História Não Fique Tão Perto (g!p) - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Camila Cabello, Fifth Harmony, One Direction, Zayn Malik
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Visualizações 63
Palavras 2.850
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Festa, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Ta sem corrigir

Capítulo 3 - Chega De Festas


Lauren

A Camila era uma grande filha da puta, me deixou sentir ela dura e ficou por isso mesmo, me chamou para ouvir ela gemendo e me deixou plantada. O melhor jeito de apagar o fogo que ela começou e não terminou era tomando banho gelado. Mas nem o banho me ajudou. Enquanto isso eu pensava em um jeito de dar o troco nela.

- Laur? - Ouvi a voz da Alexa vindo do quarto.

- Aqui no banheiro. - Me enrolei na toalha e sai do banheiro, Alexa estava sentada na cama e revirou os olhos quando me viu.

- Fala sério, Laur. Você nem ta pronta. Vamos perder o começo da festa.

- Eu acabei dormindo muito e quando acordei, fiquei excitada. - Me sentei em seu colo, e logo fui colando minha boca na sua. - O banho não resolveu nada. Pode me ajudar?

- Você sabe que nunca nego sexo, não sabe? - Assenti. - Mas a sua cunhada ta aqui, não vai ser muito legal ela pegar a gente aqui.

- Não mesmo. - Iria ser muito bom se ela me visse com a Alexa. E era assim que eu iria provocá-la. - Quando você subiu, pra qual lugar ela foi se socar?

- Ela enrolou na cozinha, depois me mandou subir e entrou em uma sala no segundo andar. Não entrei pra ver o que era.

- Ótimo, ela vai jogar vídeo game. Ela coloca fone e não da pra ouvir nada. - Coloquei o meu melhor sorriso sacana e rebolei em seu colo.

- Sendo assim... - Senti sua boca colar em meu pescoço, uma de suas mãos foi até minha cintura e a outra foi até o meu cabelo, onde ela segurou com força.

- Eu gosto quando você faz assim, mas  antes me deixa ir ver se ela ta mesmo usando o fone. Eu volto em 3 minutos. - Me levantei segurando a toalha e sai do quarto, me sentar no colo da Alexa tinha me dado uma ideia de deixar a Camila do mesmo jeito que ela tinha me deixado. Desci rápido as escadas e entrei na sala. Camila estava sentada no sofá, com o seu fone na cabeça e o controle nas mãos. Ela estava jogando um jogo idiota e nem se deu conta que eu estava ali na porta e só de toalha. Idiota igual o jogo dela. Peguei uma almofada e joguei, acertando bem na sua cabeça, fazendo seu fone cair.

- Que? Mas que... - Ela se virou pronto para xingar, mas me olhou dos pés à cabeça. Ficando com a boca aberta.

- Porra? Isso que ia me dizer? Hum? Porra foi o que você não soltou, não me deixou te ouvir, já que você não fez nada.

- Você já tinha ouvido, pra que ouvir de novo? E você não tem roupa para receber sua amiga?

- Ela está cansada de me vê sem roupa e você é uma grande filha da puta.

- Não estou nem aí. - Camila se virou para a TV outra vez, me ignorando totalmente.

- Não mesmo? Nem se eu fizer isso? - Consegui chamar sua atenção para mim, caminhei até ficar na sua frente, empurrei seu corpo e me sentei em seu colo. - Pode me ensinar como se joga esse jogo idiota? Quem sabe rola uma aposta e quem perder fica sem roupa?

- Sai daqui, Lauren. - Tentou me tirar de seu colo, mas não sai. - Volta pro seu...

- Mas nem se eu me mexer assim? - Rebolei em seu colo o mais lento que eu conseguia ir. - Isso é muito bom...

- Lauren... - Camila tentou conter seus gemidos fechando a boca, mas dava para ouvir muito bem. E a filha da mãe gemia muito gostoso.

- Hum... Não é bom? - Rebolei mais rápido, não dava para parar quando eu já estava sentindo ela dura no meio das minhas pernas. - Seu amiguinho acha isso tão bom quanto eu...

- Isso é... Muito... bom. - Segurou na minha cintura, jogando sua cabeça para trás, eu tinha que me controlar.

