História Não é o fim, é apenas um novo recomeço! - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Seventeen
Personagens Boo Seungkwan, Hansol "Vernon" Chwe, Hong Jisoo "Joshua", Junghan "Jeonghan", Lee Jihun "Woozi", Lee Seokmin "DK", Seungcheol "S.Coups", Soonyoung "Hoshi"
Tags 2seung, Jeongcheol, Seoksoo, Seventeen, Soonhoon, Verkwan, Yaoi
Visualizações 44
Palavras 1.900
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Fluffy, Lemon, LGBT, Shonen-Ai, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hello! :3
Demorei um pouquinho pra escrever /digitar /corrigir e postar, mas estou aqui! Yay
Podem comentar se n entenderem algo que eu explico!! N tenham medo de mim ;-; eu amo vcs
Boa leitura!! E ah, sobre o cabelo deles, eu coloquei o que eu mais achei bonito em cada um, tipo n é uma fase certinha e tal.
- Tia Beeh 💜

Capítulo 3 - Talvez


Fanfic / Fanfiction Não é o fim, é apenas um novo recomeço! - Capítulo 3 - Talvez

 

    Todos se despediram com um clima estranho e desconfortável, exceto Seungkwan que estava bêbado e triste e decidiu ficar na casa do mais novo.

  — Posso ficar mais um pouco? - Boo perguntou ao dono do apartamento.

  — Claro. - Hansol riu. — Ou você quer voltar para casa de madrugada, bêbado e à pé?

  — Ah é, o último trem já passou faz tempo... Posso dormir aqui?

  — Sim, você pode. - sorriu e afagou os fios cheirosos do amigo.

  —  Não faça isso. - segurou a mão do maior, abaixou-a, entrelaçou os dedos dele com os seus e sorriu também.

    Hansol ficou surpreso, mas logo se sentiu ser puxado pelo menor para dentro de seu próprio apartamento.

  — Nós ainda não comemos o bolo! Vem.

 

 

  — Você deveria descansar, Boo. - aconselhou enquanto se levantou para guardar o que tinha sobrado do bolo.

  — Não se atreva a tirá-lo daqui. Só vou dormir depois de terminar de comê-lo.

  — Você não estava de dieta? - riu. — Vamos, você vai passar mal.

  — Está me chamando de gordo?! - questionou com indignação.

  — O quê? Não. - riu achando o menor muito fofo ao vê-lo fazendo bico e uma carinha emburrada.

    Após conseguir acalmar o mais velho, levou-o para o espaçoso quarto de hóspedes, onde ele dormiria.

  — Vou pegar as cobertas. - Hansol avisou.

    O menor assentiu com um som gutural. Seungkwan pensou consigo o porquê de Chwe estar fazendo aquilo tudo por si; ele deveria estar com Choi que é seu melhor amigo, e não consigo.

    Lembrou-se então de Seungcheol e todos aqueles preciosos momentos que passaram lado a lado. Como naquele natal de exatamente um ano atrás que passaram juntos apenas os dois. Lembrou também de todos aqueles sorrisos, lágrimas, até dos gestos que mesmo que pequenos eram significativos, cada palavra que trocavam, até as brigas e discussões que na verdade, serviam apenas para quebrar barreiras, era especial para o menor. 

    Tudo isso é muito importante para Seungkwan. Todos os momentos que compartilharam juntos, jamais iria se esquecer deles, porém precisava aprender a seguir em frente, antes que se prendesse ao passado; ele sabia disso, mas mesmo assim, é muito difícil colocar isso em prática.

  — Aqui. - colocou as cobertas caras e ainda gélidas em cima da cama onde o menor jazia deitado. — Aconteceu algo? - perguntou quando reparou nos olhinhos do menor, que estava prestes a chorar.

    Ele negou com a cabeça, o que fez Hansol pensar que talvez ele não quisesse falar sobre, então decidiu deixá-lo só.

  — Okay, boa noite. - sorriu.

    Quando se virou para sair do quarto, foi impedido pelo aperto que o menor fez em seu pulso.

  — Obrigado, Hansol. - sorriu sincero, mesmo que estivesse triste. Inexplicavelmente, a dor que sentia era amenizada sempre que estava ao lado de Chwe.

    Achava que esse alívio, essa “ trégua dos sentimentos”, podia ser explicada por que sempre tenta esconder esses sentimentos ruins do mais novo; mesmo assim não fazia sentido pois apenas esconder não explicava porque ele realmente se sentia bem melhor.

  — Você não precisa agradecer. - livrou-se das mãozinhas de Boo e sorriu afagando sua cabeça.

