História Não fui eu! - Reescrevendo - - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Visualizações 21
Palavras 3.693
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Lemon, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa noitee <3

Cara, amei esse cap mais que o normal, amei tanto, tanto, que né.. não fiz nada sjsssjk

Mas eu amei mesmo e espero que sintam o mesmo. Sorry se escaparam erros.

-- Atualizado --

Capítulo 6 - Six.


Eu me sentia no leito de morte.

 

Isso era possível? Talvez sim. Mas só lembrando que tem um motivo especifico para eu me sentir assim, um motivo muito bom!

 

– Não acredito que fez isso!! -Tae falava animado, mas ao mesmo tempo me batia.

 

Eu poderia estar puto da vida com ele agora, mas meu bom humor está tão alto que eu poderia dar minha casa pra um mendigo. Só não faço isso porque não sei onde tem mendigos e muito menos daria minha casa sem ter outra pra ficar.

O que realmente importava no momento era compartilhar o momento com Taehyung e impedir ele de me bater pelo que fiz.

 

– Para com isso! Você tá feliz ou com raiva? -questionei entre gargalhadas ao segurar seus pulsos, me sentando sobre sua barriga.

– Os dois! -começa a rir junto comigo.

 

Eu também estava um misto de sentimentos. Eu finalmente tomei iniciativa em algo sem a ajuda literal do Tae e ainda por cima deu certo!

 

Muito certo!!

 

A cara vermelha e desnorteada de Park Jimin é capaz de me tirar do tumulo! Você não sabe o quão gratificante foi e o quão orgulhoso eu estou de mim mesmo!

 

Depois do pequeno incidente com o Jimin agindo daquele jeito estranho, passei a evitar ele, pelo menos até ter algo bom em mente para me vingar. Onde já se viu me prender daquela forma? Me seduzir daquele jeito sem vergonha? Ele não é o novato fofo? Onde ele enfiou a fofura?

 

Vou nem responder....

 

Mas tudo me assustou e muito. Não sei se foi golpe de sorte ou se Kim Hyong tinha algo a ver com tudo isso. Aquele... jeito de agir sempre me intimida. Com Jimin não foi tanto porque ele estava rindo, mas fiquei com medo. Se alguma coisa acontecesse de verdade eu nem voltava mais pro colégio.

Só que como não aconteceu nenhum ato impuro, muito menos o beijo do qual o alaranjado falava, planejei por um tempo o que fazer. Mas tudo estava tão estranho que eu deveria pelo menos dar sinal de que eu ia dar o troco.

 

– Ele voltou a conversar com você Tae? -perguntei o encarando e ele negou.

– Vez ou outra a gente troca umas palavras. Mas só isso. -explicou calmo e me empurrou para suas pernas, se sentando em seguida. – Hyo pode estar fazendo a cabeça dele?

– Isso mesmo. -confirmo apoiando a testa em seu ombro.

 

Eu estava tranquilo com o Jimin e Tae também estava, até vê-lo com Kim Hyong. Foi igual ver minha mãe com um chinelo na mão.

 

Tremi na base.

 

A partir desse dia, Jimin ficou estranho. Ele me olhava de cara feia e sempre que eu cruzava seu caminho, Kim Hyong estava com ele. Sei bem as intenções de Kim Hyong ao andar com Jimin. Ele ainda deve estar com raiva de mim, mas ele não está certo. Sei que o mesmo ainda me considera bastante, mas não podíamos continuar sendo amigos. Não com o rumo que tudo tomou. De maneira alguma.

E com toda a certeza que tenho, posso afirmar que Kim está fazendo a cabeça do Jimin com mentiras. E eu irei reverter isso.

 

 

 

Ao mesmo tempo que tiro proveito da situação.

 

 

 

Ué? Eu não sobrevivo sem atenção e Park é o único aluno fora Kim Hyong que me nega isso. Por que não devo aproveitar?

 

– Mas fora isso... -falou me afastando pelos ombros. – Como o Jimin reagiu?

– Da melhor forma possível!! -ri me levantando do seu colo, indo até a escrivaninha. – O rosto dele estava todo vermelho e ele não sabia como agir.

– Parece alguém que conheço. -cruza os braços e torço o nariz, rindo em seguida.