- Você dentro de mim seria melhor. Já consegue sentir como estou molhada? Já molhei uma parte do seu short e a melhor coisa. Eu estou sem calcinha e a minha toalha pode cair. - Sussurrei bem perto do seu ouvindo, sentindo seus dedos me apertando mais ainda.

- Você vai... Vai me fazer gozar assim. - Ainda estava com os olhos fechados e eu queria mais que nunca beija-la. - Não para... Por favor...

- Eu não quero parar, mesmo você tentando segurar os seus gemidos, eu consigo te ouvir e você geme muito gostoso... Você me fodendo com força seria muito bom, eu poderia gozar só de ficar aqui me esfregando em você também, mas vai ser uma pena, já que eu não vou gozar no seu colo e vou ser uma filha da puta com você.

- Não faz... - Me levantei, tirando suas mãos de mim e vendo seus olhos se abrirem - Porra, Lauren...

- Minha irmã deve ser feliz nas suas várias noites agitadas. - Tentei soar o mais irônica possível.

- Senta aqui de novo... - Camila tentou me puxar, mas me afastei.

- Não vou sentar, mesmo no estado de excitação que estou...

- Então senta aqui... Tava muito bom. Vem? Eu posso te ajudar com isso.

- Não, a Alexa vai me ajudar com isso, e se eu fosse você... Eu colocaria o volume do fone no máximo. Eu vou gemer tão alto quando ela estiver me comendo, que até os seus vizinhos vão me ouvir. Alexa sabe como me saciar. - Deixei a Camila com cara de poucos amigos e subi outra vez. - Demorei?

- Não tem vergonha de ficar de toalha na frente da sua cunhada?

- Não, ela me viu crescer, pra que eu vou ter vergonha?

- Não sei, mas vem cá. - Alexa me puxou para cama, tirando minha toalha e me deitando. Olhei para a porta na esperança de ver a Camila me olhando. Eu queria muito aquilo.

Camila

Eu me encontrava em um estado crítico, eu estava de pau duro e dava para ouvir os primeiros gemidos da Lauren. Eu não aguentaria só ouvir.

Tirei o fone de vez e soltei o controle, subi sem fazer barulho, eu só queria ouvir atrás da porta, mas para o meu azar ou sorte, a porta estava aberta.

O que eu estava vendo, eu só tinha visto nos meus poucos pornôs. Lauren estava deitada na cama e sua amiga de joelhos na sua frente a chupando. Desci minha mão até meu short e segurei meu pau com força, ela gemia feito uma louca e eu queria estar no lugar daquela menina. Eu tinha toda certeza que ela sabia que eu ia subir e por isso tinha deixado a porta aberta. Bastou poucos segundos para ela me ver e gemer mais, ela fazia caras e bocas que estavam me deixando mais louca ainda. Ela tinha os seios lindos, eu queria deixar minhas marcas neles e nela toda.

- Quero você dentro de mim, Alexa. - Lauren me olhava, aquilo era muita provocação.

-  Me quer forte dentro de você? - Alexa se levantou do meio das pernas da Lauren, indo até sua boca. O beijo era quente, Lauren gemia no meio do beijo, desci meus olhos até onde uma das mãos de Alexa estava.

- Como sempre... Me faz... Gozar... - Eu não aguentava mais só olhar e ver, eu estava mais dolorida que nunca.

- Eu nunca vou me cansar de foder com você. Aqui é bem mais excitante que lá na nossa sala do mercado.

- Eu também não, você é a única que sabe como deixar minhas pernas bambas... Agora me fode com força...

Alexa obedeceu as ordens da Lauren e começou com as suas estocadas, eu já estava me masturbando com força e iria gozar ali mesmo, vendo a Lauren sendo fodida e gemendo como nunca tinha ouvido antes. Me encostei na parede e fechei os olhos, eu só ouvia e me imaginava no lugar Alexa, quanto mais Lauren gemia, mais rápido eu ia.

[...]

- Alô? - Atendi sem prestar atenção no número que me ligava.

- Oi, amor.

- Oi, Tay. Que horas você volta?

- Por isso liguei. A Ally quer passar a noite aqui na fazenda dos pais dela. Eu vou ficar aqui com ela.

- Você se esqueceu que sua irmã está aqui em casa? Você tirou ela da casa dos seus pais para deixar ela sozinha aqui?

- A Laur já é de casa, tem você aí com ela e a Ally precisa de mim. Eu volto amanhã de noite.