  — Já falei pra não fazer isso. - sorriu. — Boa noite.

    Então o dono da casa saiu do quarto após apagar as luzes do cômodo e deixou-o descansar.

 

 

    Seungkwan acordou cedo naquela segunda-feira de inverno; ainda estava com bastante sono, pois além de ter se deitado quase três horas da manhã, ele ficou pensando em tudo o havia acontecido consigo naquele final de semana.

    Decidiu levante-se e arrumar suas coisas para sair logo do apartamento luxuoso do americano, afinal não queria continuar incomodando-o, ele já tinha feito muita coisa por si. 

    Quando abriu a porta para sair da residência, levou um susto ao ouvir fortes toques na mesma.

  — Seungkwan?! - Seungcheol parecia chocado. — O que está fazendo aqui?

    O pequeno, ao ver Choi a sua frente, encolheu-se e abaixou a cabeça, não estava preparado para encontrá-lo, ainda mais assim, de repente na casa de seu melhor amigo. Ficou sem palavras para responder o mais velho.

  — Ele dormiu aqui. - Chwe aparece ao lado de Boo, assustando-o pela segunda vez naquela manhã.

    Seungcheol ficou indignado com a resposta do melhor amigo. Sentiu uma forte pontada de ciúmes ao imaginar o que ele poderia ter feito com seu ex, afinal ele já desconfiava que Vernon talvez - e apenas talvez - tivesse sentimentos por Boo desde quando ainda namoravam, e essa desconfiança só aumentou quando recebeu a ligação do amigo no dia anterior, comentando que o menor estava na sua casa e que eles precisavam conversar, mas nada comentou.

    O mais velho, sem pensar muito, agarrou a gola da camiseta larga de Vernon e o empurrou contra uma parede ao que adentrou sem nenhuma delicadeza no apartamento do mesmo.

  — No que está pensando, Hansol? Pensei que fosse meu amigo, como pode dormir com ele? Qual é o seu problema?! - Choi gritava sem ao menos tentar entender o que de fato aconteceu; estava fora de si.

  — Qual é o seu problema? - Seungkwan falou alto, chorando e atraindo toda a atenção para si. — Você nem ao menos sabe o que aconteceu, não fale besteiras.

  — Kwan... - o de cabelos negros chamou.

  — Seungcheol, solta ele! Vernon é seu melhor amigo, olha o que você está fazendo! Mesmo que eu estivesse com ele, qual seria o problema? - abaixou a cabeça e continuou baixinho. — Você está com Jeonghan hyung, não é? Foi você quem disse para encontrarmos a pessoa certa. Ou foi apenas uma desculpa para terminar comigo? - riu triste.

  — Kwan, não é isso...

    Hansol estava apenas observando a discussão que surgia entre os dois. Sentiu - pela primeira vez - raiva de Choi. Julgara o maior por todo sofrimento de Kwan nos últimos dias, além dele achar que tinha dormido com seu ex, mesmo com toda a preocupação e cuidado que tinha em se segurar perto de Boo.

    O mais novo soltou-se do aperto que o amigo fazia em sua camisa e segurou-lhe a mão.

  — Você deveria confiar mais em mim. - sugeriu num tom calmo, porém, um tanto chateado. — Seungkwan, por favor, volte para casa. - pediu.

    O menor nada falou, nem sequer contestou, sabia que Hansol precisava resolver as coisas com Seungcheol, então apenas confiou nele e saiu do apartamento, como era seu objetivo desde o início.

  — Seungcheol, eu sei que você já sabe, ou pelo menos deve ter uma noção que eu gosto sim de Seungkwan, mas também sei que não é certo eu tentar algo com ele, logo após o término de vocês. - o loiro falou com sua tranquilidade costumeira, enquanto Choi o ouvia e se acalmava. Sabe Cheol... Eu amo Seungkwan, mas também gosto muito da sua amizade, não podemos amenizar essa situação? Não quero perder nenhum dos dois.

  — Claro. - fez uma pausa. — Desde quando gosta dele?

  — Desde que eu o conheci, me desculpe eu não vou mentir, mas você sabe... Nunca tentei nada, tanto que ele nem sabe disso.

  — Eu que tenho que me desculpar... - riu sem jeito. — Deve ter sido difícil para você também, de qualquer maneira. - o loiro o olhou confuso, como se pedisse explicações. — Digo, gostar dele tanto tempo assim, calado, sem contar para ninguém.

  — Não foi difícil. - mentiu. — Ele era seu namorado, eu não podia fazer nada. - riu sem graça.