– Calado! Eu não sou assim!

– Mas conta direito essa história aí... -disse se levantando, indo até um pequeno saquinho de presente sobre a minha escrivaninha. – Por que tantos presentes?

– Aaah você vai saber... -me joguei na cama novamente e olhei tudo o que eu tinha preparado. – Se o Jimin não admitir que sou alguém fofo e gentil, eu...

– Vai armar o barraco? -disse pasmo e pressionou os lábios, balançando a cabeça em negação.

– Calado! Não sou assim! -falei sério e ele cruzou os braços. – Quer que eu minta? Eu sou só um pouquinho...

– Barraqueiro. -riu se apoiando na escrivaninha. – Eu queria ser ele agora.

– Ué... Por quê? -perguntei curioso, o olhando.

– Porque ele ganha bem mais carinho que eu. -disse tristonho me fazendo rir.

– Você tem mais carinho que qualquer pessoa! -falei firme ao me sentar na cama. – Vem aqui hyung! Quero perguntar algo!

 

Tae me ajuda tanto que não tem como eu não ser grato com ele. O único problema é que não consigo mais dar o mesmo carinho de antes. Na verdade, consigo, mas sei exatamente a consequência de alimentar algo que não existe.

 

O que eu precisava no momento, era o que o Tae chamava de: Arte da Sedução.

 

Dá até uns coiso em falar isso, mas está correto. Eu fiquei com receio de aprender esse tipo de coisa, confesso, mas de começo eu achei que eu iria usar só em garotas. Porém... Tae me disse que pode ser usado em ambos os sexos e que funciona muito bem.

Persuadi pessoas com um jeito meigo e fofo, além de provocar um pouquinho, faz você receber uma atenção absurda das pessoas, não é à toa que estou num nível tão elevado hoje.

 

 

 

Se Taehyung usa?

 

 

 

Pffff.... Sempre!

 

 

 

Sempre que ele quer algo, manda um olhar de criança abandonada, estou sofrendo ou estou carente hoje, que tem como recompensa os seus desejos. Até hoje eu só vi ele usar em garotas, mas desconfio que ele use em garotos também, – eu sou um dos trouxas que deve ter caído nas técnicas dele – mas isso não vem ao caso. E não... Tae não é gay. Pelo menos não assumido.

Acho que ele se encaixa no tal de Bi – não só ele.. –, já que ele fica com ambos. E eu? O que se pensa de alguém que provoca garotos? Não me acostumei, mas não é de se jogar fora.

Mas se for pra passar meu lado mais homem, com toda certeza Tae é meu primeiro que vem na minha mente como exemplo. Muitos diriam que é o pai e tals, mas sou admiro tanto meu hyung, que mostra sempre ter um lado másculo, além de ser forte e ter uma voz grossa. Não que isso seja motivo, mas eu tenho como base de masculinidade, Kim Taehyung.

 

– Eu mandei você sentar na cama! Não no meu colo!! -esbravejo segurando o mais velho pelos braços.

– Eu prefiro seu colo! -fala fazendo biquinho. – É confortável.

– Aaah!! -exclamo jogando ele na cama.

– Você é malvado Jeon! -afirma afetado e eu dou de ombros. – Só vou escutar se estiver grudadinho comigo!

 

Acho que errei feio em ter ele como exemplo. Literalmente, foi a pessoa mais errada pra ser meu exemplo em algo na vida. Nem há a necessidade de dizer que ele me obrigou a deitar em cima dele, né? Não... não há.

 

– O que pretende fazer? Vai continuar a provocar ele? -questiona enquanto brinca com meu cabelo.

– Eu não sei.... O que você acha, hyung? -indago bocejando ao sentir sono.

– Que deveria continuar. Vai ser divertido! -comenta malicioso. – Não se esqueça de me dar uns benefícios.

– Tem razão... -concordo levantando o rosto para olhá-lo. – Sobre continuar, tá?

– Tá...

– E como fazemos com você?

– Comigo?

– Jimin não fala mais com você.

– Aaah... -suspirou deitando de lado, me abraçando forte. – Não sei como vai ser, já que o Hyo hyung não sai mais do pé dele.

