História Não É Só Amizade - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias A Guarda do Leão, Rei Leão
Tags Azaad, Azuli, Drama, Fuli, Romance
Visualizações 9
Palavras 1.302
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 9 - Momento de Glória


                                                                                           Momento de Glória

 

A jovem sentiu como se seu coração fosse parar na boca, mas que durou poucos segundos, já que se encontrava correndo desesperadamente junto ao resto da guarda. Enquanto corria os pensamentos se manifestavam em sua mente, se algo acontecesse com Azaad? Ela preferia não pensar, enquanto isso foi surpreendida por uma voz que tentava acalma-la.

 

Rani: Ei, tenho certeza que ele vai ficar bem. Azaad é a chita mais destemida que eu conheço.

 

Ouvindo essa frase a guepardo ficou um pouco mais calma, se tinha alguma coisa que não faltasse em Azaad era determinação, seu orgulho era grande como um elefante, e alto como uma girafa, de qualquer jeito, a única coisa que ela desejava nesse momento era poder estar ao seu lado.

Enquanto isso, no desfiladeiro o jovem guepardo se encontrava totalmente aflito, vendo as chamas se formarem nos locais junto ao gritos dos antílopes, gnus e zebras que corriam desesperadamente tentando salvar sua vida, a fumaça  ia formando a escuridão no local, sua visão ia ficando embaçada, enquanto tossia fortemente, era uma sensação de desconforto total. Sabendo que teria que sair do local, o macho já havia planejado seu plano de fuga. Mesmo com a fumaça lhe atrapalhando o amarelado conseguiu ver algumas pedras que provavelmente davam acesso a algum lugar mais seguro, sabendo que teria que saltar, ele preparou-se, mas quando ouviu a palavra ''saltar'' martelar em sua mente, as memórias do passado novamente lhe assombraram, todas aquelas visões em que caía do penhasco o faziam tremer, mas ele sabia que tinha que lutar, sabia que esse seria seu Momento de Glória.
            

Azaad: Eu vou conseguir!- Mostrava mais confiança do que nunca mostrou em sua vida inteira.

 

Tomando um grande impulso, o felino deu um grande salto, por mais que tenha caído um pouco na ponta e a visão embaçada tivesse lhe atrapalhado, seu salto foi praticamente perfeito. A próxima pedra por mais que estivesse mais baixa facilitando o salto a distância ainda era grande, novamente dando o máximo de si, seu salto foi mais uma vez perfeito, mostrando que sua capacidade em saltar não era tão ruim assim. Enquanto se admirava o que não era anormal, viu que a pedra anterior na qual estava havia desmoronado, provavelmente pelo fato de não estar tão conectado ao desfiladeiro e também ao fato dos herbívoros correndo acabar proporcionando a queda. Voltando ao seu objetivo, se preparava para pular novamente, e essa era a maior distância que iria saltar, além da fumaça lhe atrapalhando. Quando se preparava para dar o salto de sua vida, notou uma figura entre a vasta fumaça que envolvia a área, após olhar atentamente viu que era alguém que poderia ajuda-lo.

 

Anga: Azaad!

 

Azaad: Anga, se estiver com os outros mandem eles irem embora, esse lugar é muito perigoso!

 

Anga: Você vai pular?

 

Azaad: Sim!

 

Com isso a águia voava em direção ao seu grupo, saindo da vasta escuridão que se encontrava no local, finalmente localizando a guarda, foi dar a notícia que animaria o grupo inteiro, principalmente Fuli.

 

Anga: Eu encontrei ele!

 

Fuli: Jura?! Ele está bem?

 

Anga: Sim, ele está perto de deixar aquele lugar, só falta pular o penhasco.

 

Fuli: O que?! Nos leve aonde ele está.

 

Anga: Certo, sigam-me.