- Vai passar o domingo todo aí? - Só podia ser brincadeira.

- Demoramos horas para chegar aqui, se eu for embora de manhã, vou perder o dia todo na estrada.

- Você que sabe. - Tentei não bufar, era quase impossível.

- Não fica brava, amor.

- Não estou. Eu vou ir passar o dia na casa dos meus pais. E se a Lauren quiser, eu levo ela e a amiga junto.

- Não sei se ela vai querer ir com você, ainda mais depois de ir nas festas que ela vai. Ela vai dormir o dia todo.

- O que tem nessas festas?

- Tudo o que pode imaginar. Não liga se ela chegar bem louca, é assim que ela sempre volta pra casa.

- E você fala assim? Como se fosse tão natural? Normal?

- Esse é o normal da Lauren. Ela tem 23 anos, Camila. Ela que sabe o que faz da vida dela.

- Ela é a sua irmã, Taylor. Não deveria deixar ela fazer esse tipo de coisa.

- Ela é de maior, Camila. Eu não mando nela, não faço regras. Se ela gosta de ser assim, o problema é dela.

- Bela irmã.

- O que disse? Não ouvi.

- Eu disse que ela que sabe. Eu já vou desligar, vou pedir comida.

- Ta bom, amor. Eu ligo amanhã. Beijo.

- Outro. - Desliguei e procurei outro número. Se a Taylor não ia fazer nada, eu ia.

- Alô?

- Keana, é a Camila. Preciso de uma ajuda sua.

- Não faço programas.

- Bem que você queria uma noite comigo, mas não é isso.

- E como posso te ajudar?

- A Lauren me pediu para ir buscar ela em uma festa, mas eu não estava em casa e ela saiu sem me deixar o endereço da festa. Ela também não atende o celular. Você tem?

- A Lauren não iria te pedir isso. - Que merda, eu precisava ser convincente.

- Mas pediu. Ela disse que ia ficar bem louca e que era pra Taylor ir buscar ela, mas a Taylor foi dormir com a Ally no meio do mato.

- Ow, você vai deixar a Ally te colocar um par de chifres também? Novidade hein.

- Você gosta de ser idiota sempre ou é só comigo?

- Só com você. - Eu queria bater nela. Ela estava rindo.

- Fala logo o endereço da festa.

- A Lauren foi com uma amiga, não vai precisar de carona.

- Alexa? Com essa amiga? Eu vou ir buscar as duas, Keana. Você pode ou não me falar o endereço?

- Calma aí, ficar bravinha não vai te ajudar.

- Fala logo, Keana.

- Vamos fazer uma troca.

- Qual? - Sempre tinha que ter alguma coisa em troca.

- Eu te falo o endereço e você me da uma coisa que eu sempre quis.

- Não vou dormir com você. - Revirei os olhos.

- Meu Deus, você não sabe brincar? Eu não quero dormir com você. Eu gosto de zoar com você e você sempre caí.

- Pra minha tristeza. Fala logo o que você quer.

- Eu preciso sair amanhã, eu te mando o endereço e você fica com o Zack por algumas horas.

- Só isso?

- Só isso. Você gosta dele e ele gosta de você. E só por umas horas.

- Amanhã eu vou ir na casa dos meus pais, algum problema em levar ele?

- Nenhum. Eu te mando o endereço por mensagem.

- Ta bom.

- Obrigada, lombriguinha.

Keana sabia ser chata quando ela queria, ela gostava de pegar no meu pé e apesar de ser amiga da Lauren, ela também era minha amiga. Zack era meu afilhado junto com a Lauren e eu nem preciso dizer que ela não gostava nada daquilo.

Esperei Keana me mandar o endereço e passar das 23 horas ir até a festa. Não era tão longe, o problema era o trânsito que eu pensei que não iria ter e tinha. Passei quase meia hora até chegar lá, tinha gente até para o lado de fora da casa. Parei o carro do outro lado da rua e desci, fui recebida com uma bola batendo no meu carro.

- Foi sem querer, gatinha. O Niall não tem muita coordenação motora. Pode jogar a bola de volta?

- Eu te conheço, não conheço? - Chutei a bola de volta, ele deu um toque e voltou seu olhar para mim. - Não só você, conheço esses dois aí também.

- Aqueles são Niall, Louis e eu sou o Liam. - Cheguei mais perto deles. - Você também não me parece ser estranha. Pode ser de qualquer festa.