– Então eu vou fazer ele se arrepender de andar com aquele egocêntrico! -falo determinado, fazendo Tae rir.

– Idiota! Você também é egocêntrico!!

– Calado!!

– E é convencido!

– Depois que eu me irritar, não vem dizer que eu comecei. -falo impaciente. – E mais uma coisa...

– O quê? -indaga curioso.

– Eu quero fazer isso sozinho.

– Por que? -pergunta surpreso.

– Por orgulho. Além do que.... Eu preciso aumentar um pouco minha autoconfiança. -falo calmo e ele concorda ainda receoso.

– Quer que eu te ajude em algo?

– Pode me ensinar coisas novas? -pergunto manhoso e o mesmo sorrir sapeca.

– Com todo prazer.

 

.

.

 

[..]

 

.

.

 

Dia seguinte...

 

 

Esquece a felicidade que eu sentia antes. Agora eu só sentia medo e hesitação. Hesitação e medo. E de novo medo e hesitação. Por mim eu já teria desistido de tudo, mas sabe o lado ruim de ter um melhor amigo?

 

– Vai!! É sua chance! -Tae avisa, me dando um leve empurrão.

 

Eles sempre vão te deixar ir sozinho.

 

Atravesso o corredor rapidamente, indo na direção do alaranjado que se encontra sozinho, fazendo alguma coisa em seu armário. Ele chegou bem cedo hoje e por sorte Kim não chegou ainda para atrapalhar meus planos.

 

– Aishii!! -exclama arregalando os olhos assustado. – Não faça mais isso!

– Desculpa. -peço baixinho e pressiono os lábios.

– O que você quer, Jeon? -questiona ríspido e logo noto o tom rosado de suas bochechas.

– É... Por que sempre que me vê age assim? -pergunto gentilmente e ele ri soprado.

– Ainda tem a cara de pau de fingir ser bonzinho na minha frente! -zomba passando a mão pelo cabelo. – Você é um idiota, Jeon! Sabe bem o motivo de eu estar te evitando!

– Não... -respondo sério, tentando manter a paciência. – Eu não sei.

– Quando parar de ser fingido, venha falar comigo. -fala entre os dentes batendo a porta do armário, se afastando em passos firmes.

 

Fecho as mãos em punho e esbravejo irritado, segurando a vontade de gritar um foda-se para o alaranjado. Quem ele pensa que é? Me chamar de fingido? O pior é que se eu quiser que ele volte a falar com Tae e preste atenção em mim, eu vou ter que chegar ao limite da minha paciência.

 

E eu espero de verdade não chegar nesse ponto.

 

Fiquei vagando mais uns minutos pelo colégio, conversando com uns amigos e novamente vi Jimin sozinho. Dessa vez ele saía da biblioteca e tinha três livros junto ao corpo, como se fossem de ouro.

Sorri pelo momento oportuno e em passos rápidos cheguei nele, tomando os livros da sua mão.

 

– Eu achei que você não sabia ler! -zombei andando rápido para longe dele que me seguiu.

– Aaah Jungkook! Me esquece! -falou alto, dando diversos pulinhos para tentar pegar os livros novamente.

– É pra aula de física... português... -fui lendo as matérias dos livros e logo levei um chute na bunda.

– ME DÁ!! -gritou pegando os livros assim que baixei a mão. – O que deu em você? Por que está me seguindo?

– Acho que você esqueceu, não é? -perguntei massageando minha bunda. Porra de chute forte!

– Esqueci o que? -perguntou suspirando e mais uma vez sua mão passou pelos fios laranja. Ele tinha noção de que isso era sexy?

– De que... – me aproximei dele, puxando-o pela cintura. – Você perguntou se eu o queria.

– Já faz dias, por que se importa agora? -perguntou assustado, tentando me empurrar, mas simplesmente aproximei meu rosto do seu.

– Por que eu não te respondi ainda... -murmurei fitando seus lábios. Não tinha notado que eram tão cheinhos. – O que acontece se eu dizer que quero você?

– Vai levar um chute aqui. -disse sorrindo cínico, ao passar a mão descaradamente por meu membro.