 

 

    Boo voltou para sua casa preocupado, porém confiava em Hansol para resolver aquele mal entendido. Sabia que Cheol estava fora de si, afinal o mais velho é calmo e cauteloso, raramente age daquela forma infantil e impulsiva, então mesmo que estivesse bravo e chateado com o que ele disseo perdoaria e ouviria suas explicações.

    Repensou o tinha dito momentos antes e focou em uma frase:  “Mesmo que eu estivesse saindo com ele, qual seria o problema?!”

    Claro que ele só disse aquilo para provocar o ex namorado, mas ao entender o que ele mesmo quis dizer com aquilo, se assustou. Bom, o mais novo sempre foi muito carinhoso e atencioso consigo, ainda mais após o término; quando está ao lado de Hansol sente-se tranquilo, os sentimentos ruins eram  todos levados embora, como se fossem jogados ao vento de um dia frio de outono, eles se dissipavam quase que por completo.

    A conclusão que chegou foi que talvez estivesse começando a nutrir algum tipo de sentimento especial pelo americano, e isso o confundia e assustava. Tinha medo de se apaixonar novamente. Talvez Hansol nem gostasse tanto assim de si, e ele estivesse apenas se iludindo com as pequenas e gentis atitudes do mais novo.

    Eram tantas incertezas, que o acastanhado sentia vontade de se esconder, mas não poderia. Já passava das oito da manhã e precisava ir à  faculdade ao meio dia. Na verdade ele nem tinha aula, mas precisava terminar o trabalho com seu grupo e o melhor lugar para terminá-lo era na própria faculdade. Depois disso ainda tinha que ir para seu trabalho de meio período para sustentar - com ajuda de sua mãe - o apartamento e pagar as contas.

     Ao chegar em seu apartamento, tomou um banho, comeu apressado e arrumou seu material. Recebeu uma mensagem de Soon, dizendo que estava o esperando no hall do condomínio e que o acompanharia até onde o menor precisava ir. Boo concordou e respondeu a mensagem dizendo que já estava a caminho.

  — Oi Soon! - cumprimentou o amigo feliz. — Como você está? - perguntou receoso se lembrando do que acontecera noite passada.

  — Estou precisando te atualizar sobre algumas coisas que aconteceram depois que eu fui embora.

    Ambos começaram a caminhas rumo à faculdade onde o menor estuda - que não é longe -. Obviamente Soonyoung não tinha aula nem nada, afinal estavam de férias, mas queria contar tudo que acontecera na noite passada ao melhor amigo.

  — Você está bem sobre o que aconteceu ontem?

  — Sim. - riu. — Admito que agi como uma criança ciumenta, inclusive preciso me desculpa com Jisoo hyung... 

  — Jisoo hyung? - riu da forma como o melhor amigo chamou alguém, que até então, pensava não gostar. — Você sabe que suas atitudes foram compreensíveis. Não se sinta culpado.

  — De qualquer forma, não é sobre isso que eu quero falar. - Boo assentiu para que o amigo continuasse. — Sabe, depois de tudo aquilo, eu fui até o bar que fica na rua da minha casa, e acabei transando com o barista baixinho e gostoso na minha casa.

  — Ué, você transa com qualquer um quando está frustrado com o DK. Até aí não tem nenhuma novidade. - jogou na cara do amigo.

  — Exatamente! Mas é aí que entra a novidade: Quando ele foi ir embora depois do sexo, eu pedi para que ele esperasse o sol nascer, ele acabou dormindo lá e foi embora hoje de manhã dizendo que tinha compromissos e estava atrasado.

  — Agora eu estou chocado! - riu. — Qual é o nome dele?

  — Lee Jihoon. - respondeu o nome que tanto amou ouvir dos lábios do rosado.

  — O quê?! Lee Jihoon, o baixinho de cabelos rosados? O “compositor e cantor gênio”?

  — Você o conhece? - perguntou surpreso. — E você não tem moral nenhuma pra chamar alguém de baixinho. - ambos riram.

  — Claro que sim, ele é o hyung que faz aulas de canto comigo, Seok e Josh hyung, ele está liderando o nosso projeto, inclusive vou ver ele agora!

    Soonyoung não conseguia acreditar no que acabara de descobrir, e se tivesse sorte, encontraria com ele hoje também se pedisse uma ajudinha ao mais novo.

 

  

 


Notas Finais


Seungkwan confuso e assustado 24/7 e Soon todo bobinho apaixonado, adoro sz
Por favor, interajam comigo, eu fico triste qnd ngm comenta nd...
*(se tiver erros me aviseem)
- bjs Tia Beeh 💜


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...