História Não Estou Sozinho - Capítulo 12


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Originais, Romance Adolescente, Yaoi
Visualizações 35
Palavras 1.623
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Festa, Ficção Adolescente, Lemon, LGBT, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


OLÁ
SIM
EU SEI, DEMOREI
MAS TEM UM BOM MOTIVO (Ou quase né tanto faz)
Eu escrevo os capítulos pelo aplicativo do Word, no celular, com minha conta
Até aí tudo de boa
Mas um belo dia o Word deslogou minha conta, aí eu toda burra e desesperada achei que tinha perdido tudo e me desanimei completamente, porque eu já estava com dois capítulo prontos, este e o próximo
Aí quase que agora eu percebi isso, loguei minha conta e pá, tava lá todos os capítulos que eu já tinha escrito
AAAAAAAA PODEM ME XINGAR DE BURRA EU DEIXO
Sem mais enrolação, podem ler agora

Capítulo 12 - Fonentelle, Mirelle


POV AUTORA

Eram por volta das dez horas da noite, a festa parecia que ainda estava começando e muita gente já estava bêbada, no andar de baixo, tinha a pista de dança, onde tinham mais pessoas, seja dançando ou bebendo alguma coisa perto do bar. Haviam também algumas pessoas na cozinha ou sala, tentando só ter uma conversa agradável em grupo.

O segundo andar, por sua vez parecia um verdadeiro motel, os muitos quartos que antes serviam para os hóspedes da família, agora estavam sendo aproveitados para uma noite de núpcias de algum casal alheio, ou somente dois completos desconhecidos. Por incrível que pareça, ninguém estava fumando ou ingerindo drogas, somente álcool.

Andrei, que era a pessoa em que Luiz estava mais preocupado no momento, estava com Samantha no quarto dela.

- Agora que aquele chato do seu amigo não está mais aqui, podemos terminar aquele assunto do outro dia...

- Espera... O Luiz foi embora?

- Você não viu? Ele disse que não te suportava mais e saiu... Por que acha que ele te deixou com o Marco?

Andrei apenas ficou quieto. Não queria acreditar em Samantha, mas ela é sua amiga, não tem motivo para mentir, certo?

- Samantha, vou sair um pouco.

- Mas...

Quando ela pensou em dizer algo, Andrei já tinha saído. Foi para os fundos da casa e se sentou em um banco que tinha visto, apoiou os cotovelos nos joelhos e o rosto nas mãos, ficou nesse posição encarando o chão.

Enquanto isso em algum quarto qualquer, estavam Marco e Derick, fazendo sabe-se lá o que.

- Decepção amorosa, garoto? – Disse uma moça com uma garrafa de cerveja em mãos.

- Eu não sei... Eu não sei de nada da minha vida.

- Te entendo... Já passei por isso – Se sentou do lado do menor.

- Já? Eu sei que não deveria me abrir tanto pra uma estranha mas... o que fazer quando um amigo que você gosta muito te abandona?

- Amigo é? Friendzone?

Andrei nem sabia o que significava isso, mas acenou que sim com a cabeça só pra não ter que perguntar

- Nesse caso você tem só que dizer o que você sente... Quer dizer... Se eu tivesse feito isso a tempo, eu... deixa pra lá.

- Dizer o que eu sinto? O problema é que eu não sei o que eu sinto... É tudo tão confuso...

- Sabe? Eu odeio ver gente sofrer por pessoa babaca... Eu vou te dar meu número e um dia você me apresenta esse amigo.

E assim fez, anotou o número em um papel e entregou para Andrei, que guardou no bolso da calça.

Andrei respirou fundo, ele queria ir embora, mas não queria ter que encarar Luiz, não agora pelo menos. Talvez ele consiga dormir na casa de Marco ou Derick, mas antes precisava achar um deles.

Antes de fazer qualquer coisa, ouviu um alto-falante dizer que era para todos se reunirem no hall de entrada. Assim Andrei o fez, foi para o hall. Samantha estava em cima de um palco improvisado com um microfone.

- Pessoal! Pessoal! Eu quero fazer um anúncio! Andrei, por favor, suba aqui comigo!

Quando Andrei já estava em cima do palco, Samantha começou o discurso.

- Este é Andrei, meu mais recente namorado! – Disse eufórica, gerando palmas e um Andrei confuso.

- Mas em que merda essa criança se meteu? – murmurou a moça de antes.

Passados uns trinta minutos, tudo já havia se normalizado, como se nenhum anúncio tivesse sido feito.

Quando Andrei finalmente encontrou Samantha novamente, resolveu falar com ela.

- Samantha, o que foi aquilo no hall?

- Ah para, não é como se você não quisesse.

- Mas...

- Andrei, você não gosta de mim, é isso?

- Sam, é claro que eu gosto de você, mas...

- Mas o que?

- Precisava desse escândalo todo?

- Sim.

E não tocaram mais no assunto, Andrei tentou procurar a moça de antes, com sorte ele achou ela sentada na mesa da sala de jantar, que estava vazia. Andrei se sentou em uma cadeira que estava perto dela.

- Parece que você está com problemas...

- Eu também acho que sim...

Quebra de tempo

Algumas horas se passaram e a festa acabou, Andrei dormiu em um dos quartos da mansão que estava trancado na festa, no dia seguinte, Luiz voltou para buscá-lo e o levar para casa.