 

O larguei no mesmo instante, vendo ele sorrir vitorioso antes de seguir seu caminho. Fiquei um tempo tentando absorver o que aconteceu, dando meia volta pra ir para minha sala. Eu deveria como de costume, correr pro banheiro assustado e ir chorar, mas eu não sentia medo ou tristeza. Eu me sentia desafiado e excitado.

 

.

.

.

.

.

 

Além das minhas tentativas frustradas com Jimin, estava sendo obrigado a escutar as reclamações de Tae. Tá que ele aguenta o meu drama, mas não significa que eu fique repreendendo ele pelo que ele fez! Só toda vez...

 

– O que eu te ensinei ontem não serviu de nada? -volta a questionar indignado.

– Não é tão fácil assim! -confesso irritado. – Eu tenho vergonha na cara, Tae!

– Tá me chamando de sem vergonha? -seus olhos saltam. – Eu deveria te dar uns tapas!

– Vai me ajudar ou vai continuar a me criticar? -pergunto sorrindo falso.

– Sim. Eu vou ajudar. -diz suspirando pesadamente. – Isso é para você ver o que eu passo com você quase todo dia.

– Eu sei bem o que você passa! -resmungo revirando os olhos. – A diferença é que eu me aturo.

– Mas se você quer que eu te ajude, vai ter que fazer o que eu te ensinei. -fala sério e eu concordo.

– Ok. Só que é constrangedor demais. -falo mordendo o lábio inferior. – Por onde vamos começar dessa vez? Porque chamar a atenção não está funcionando.

– Hum... Se joga. -fala tranquilo e eu o encaro confuso.

– Se joga aonde, seu idiota?!

– No Jimin né. -diz revirando os olhos. – Pode deixar que eu te ajudo com isso.

– Tá.... Mas quando a gente começa? -pergunto desconfiado.

– Agora mesmo! -fala sorrindo e me empurra.

 

Claro que eu já havia me tocado da situação e sabia muito bem que ele tinha me jogado em cima do Jimin. Eu só não queria acreditar. E por quê? Acabei de derrubar a comida dele, na roupa dele, no meio de um monte de gente e digamos que seu olhar não é um dos mais amigáveis.

 

– JUNGKOOK! -grita deixando sua bandeja cair no chão.

– Jimin... Eu... Desculpe... -murmuro coisas desconexas ao dar passos incertos para trás.

– GUERRA DE COMIDAAA!! -alguém grita e logo se inicia a bagunça.

 

Seria mentira eu dizer que não tentei correr. Eu tentei e com um quase sucesso. Eu teria fugido de tudo com muita facilidade se o Jimin não tivesse segurado meu braço, exigindo uma explicação pra tudo aquilo. Só que a única pessoa capaz de dar explicações, fugiu sem nem me levar junto.

Pessoas e mais pessoas eram atingidas pelo prato do dia: Macarronada e almondegas. E para completar o azar do povo, ainda tinha um suquinho de uva para acompanhar. Não vou dizer que escapei ileso, porque Jimin não ia deixar isso barato.

Quando finalmente eu voltei a prestar atenção na sua voz cheia de ódio, já era tarde demais pra desviar da sua mão cheia de macarrão. Aishii... Ele só tem ódio no coração. Onde já se viu atingir os outros dessa forma? E logo na cara.

 

– Pra você aprender a me deixar em paz... -disse entre os dentes, esfregando a mão na minha cara.

 

Eu só sei que dei um chute em algum lugar do corpo dele, o empurrando e limpando meus olhos. Eu comecei a feder a molho e aquilo me deixou puto, mas antes mesmo que desse um passo para resolver minha pequena, grande dívida com o alaranjado, a vice-diretora entrou no lugar, levanto uma almondega na sua blusa branquinha. Péssimo dia pra se usar branco.

 

– Aaahrg minha roupa! -falou ao ver a almondega cair no chão e o refeitório se calou. – QUEM É O CULPADO DISSO?

 

Aaaah eu ainda me vingo desse dedo duro que é o Kim Hyong! Se ele não tivesse apontado na minha direção, ninguém mais teria apontado.

 

– Você envolvido em confusão de novo? -questionou irritada. – E ainda com a ajuda do aluno transferido!

