou suas mágoas fora bebendo, ele sempre foi assim, não que ele sempre foi um cachaceiro, ele só deixava aquilo que o feria demais, sumir com a bebida, mas ele não estava tão bêbado assim, ele conseguiu se manter estável. Eu não estava com sorte, Changbin estava bem atrevido, parecia estar no cio, mas glória a Deus que o cio dele era depois de 2 meses, o meu cio também era depois de 2 meses, era só uma coincidência bem bizarra aquilo, Chan já havia terminado, eu fui o primeiro a sair da casa, não aguentava mais aquele abusado, Hyunjin ainda estava são, Woojin nem tanto assim, mas o ômega dele parecia ter controle sobre o próprio alfa, eu ia mandar mensagens para os nossos amigos avisando que já estávamos saindo, mas foi aí que notei algo incomum..."CADE O MEU CELULAR!!?"questionei internamente, sem meu celular eu não tinha uma vida. 

- Vamos agora! - ordenou Chan puxando seu alfa para fora da casa e começando a caminhar. 

- Só se você comprar um celular novo pra mim. - ironizei mas ainda preocupado com meu celular, eu não havia deixado em lugar nenhum, nem na sala de estar estava, eu me lembro plenamente que eu estava no meu celular no bolso traseiro da minha calça jeans escura o tempo todo. 

- Compra você, não tenho que pagar nada pra você, deixei isso bem claro no seus aniversários, pra que eu deveria comprar algo pra você sendo que você não vai comprar pra mim!? - Verdade, todos meus aniversários, o Chan-appa, de vez em quando, me dava cartão de aniversário, e só, era bem divertido minha infância, eu aprendi a limpar a casa com 4 anos. 

- Se eu comprar algo pra você, você compra pra mim? - Nada a comentar sobre...

- OXI!!? Se você tem dinheiro por que não compra você? - Como posso ser tão burro as vezes? Meu deus! 

- Verdade! Vamos logo! - comentei alegre novamente. 

Como eu estava com pressa, eu puxei Changbin e corri em direção ao aeroporto, que por sorte ficava perto do shopping. Bom, não preciso explicar o que aconteceu lá né? Compras e mais compras, não só comprei um celular novo como comprei vários outras coisas, como roupas, anéis, tênis, jaquetas - já que adorava usá-las -, entre outras coisas, mas vocês perguntam "Como você conseguiu tanto dinheiro assim?" é simples...não ganhei, não era meu o dinheiro, era do Changbin, ele me passou o número do seu cartão e eu resolvi gastar todos os créditos que tinha naquele cartão, mas como o gentil que eu era, deixei só alguns wons pra ele, mas foi ele quem passou o número do cartão, não era culpa. 

Quando nós estávamos no aeroporto, já podíamos avistar todos os outros esperando, Jinyoung era o único discreto lá, eu não entendia o motivo do Jisung se aproximar de mim com uma fúria dos pés ao teto do aeroporto, era bem... 

- POR QUE MEU NOME NO SEU WATTS ESTÁ GLORIA PROSTITUTA!!! NÃO SOU IRMÃ DA NEIDE PARA SER CHAMADO DE GLORIA!!! - reclamou Jisung empurrando o celular na minha cara. Aquele filho da puta pegou meu celular escondido, bem que senti uma mão abusada no bolsa traseiro da minha calça enquanto estava organizando as minhas coisas no quarto. 

- Mas você é igualzinho a Gloria, sempre briga com a Neide por motivos fúteis! - ironizei gargalhando junto dos outros, Chan estava rindo não sei por que, acho que ele pensava que a Neide era outra pessoa. 

- Do que tá rindo Piranha Australiana, seu nome no watts desse aqui é Neide sabia! - Claro que ele queria me ver morto. 

- LEE FELIX, SUA PUTA!! VOU TE MOSTRAR DO QUE A NEIDE É CAPAZ!! - gritou Chan tentando bater em mim, mas eu saí correndo quando vi a hora certa para fugir. 

Aquela corredeira era bem complicada, mas consegui sair ileso daquela situação, graças ao Yang Escudo Humano Jeong-in, foi até engraçado o jeito que ele ficou rodeado por dois dementes e um divo, sim, sou o divo dessa porra e foda-se quem acha ruim. Nós havíamos sentados quando a fome bateu, como nós, adolescentes, não éramos trouxas, trouxemos comida no aeroporto, o nosso avião havia chegado mais cedo que o cronograma, por isso tivemos que deixar a comida - que já havia sido degustada - lá para entrarmos no avião, sorte que eles não mediam a pressão do hálito para ver se as pessoas bebiam mais do que a taxa estipulada, se não teríamos que adiar o dia de ida. 

O vôo não foi tão legal, a Coréia do Norte podia parecer longe quando estávamos em terra, mas não era tão longe assim, quando decidimos dormir, já estávamos em território norte-coreano, aquele aeroporto era bem diferente, parecia mais morto do que vivo, quase ninguém estava no aeroporto, mas isso era bom, já que os passageiros que se destinaram para a Coréia do Norte eram poucos. Quando estávamos fora do aeroporto, uma vã preta estava estacionada bem em frente a entrada, e de lá se via dois guardas vestidos de preto, eu sentia que aquele dia não ia ser tão bom como eu esperava, os guardas perguntaram quem era aquele tanto de pessoa para o Changbin, o efeito do álcool parecia estar mais fraco, por isso ele conseguiu responder com coerência, como ele quem estava sendo chamado, ele podia trazer pessoas para a mansão já que ele tinha a escolha de rejeitar a proposta, os guardas falaram para entrarmos na vã e que seríamos levados para a mansão. Não foi tão assustador na vã, o único problema era que estávamos sobre pressão, e se os tios do Chang surtarem? E se a polícia prendesse o Changbin por fazer parte da experiência e não ter feito nada? Como eu poderia me manter calmo com essas questões, mas eu não era o único sobre pressão, todos estávamos, ainda mais com o fato de que teríamos que ficar lá por alguns dias, eu não podia ser preso ainda, eu tinha tantas coisas que nem havia conquistado... 

Quando a vã parou, Changbin pegou minha mão e me puxou pra fora dela, aquela mansão não podia ser normal, 3 mansões para completar uma, como pode ser possível Jesus? Aquilo sim que era riqueza, sobrou algo depois daquela mansão? Meu deus! O portão da mansão estava fechado e quando Changbin viu, me puxou para um lugar e eu vi que era uma passagem, nós passamos por ela às pressas para os guardas não nos virem. Ele estava bem sério com algo...ele era tão atraente até quando estava sério! Que droga de homem lindo! Nós corremos em direção a mansão que ficava ao meio e entramos por uma porta que dava na cozinha, a fome atacou, eu queria tanto comer de novo, mas Chang me puxou para sairmos da cozinha, minha fome gritava para ser saciada, mas quando eu olhei pra frente...um gosto amargo subiu sobre a minha boca. 

O que será que estava a minha frente? 




Notas Finais


É normal você acordar no maior sono mas não conseguir dormir? Acho que sim. Quero voltar a dormir de novo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...