Chegando em casa, Luiz deu um sermão em Andrei por ter sumido, e Andrei explicou que Marco havia o deixado sair. Ou seja, Luiz já estava preparando a cova de Marco.

POV Andrei

Eu estive pensando bastante naquela moça... Eu sinto que eu realmente deveria confiar nela. Então, quando Luiz foi para a casa de Samantha de novo, fazer o trabalho, eu liguei pra ela no telefone fixo mesmo, conversei com ela por quase uma hora. Descobri que a mesma se chama Mirelle, tem 20 anos, mora sozinha e trabalha, então eu precisava chama-la pra conversar no fim de semana mesmo.

POV Luiz

Quando você odeia uma pessoa, o que você faz? Fica longe? Não, você vai na toca do diabo duas vezes, em dias seguidos ainda. Agora eu odeio ainda mais a professora de português.

Samantha me recebeu e me levou para a sala de jantar, por incrível que pareça a casa nem parecia que tinha abrigado uma festa de quase uma noite inteira. Ela disse que tinha um piano que sabia tocar, então ela ficou responsável pela melodia enquanto eu compus a letra da música. A professora disse poema mas isso basicamente é uma música. Samantha já tinha pronta uma ideia de melodia que já estava compondo há alguns meses, então ela terminou bem rápido a parte dela, sendo assim me ajudou com a letra. Demorou algumas horas até terminarmos a letra por completo, iríamos somente treinar a apresentação.

Nós escolhemos fazer um poema sobre praia, um clichê das poesias, mas não queríamos fazer um romance meloso pra rirem da nossa cara.

A melodia estava em perfeita harmonia com a letra, estávamos certos de que apresentariamos isso, até gravamos para revermos depois, para ajudar a decorar a letra e melodia. Guardei minhas coisas, iria embora, mas Samantha me impediu.

- Luiz, eu queria conversar com você um pouco, é assunto pessoal.

- Pode dizer – Disse e me sentei de volta, ela se sentou na minha frente, de frente pra mim.

- Sobre o Andrei... Você mora com ele e parece ser tipo um pai ou algo assim... Então... Nossa, é tão constrangedor perguntar isso...

- Tá me deixando curioso, fala logo – Se ela me disser que quer namorar Andrei eu sou um tiro na cara dessa vagabunda.

- Você aprova meu relacionamento com Andrei? Porque agora nós somos namorados...

É o que? Eu sabia que deveria ter trago minha faca na mochila. Jesus, se você existe, me dê paciência, porque se der força eu mato.

- Samantha... Eu vou ser sincero com você. Eu não apoio a relação. Eu sinto que você não é uma boa parceira pra ele... Sinto muito.

- Luiz... Você vai ver, eu sou a melhor pessoa que poderia estar do lado dele, e eu vou te provar isso.

- Veremos, talvez eu mude de idéia. – Peguei minha mochila e saí daquele ninho de cobra, Deus que me livre, nunca mais que eu entro lá de novo.

Quebra de tempo

Como se já não bastasse Samantha, Andrei trouxe pra casa uma mulher que parece ter uns 20 anos. Tem fogo no rabo esse menino, só pode!

- Luiz, essa é a Mirelle, Mirelle, esse é Luiz.

Ela estendeu a mão pra mim e eu a cumprimentei. Ela pediu pra que Andrei saísse e assim o fez, provavelmente saiu pra tomar sorvete, já que ele levou dois reais consigo. Sentei e ela se sentou também. Cara eu tô mais perdido que filho de puta em dia das mães.

- Luiz, eu só tive três horas de conversa com Andrei e eu já saquei tudo o que tá acontecendo na vida de vocês.

Quando eu pensei em abrir a boca, ela soltou um “Não me interrompa”, então só fiquei quieto. Parece que hoje é o dia mundial de falar comigo sobre Andrei.

- Primeiramente, você, você é super protetor com o Andrei, e ele é um bebê indefeso. Por isso a relação de vocês funciona. Mas eu me pergunto se não tem algo a mais nisso, se você não tem algum sentimento a mais pelo Andrei e não sabe.

- E-Eu? Não! Nós somos só amigos... E eu sou hetero...

- Você tem certeza disso? Pense, nem precisa me falar, só pense consigo mesmo: “ O que você sente pelo Andrei” e compare, veja se não é paixão, pra depois afirmar o que sente.

Dessa vez ela me pegou. Nunca parei pra pensar nisso... O que Andrei é pra mim?

Parando pra pensar, sempre que a Samantha beija ele eu fico com raiva, meu humor sempre melhora quando eu tô perto dele e eu adoro cuidar dele. O sorriso dele é tão reconfortante... Eu me sinto triste só de pensar que algo de ruim pode acontecer com aquele rostinho angelical. Eu sempre sinto meu coração aquecer quando estou perto dele...

- CARALHO! EU TÔ APAIXONADO E NÃO SABIA! – Gritei em um pulo, quase assustando a moça na minha frente.

- Ah, ele finalmente percebeu.

- Mas... O que eu faço agora? Ele namora a Samantha, mas eu tenho certeza que ela só tá com ele pra iludir ele...

- Pega o que é seu, arrebenta a cara daquela piranha e conquista o coração do seu amado, apenas. Faz o Andrei botar o chifre que aquela vaca perdeu. – Já gostei dessa guria.

- Tu é uma das minhas.


Notas Finais


See ya


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...