– O que? Mas eu não... – Jimin é interrompido.

– Calado! Não quero nenhuma reclamação! Venham comigo agora! -falou alto e nos deu as costas, andando em passos firmes para fora do refeitório.

 

Simplesmente corri para segui-la, ante que o Jimin resolvesse enterrar meu rosto no piso do refeitório. O olhar dele estava dando medo e mesmo que eu recebesse alguma punição, não morreria nas mãos da vice-diretora.

 

.

.

.

[...]

.

.

.

 

Resultado: Empate de zero a zero.

 

Nem eu, muito menos o Jimin conseguiu persuadir a diretora a deixar toda a situação de lado. Eu bem que tentei, até chorei na frente dela quando estávamos sozinhos. Até disse que Jimin tentou me sufocar com o macarrão, mas nada feito. Ela só mandou a gente tentar se limpar e nos deu o castigo.

Eu e o alaranjado teremos que limpar o refeitório inteiro sozinhos. Não só hoje, como pelo resto o mês. Além de ter que arca com o custo das fardas manchadas pela comida. E isso inclui a roupa branquinha dela.

 

– A esponja por favor.  -pedi baixinho ao estender a mão para Jimin.

 

Espero.

 

Espero.

 

E espero.

 

 

Nada.

 

 

– Jimin! A esponja! -falo mais alto e olho para ele que limpava com calma uma mesa.

 

 

Espero de novo.

 

De novo.

 

E de novo.

 

Ele é surdo?

 

 

– A porra da esponja Jimin! -falo alto e com raiva.

 

E mais uma vez sou ignorado.

 

Eu não sei de onde o Tae tira paciência pra lidar com ele. Eu não tenho uma gotinha de paciência.

 

– JIMIN!

– Engole essa porra e morre! -falou jogando a esponja na minha cara.

 

Agora você viu quem começou. Eu estava sendo pacifico, o diiiaaa todo, mas agora não vou mais suportar! Ele vai ter o que merece.

 

– Enfia a droga dessa esponja no meio do seu cu!! -elevo jogando a esponja nele, que me encara incrédulo.

– Anjinho indefeso... Como acreditei em uma idiotice dessas?! -questiona com um sorriso cínico.

– Se você não tirar esse sorriso cínico da cara, eu mesmo tiro! -ameaço dando um passo à frente e ele se mantêm firme e com o mesmo sorriso.

 

“Respire fundo e conte até três seu idiota.” ~Tae

 

Eu odeio de coração a voz do Tae na minha cabeça. Mas pela primeira vez a voz dele surge com um conselho em vez de só me xingando. Faço como ele havia me ensinado noite passada e respiro fundo ao fechar os olhos.

 

 

 

 

1.....

 

 

 

 

 

 

 

– Se você é tão corajoso, vem aqui e me bate! -Jimin provoca.

 

 

 

 

 

 

 

....2.......

 

 

 

 

 

 

 

– Você é só um adolescente mimado!! Egocêntrico! Falso!....

 

 

 

 

 

 

 

.....3.........

 

 

 

 

 

 

– Jeon, você é muito dramático!

 

 

 

 

Simpático o cacete! Vou enfiar a mão na cara dele!

 

 

Flash Back – Jeon

 

Terça à noite – casa de Taehyung:.   (dia anterior)

 

– Antes de mais nada, você tem que seguir cinco passos para conseguir a atenção do Park Jimin. -Tae explica ao erguer um dedo.

 

Olho para meu amigo atento, mas com aquele sentimento de receio no peito. Tae está agitado e anda de um lado para o outro. Eu pedi a ajuda dele com Jimin e ele me arrastou para casa dele, dizendo que ia me ensinar técnicas de como conquistar a atenção de alguém. Só que não podia ser na minha não?

 

– Tae... Tem certeza que você inventou isso? -questiono receoso.

– Claro que sim! -fala revirando os olhos e o mesmo olha algo no celular. – Qual era a primeira mesmo?

– Acredito muito que isso é seu. -ironizo e o mesmo bufa irritado.

– Calado! Você quer se acertar com o Jimin ou não? -pergunta me encarando sério.

– Eu não fiz nada de errado. Só quero dar uma lição nele. -comento desanimado.