 

O guepardo mantinha toda a fé e confiança que já teve em sua vida, as lembranças de seu passado que o entristecia dessa vez o motivava mais do que nunca, não era aquela confiança que era característica dele, era uma confiança muito mais elevada, que lhe dava a sensação de realmente ser alguém na vida. Mas quando olhou através da fumaça, viu algo que aumentou sua confiança em algo muito maior. Quando olhou atentamente, viu todos os membros da guarda presentes, mas apenas um lhe proporcionou essa sensação mais elevada, aquele olhar que Fuli lhe dava quando o viu lhe deu realmente vontade de viver, sentiu que ela precisava dele, e ele precisava dela. Mais uma vez, deu o maior impulso que já deu em sua vida inteira, e em um movimento rápido saltou a toda velocidade, quando aterrissou no chão, sentiu o duro chão bater sobre o seu pé, ele havia conseguido. Todo aquela confiança deu o resultado que ele queria que desse.
            Pelo lado de Fuli, ela realmente sentiu uma sensação de alívio enorme, seus olhos brilhavam sabendo que aquele que ela amava estava inteiro, porém aquela sensação de desespero surgiu novamente quando notou alguém saindo das rochas.

 

Makucha: Azaad.

 

Azaad: O que faz aqui?!

 

Makucha: Bem, o meu plano já está quase completo, só que eu necessito de alguém especial.

 

Azaad: Então era tudo um plano, seu maldito egoísta!

 

Makucha: Sim, acertou direitinho, mas falta algo para concluir, e se você quiser, pode contribuir.

 

Azaad: Do que você tá falando?

 

Makucha: Simples, quero que chame a Fuli aqui, eu tenho uma pequena proposta para fazer.

 

Azaad: Se você por essas patas imundas nela eu jogo você no fogo!

 

Makucha: Certo, eu disse você poderia contribuir se quisesse. Mas como não quer, então faremos do jeito difícil...

 

O leopardo andava lentamente próximo ao guepardo, que o acompanhava com um olhar de ódio.

 

Makucha: Guapardozinho idiota!

 

Dando uma patada no chão, fazendo pequenas ''pedras flamejantes'' baterem sobre o rosto do jovem guepardo que sentiu seu rosto queimar fortemente, e  com um potente golpe, o leopardo derruba a chita do desfiladeiro, o fazendo sumir na escuridão das chamas.

 

Fuli: Nãoo!- Dizia enquanto as lágrimas se formavam em seu rosto.

 

Todos ficaram chocados , mas quem sofria mesmo era Fuli, a chita não podia acreditar, não podia ser real, era um pesadelo, ver a vida de quem ela ama se desfazer entre as chamas era surreal para ela,as lágrimas já iam escorrendo por seu rosto, já não se importava com mais nada, a única coisa que fez foi correr, correr sem parar, tentando afastar a dor que parecia apenas aumentar.

 

Kion: Fuli! Espere.

 

A chita corria desesperadamente, sua vontade era de apagar a si mesma, não tinha nenhum sentimento além de tristeza e ódio, mesmo não tendo muita noção de onde corria acabou chegando na Árvore da Vida, entrando no local, apenas deitou-se e deixou a sua tristeza se expandir. Enquanto isso, todos os outros membros também sofriam muito com a perda do jovem guepardo, Rani estava devastada, Azaad era um amigo seu e a tratava com grande respeito, mas se sentiu mais devastada ainda quando ouviu Kion chorar enquanto a sensação de culpa se formava dentro de si.

 

Kion: Isso é tudo culpa minha, se eu não tivesse trazido essa corrida estúpida de volta, ele ainda estaria vivo.- Dizia enquanto algumas lágrimas se formavam em seus olhos.

 

Rani: Kion, não se culpe, você fez por uma boa razão. 

 

Os dois leões seguiam discutindo, com Kion jogando a culpa para si, enquanto Rani continuava colocando desculpas para diminuí-las, finalmente chegando a Árvore da Vida, o clima era bem calmo, mas não no sentido bom, a possível morte de Azaad já havia se espalhado pelo reino, Rani, como sempre mostrando ser uma boa líder, tentou amenizar a situação.

 

Rani: Eu, rainha Rani lamento a morte de Azaad, ele era alguém muito especial para todos nós, e nós esperamos que ele encontre um lugar melhor, todos vocês podem voltar para suas tocas.

 

Assim, todos os animais se dirigiram para suas tocas e territórios, de forma rápida, pois esse dia por mais que fosse marcante não era um dia que ninguém iria querer lembrar.

Enquanto isso no desfiladeiro, o fogo já havia se apagado com a chuva que estava tendo, todos os animais já haviam arrumado uma maneira de escapar. Porém, um corpo de alguém muito conhecido encontrava-se deitado, nenhum de seus músculos se mexia, mas a situação mudou quando sua respiração voltou e continuava a aumentar, junto aos seus olhos que se abriam levemente.
       



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...