- Tenho certeza que não, já faz tempo que não vou em festas.

- E aí, o jogo acabou? Camila?

- Harry?

- O que faz por essas bandas de cá? - Harry começou a caminhar com os braços abertos e me abraçou.

- Estou procurando a minha cunhada. E você? - Me soltei de seus braços.

- Esse aqui é meu povo, bebê. Festas são a minha vida.

- Pensei que sua vida fosse sua irmã. Falando dela, cadê ela?

- Lá dentro bebendo todas. Ela disse que não tinha nada melhor para fazer e veio junto com a gente. Falando em gente, já conheceu meus amigos aqui?

- Sim. Liam, Louis e Niall. E eu já me lembrei de onde eu conheço eles.

- Isso mesmo. Meninos, essa aqui é a Camila, melhor amiga da Dinah.

- Posso entrar?

- Pode sim, se sinta em casa, mesmo que a casa seja da Normani.

Quando as pessoas ficam falando que o mundo é pequeno, eu deveria ter acreditado. Lauren conhecia Normani que conhecia Dinah que era irmã do Harry que tinha aqueles amigos que gostavam de tirar as roupas em festas e que todo mundo me conhecia.

- Terra chamando Camila. Terra...

- Dinah? - Desde que horas ela estava parada na minha frente?

- Não, sua mãe. - Revirou os olhos.

- Que isso, não trocou as ferraduras?

- Eu vou jogar elas na sua cabeça.

- O que foi?

- Eu estou falando com você desde a hora que você passou pela porta e você aí dormindo.

- Eu estava pensando.

- Em uma festa?

- Sim. E falando em festa, essa aqui não tem música?

- Tem sim, mas alguém chutou uma das caixas de som e tão arrumando. Você ainda não falou o que ta fazendo aqui.

- O que você ta fazendo aqui?

- Não tinha nada pra fazer lá em casa, Harry disse que tinha uma festa na casa da Normani e aqui estou.

- O que rola nessa festa?

- Tudo o que pode imaginar. Mas nem todo mundo usa e abusa. Sua cunhada mesmo é uma que usa e abusa.

- E você viu ela?

- Ta em um dos quartos, ela subiu e sumiu. A Normani disse que ela faz isso em todas as festas. Agora me fala, o que faz aqui? Cadê a insuportável da sua mulher?

- Foi dormir no meio do mato com a Ally. Ela levou um pé na bunda e quer ficar chorando com a Taylor.

- Certeza? Elas foram agora de noite?

- Não, já faz tempo.

- Eu pensei que a Ally estava na casa dela, as luzes estão ligadas.

- Deve ser os pais dela. Ela foi pro mato.

- Deve ser. Quer beber o que?

- Nada, eu só quero a Lauren.

- QUE?

- Não foi isso que eu quis dizer... Eu estou aqui pra buscar ela.

- Ela já deve ta bem doida lá no quarto e eu acho que ela não vai querer ir com você...

- É o que vamos ver.

Deixei a Dinah para traz e subi as escadas, tinha algumas portas abertas e muitas pessoas no corredor. Passei pelas abertas e as fechadas eu abri. Uma antes da última eu tinha achado a Lauren, ela estava debruçada sobre uma no canto do quarto.

- Lauren? Ei? Acorda.

- Ela não vai acordar tão cedo. - Me virei, Normani estava parada na porta com os braços cruzados.

- O que ela tomou?

- Ela misturou algumas coisas...

- Cadê a Alexa?

- Foi embora depois da briga das duas.

- Que briga? - Arqueei as sobrancelhas

- Alexa não queria deixar a Lauren usar nada e deu briga, ai a Alexa se mandou e a Lauren veio pra cá.

- Você não deveria dar esses tipos de festas. - Me virei para Lauren outra vez, me abaixei e subi segurando seu corpo. - Essas festas vão acabar com alguém qualquer dia desses.

- Qual é, Camila? Eu não controlo as pessoas. Eu comprei bebidas, não tem ninguém de menor aqui. As outras coisas não são minhas, cada um traz o que quer.

- Mas a casa é sua. Deveria falar o que entrar e o que sai daqui. Agora me da licença, eu vou levar a Lauren.

- Posso te ajudar pelo menos?

- Não precisa. Só avisa a Dinah que fui embora. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...