– Com isso aqui você vai dar uma lição nele e quem sabe algo a mais... -sorri malicioso e eu reviro os olhos.

–  Diz logo o primeiro passo?

– Seja simpático com o(a) garoto(a) que você quer a atenção. -fala animado ao ler isso no celular.

– Você pegou isso de um site de como conquistar homens? -pergunto cerrando os olhos.

– Já falei que não! -nega sério. – Vamos começar! Primeiro que... Jeon! Você é um grosso!

– Ei! Não é verdade seu idiota!

– Viu só? Nem comecei a falar e você já me xingou. -fala cruzando os braços.

 

Pior que é verdade. Eu tenho o pavio curto. Qualquer coisinha e eu já perco a cabeça e saio xingando o mundo a minha volta.

 

– Tudo bem. Me desculpe. -peço baixinho. – E como resolvemos isso?

– Respire fundo e conte até três toda vez que se sentir irritado. -fala e eu concordo.

– Assim? -indago respirando fundo e soltando o ar pela boca.

– Isso! Contou até três?

– Sim, mas tudo parece normal. -comento confuso.

– É porque você não se irritou. -explica suspirando. – Vamos fazer um teste.

– Ok.

– Preparado?

– Sim! -afirmo animado.

– Você é um idiota!

– O que você....

– É um teste, Jeon! Tente respirar fundo! -relembra e eu concordo receoso.

 

Respiro fundo algumas vezes e conto até três. Incrível! Finalmente Tae fez algo que preste na vida ou ia levar um soco.

 

– Então?...

– Funciona! -respondo alegre. – Você é um gênio, Tae!!

– Eu sei que sou um gênio. -concorda sorrindo vitorioso.

– Já pode parar de se achar, Tae. -riu balançando a cabeça em negação.

– Ok. Vamos tentar mais uma vez.

– Certo!

– Jeon Jungkook..... Você é um idiota que não sabe fazer nada!

 

Respira..... -penso me contendo.

 

– Você é tão inútil que não sabe nem fritar um ovo.

 

Respira... -penso irritado.

 

– Eu não sei como aguento alguém tão dramático como você.

– Dramático não!! -nego elevando a voz.

– Já vi que você perde a cabeça quando te chamam de dramático. -comenta e eu me levanto, indo em sua direção. – Não sei o porquê de você reagir assim. É a verdade.

 

Ele nota meu silêncio e engole em seco, sorrindo quadrado como sempre. Conta até três e saí correndo do quarto comigo o perseguindo. Tae está definitivamente certo. Algo que eu nunca suportei e nunca vou suportar é que me chamem de dramático.

 

Flash Back – off

 

E agora?

 

Como vou explicar ao meus pais e ao Tae o que aconteceu? Bem... Não foi só culpa minha no fim das contas. O sabão no chão tem culpa também.

Entro de fininho em casa, olhando para todos os lados a procura da minha mãe. Já estava anoitecendo e ela poderia estar em casa. Se ela visse eu só estaria muito ferrado. Corro na ponta dos pés até meu quarto e entro fechando a porta, soltando uma lufada de ar.

 

– Onde você estava?

– AH!

 

Nem sempre a vida me dá sorte. Na verdade, nunca deu, eu quem faço minha sorte, mas custava o que minha mãe ter pego transito hoje?

 

– Vai me respon... Jeon! -disse segurando meu rosto entre as mãos. – Quem fez você ficar de olho roxo?

 

Tentei tudo ao meu alcance. Tentei chamar a atenção dele, fui gentil e ainda por cima paciente quando comecei com aquela merda de respirar e contar até três. Mas Park Jimin é bem mais complicado que contar até três. Ainda mais quando você quer brigar com alguém num chão cheio de sabão.

 

Você me paga Park Jimin.

 

 

 


Notas Finais


Cara, agora sim eu tô amando <3

Jiminie está bem safadinho, mas ele é abusadinho assim mesmo, porque de todo modo o Jungkook que quer ser o manda chuva, mas ele ainda é muito acanhado pra isso ( o que não quer dizer que ele não faz nada né)

Se gostaram desse cap, se preparem porque o próximo será quentinho -heuheuheu

bye e até o próximo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...